Fisioterapeutas atuam nos três níveis de combate à Covid-19

Eles atuam na desaceleração do surgimento de novos casos, orientando em barreiras sanitárias e no acompanhamento remoto de grupos de pessoas e de casos crônicos.

16/04/2020 08:23h - Atualizado em 16/04/2020 08:28h

Compartilhar no

Com a pandemia do novo coronavírus, o trabalho dos profissionais da saúde tem sido vital. E os fisioterapeutas também assumem um papel essencial nos três níveis de combate à doença: primário, secundário e de alta e média complexidade. 

De acordo com o docente e fisioterapeuta Gilberto Portela, no enfrentamento à covid-19, não se deve concentrar os esforços apenas nos doentes. A atenção também deve estar nas ações para evitar novos casos, pois o sistema de saúde não tem capacidade de receber muitos doentes ao mesmo tempo.


Na alta complexidade, o profissional atua tanto na assistência respiratória nas UTIs, como na manutenção e recuperação cardiovascular e osteocondral.


"Os fisioterapeutas, nas equipes de Atenção Primária [NASF-AB], atuam na desaceleração do surgimento de novos casos, orientando em barreiras sanitárias e no acompanhamento remoto de grupos de pessoas e de casos crônicos, por exemplo. Na Atenção Secundária, o fisioterapeuta, antes nas clínicas e ambulatórios, agora faz atendimento remoto, que é extremamente importante para evitar descompensações de quadros clínicos", detalha Gilberto Portela.

Já na alta complexidade, o profissional atua onde estão os casos confirmados com evolução grave da doença, tanto na assistência respiratória (monitorando aqueles que respiram através de aparelhos) nas UTIs, como na manutenção e recuperação cardiovascular e osteocondral, e nas atribuições comuns aos outros membros da equipe hospitalar.

Fisioterapia respiratória é essencial para pacientes com problemas pulmonares

Sobre a Covid-19 sabe-se que é um vírus que desencadeia problemas pulmonares graves. Nestes casos, a fisioterapia entra como profissão fundamental para recuperação de pacientes.

Diana Dias é fisioterapeuta respiratória e explica que a sua área de atuação ainda é pouco conhecida, mas ela acredita que, com a pandemia, a classe será mais valorizada pelo atendimento aos paciente que tenham problemas pulmonares.


Diana Dias explica sobre sua área de atuação - Foto: Arquivo Pessoal

"O fisioterapeuta tem fundamental importância no sistema respiratório desses pacientes, sendo o responsável pela ventilação mecânica dentro da UTI, desde a intubação até a extubução (retirada do tubo), além do trabalho pós extubação, que é o trabalho do fisioterapeuta nas enfermarias, no qual esses pacientes precisarão de um trabalho de fortalecimento muscular respiratório, mobilidade de caixa torácica, manter esses pulmões o mais aberto possível e sem secreção e, claro, reabilitar esses pacientes como um todo, habilitando eles para suas atividades de vida diária", conclui Diana Dias.

Compartilhar no
Por: Sandy Swamy, do Jornal O Dia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário