Covid: Teresina tem mais de 72 mil pessoas contaminadas; veja pesquisa

A sétima etapa da pesquisa sorológica mostra que a cidade saiu da fase de crescimento exponencial da pandemia e pode estar próxima do pico. 30.700 pessoas estão em fase de transmissão do vírus.

03/06/2020 11:51h - Atualizado em 03/06/2020 12:16h

Compartilhar no

A Prefeitura de Teresina divulgou o resultado de mais uma edição da Pesquisa Sorológica realizada no último final de semana para vislumbrar a real disseminação da covid-19 na cidade a despeito das notificações oficiais computadas pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), e o dado continua alarmante. Segundo o levantamento, Teresina tem pelo menos 72.042 pessoas contaminadas pelo novo coronavírus no atual momento. O número é 41 vezes maior que as notificações oficiais. Pelos dados da FMS, a cidade conta atualmente 2.531 casos confirmados.

Leia também: Teresina tem quase 50 mil infectados pela Covid-19; veja pesquisa 

Para efeito de comparação, na primeira etapa da pesquisa, realizada entre os dias 16 a 19 de abril, Teresina possuía 5.843 pessoas contaminadas. É como se a quantidade de infectados na cidade tivesse subido 14,4 vezes em um mês e meio. Dessas mais de 72 mil pessoas positivadas para covid-19 na capital, pelo menos 65 mil não apresentaram nenhum sintoma, o que torna a disseminação da doença mais difícil de detectar.


Pesquisa aponta mais de 70 mil pessoas contaminadas pelo coronavírus em Teresina - Foto: Reprodução

Mas o que chamou a atenção e foi bastante frisado pelo prefeito Firmino Filho, é que os números da evolução da covid-19 em Teresina têm começado a apresentar um crescimento negativo, ou seja, a curva vem aumentando de maneira decrescente. Por exemplo, da quarta para a quinta etapa da pesquisa sorológica (de 08 a 10 de maio para 15 a 17 de maio), o número de casos de coronavírus detectados subiu 90%. Mas da sexta para esta sétima etapa (de 22 a 24 de maio para 29 a 31 de maio), a curva subiu apenas 44%.

“Isso mostra que talvez estejamos próximos do pico e tenhamos saído daquela fase exponencial de crescimento da doença que antecede o ápice da pandemia”, foi o que interpretou o prefeito Firmino ao analisar os dados. 

No entanto, um dado também preocupa e ele diz respeito justamente à velocidade de alastramento da pandemia. Das 72.042 pessoas contaminadas que Teresina possui, pelo menos 30.703 estão infectantes, ou seja, em estágio ativo do vírus e passíveis de transmiti-lo a outras pessoas. Ao longo das últimas três semanas, esse índice subiu quase cinco vezes, segundo apontou o prefeito Firmino Filho. Para efeito de comparação, na primeira pesquisa sorológica de maio (dias 8 a 10), Teresina tinha cerca de 5.794 pessoas infectantes.


Evolução dos casos de covid-19 em Teresina segundo a pesquisa sorológica - Foto: Reprodução/Prefeitura de Teresina

Quem está contaminado e quais são as queixas

Dentre os sintomas mais relatados pelos pacientes positivados para a covid-19, o que mais aparece é dor de cabeça (52%) seguido da febre e da perda do olfato e/ou do paladar (51%), e da coriza (que apareceu em 47% dos casos). A falta de ar, considerado o sintoma mais grave e um dos principais motivos de internação apareceu em 21% dos relatos.

Já no que respeita aos fatores de risco, em 19% dos casos positivados, a pessoa apresenta pressão alta. Logo depois aparece a obesidade (12%) e o diabetes (9% dos casos).

Quanto ao perfil dos contaminados em Teresina, a pesquisa sorológica apontou que a maior parte deles está na faixa etária dos 25 a 34 anos, que respondem por 21% dos casos positivados. A segunda maior taxa de infecção está entre os teresinenses de 35 a 44 anos (18%) e de 35 a 44 anos (também 18%). As mulheres respondem pela maioria dos casos, representando 55% dos positivados.

Leia também: Covid-19: Grupamento da Polícia Militar tem todos os policiais infectados 

Distribuição geográfica

A pesquisa sorológica também mostrou como está a disseminação da covid-19 por região da cidade. Em Teresina, a maior taxa de contaminação se concentra na zona Norte, que apresenta 33% dos casos positivados. Para se ter uma ideia, a taxa é maior que a própria densidade demográfica daquela área: a região Norte concentra 29% da população teresinense. Em seguida, em situação de gravidade da pandemia, aparece a zona Sul, que responde por 30% dos casos e concentra 34% da população. A situação menos preocupante no momento está na zona Leste de Teresina, que concentra 19% da população da cidade e apresenta 17% dos casos positivados.


Distribuição espacial dos casos de covid-19 em Teresina - Foto: Reprodução Painel Covid PMT

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla e Isabela Lopes

Deixe seu comentário