Cartórios do Piauí são os mais burocráticos do país, aponta estudo

A implantação de tecnologia nos cartórios do Piauí pode colaborar com o desenvolvimento do estado

30/06/2021 17:14h - Atualizado em 30/06/2021 17:27h

Compartilhar no

O estado do Piauí é o único do país que os Cartórios de Registro de Imóveis ainda operam um sistema manual, mantendo informações de propriedades em livros. Essa é a constatação de um estudo realizado em todo o território brasileiro produzido a pedido da Secretaria-Geral da Presidência da República, o Doing Business Subnacional Brasil 2021.


Leia tambémTrabalhadores do transporte coletivo ocupam a Prefeitura de Teresina 


O advogado Campelo Filho, estudioso da área do Direito e Novas Tecnologias e colaborador da pesquisa, revelou ao O Dia News, da O Dia Tv, durante entrevista nesta quarta-feira (30), que a soma dos quesitos de abertura de empresas, obtenção de alvarás de construção, registro de propriedades, pagamento de impostos e execução de contrato coloca o Piauí na 21ª posição dentre os estados.

Segundo Campelo Filho, a colocação do Piauí se deu muito em relação à agilidade na abertura de empresas, que é a terceira melhor do país. Por outro lado, os serviços de cartórios prejudicaram a imagem do estado.

Foto: Jailson Soares / O Dia 

“Quem precisa dos serviços dos cartórios do Piauí sabe. Os investidores quando vêm adquirir imóveis um dos fatores que se analisa é a agilidade cartorária. A desburocratização na aquisição de imóveis, na transferência dessas propriedades. Infelizmente, os cartórios do Piauí são todos manusealizados. É o único estado do país que ainda enfrenta o sistema manual ao invés dos sistemas de informatização”, disse.

O advogado defende que a tecnologia seja implantada nos cartórios do Piauí para colaborar com o desenvolvimento do estado e atrair novos investidores. A falta de servidores concursados nos cartórios também é outro problema apontado por Campelo Filho

“Existem processo judiciais. Enquanto não houver uma solução para a questão do concurso público para os cartórios, as demandas cartorárias serão prejudicadas. Esse procedimento de troca de tabeliães prejudica o andamento dos processos”, declarou Campelo. 

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário