Estudantes aprovados em Direito e Medicina ensinam o caminho para o êxito

João Victor, aluno do Dom Barreto desde os sete anos, foi aprovado em 2º lugar para Medicina da UFPI

14/01/2013 20:21h

Compartilhar no

Esta segunda-feira (14/01) foi de comemoração para cerca de 130 mil estudantes que conseguiram a aprovação num dos 3.752 cursos de ensino superior ofertados por meio do SiSU, o Sistema de Seleção Unificada.

No total, 1.949.958 pessoas inscreveram-se na ferramenta disponibilizada pelo Ministério da Educação (MEC) e concorreram a uma das vagas disponibilizadas pelas 101 instituições públicas (federais e estaduais) cadastradas no sistema.

Com 133.923 inscritos, a Universidade Federal do Ceará (UFC) foi a mais procurada em todo o País.

João Victor de Castro, 17 anos, foi aprovado em 2º lugar para o curso de Medicina da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Para alcançar o notável êxito, ele afirma que sempre manteve uma extensa rotina de estudos, dedicando cerca de oito horas por dia apenas para as aulas e atividades extras da escola, além de estudar pelo menos outras 4 horas em casa, o que totaliza uma média de 12 horas diárias de aprendizado, tempo que só era reduzido aos sábados e domingos.

Aluno do Colégio Dom Barreto desde a 1ª série do Ensino Fundamental, João Victor credita parte do mérito da aprovação em Medicina aos seus professores e à estrutura disponibilizada pela instituição de ensino. Todavia, ele ressalta que o empenho pessoal é a base para se conseguir a aprovação no SiSU.

O estudante acredita que a preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio deve ser feita desde os primeiros anos da vida estudantil, e opina que o estudo de última hora pouco adianta para quem deseja uma vaga em cursos com concorrência acirrada. "Nas últimas semanas antes do exame eu optei por diminuir o ritmo e descansar mais, pois já tinha uma base boa. Acho que foi uma estratégia correta", afirma.

João Victor (com a camisa do Dom Barreto) celebra aprovação no SiSU com outros três colegas classificados (Fotos: Jailson Soares / O DIA)

Dóris Ribeiro, 18 anos, também estudante do Dom Barreto, conseguiu a aprovação para o curso de Direito na UFPI. Seus horários de estudos eram tão extenuantes quanto os de João Victor, mas ela ressalta que não precisou sacrificar suas atividades de lazer para conseguir manter o foco no Enem. "Eu saía com minhas amigas nos finais de semana, fazia academia e jogava futebol. Para não atrapalhar os estudos, sempre procurei conciliar os horários dessas atividades", explica.

Com uma pontuação em torno de 800 na prova objetiva, os dois estudantes conseguiram desempenhos ainda mais expressivos na redação. João Victor e Dóris fizeram, respectivamente, 960 e 980 pontos na prova discursiva. "Este ano a prova subiu de nível. Estava bem mais elaborada que a do ano passado. Mas, em geral, o Enem não é difícil. Basta o candidato se preparar, ler revistas, jornais, se informar", acrescenta Dóris.

Dóris Ribeiro comemora aprovação com outros colegas, que também conseguiram vagas em cursos concorridos, como Medicina, Direito e Engenharia Civil (Foto: Jailson Soares / O DIA)

João Victor, o novo estudante de Medicina da UFPI, dá um bom conselho para aqueles que, desta vez, não conseguiram ingressar numa instituição de ensino superior. "O importante é não desistir, ter tranquilidade e continuar tentando. Mas disciplina é o essencial para obter a aprovação", conclui.

Durante a divulgação do resultado do SiSU, o ministro Aloizio Mercadante lembrou que os estudantes que não conseguiram a aprovação ainda podem ingressar no ensino superior com o auxílio do Prouni e do Fies.

João Victor, ao lado dos pais. Sucesso foi fruto de 12 horas diárias de estudos. Descanso só nos fins de semana, quando ritmo de preparação era reduzido para 8 horas/dia (Fotos: Jailson Soares / O DIA)

Compartilhar no
Por: Ccero Portela

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário