Corpo de Bombeiros orienta sobre cuidados com crianças na praia

Os pais devem ficar atentos antes mesmo de pegar a estrada, como uso de cinto de segurança e identificar os filhos com pulseiras

19/07/2013 08:32h - Atualizado em 19/07/2013 10:10h

Compartilhar no

Para que as férias na praia de famílias com crianças não se torne motivo de preocupação e transtorno, algumas medidas de segurança devem ser adotadas pelos responsáveis. As providências tomadas para garantir a segurança dos menores durante as férias no litoral devem iniciar antes mesmo de colocar o pé na estrada.

Segundo a major Najra Nunes, do Corpo de Bombeiros, os cuidados já se iniciam na organização da bagagem. “Deve-se optar por escolher roupas de banho de cores chamativas, tanto para impedir que se perca a criança facilmente, como em caso de afogamento”, recomenda a major.

Durante a viagem, apesar de ser uma medida cuja importância é compreendida pelas pessoas, conforme atenta a bombeiro, deve ocorre uma orientação das crianças já maiores para o uso do cinto de segurança, que evita ferimentos leves, como pancadas, e também impede que, se acontecer algum acidente, o passageiro seja arremessado do veículo.

Outra medida de segurança que os pais podem tomar é a confecção de pulseiras de identificação com o nome, telefone e endereço dos responsáveis para posterior localização, caso a criança se perca durante o passeio na praia. 

“Quando ocorrem situações atípicas, as pessoas podem ter reações diversas, inclusive, não terem orientação de quem pedir ajuda, por isso uma pulseira que identifique a criança ajuda bastante a localizar o perdido. Além disso, sempre é importante deixarmos uma pessoa supervisionando a movimentação das crianças, para que não percam elas de vista”, explica.

Prevenção: brinquedos apropriados e ações contra afogamento

Najra Nunes alerta para os casos de afogamento que podem acontecer: “para socorrer a vítima, é preciso que o resgate seja feito por alguém que, além de saber nadar, tenha noções de resgate. É importante que a pessoa aborde a vítima por trás e nade na modalidade ‘cachorrinho’, sempre tentando manter a cabeça da vítima para cima, pegando pelo queixo da pessoa, com a finalidade de facilitar a entrada de ar pelas vias respiratórias”.

A major ainda chama atenção para os perigos dos brinquedos utilizados durante a visita à praia.  “Nos objetos para brincadeiras, os pais devem observar se têm o selo do Inmetro, pois são mais confiáveis, uma vez que passam por testes de segurança para saber se nenhum objeto poderia desprender e ser engolido pelas crianças menores”, finaliza.

Foto: Francicleiton Cardoso/ODIA

Compartilhar no
Por: Ceres Passos - Jornal ODIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário