• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Atendimento a queimados em período junino cresce 243% no HUT

A maioria das queimaduras é provocada por fogos de artifícios ou por substâncias quentes.

13/06/2019 08:23h

Com a chegada do mês de junho, marcado pela realização das tradicionais festas juninas, aumenta a procura por fogos de artifícios e foguetes. Mas, paralelo a isso, também cresce o número de pessoa queimadas. No Hospital de Urgência de Teresina (HUT), a quantidade de queimados chega a dobra por conta das festas juninas, crescendo 243%. 

A diretora do HUT, Clara Leal, reforça que, historicamente no mês de junho, há um número maior de pessoas queimadas atendidas no hospital. Se comparado com os outros meses do ano, chega a ter um aumento de 243%. Outro fator que chama atenção é com relação à grande maioria dessas queimaduras, que são provocadas por fogos de artifícios ou por substâncias quentes. 

A maioria das queimaduras é provocada por fogos de artifícios ou por substâncias quentes. (Foto: Reprodução)

“Muitos fogos estão presentes nas festas juninas, inclusive as fogueiras. Já com relação às comidas, tem os cremes e mingaus, que também podem provocar queimaduras. As queimaduras causadas por substâncias quentes o predomínio é em crianças. Com relação aos fogos, o predomínio é de adultos”, disse. 

A diretora do HUT chama atenção para que as pessoas tenham mais atenção ao manusearem essas substâncias de forma a ter menos casos e, consequentemente, reduzir essas estatísticas. Clara Leal enfatiza que os pais devem redobrar a atenção, principalmente com as crianças, para evitar que elas se machuquem. “Crianças não podem ficar próximas das fogueiras, fogão ou de comidas muito quentes, e os que vão usar fogos de artifício precisam ver se eles têm alguma experiência e condições de soltar de maneira que não se machuquem”, enfatiza.

As queimaduras podem ser superficiais ou profundas, ou seja, depende da gravidade. Dessa forma, quando uma pessoa se queima ela deve ser encaminhada imediatamente para uma unidade hospitalar a fim de receber os primeiros atendimentos e procedimentos de forma a minimizar os possíveis danos. Em caso de queimadura, deve-se evitar colocar qualquer tipo de substância sobre a lesão, pois isso pode piorar ainda mais o quadro clínico da vida. O recomendado é encaminhar essa pessoa, o mais rápido possível, a uma unidade de saúde para atendimento especializado. 

“Quando uma pessoa se queima, deve-se procurar uma unidade de saúde ou a Unidade de Pronto-Atendimento mais próxima e, dependendo do grau da queimadura, ela poderá ser encaminhada para o HUT, único hospital no Estado do Piauí que possui unidade específica para tratamento de queimados. Se essas lesões atingiram o olho, isso pode levar a perda da visão, pode levar a amputação, caso tenha atingido mãos ou pés, ou seja, podem ser danos irreversíveis”, enfatiza. 

Oneide Carvalho é empresária e proprietária de uma loja que vende fogos de artifício. Ela destaca que sempre alerta aos compradores sobre os cuidados e riscos ao manusear este artefato “Eu explico e oriento a forma correta de segura e soltar o foguete. Além disso, na embalagem tem as instruções de manuseio, que devem ser lidas com bastante atenção. É preciso segurar de forma correta e nunca no foguete. Deve-se colocar uma vara, de forma a não ter contato direto com o fogo do artifício e posicionar bem longe do rosto”, pontua.

Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário