Com aumento do combustível, passagens de ônibus intermunicipais sobem até 66% no Piauí

Terminal Rodoviário Governador Lucídio Portella, as passagens de Teresina para Brasília saltaram de R$190 para R$230

06/09/2021 11:59h

Compartilhar no

A alta dos combustíveis tem afetado todos os setores da economia. O diesel, por exemplo, fechou a primeira quinzena de julho em R$4,60/litro. O segmento de viagens tem sofrido com esse aumento, o que, em contrapartida, tem refletido em um aumento também para o consumidor, que chegam a pagar até 66% a mais.

No terminal rodoviário da Ladeira do Uruguai, na zona Leste de Teresina, os passageiros compravam passagens de Teresina para Fortaleza com valor de R$45, agora, os preços chegam a R$75. Já no Terminal Rodoviário Governador Lucídio Portella, as passagens de Teresina para Brasília custam entre R$190 a R$200. Agora, os passageiros precisam desembolsar R$230.

(Fotos: Assis Fernandes/ODIA)

O mecânico Antônio da Silva Andrade (34) mora em Miguel Alves. Com viagem marcada para Luzilândia, ele precisou desembolsar R$13 a mais. Antes ele comprava a passagem por R$64, hoje, o valor atual é de R$77. “E a tendência é que aumente ainda mais, já que tudo está subindo. Infelizmente é caro e fica pesado, principalmente para quem viaja de uma cidade para outra”, comenta.

O pintor Kelton Menezes (26) veio de Goiana, com destino à Fortaleza. Com parada em Teresina, ele comenta que ainda não sentiu o valor das passagens subirem, mas enfatiza que isso é algo inevitável, devido ao reajuste que o combustível vem tendo nos últimos meses.

“Está tudo muito caro, o combustível subindo drasticamente, então provavelmente o valor das passagens também sofram com esse reajuste. A gente entende que as empresas não podem segurar, porque senão elas ficam com o prejuízo, mas para o bolso do consumidor fica pesado”, acrescenta.

Valores das passagens chegam a subir até R$50

Victor Alves, promotor de vendas de uma empresa que atua no Terminal Rodoviário de Teresina, comenta que esse reajuste foi necessário devido aos valores que estão sendo aplicados nos postos. Segundo ele, as empresas até tentaram segurar o reajuste o máximo que puderam, mas chegou a um patamar que não era mais possível manter sem reajuste.

“Com o aumento do combustível, tudo ficou mais caro, e como fazemos viagens muito longas, usamos muito diesel. Isso encarece os custos, que acabam refletindo no bolso dos passageiros. Eles reclamam, mas é inevitável. Sentimos que houve também uma diminuição na compra de passagens, e isso fez com que reduzíssemos a quantidade de ônibus. Se antes tínhamos um carro às 8h, agora temos às 12h. Essa foi a maneira que encontramos para que o ônibus não saísse tão vazio, como se saísse mais cedo”, explica Victor Alves.

Alisson André, auxiliar de tráfego, comenta que na empresa que trabalha ainda não houve aumento no valor das passagens, mas porque a empresa está conseguindo comprar combustível em uma distribuidora que fornece a um custo acessível. Entretanto, ele não descarta que, em breve, as passagens sofram reajuste.

“Acredito que logo vá subir, porque o valor do combustível está muito alto e uma hora não será possível segurar esse aumento. Até notamos que as pessoas estão viajando mais, devido a vacinação contra a covid-19, que tem avançado, mas com o aumento das passagens não sabemos como será”, comenta.

Feriado prolongado movimenta terminal rodoviário

Mesmo com as passagens reajustadas, a movimentação nas rodoviárias é intensa. Na Ladeira do Uruguai, o terminal costuma receber muitas pessoas que vêm diariamente de outras cidades para trabalhar em Teresina. Lá, os preços das passagens também tiveram um aumento significativo. É o que explica Luís Eduardo, promotor de vendas. 

“As passagens tiveram um reajuste até que considerável, de mais de R$30. Para ir para Fortaleza era R$45, agora é R$75. Mas notamos que as pessoas não estão reclamando, inclusive no feriado prolongado. Todos os veículos que disponibilizamos saíram com todas as poltronas ocupadas. Na sexta-feira (03), a movimentação foi intensa, principalmente para o litoral”, destaca.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário