• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Castração evita problemas de saúde e superpopulação de animais

Especialista alerta para o fato de estar havendo um crescimento desordenado de felinos e caninos em abandono.

25/11/2019 06:54h

A castração é a única maneira ética e eficaz de controle de cães e gatos, principalmente quando se fala em animais abandonados. Além disso, também ajuda a prevenir diversas doenças, melhorando assim a saúde e bem-estar do seu bichinho. Por falta de informação e até tabus, muitos tutores acabam não realizando o procedimento, fazendo com que a quantidade de cirurgias de castração ainda não seja como o esperado.


Leia também: Teresina tem quase 150 mil cães e gatos, aponta Censo Animal da FMS


 Você sabe quantos filhotes os cães e gatos podem ter? A médica veterinária Roberta Siqueira fez as contas. “Se formos pensar que o cio da gata acontece a cada dois meses, em um ano teremos, em média, 48 novos felinos. A população de cães também não fica atrás. Pensando no fato de que cada cadela pode parir entre quatro e oito filhotes, às vezes mais, temos uma população de caninos e felinos crescendo sem freio. Se formos pensar que a maioria está na rua, livre para cruzar e aumentar mais ainda esse número, então esse número é muito alto”, comenta.


Soltos, sem assistência, os cães podem transmitir doenças, inclusive para as pessoas - Foto: Divulgação

A veterinária explica ainda que, cães e gatos que vivem soltos podem transmitir doenças, tanto para outros animais como para o ser humano. A zoonose mais conhecida no cão é a Leishmaniose (Calazar), já no gato é a Toxoplasmose. A especialista enfatiza que essas doenças causam alerta, apesar de ressaltar que cada patologia apresentar suas ressalvas e pontuar que os animais não são os vilões, pelo contrário, apenas servem de hospedeiros para as doenças.

Além de evitar o crescimento populacional de animais, a castração ainda traz melhores condições de saúde para os pets, como câncer de mama, câncer de próstata e infecção no útero. “O principal benefício da castração é prevenir o surgimento de câncer, claro que depois temos também a prevenção das várias outras doenças que podem aparecer principalmente quando se usa os ‘métodos contraceptivos’. A indicação que fazemos para a castração de cães e gatos é que seja antes ou logo após a puberdade, por volta dos seis a oito meses. Não existe um consenso na literatura de quando realmente seria o mais adequado”, lembra.

Alguns estudos mais recentes recomendam o procedimento entre o primeiro e o segundo cio de cadelas. Isso porque, nesta fase, o trato urinário e reprodutor estão bem desenvolvidos. No caso de cães de grande porte, onde a fase de crescimento pode se estender até dois anos de idade em algumas raças, é indicado esperar, vez que a estimulação hormonal acontece nessa fase e é importante em alterações morfológicas normais do crescimento.

Por: Isabela Lopes, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário