Professora da UFPI é vítima de racismo em Teresina

Naise Mary Caldas diz que campanha Somos todos macacos é ridícula

30/04/2014 10:05h - Atualizado em 30/04/2014 11:46h

Compartilhar no

A professora do curso de Química da Universidade Federal do Piauí, Naise Mary Caldas, relata que foi vítima de racismo na noite de ontem (29), em Teresina. Duas pessoas teriam usado a campanha #somostodosmacacos, massificada nas redes sociais, referindo-se à professora.

Foto: Reprodução/Facebook

O fato aconteceu quando Naise estava em um supermercado na Zona Leste da capital. Ao chegar à sessão de produtos para cabelos crespos, escutou risos e comentários de duas vendedoras do local. “Hoje, ao entrar em um supermercado da cidade, duas moças olharam, riram e minutos depois "dialogaram" a frase: "Somos todos macacos!" Respirei fundo, saí de perto delas, passei no caixa, entrei no meu carro, pensei: "Volta Zumbi!" e voltei para o trabalho”, desabafou a vítima no seu perfil do facebook.

Em entrevista ao PortalODia.com, Naise falou que já se acostumou com olhares e comentários por conta de sua altura e seu cabelo black power, por isso ignorou a atitude das vendedoras. Manifestou-se ainda, a respeito da repercussão da campanha a favor do jogador de futebol Daniel Alves. “Esta campanha nunca será positiva. O ato do jogador de comer a banana foi algo forte no momento, mas que acarretará consequências bem negativas. Trata-se de uma campanha ridícula que só reforça o preconceito”, ressaltou.

Indagada sobre quais as possíveis soluções para o fim do racismo, a professora é bem sucinta. “A solução mais viável para acabar com o racismo é a educação. As crianças devem saber desde cedo que somos todos diferentes, ninguém é igual”, concluiu.

A docente expôs o caso em sua conta pessoal da rede social facebook. 

Compartilhar no
Por: Sanny Ravanne com informações de Maria Romero

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário