Arroz, feijão e pão ajudam a conter a inflação de novembro, diz IBGE

Boas safras e melhora no preço do trigo fizeram baixar preços de alimentos. Mesmo antes de vigorar, aumento da gasolina já influenciou IPCA

07/12/2013 11:36h

Compartilhar no

O prato típico do brasileiro, arroz e feijão, ficou mais barato em novembro, e, junto com o pão francês, também em queda, foi o responsável pelo recuo da inflação do país de 0,57% em outubro para 0,54% em novembro.

Os alimentos, que marcaram uma variação de 1,03% em outubro, caíram para 0,56% em novembro, segundo o Índice Nacional de Preços ao consumidor Amplo (IPCA), divulgado ontem(6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Eulina Nunes dos Santos, coordenadora do setor de Índices de Preços do IBGE, explica que o arroz vem se mantendo em queda graças à safra boa e grande.

“O arroz ficou mais barato 4,56% em 12 meses. E o feijão que está sendo comercializado é o da terceira safra que foi grande como as anteriores. Os agricultores e produtores não devem estar felizes com o preço que estão recebendo”, disse Eulina, ressaltando que o feijão mulatinho, em 12 meses, ficou mais barato 15,08%.

Outras quedas colaboraram para o recuo do IPCA, como a do óleo de soja, beneficiado pela safra recorde anunciada para 2013,ficando mais barato 17,64% em 12 meses. Alho e cebola também baratearam ao longo de 12 meses em cerca de 14%.

Alimentos que ainda aceleraram os preços, mas em menor ritmo, também seguraram a inflação, como o leite, em melhor situação de preços por conta das chuvas que melhoraram os pastos, e o pão francês, que de uma alta de 1,48% em outubro caiu para 1,05% em novembro, como resultado da queda da farinha de trigo, de 3,75% em outubro para 1,67% em novembro.


Veja mais detalhes na edição de hoje do JORNAL O DIA

Foto: Divulgação

Compartilhar no
Por: Thiago Bastos - Editor de Cidades

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário