Covid-19 em Teresina: óbitos caem quase 40% em duas semanas

Dados da 19º etapa da pesquisa sorológica apontam que Teresina tem seis vezes mais casos de covid-19 do que os oficiais contabilizados.

09/09/2020 10:21h - Atualizado em 09/09/2020 12:14h

Compartilhar no

A Prefeitura de Teresina divulgou nesta quinta-feira (09) os dados da 19º etapa da pesquisa sorológica que monitora o avanço da pandemia de coronavírus na capital. De acordo com o levantamento, a cidade possui atualmente 154.721 pessoas contaminadas, um aumento de 20.151 casos em duas semanas. O número é seis vezes maior que as notificações oficiais contabilizadas pela Fundação Municipal de Saúde (FMS)

Leia também:  Covid-19 em Teresina: população tem queda de anticorpos e barreira da doença diminui 

Mas apesar do aumento, Teresina registrou uma queda considerável no número de óbitos decorrentes da covid-19.

Da etapa anterior, cujos dados foram divulgados há duas semanas, até esta 19ª etapa de hoje, a redução no número de mortes por coronavírus em Teresina foi de quase 40%. Segundo a Prefeitura, na semana epidemiológica 35, haviam sido contabilizados 26 óbitos por dias; e na semana 37, foram registrados somente sete óbitos. Vale lembrar, no entanto, que a 37ª semana ainda está em curso.

Os óbitos de pacientes não residentes em Teresina também tiveram uma queda considerável. Nos últimos sete dias as mortes por covid-19 caíram 54,55%, saindo de 4,71 óbitos por dia, em 30 de agosto, para 2,14 óbitos por dia, em 06 de agosto.

“Uma ameaça que tínhamos era a chegada de pacientes de outros municípios em Teresina. Foram 388 óbitos de não residentes deste abril até setembro, com pico em julho e no início de agosto, e nas últimas três semanas as quedas foram sucessivas. Aparentemente o pior já passou no interior do Estado. A queda existe, mas não é tão intensa como em Teresina”, frisou o prefeito de Teresina, Firmino Filho.

Em todo o Piauí foram registrados 1.924 óbitos, com alta na semana 27, sendo o pico no dia 7 de julho e com média de 26,71 mortes diárias, para 8,14 no dia 08 de setembro, o que representa uma queda de 25,71%.

Leitos de clínicos e UTIs em Teresina

A taxa de ocupação dos leitos de UTI não covid caíram 3,91% nas últimas duas semanas. No dia 26 de agosto, 74,82% dos leitos estavam preenchidos e, no dia 07 de setembro, eram apenas 71,88%. Antes disso, entre os dias 29 de agosto e 04 de setembro, os leitos tiveram uma elevação na ocupação.

De acordo com o prefeito Firmino Filho, com a retomada das atividades econômicas, houve um aumento no número de acidentes de trânsito e outras demandas, como AVC, o que fez com que crescesse a ocupação dos leitos de UTI não covid. Os leitos de UTI covid também tiveram alta nas últimas semanas de 7,48% e, no dia 07 de setembro, estava com 61,10% da sua capacidade.

“Hoje, no Hospital de Urgência de Teresina (HUT), temos muita necessidade de leitos de enfermaria e estamos com dificuldade de ocupação. Queremos liberar mais leitos de covid para outros traumas. O Ministério Público está organizando esse processo”, disse Firmino Filho.

A taxa de ocupação de leitos clínicos não covid também tiveram um aumento de 3,14% nas últimas semanas, passando de 70,34% e para 72,40% em 14 dias. Já os leitos clínicos covid tiveram uma queda de 14,99%. Há duas semanas, a ocupação era de 59,60% e, no dia 07 de setembro, somente 50,66% dos leitos clínicos estavam ocupados.

Compartilhar no
Por: Isabela Lopes e Maria Clara Estrêla

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário