Cerca de 50 pessoas reclamam atraso de entrega de imóveis

Construtora tem quatro empreendimentos vendidos na capital.

10/09/2014 14:25h

Compartilhar no

O Procon recebeu pelo menos 50 reclamações de pessoas insatisfeitas com o descumprimento de prazo para entrega de imóveis comprados na planta, em Teresina. A construtora responsável tem quatro empreendimentos na capital, sendo um no bairro Gurupi, outro no Pedra Mole e mais dois destinados a servidores do Tribunal de Justiça.

Segundo o conciliador do Procon, Campelo Junior, os compradores denunciaram obras paradas e atrasos, alguns desde janeiro deste ano. “Um dos empreendimentos é o Minerva Nogueira, que ainda se encontra na fase de colocação da laje. Mas tem outros que nem a limpeza do terreno foi feita ainda”, disse o conciliador.

Com relação aos imóveis negociados com os servidores do Tribunal Justiça, a assessoria do órgão informou que na gestão do ex-presidente do TJ, Edvaldo Moura, foram realizadas duas reuniões com a construtora responsável pelas obras e teria sido acordada a devolução do dinheiro de forma parcelada. A assessoria não soube informar se o valor já começou a ser devolvido.

Em um site de compra e vendas, uma unidade no Condomínio Minerva Nogueira, no bairro Gurupi, o ágio do apartamento está sendo oferecido pelo vendedor por R$ 35 mil, ficando o débito de R$ 80 mil.

O PortalODIA.com entrou em contato com o dono do apartamento à venda e apurou que a obra, que era da Construtora Realize, deveria ter sido entregue em junho, mas uma nova empresa, a Real e Essencial Construtora, teria assumido a responsabilidade e garantido a entrega para o próximo ano. A reportagem não conseguiu o contato das construtoras.

Campelo Junior explica que os compradores podem exigir o ressarcimento dos valores pagos, no caso de não ter mais interesse em esperar pelo apartamento, ou até mesmo pedir uma indenização da construtora, que seria o pagamento do valor de aluguel referente à localização do empreendimento, desde o mês em que a obra deveria ter sido entregue.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário