Desabamento de shopping pode estar ligado a afundamento de 2008

Há uma área de instabilidade que vai da Rua Simplício Mendes até proximidades da Estaiada

12/07/2013 07:45h - Atualizado em 12/07/2013 10:00h

Compartilhar no

O desabamento de 70% da obra do Shopping Rio Poty, na madrugada de ontem (11), pode ter ligação com o tipo de solo da área. A região onde o shopping estava sendo construído tem histórico de afundamentos. Um deles ocorreu em 2008, na Rua Francisco Mendes, no bairro Cabral.

Segundo o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (Crea-PI), há uma  linha de instabilidade que vai  da Rua  Simplício  Mendes,  no Centro de Teresina, até  as proximidades da  Ponte  Estaiada.

O presidente do Conselho, o engenheiro Paulo Roberto de Oliveira, avalia que esse problema, que já teria causado vários afundamentos de ruas naquela área, pode ter contribuído também para o desabamento do Shopping. Ele esclarece, entretanto, que essa é apenas uma possibilidade. As causas do desabamento ainda serão apuradas.

€ época do afundamento da Rua Francisco Mendes, o Crea-PI produziu um laudo sobre o acidente. O afundamento danificou imóveis e até uma escola pública. O Crea-PI descartou, preliminarmente, falha na execução da obra.

Concluiu-se que o problema estava relacionado, na verdade, com a própria formação rochosa daquela área e com o fato de Teresina estar localizada entre dois rios. As rochas se diluiriam facilmente com a ação da água.

"A infiltração de águas pluviais, vazamentos na rede hidráulica e oscilações de nível freático são processos que, provavelmente, tenham favorecido a formação de dolinas ou pequenas cavernas no subsolo de nossa cidade", apontou o relatório.

O presidente do Crea-PI afirma que não foi possível, naquele ano, um estudo mais completo do local. €œIria custar, à  época, cerca de R$ 1 milhão, e incluía o mapeamento  de toda  a  área.  Porém,  nem a  Prefeitura nem o Governo  do  Estado  tinham  como  arcar  com  essa  despesa  e  o estudo não foi realizado€,  explicou o engenheiro.

Afundamento em 2008 comprometeu imóveis (Foto: Portal AZ)

 reas com características  semelhantes  às  de  Teresina  precisam  de  cuidados especiais, porque  sofrem  impactos  naturais  e  em  decorrência  da  ação  humana, que podem levar à sobrecarga do solo.

Após o laudo, o Crea recomendou  procedimentos  e  novos estudos,  como   cadastramento das moradias e lotes  afetados,  mapeamento geológico-geotécnico  detalhado da  área  afetada,  incluindo feições de abatimento  do  terreno, trincas,  rachaduras,  litologias,  cadastramento  de  poços  tubulares  existentes  na  área e levantamento topográfico.

Terreno de shopping não teria €œcavernas€

Contudo, segundo apurou o Jornal O DIA, não se detectou, na fase inicial da obra do Shopping,  quando ocorreu a sondagem  do terreno, a presença de  nenhuma  €œcaverna€ no local. 

Os cálculos  iniciais teriam garantido que  o  terreno  suportaria  a  construção. Por outro lado,  pode ter ocorrido o deslizamento de lajes, pois a obra  é  composta  de  estrutura  pré-moldada,  que  é  confeccionada  pela  própria  construtora responsável pela edificação.


Saiba mais:

Conselhos formam comissão para apurar causas de desabamento 

Obra do Shopping Poty pode ser demolida 

Shopping da Sá Cavalcante no MA registrou outro acidente em junho 

Parte do Shopping Rio Poty desaba e deixa operário ferido

Operário soterrado em obra de shopping passará por nova cirurgia

Grupo Sá Cavalcante fará perícia própria em shopping que desabou

Acidente em obra de shopping em Teresina repercute nacionalmente

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Portal O DIA
Por: Ceres Passos

Deixe seu comentário