Obra do Shopping Poty poderá ser demolida

Presidente do Crea-PI aponta uma possível causa: o terreno irregular

11/07/2013 09:07h - Atualizado em 12/07/2013 02:43h

Compartilhar no

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (Crea-PI) irá apurar as causas do desabamento nas edificações do Shopping Rio Poty, que ocorreu na madrugada de hoje (11), e pode recomendar a demolição de toda a obra.

Foto: Jailson Soares/ODIA

70% da estrutura do Shopping Rio Poty veio abaixo nesta madrugada

O presidente do Crea-PI, Paulo Roberto de Oliveira, apontou uma possível causa do acidente: o terreno, bastante irregular. “O desabamento ocorreu a partir do meio do prédio. Vamos fazer um estudo e pode ser que haja a necessidade de demolir, parcial ou totalmente, o prédio. Vamos analisar o terreno, que é irregular e foi aplanado para a construção", disse.

O presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Piauí (Cau-PI), Sanderland Coelho Ribeiro, falou sobre alguns pontos que deverão ser verificados. "É preciso estudar desde a fundação, estrutura, materiais, cálculo do terreno”, enumerou, ressaltando que os operários que trabalhavam na obra também serão ouvidos para averiguar se a planta da obra estava sendo seguida à risca", disse. 

Sanderland Ribeiro, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Piauí (CAU-PI)

Alguns moradores do entorno da obra estiveram no local minutos após o acidente. Eles conversaram com os operários. Os trabalhadores relataram que estavam na parte mais alta do edifício em construção quando ouviram estalos e sentiram o piso estremecer. Alguns ainda cogitaram a possibilidade de pular do prédio. A maioria conseguiu correr e escapar do soterramento. Só um deles se feriu, ficando sob os escombros. 


Saiba mais:

Parte do Shopping Rio Poty desaba e deixa operário ferido

Shopping da Sá Cavalcante no MA registrou outro acidente em junho 



O autônomo Emanuel Diego, 25 anos, mora perto da obra e conta que foi acordado pelo estrondo. “As paredes todas tremeram. Parecia terremoto. Achamos que era um avião que estava caindo. Ficamos muito assustados”, pontuou.

A vice-presidente da Associação de Moradores dos bairros Cabral e Porenquanto, Conceição Melo, lamentou o ocorrido. “A obra era muito bem vista porque iria gerar muitos empregos. Nós ficávamos muito orgulhosos de ter um empreendimento aqui no bairro”, ressaltou.

Uma moradora que não quis se identificar disse que o prédio sempre estalava, assustando os operários. "Em um desses testes a ponta das laterias da laje do prédio chegou a cair. Os operários comentavam, inclusive, que os pilares não iriam aguentar a construção, mas que não podiam fazer nada, só continuar trabalhando", finalizou.

Compartilhar no
Por: Isabela Lopes e Juliana Dias

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário