Correspondentes bancários facilitavam crime de estelionato no PI

Representante do Bradesco e do BMG de Cocal da Telha e Cocal dos Alves serão investigados

11/04/2014 08:57h - Atualizado em 11/04/2014 10:15h

Compartilhar no

A Polícia Civil está investigando a participação de correspondentes bancários do Bradesco e do BMG de Cocal dos Alves e Cocal da Telha em uma quadrilha interestadual de estelionatários que foi desarticulada na operação Outra Face deflagrada na última terça-feira (08) em Parnaíba. Na ação, quatro pessoas foram presas.

Fotos: Cocal Notícias


Momento da prisão dos acusados

Segundo a polícia, a quadrilha atuava nas cidades de Viçosa-CE, Distrito Federal, Cocal dos Alves e Cocal da Telha. Os presos são acusados de falsificação de documento, falsidade ideológica, associação para o crime e receptação. Foram detidos Antônio Vieira de Oliveira; Francisco das Chagas Ramos da Cunha, conhecido por “Chicão”; Aldair José Castro, conhecido por “Zé Buraco” e Eudes Humberto Maia dos Santos que seria menor de idade. Com eles, a polícia apreendeu um veículo modelo Cross Fox branco de placa OKZ-6981 de Barra do Choca (BA), que havia sido roubado em Brasília.


(Da esquerda para a direita) Aldair José Castro, Antônio Vieira de Oliveira e Eudes Humberto Maia

Eles foram presos quando saíam de uma agência do Bradesco após realizarem um saque no valor de R$ 14 mil usando cartão de crédito clonado.

De acordo com o delegado João Valério de Moura, da Delegacia Regional de Parnaíba, o bando fazia empréstimos no nome de pessoas que não existiam usando documentos forjados e falsificavam documentos de clientes dos bancos para realizar saques em valores acima de mil reais.

“Os documentos eram adulterados em Viçosa e distribuídos entre os participantes do esquema que faziam vários empréstimos altíssimos nos nomes de clientes. Foi a partir das denúncias dessas pessoas que nós começamos a investigação há um mês e encontramos fatos semelhantes em outras cidades fora do Estado”, diz.


RG falsificado pelos estelionatários com a foto de Aldair José Castro

O delegado acrescenta ainda que todo o dinheiro conseguido com o esquema fraudulento era igualmente dividido entre os criminosos. “Eles andavam com vários cartões e inúmeros RG’s no nome de pessoas diferentes com fotos ou nomes falsificados. Nos depoimentos, eles disseram que havia facilitação dentro dos correspondentes e agora nós estamos investigando isso”, explica.

Os estelionatários encontram-se detidos na Penitenciária Mista de Parnaíba e alguns funcionários dos correspondentes bancários do Bradesco e do BMG de Cocal da Telha e Cocal dos Alves já foram chamados para depor.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário