• Cobertura Zé Pereira
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Conselho aprova aumento da passagem para R$ 4,22 e R$ 1,40

Os novos valores deverão ser analisados pelo prefeito Firmino Filho que irá decretar o valor real das tarifas inteira e de estudante para o ano de 2020.

29/01/2020 09:13h - Atualizado em 29/01/2020 10:52h

O Conselho Municipal de Transporte Coletivo de Teresina (CMTP), em reunião nesta terça-feira (28) na sede da Strans, aprovou a proposta de aumento de 9,59% sobre o valor da tarifa de transporte coletivo vigente na Capital. Com o aumento, a passagem inteira poderá passar de R$ 3,85 para R$ 4,22 e a de estudante de R$ 1,28 para 1,40. 

Os novos valores deverão ser analisados pelo prefeito Firmino Filho que irá decretar o valor real das tarifas inteira e de estudante para o ano de 2020. Vale lembrar que, em 2019, o Conselho apresentou a proposta de fixar os novos valores das passagens em R$ 4,02 (inteira) e R$ 1,28 (meia), mas a Prefeitura de Teresina decidiu manter os valores em R$ 3,85 (a inteira) e R$ 1,28 (a meia), com reajustes de 6,9% e 11,3%, respectivamente.

Terminal de ônibus do bairro Macaúba. (Foto: Arquivo O Dia)

O estudo apresentado ao Conselho consta dados do custeio do transporte público, índices da inflação e metodologia dos cálculos da tarifa. O CMTP é composto por representantes da sociedade (usuários, moradores, estudantes), empresas operadoras, taxistas, mototaxistas, transporte alternativo e o poder público municipal.

Para Trajano Paulo, presidente do Sindicato dos Permissionários de Transporte Alternativo de Teresina (Sintrapi), existe a necessidade de reajuste para manter o equilíbrio do sistema. “Existem custos com manutenção de veículos, despesas com pessoal e combustível. É um processo natural que tenha um acréscimo no valor das passagens”, argumenta.

Lidiane Oliveira, que representa a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) no Conselho Municipal de Transportes, destaca que, ao analisar os dados do estudo, compreende que o aumento é algo natural. “A planilha está com dados bem claros dos valores apresentados para o cálculo. Existe o contexto econômico e em virtude desse cenário de inflação e de custos com o serviço justifica a necessidade de reajuste da tarifa. Esperamos que chegue a um consenso razoável”, diz.

Weldon Bandeira, superintendente da Strans, destaca que essa medida é necessária para manter o equilíbrio do sistema.  “Reajuste de tarifa é previsto conforme cláusula contratual. Esse índice seria o máximo para que não houvesse subsídio por parte da Prefeitura”, diz.

Ele ressalta ainda que a Prefeitura de Teresina fez investimentos no sistema de transporte coletivo e atualmente não se observa congestionamento com ônibus por conta dos corredores e faixas exclusivas, cita também o conforto nas estações climatizadas, segurança nos terminais de integração e que já existem 98 ônibus que fazem o deslocamento entre os terminais e o centro, todos com ar condicionado. “Até 2022 todos os ônibus que fazem esse trajeto serão climatizados, conforme consta em contrato”, finaliza o gestor.

Por: Nathalia Amaral, com informações da PMT.

Deixe seu comentário