Cabeceiras: jovem faz ensaios fotográficos com celular para comprar câmera profissional

Os ensaios acontecem na própria cidade, geralmente, na praça principal, ou em cenários indicados pelos clientes.

10/06/2021 11:08h - Atualizado em 10/06/2021 11:23h

Compartilhar no

A jovem Dalila Soares, de 27 anos, transformou uma paixão em ofício. Cursando Geografia na Universidade Estadual do Piauí (Uespi), ela divide o tempo entre os estudos e o trabalho como fotógrafa na cidade de Cabeceiras do Piauí.

Dalia Soares fazendo fotografando um ensaio de gestante (Fotos: Divulgação/Arquivo pessoal)

Apaixonada por fotografia desde pequena, mas com recursos financeiros limitados, Dalila contou com o apoio da família e do namorado para conseguir comprar um celular usado, que não é dos modelos mais novos do mercado, mas que possui a captura de uma imagem de qualidade. “Eu sempre gostei de fotografia e como não tenho condições de possuir um equipamento melhor, então decidi trabalhar com o celular”, afirma Dalila. 

De acordo com a estudante, muita gente ainda não acredita na possibilidade de fotos com boas imagens utilizando apenas a câmera de um celular. “Eu passei a pesquisar mais sobre isso e vi que era sim possível trabalhar dessa maneira”, observa a fotógrafa.

Os ensaios acontecem na própria cidade, geralmente, na praça principal de Cabeceiras, mas também em outros cenários indicados pelos clientes. Todos os cliques são divulgados nas redes sociais, o que aumentou bastante a procura pelo seu trabalho. Até pouco tempo, Dalila não cobrava pelo seu trabalho, fazia por amor à fotografia, segundo ela. Mas, os próprios amigos e familiares a encorajaram a cobrar pelos seus serviços. 

“Em relação aos valores, ainda não tenho muita noção, mas estou estudando mais sobre isso”, confessa Dalila. Ela informa que oferece dois tipos de pacotes fotográficos: o simples, que contém vinte fotografias em mídia, no valor R$ 40; e o pacote médio, com trinta e cinco fotos em mídia e um making off, que custa R$ 60. 

O dinheiro que ganha com os ensaios, a estudante está juntando para comprar um equipamento melhor, que é uma câmera profissional. Segundo Dalila, o aparelho que possui é limitado para o objetivo do seu trabalho e só atende as necessidades básicas da fotografia, o que dificulta na edição das fotos, por exemplo. 

Dalila também pretende adquirir um computador. “Meu sonho é ter equipamentos que atendam a minha demanda. Futuramente pretendo expandir para a área de eventos e conhecer outros lados do trabalho com fotografias”, afirma a fotógrafa.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Ithyara Borges
Por: Emelly Carneiro - Especial O DIA

Deixe seu comentário