CRM prorroga interdição da Evangelina Rosa por mais 60 dias

Segundo o Conselho, novas vistorias constataram a superlotação de diversos setores da maternidade, entre eles a enfermaria da unidade.

25/04/2019 17:16h - Atualizado em 25/04/2019 17:25h

Compartilhar no

O Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) decidiu, nesta quarta-feira (24), em reunião plenária, pela prorrogação da Interdição Ética Médica da Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER) por mais 60 dias. Segundo o CRM, após novas vistorias realizadas nos dias 10 e 11 de abril, com a presença do Secretário Estadual de Saúde do Piauí e da diretoria da maternidade, foi constatada a superlotação em diversos setores da maternidade. 

CRM prorroga interdição da Evangelina Rosa por mais 60 dias. (Foto: Divulgação/CRM)

De acordo com o Conselho, no setor de admissão, foi observado que sete pacientes estavam instaladas em cadeiras aguardando internação, duas das quais desde o dia anterior. No Centro Cirúrgico e Centro Obstétrico, o CRM foi informado pelo médico plantonista que durante a manhã havia sido realizado nove partos cesarianas e que tiveram dificuldades para encaminhar as pacientes às enfermarias por falta de vagas. "Por volta das 11 horas da manhã do dia 11/04, as cirurgias foram suspensas em virtude de o centro cirúrgico estar superlotado com pacientes que não tinham leitos para ocupar", comunicou em nota.

O CRM denunciou ainda que, além de enfermarias lotadas, recém-nascidos e mães continuavam nas dependências do centro cirúrgico por falta de vagas nas enfermarias, após cesarianas, provocando caos nos atendimentos e sobrecarga das equipes médicas. "Fomos informados também que o maior problema estava relacionado à superlotação da maternidade, uma vez que a unidade voltou a receber pacientes de outros municípios incapazes de estruturar hospitais e maternidades. Ademais, várias pacientes foram encaminhadas de maternidades do município de Teresina por não conseguirem realizar procedimentos simples e, muitas vezes, os partos cesarianos, por falta de ultrassonografia e de escala completa de médicos, como anestesistas", afirmou.

CRM prorroga interdição da Evangelina Rosa por mais 60 dias. (Foto: Divulgação/CRM)

Outro ponto observado foi que a maternidade passa por reforma desde o ano passado e está com três enfermarias interditadas devido às obras terem sido paralisadas. Isso ocorre, segundo o Conselho, porque a estrutura do prédio é muito antiga e inapropriada para receber as melhorias necessárias. Embora não tenha sido constatada a falta significativa de medicamentos e insumos, como ocorreu em outras fiscalizações, no momento da vistoria não havia aparelhos Sonar e Cardiotocógrafos suficientes.

Foi observada também a ausência de extintores de incêndio em diversos setores, entre eles o Centro Cirúrgico, mas segundo o Diretor da MDER, os equipamentos já haviam sido licitados.O CRM-PI reiterou ainda que "espera que o Estado possa cumprir com a obrigação de garantir o direito à saúde materno-infantil, resultando em melhoria no atendimento à população, bem como nas condições de trabalho do médico piauiense. Estamos falando de vidas que estão sendo perdidas e os cuidados com a saúde não podem ser negligenciados".

Em contato com a Maternidade Dona Evangelina Rosa, o O DIA foi informado que o pedido de interdição partiu da própria unidade de saúde. 

Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário