Ex- prefeito, Gil Carlos, é investigado por atrasar conta de luz por sete anos

O ex- gestor de São João do Piauí, está sendo investigado pelo MP por dívida de quase R$250 mil durante a sua gestão..

13/02/2021 15:07h - Atualizado em 13/02/2021 15:19h

Compartilhar no

O ex-prefeito do município de São João do Piauí, Gil Carlos Modesto Alves (PTL, está sendo investigado por improbidade administrativa, por atrasos no pagamento de contas de luz. A ação civil foi ingressada pelo Ministério Público do Estado do Piauí, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de São João do Piauí e protocolada pelo promotor de Justiça Jorge Luiz da Costa Pessoa.


Leia também:

Juiz cassa mandato de prefeito e vice-prefeito de São João do Piauí 

Dr. Gil Carlos é eleito prefeito de São João do Piauí 

Denúncia de abuso ameaça mandato de Gil Carlos 


 “O ex-gestor de São João do Piauí na conduta omissiva agiu de forma negligente na conservação do patrimônio público, uma vez que procedeu para o efetivo prejuízo ao erário municipal, ao atrasar por sete anos o pagamento das faturas de energia consumidas em prédios públicos”, diz o promotor na ação.

Ex- prefeito, Gil Carlos, é investigado por atrasar conta de luz por sete anos. Foto: Reprodução/ Facebook 

Após ser informado pela concessionária responsável pelo fornecimento de energia elétrica, o Ministério Público abriu inquérito civil, nº 029/2020 (SIMP 000840 – 310/2020), que constatou o atraso do pagamento de faturas à Eletrobrás Piauí por parte do ex-prefeito de São João do Piauí, Gil Carlos Modesto. Os débitos são relativos aos exercícios financeiros de 2013 a setembro de 2020 e aconteceram durante todo o mandato do gestor. O consumo de energia elétrica alcançou o montante de R$ 249.512,13 e, somente a título de multa, foram R$ 71.655,51.

Assim, o MPPI ingressou com ação e requer a notificação do ex-prefeito para, querendo, apresentar resposta escrita, num prazo de quinze dias. Foi pedido ainda que, ao final, a aplicação das sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa, como o ressarcimento do valor.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário