Com medo, família não dará continuidade a processo contra Dilermano Araújo

A mãe, que é divorciada do marido, mora só com a filha e teme ser reconhecida na rua e ter sua privacidade invadida.

30/10/2013 19:16h - Atualizado em 30/10/2013 19:28h

Compartilhar no

Após a confusão ocorrida no último domingo (27), no restaurante Casarão, na zona Leste de Teresina, a criança de dois anos de idade que teve supostamente o cabelo puxado pelo advogado Dilermano Araújo, está traumatizada. Segundo amigos dos pais da vítima, desde o acontecimento, a menina diz à mãe que “tem medo daquele homem mau”.

Dilermano, em entrevista à imprensa, chegou a se defender das acusações, alegando que é uma pessoa de temperamento calmo. As declarações revoltaram o pai e a mãe da criança, que defendem que nada dito pelo advogado justifica o procedimento dele dentro do restaurante.

Amigos de parentes da menina, revelaram ao PortalODIA, que o medo de represálias por parte de Dilermano Araújo é tanto, que os pais optaram por não dar continuidade ao processo contra o possível agressor. O caso foi denunciado ontem (29) na Delegacia de Proteção à Criança e o Adolescente.

A mãe, que é divorciada do marido, mora só com a filha e teme ser reconhecida na rua e ter sua privacidade invadida. Ela ficou com hematomas em um dos braços, por conta da confusão, mas pretende ‘esquecer o caso’, para evitar que a menina seja exposta. 

OAB irá apurar conduta de advogado durante briga em restaurante 

Advogado acusado de agredir criança recebe ameaças de morte no Facebook

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário