• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Calçadas irregulares dificultam acessibilidade de pedestres na Capital

Quem precisa se utilizar deste espaço precisa se aventurar no meio da rua, dividindo espaço com veículos e correndo o risco de ser acidentado.

19/04/2016 07:32h

As calçadas deveriam ser uma maneira segura dos pedestres se locomoverem. Porém, muitas delas são usadas como estacionamentos, estão obstruídas com resíduos, entulhos ou até produtos de lojas; possuem buracos, mato ou ainda degraus. Com isso, quem precisa se utilizar deste espaço precisa se aventurar no meio da rua, dividindo espaço com veículos e correndo o risco de ser acidentado.


Fotos: Elias Fontenele/ODIA


Uma campanha intitulada “Calçada Cilada 2016”, cujos voluntários deveriam denunciar calçadas irregulares, recebeu 2.017 ocorrências em cerca de 80 municípios de 17 estados brasileiros. No Piauí, foram registradas cinco denúncias. Contudo, a dona de casa Maria Rosa da Silva afirma que este número não representa a realidade. “É só a gente olhar para os lados e ver que tem muito mais que cinco calçadas irregulares. As pessoas fazem calçada de todo jeito, não se importam quem vai passar”, disse.


A dona de casa ainda acrescenta que, além de calçadas irregulares, com batentes, há ainda aquelas que possuem azulejos, muito perigosas em período chuvoso, vez que ficam escorregadias. “As calçadas deveriam ser todas da mesma altura; aí quando uma pessoa com cadeiras de rodas vai passar, não dá porque têm os batentes. E têm umas que colocam piso; quando chove, fica todo molhado e pode até derrubar alguém”, pontua.

O estudante Jardiel Nonato Soares também nota as calçadas com algum tipo de irregularidade, sobretudo com carros estacionados, e conta que muitas pessoas correm risco de serem atropeladas porque precisam desviar dos veículos estacionados no local impróprio.

“Só o que tem é motorista que para nas calçadas, aí o pedestre precisa desviar e vai para o meio da rua, podendo ser atropelado. Se a calçada é lugar de pedestre, então não deviam deixar os motoristas estacionarem”, defende o estudante, acrescentando que algumas calçadas também ficam interditadas, mas conta da falta de manutenção e capina.

Segundo Jardiel, os proprietários deveriam fazer a limpeza regular da frente dos imóveis, pois em alguns locais é inviável transitar pela calçada, vez que o mato fecha completamente o local. Além disso, o estudante ressalta que alguns moradores depositam entulhos, como materiais de construção e móveis, nas calçadas, interrompendo o fluxo de pedestres.


Por: Isabela Lopes - Jornal O DIA

Deixe seu comentário