Dnit promete mais R$ 30 mi pra recuperar BR 135, mas valor não resolve problema

Governador Wellington Dias, prefeitos e parlamentares do Piauí estiveram reunidos com ministro do Planejamento para pedir investimentos na recuperação da 'estrada da morte'.

29/06/2017 12:59h - Atualizado em 29/06/2017 14:44h

Compartilhar no

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) anunciou nesta quinta-feira (29) que vai priorizar a realização de investimentos destinados à recuperação de trechos da BR 135, no sul do Piauí. A pasta prometeu realizar um aditivo de R$ 30 milhões no contrato da obra de recapeamento asfáltico que já está em andamento na rodovia.

Durante reunião com o ministro do Planejamento, Dyogo Henrique de Oliveira, o governador Wellington Dias (PT) e a bancada do Piauí no Congresso receberam a promessa do Governo Federal de que, nos próximos meses, esses recursos serão utilizados para recuperar 190 km da BR 135. 

Com uma série de problemas identificados pela Polícia Rodoviária Federal, a rodovia foi cenário de pelo menos sete acidentes fatais este ano, e por isso está sendo chamada de "estrada da morte" pelos moradores da região. Entre os dias 26 de fevereiro e 17 de junho, 27 pessoas morreram em trechos da BR 135 no estado.

O valor anunciado pelo ministério, contudo, é insuficiente para resolver por completo a situação da rodovia federal, correspondendo a apenas 10% do montante que seria necessário para elevar a segurança da BR a um nível satisfatório.

 O governador Wellington Dias e parlamentares do estado foram até o Ministério do Planejamento para cobrar mais investimentos na recuperação da rodovia federal (Foto: Divulgação)

Também presente à reunião em Brasília, o deputado estadual Fábio Novo (PT) afirma que são necessários 300 milhões para realizar o alargamento dos 400 km da rodovia federal no Piauí, bem como a construção de todo o acostamento e a implantação das sinalizações verticais e horizontais.

"Tem um projeto aprovado para fazer o alargamento de toda a BR, mas não há recursos suficientes, que seriam pouco mais de R$ 300 milhões. Então, a solução que se encontrou para atacar o problema de imediato foi a inclusão de um aditivo de R$ 30 milhões no contrato de recapeamento asfáltico que está sendo feito. Com esse aditivo, é possível fazer 190 km de acostamento, o que corresponde praticamente à metade da rodovia", explica Fábio Novo.

Além disso, os senadores e deputados federais do Piauí comprometeram-se, durante a reunião, em destinar uma emenda de bancada para a BR 135 no orçamento do próximo ano. "Enquanto isso, o Governo Federal vai tocando este contrato já existente. E mesmo que a gente ande com toda a velocidade, não sei se é possível fazer 190 km de acostamento este ano. Eu acho que não é, mas por enquanto vamos tocando o que for possível", acrescenta o deputado estadual.

Embora a BR 135 tenha cerca de 400 km no sul do estado, as intervenções emergenciais serão realizadas apenas nos trechos considerados mais perigosos, os quais foram mapeados tecnicamente pela Superintendência Regional do Dnit no Piauí e pela Polícia Rodoviária Federal.

Só neste mês de junho dois acidentes gravíssimos ocorreram na região, deixando 15 mortos. O primeiro deles, no dia 12 de junho, ocorreu no trecho da BR 135 entre Bom Jesus e Gilbués. Uma picape e um veículo de passeio colidiram frontalmente, deixando seis pessoas mortas.

No dia 17 de junho, outro grave acidente ocorreu na mesma rodovia federal, desta vez no município de Redenção do Gurgueia. Um ônibus que transportava cerca de 30 pessoas saiu da pista depois que o motorista perdeu o controle da direção numa curva. Ao todo, nove pessoas morreram e pelo menos 19 ficaram feridas. A maioria das vítimas não usava cinto de segurança no momento da tragédia.

O governador Wellington Dias avaliou como positivo o anúncio da liberação de R$ 30 milhões para melhoria da BR 135 no estado. "O Dnit acatou a proposta de tratar com prioridade os pontos críticos, onde acontecem mais acidentes. Por isso, eu acho que foi uma reunião proveitosa, com a importante participação da bancada federal e do Governo do Estado", afirmou Wellington.

Para o prefeito de Bom Jesus, Marcos Parente Elvas Coelho (PSDB), a insegurança na BR 135 é um problema que adquiriu proporções preocupantes, e por isso só será solucionado a partir de uma cooperação suprapartidária envolvendo os parlamentares do Piauí, os prefeitos dos municípios cortados pela rodovia, bem como o Governo do Estado e o Governo Federal.

Segundo a PRF, rodovia federal possui diversos problemas graves nos trechos do Piauí

Dentre os principais problemas identificados pela PRF ao longo dos 400 km da BR 135 que cortam o Piauí, destacam-se: largura da pista quase dois metros menor que a dimensão ideal (que deveria ser de pelo menos sete metros); ausência de acostamento em diversos trechos; asfalto desgastado; sinalização precária; ausência de radares de redução de velocidade; e a existência de desníveis acentuados entre a pista e o acostamento em vários trechos, chegando a 35 cm em alguns pontos. 

Compartilhar no
Por: Cícero Portela

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário