Aulas presenciais: alunos de Teresina intensificam preparativos para o Enem 2021

Em 2021, o exame ocorrerá nos dias 21 e 28 de novembro. O Piauí teve 47.263 inscritos no Enem

17/08/2021 10:03h - Atualizado em 17/08/2021 10:50h

Compartilhar no

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é uma das provas mais disputadas no Brasil por estudantes que desejam ingressar no Ensino Superior. Em 2021, o exame ocorrerá nos dias 21 e 28 de novembro e contará com duas modalidades de prova: digital e impressa. O Piauí teve 47.263 inscritos no Enem.

Mesmo com a pandemia da Covid-19, as redes de ensino de todo o País vêm se preparando para o grande dia e no Piauí não é diferente. A diretora do Centro Estadual de Tempo Integral Zacarias de Góis, conhecido como Liceu Piauiense, Samara Santiago, conta que os alunos estão sendo preparados para as provas do Enem por meio de simulados online. Os estudantes recebem uma apostila com questões que já foram aplicados no próprio exame em edições anteriores. A ideia é que eles se familiarizem com o nível das perguntas. 

(Fotos: Assis Fernandes/ODia)

“O Liceu Piauiense trabalha com um material próprio para o Exame contemplando todas as áreas do conhecimento por componente curricular, que vai de agosto até a execução das provas [novembro]. Os simulados são via online e são questões do próprio Enem, e quando tiver mais próximo intensificamos com outros materiais, mas eles estão trabalhando diariamente com a apostila do Enem”, disse.

Já Marcelo Sá, professor de matemática de uma escola particular em Teresina, conta como a instituição está amparando os alunos neste momento, onde é perceptível que existe uma adesão melhor dos conteúdos nas aulas presenciais. 

“A gente percebe que presencialmente há uma possibilidade melhor de acompanhamento individualizado do aluno. Notamos claramente que na aula presencial, os alunos são mais participativos e existe uma maior interação entre alunos e professores”, conta Marcelo Sá. 

Professor Marcelo Sá reforça que escola tem intensificado as preparações para o Enem 

Para o docente, é necessário que o aluno tenha uma preparação muito consistente, a fim de que ele possa ter uma boa desenvoltura no exame. “Esse é o momento que consideramos extremamente relevante que os alunos estejam presente nas escolas, interagindo com os colegas e se preparando para essa maratona que é o Enem”, afirma. 

O professor conta ainda que na escola em que atua, eles procuram sempre fazer revisões, especialmente àqueles alunos que não conseguiram acompanhar determinados assuntos de maneira remota. “Nós temos momentos extras para conseguir suprir essas dificuldades”. 

Com o advento das aulas remotas, é importante ressaltar também que os educadores estão muito mais flexíveis e presentes do que antes, visto que, agora, os alunos mandam suas dúvidas nos chats e nas redes sociais.

Além disso, Marcelo lembra da importância de fornecer apoio psicológico e emocional aos alunos. "A escola procura dar todo tipo de suporte e apoio, tanto na parte do conhecimento, quanto na parte psicológica. É importante que haja esse acompanhamento dos alunos”, finaliza.

“As pessoas que podem voltar ao ensino presencial, deveriam” diz estudante

Victor Gabriel Alves dos Santos (17), estudante do Liceu Piauiense,  está se preparando para realizar o Exame Nacional do Ensino Médio e reforça que tem intensificado a rotina de estudo nessa reta final. “Não posso dizer que estou tão preparado, mas minha preparação está em dia. Voltando para as aulas presenciais isso vai ajudar a acelerar, porque estava difícil acompanhar de maneira remota e de forma presencial fica bem mais fácil”, disse.

Para o jovem Frank Júnior (18), estudante de uma rede particular de ensino, essa volta gradual das aulas presenciais é crucial para o aprimoramento dos alunos frente ao Enem. Ele afirma que mesmo com a pandemia, aulas remotas e dificuldades, muitas pessoas vêm se preparando para a prova.

“O ensino remoto não é a mesma coisa que o presencial, mas ainda assim estamos buscando sempre melhorar, principalmente nessa reta final,  que é realmente crucial”, pontua Frank Júnior.

O estudante conta que na escola, o aluno acaba tendo uma preparação maior e um melhor desempenho, visto que é um ambiente mais propício para aprendizado. “Na escola o aluno fica mais próximo do professor, interage mais com os colegas, muito diferente de estar em casa, que tem muitas coisas que nos distraem”, afirma. 

De acordo com Frank Júnior, a escola que frequenta vem seguindo os protocolos de segunda contra a Covid-19 da maneira correta, onde ele se sente totalmente seguro para retorno gradual das aulas presenciais. “Pelos protocolos que a escola tem seguido, eu acho seguro, porém no nosso estado e país, a maioria das escolas não têm a condição ou estrutura para seguir os protocolos”.

Por fim, o estudante ressalta que aqueles que podem retornar ao ensino presencial, deveriam voltar, a fim de que estejam ainda mais preparadas para essa grande maratona que é o Exame Nacional do Ensino Médio.

Thiago Torres Castelo Branco (18) explica que, apesar dos riscos, destaca que sente-se seguro em retornar para a escola de maneira presencial. O jovem reforça que a escola está seguindo todos os processo de sanitização, o que garante maior segurança para os alunos. Segundo ele, esse retorno é essencial também para intensificar os estudos para o Enem, que acontece no final deste ano. 

“Acredito que perdemos muito tempo, especialmente ano passado, devido à surpresa que a pandemia nos causou, mas a escola e os alunos estão conseguindo correr atrás do tempo perdido e estamos alcançando nossos objetivos”, destaca o estudante. 

Ítalo Mateus (17) também frisa que as aulas remotas prejudicavam o aprendizado, mas que os professores se dedicaram ao máximo para conseguir repor o conteúdo. “Estamos dando o máximo e fazendo de tudo para conseguir tirar uma boa nota no Enem”, completa. 

Escolas seguem protocolo de segurança

Tanto as escolas da rede pública como da rede privada estão atentas aos protocolos de segurança, como forma de evitar a contaminação com a Covid-19. No Liceu Piauiense, o retorno acontece de maneira híbrida. Dessa forma às terça, quarta, quinta e sexta no turno da  manhã, entre 7h30 e 11h50, os alunos permanecem na escola, e à tarde cumprem a carga horária de maneira online, cumprindo a carga horária, uma vez que a escola é de tempo integral. 

A diretora Samara Santiago reforça que todos os protocolos estão sendo seguidos, garantindo a segurança dos alunos, professores e de todos que fazem parte do quadro de funcionários da escola.

“Seguimos todos os protocolos de segurança com relação às sanitização das mãos, pias externas, álcool líquido nas salas para que sejam borrifados nas mesas e em gel na porta das salas. No refeitório, entra por uma porta e sai por outra, além de ser mantido o distanciamento”, disse a diretora Samara Santiago. 

Em uma escola privada de Teresina, as aulas tiveram retorno presencial na primeira semana de agosto. Mesmo com quase sua totalidade de alunos frequentando a escola, por meio de rodízio, as aulas remotas continuam sendo ministradas, uma vez que alguns estudantes ainda não se sentem confortáveis para retornar presencialmente.

Terezinha Gomes, diretora pedagógica da escola, conta que todos os protocolos estão sendo seguidos corretamente e que os próprios alunos têm consciência da necessidade de manter o distanciamento, utilizando máscara em sala de aula e também durante o intervalo.

“Ainda tem uma parcela de alunos, que por diversos motivos, preferem aguardar um pouco mais, mas é um número. Isso mostra que a confiança na escola é muito grande. Já sentimos que os alunos seguem os protocolos com muita naturalidade e as crianças são sensíveis, pois elas compreendem o que estamos vivendo”, pontua.

Victor Gabriel Alves dos Santos (17), estudante do Liceu Piauiense, conta que a escola tem oferecido aos alunos condições adequadas para que o retorno acontecesse de maneira segura. Ele explica ainda que os próprios estudantes têm consciência da necessidade de seguir corretamente os protocolos.

O estudante Victor Gabriel sabe das necessidades em seguir os protocolos de segurança 

Esse é o mesmo sentimento da Maria Júlia Soares (12) e de Luma Brito (12), que fazem o 7º Ano do Ensino Fundamental em uma escola particular e contam que voltar para a escola, de maneira presencial, reforça o aprendizado, uma vez que em casa há muitas distrações e que acabam prejudicando a concentração.

Maria Júlia reforça que as aulas presenciais rendem mais conhecido do que as aulas remotas

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário