Teresina em números: mulheres são a maioria na cidade e 86% da população é católica

Dados do último Censo demográfico mostram uma capital mais populosa, feminina e de fé católica

16/08/2012 08:30h

Compartilhar no

Elevada à categoria de vila e distrito com a denominação de Teresina pelo decreto de 06 de julho 1832, também pode ser conhecida como: "Capital do Sol e da Luz", "Capital do Meio-Norte", "Cidade Verde", "Terra da Cajuína", "Rainha do Nordeste", "Mesopotâmia Brasileira", "Cidade da Esperança", "Capital da Música Instrumental", e tantos outros nomes que tentam classificar uma cidade para a qual o seu povo dedica um amor incondicional. Um amor que contempla o espaço belo e envolvente da capital poetizada por H. Dobal e Torquato Neto.

Uma capital que limita entre dez cidades e dois rios um povo acolhedor e um ambiente aconchegante. De posição estratégica e de um planejamento que deu certo, ocupa um espaço aproximado de 1.391,9 km² segundo dados do último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A origem de Teresina está intimamente ligada ao Rio Poti. Era às margens desse rio que havia um pequeno povoado e que depois seria elevado à condição de Nova Vila (do Poti). Essencialmente formada por pescadores e pequenos comerciantes, era cortado por uma estrada que ligava Oeiras, então capital da Capitania do Piauí, a Parnaíba, um dos mais prósperos centros do estado, onde o Porto das Barcas viabilizava o comércio na época.

O modelo da cidade, típica do período colonial, assemelha-se a um tabuleiro de xadrez, motivo que facilita a locomoção. Tem como característica forte as árvores frondosas, e por causa delas Teresina ganhou o título nacionalmente conhecido de "cidade verde".

Em 1852 Teresina foi a primeira capital do Piauí por constituição, sendo também a primeira capital planejada do Brasil. A ideia de tornar este local a capital do estado partiu do Conselheiro José Antônio Saraiva e foi amplamente repudiada pelos oeirenses por muitos anos, e somente depois de muitos convencimentos e justificativas ela começou a ser erguida. O nome Teresina é uma homenagem a D. Teresina Cristina, esposa de D. Pedro II.

Com um clima tropical subúmido e quente, com duração do período seco de seis meses, a capital do calor do equador tem temperaturas que variam entre 22ºC e 38ºC.

Uma cidade que acolhe mais de 800 mil pessoas

A população de Teresina ficou em 814.439 habitantes segundo o Censo 2010 do IBGE. Do total, 767.777 pessoas moram na zona urbana, dando margem a uma porcentagem de 94,27%. Este número de habitantes coloca a cidade como a mais populosa do estado, à frente de Parnaíba, a segunda maior cidade do Piauí em população.

Entre as demais capitais, Teresina pulou em dez anos um posto e é a 15ª maior capital brasileira. Segundo o IBGE. Em 2000, quando foi divulgado o penúltimo Censo Demográfico, Teresina era a 16ª capital do Brasil mais populosa, com 708.391 mil habitantes.

Nas proporções atuais a capital perde apenas para São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus (AM), Belém (PA), São Luís (MA), Fortaleza (CE), Recife (PE), Maceió (AL), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Goiânia (GO) e Brasília (DF).

O rendimento domiciliar per capita mediano dos teresinenses ficou em R$ 323,00. Isto é, metade dos moradores da capital, que integram a população economicamente ativa, tinham renda de até R$ 323,00 em 2010. Neste índice, Teresina ficou à frente apenas de Macapá (R$ 316/mês) e Maceió (R$ 309/mês). (Francicleiton Cardoso)

Mulheres são maioria na capital

As mulheres são a maioria dos habitantes do Estado, somando 1.590.219, correspondente a 50,98% do total. Os homens somam 1.528.726, 49,21% do total. Em Teresina, a capital piauiense segue a tendência nacional contabilizando 433.618 mulheres e 380.612 homens.

A universitária Victória Holanda acha que o número superior de mulheres na capital é um ponto positivo, "Visto que as mulheres têm se destacado em muitos campos e seu papel social tem sido reavaliado no trabalho, nos estudos, na família e na vida amorosa, penso que a figura feminina só tem o que combinar com a cidade, que igualmente, tem crescido e se destacado com exemplos no judô, no balé e na economia, por exemplo. Sendo uma cidade essencialmente feminina, tudo reverbera e tem se equiparado nas mudanças e crescimento", afirma a estudante.

Do número total de habitantes, 681.055 são alfabetizadas e 125.807 estavam matriculados no ensino fundamental quando da realização do censo pelo IBGE em 2010. Os dados levantados apontam ainda que mais de 62 mil pessoas estavam matriculadas no ensino médio.

De 1991 a 2010, a proporção de pessoas com renda domiciliar de até meio salário mínimo reduziu em 37,8%; para alcançar a meta de redução de 50%, deve ter, em 2015, no máximo 29,4%. Isto significa uma diminuição da extrema pobreza.

Para estimar esta proporção de pessoas que estão abaixo da linha da pobreza foi somada a renda de todas as pessoas do domicílio, e o total dividido pelo número de moradores, sendo considerado abaixo da linha da pobreza os que possuem rendimento menor que meio salário mínimo. No caso da indigência, este valor será inferior a um quarto de salário mínimo. (Francicleiton Cardoso)

86% da população teresinense é católica

Quanto à religião, a população teresinense é em sua maioria Católica Apostólica Romana, chegando à quantia de 642.822 pessoas o que corresponde a 86% da população. Este é o maior percentual entre todas as capitais brasileiras. A religiosidade católica da capital é um reflexo do que se pode constatar em todo o estado, no qual 89% da população é católica.

Cristóvão Lima, católico ferrenho, defende que o grande número de católicos na capital é uma influência direta da colonização. "Esta coisa tem muito a ver com a formação da fé do povo nordestino e, consequentemente, do povo piauiense que primeiramente recebeu essa influência católica e só muito depois o protestantismo chegou. Sem falar na questão das famílias tradicionais, na maioria católicas, que acabaram por influenciar a população como um todo", pensa o universitário.

Para o pedagogo e estudioso nato das religiões Jardelan Nolêto, a influência da colonização foi mesmo um fator primordial, mas houveram outras coisas que fizeram com que a população teresinense aderisse com tanto fervor ao catolicismo. "O Piauí foi colonizado por gente pobre, vaqueiros de fé predominantemente católica. Logo depois chegaram os missionários, o que contribuiu ainda mais. Além disto, o estado também tem forte influência da religiosidade do cearense, com a adoração ao padre Cícero e as visitas e romarias a Canindé", afirma Jardelan.

As religiões protestantes, quando juntas somam mais de 108 mil pessoas, o que corresponde a cerca de 6% da população total teresinense. Esta porcentagem fica abaixo da quantidade de protestantes a nível estadual que chega a 7%.

Cerca de 6.971 pessoas são denominadas espíritas e 2,3% da população teresinense têm denominações religiosas como Umbanda, Candomblé e religiões orientais. 4% da população se dizem sem religião.

Os dados do censo ainda demonstram que mais de 2 mil pessoas são completamente cegas, 1.149 são surdas e cerca de 2.8 mil têm alguma deficiência motora. (Francicleiton Cardoso)

Perfil do teresinense

Sexo

- Mulheres - 433.618 pessoas

- Homens - 380.612 pessoas

- População: 814.230 pessoas

População residente

Zona Urbana - 767.557 pessoas

Zona rural - 46.673 pessoas

- Religião

Católicos - 642.822 pessoas

Evangélicos - 108.638 pessoas

Espíritas - 6.971 pessoas

- Deficiência

Visual - 2.033 pessoas

Auditiva - 1149 pessoas

Motora - 2.805 pessoas

Mental - 12.314 pessoas

* Censo IBGE 2010

Compartilhar no
Por: Francicleiton Cardoso

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário