No Piauí, Eduardo Leite diz que não será 'polo de radicalização' nas eleições de 22

O governador do Rio Grande do Sul, o tucano Eduardo Leite, visitou Teresina para defender suas propostas nas prévias do PSDB.

29/10/2021 17:57h - Atualizado em 29/10/2021 19:14h

Compartilhar no

Faltando pouco menos de um ano para as eleições de 2022, partidos e políticos já se organizam em busca de apoio para suas pré-candidaturas. Se projetando como o nome do PSDB para a pré-candidatura à Presidência da República para o próximo ano, Eduardo Leite, governador do Rio Grande Sul, visitou Teresina na tarde desta sexta-feira (29) para apresentar suas propostas nas prévias da sigla. 

Ao lado do diretório do PSDB no Piauí, formado por nomes como o ex-prefeito de Teresina, Sílvio Mendes, Deputado Estadual Marden Meneses, Luciano Nunes, Kleber Montezuma e Freitas Neto, o governador Eduardo Leite ressaltou que não se lança em direção à  pré-candidatura para a Presidência contra Lula (PT) ou Bolsonaro (sem partido), mas sim para liderar um projeto nacional. 


Eduardo Leite ao lado do diretório do PSDB no Piauí. Foto: Jailson Soares/ O Dia 

“Queremos construir um caminho no PSDB em que a gente possa se consolidar efetivamente como uma terceira via e não como um terceiro polo de radicalização. É muito importante que a gente possa viabilizar um caminho no centro, por que o Brasil está cansado de guerra e enfrentamento. Tem dois lados que radicalizam e se enfrentam. Precisamos construir mais convergência e mais diálogos. É possível fazer política com quem pensa diferente da gente”, argumentou o pré-candidato. 

Leite concorre como pré-candidato do PSDB para a Presidência contra os também tucanos, governador de São Paulo, João Doria, e o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio. Sendo escolhido como o presidenciável do partido e eleito, irá olhar para o Piauí com respeito e como estado que tem grande vocação para o crescimento econômico


Governador Eduardo Leite. Foto: Jailson Soares / O Dia 

“O Piauí tem uma vocação para o agronegócio. Inclusive, com a participação de gaúchos no sul do estado. Tem muita força e capacidade de desenvolvimento econômico, mas precisa de mais infraestrutura para aumentar seus potenciais. Um outro ponto é a exploração adequada do turismo, como é o caso de Parnaíba que ser tiver mais infraestrutura turística terá mais geração de emprego e renda”, disse o presidenciável. 

O presidente do PSDB no Piauí, Luciano Nunes, esclareceu que a sigla ainda não tem um nome definido e que aguarda a visita dos outros pré-candidatos. “Vamos receber também os outros candidatos, provavelmente na próxima semana. Já há algumas manifestações de apoio ao governador Eduardo Leite dentro do PSDB no estado, mas ainda não fechamos um nome. Vamos trabalhar e buscar um entendimento para construirmos uma unanimidade”, pontuou Luciano.


Presidente do PSDB no Piauí, Luciano Nunes. Fotos: Jailson Soares

Kleber Montezuma, cotado para ser o nome do PSDB para o senado, explicou que esse é o momento de ouvir e conhecer melhor as propostas dos pré-candidatos durante as prévias do partido. Segundo a liderança, esse é um processo democrático e que deve escolher o melhor representante das bandeiras da sigla na disputa à Presidência. 

Apoio

O ex-prefeito de Teresina, Silvio Mendes, que deve disputar o governo do Estado ao lado da deputada federal Iracema Portela (PP), declarou apoio ao pré-candidato Eduardo Leite. “Ele é um gestor qualificado e experiente e que vem fazendo um excelente trabalho no Rio Grande do Sul. Ele tem capacidade, por exemplo, de investir em segurança pública, coisa que o Piauí ainda não conseguiu fazer”, afirmou o tucano.


Ex-prefeito de Teresina, Silvio Mendes ao lado do senador cearense, Tasso Jereissati. Foto: Jailson Soares / O Dia

Um dos tradicionais nomes do PSDB, senador Tasso Jereissati, também esteve presente durante a visita do governador Eduardo Leite. Nesta semana, o tucano se licenciou do cargo para coordenar a campanha interna de Eduardo. 

Em comitiva política pelo Brasil, o gaúcho também visitou, hoje, a capital do Rio Grande do Norte, Natal, e após a visita no Piauí deve passar pelos estados do Maranhão e Pará.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário