• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Chefe de cozinha defende insetos na alimentação humana

Entre os pratos cozinhados pelo especialista estão: chocolates com grilo, pirulito com escorpião e um cardápio bem diferenciado com besouros na fazem jovem.

22/08/2019 18:25h

O consumo de insetos já faz parte da alimentação de milhares de pessoas mundo a fora. Embora determinados alimentos causem repulsa à primeira vista no consumidor, estudos comprovam que a gastronomia a base do mundo dos invertebrados é uma alternativa viável para garantir que o acesso à alimentos nutritivos e sustentáveis não se torne um problema no futuro.

Segundo dados da Associação Brasileira dos Criadores de Insetos e Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura, 80% dos insetos existes no país podem servir de alimentos nutritivos para os brasileiros.

O biólogo e cozinheiro de insetos Casé Oliveira ministrou uma palestra sobre o assunto nesta quinta-feira (22), no auditório central da Embrapa Meio-Norte, em Teresina. Segundo o especialista, a alimentação a base de insetos é usada pelos brasileiros de forma complementar.  

Pirulito de escorpião produzido pelo chefe Casé Oliveira. Foto: Lalesca Setubal. 

Entre os pratos cozinhados pelo especialista estão: chocolates com grilo, pirulito com escorpião e um cardápio bem diferenciado com besouros na fazem jovem. Vale ressaltar, que todos os alimentos são vistoriados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e cuidados sob os mais rigorosos padrões de limpeza e higiene.

Casé Oliveira ministra palestra na Embrapa Meio-Norte. Foto: TV O Dia /

“Hoje não existe uma lei que proíba o consumo de inseto e, se não existe, não há punição. Mas a Anvisa através das suas vigilâncias municipais faz a inspeção necessária dos alimentos. Qualquer gastrônomo pode comprar o alimento de uma biofábrica que tem nota fiscal e utilizar as todas as boas técnicas de manipulação”, declarou.

Alimentos produzido a base de insetos. Foto: Lalesca Setubal. 

A professora e empresária Adriana Galvão, esteve na palestra e teve a chance de experimentar alguns pratos feitos pelo especialista no auditório.

 “Foi uma experiencia nova, como a maioria das pessoas sempre tive uma repulsa a insetos. E conforme o Casé foi nos apresentando toda a história e possibilidades de alimentação e nutrição que os insetos podem nos proporcionar, fiquei apaixonada. O sabor é incrível e mais o importante que eu considero são os valores nutricionais. Foi sensacional”, declarou.

Se tratando de alimentação de insetos, o México possui a maior quantidade de espécies catalogadas, são aproximadamente 360 tipos que fazem parte da rotina da população. Em segundo lugar aparece o continente africano seguido dos Estados Unidos. 

Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado

Deixe seu comentário