• Natal
  • Policlinica
  • Motociclista
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Aplicativo incentiva fiscalização de ensino em escolas públicas do Piauí

Iniciativa pretende atender todos os alunos os da rede pública do Estado. O aplicativo "Piauí na Ponta do Lápis" está disponível para Android e IOS.

27/11/2019 15:22h - Atualizado em 28/11/2019 17:50h

Estudantes, professores e gestoresde escolas públicas da rede estadual e municipal do Piauí podem incentivar a fiscalização e melhorar a qualidade do ensino por meio de um aplicativo de celular lançado recentemente pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) através do programa “Piauí na Ponta do Lápis”. O aplicativo está disponível para Android e IOS.  



LEIA MAIS: Vigilância Sanitária atesta situação de insalubridade em escola 



Segundo o Conselheiro substituto do TCE-PI, Jaylson Campelo, a meta do órgão é atender a todos os alunos do Estado e com isso garantir escolas públicas em condições adequadas para o ensino.

Conselheiro substituto do TCE-PI, Jaylson Campelo. Foto: Elias Fontenele

“Temos uma meta ousada de todos os estudantes da rede municipal e estadual tenham esse aplicativo em seu smartphone. Esse aplicativo, segundo nossa avaliação, é que vai permitir que os usuários da educação pública do Piauí possam ter colégios em condições mais adequadas para o seu aprendizado”, disse.

Aplicativo permite também o envio de fotos. Foto: Reprodução TCE-PI.

Campelo disse ainda que a iniciativa foi desenvolvida pelo TCE do estado de Minas Gerais e teve adesão de outros estados do país em acordo de Cooperação Técnica.  

“Fizemos apenas algumas adaptações, acrescentando alguns ícones que não tinha no projeto de Minas Gerais. Com muito gentileza o presidente do TCE-MG, Cláudio Terrão, nos disponibilizou todo esse material”, explicou.

Com o aplicativo “Piauí na Ponta do Lápis”, os usuários poderão responder questionários sobre a qualidade do serviço prestado pelas escolas públicas, podem informar sobre os problemas existentes, como na estrutura do banheiro, biblioteca ou da sala de aula, por exemplo, incluindo o envio de fotos. O app aceita também, que cidadãos em geral possam fazer suas respectivas reivindicações.

Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário