• Banner OAB
  • Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia

Com pandemia de coronavírus, velórios devem durar no máximo duas horas

Já para os casos em que a pessoa venha a falecer pelo vírus, as famílias são orientadas a realizarem a cremação do corpo.

26/03/2020 08:49h

Com a pandemia do coronavírus, as orientações para velórios sofreram alterações. Reforçar os cuidados básicos com a higiene, reduzir o tempo da cerimônia e evitar aglomerações são algumas das recomendações divulgadas pelo Ministério da Saúde.

"Nós passamos a obedecer os protocolos estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Os velórios de casos que não são considerados suspeitos ou confirmados foram reduzidos a no máximo de 2h, com 10 pessoas por sala, restringido exclusivamente às famílias. Em residências, passamos a orientar para não aglomerar pessoas", explica o subgerente do segmento funerário, Carlos Alberto Junior.

Na empresa onde Carlos trabalha, os funcionários também se protegem do vírus. É realizado um processo de desinfecção especifico dos carros e os funcionários passaram a utilizar equipamentos de anti-contaminação.


Foto: Agência Brasil

Além disso, é recomendado evitar a presença de pessoas do grupo de risco e crianças, bem como manter a maior distância possível entre as cadeiras da sala de velório; priorizar a utilização do espaço aberto para todas as cerimônias no cemitério; e o uso de máscaras e luvas pelos colaboradores durante o sepultamento deve ser constante.                     

Em casos confirmados do novo coronavírus, as famílias são orientadas a realizarem o processo de cremação do corpo. Porém, as funerárias devem respeitar a decisão das famílias de sepultar pela ausência de direcionamento de protocolo das autoridades sanitárias.

Por: Sandy Swamy, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário