Apenas 40% da área urbana de Teresina é arborizada

O calor intenso em Teresina também tem relação com a arborização da cidade.

20/09/2012 08:47h

Compartilhar no

Muita gente não percebe, mas o calor intenso em Teresina também tem relação com a arborização da cidade. A difícil matemática de equacionar o problema: desenvolvimento x preservação está relacionado à ausência de um projeto urbanístico bem elaborado, por conta disso, a cidade vem sofrendo com o impacto de um crescimento desordenado cujas consequências já se fazem sentir na pele.

Dados através de satélite mostram que Teresina possui apenas 40% da sua área urbana coberta por vegetação. Com intuito de defender o verde ameaçado na cidade e tentar sensibilizar a população para um problema que se agrava a cada dia, ambientalistas promovem amanhã, 21, na praça Landri Sales (praça do Liceu), o Manifesto Ver-te Verde, em comemoração ao Dia da Árvore.

Preocupados com a cobertura vegetal da cidade e o destino da capital do Piauí, ambientalistas lutam pela manutenção do título de "Cidade Verde" e alertam para grave problema de que o teresinense vem priorizando o automóvel em detrimento de um transporte público. Assim, a "solução" encontrada pelos governantes tem sido a abertura de novas avenidas, o alargamento das ruas, a construção de viadutos e, consequentemente, a diminuição do verde nos espaços públicos.

Para o professor Cineas Santos, um dos coordenadores do evento, o teresinense vem fazendo um esforço extraordinário para despir Teresina do rótulo de Cidade Verde, cortesia do escritor Coelho Neto quando visitou a cidade na década de 30. "Por falta de informação, parte da população associa o verde dos quintais à ideia de atraso, de pobreza, de provincianismo, o que é um grande equívoco, e depois se queixa do calor", afirma.

Com a chancela da Fundação de Apoio Cultural do Piauí (FUNDAPI), o Manifesto Ver-te Verde constará de leitura de poemas, exposições de fotografias e desenhos de humor, música e distribuição de mudas de árvores nativas.

Na década de 90 Teresina possuía apenas três parques ambientais (o Zoobotânico, o Potycabana, e o Parque João Mendes Olimpio de Mello). Naquela época, eram 128 praças e jardins, e apenas 40 avenidas arborizadas, mas as casas possuíam grandes jardins e quintais. Dos anos 2.000 até hoje, esses índices aumentaram significativamente.

Agora, o município conta com 42 parques ambientais (incluindo o Parque Lagoas do Norte), 375 praças e jardins, 120 áreas verdes e 70 avenidas arborizadas. Tudo isso, faz parte do projeto de desenvolvimento da cidade, porém, hoje, falta espaço para árvores nas áreas residenciais.

Hoje são aproximadamente 112 m² de cobertura vegetal por habitante. Sendo a região Centro/ a mais arborizada da cidade.
"O verde de Teresina é basicamente o verde dos quintais, que estão sendo engolidos pela especulação imobiliária. Além disso, as árvores dos espaços públicos estão cobertas de parasitas ( erva-de-passarinho) que em muito prejudicam as árvores de praça como, por exemplo, Bandeira, João Luiz. Se cada um plantasse uma árvore a cidade inteira seria diferente", afirma Cineas Santos.

Para funcionaria publica Isabel Cristina, que tem pelo menos duas árvores na calçada em frente a sua casa, o verde contribui para diminuição do calor além de serem uma forma proteção da sua residência à grande incidência de raios solares. "Eu tinha três árvores aqui. Uma tive que retirar porque a vizinha reclamava que caia muita folha na calçada dela. Agora, vou colocar outra mais afastada da casa dela e de porte menor. Teresina está muito quente, o desenvolvimento desmata muito. Aqui em frente, por exemplo, vão construir um condomínio que desmata as árvores que com certeza não serão replantadas na mesma quantidade. É um prédio que vai retirar a ventilação, e deixa a minha casa mais quente, por isso, quanto mais árvores aqui na frente para fazer sombra, melhor", afirma acrescentando que a administração municipal deveria incentiva mais o plantio de árvores.

Entre as vantagens de uma cidade arborizada estão: a proteção contra os ventos fortes, diminuição da poluição sonora, absorção dos raios solares, sombreamento, ambientação e permanência dos pássaros. Além disso, a arborização contribui com a diminuição da poluição atmosférica, absorção do gás carbônico e diminuição da temperatura promovendo a melhoria da saúde física / mental da população.

Soma-se aos benefícios indiretos da manutenção da área verde a representação de valores culturais da memória histórica das cidades e a qualificação dos imóveis do ponto de vista ambiental e paisagístico.

Com intuito de colaborar com manutenção da área verde em Teresina, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Semam, desenvolve o projeto "Teresina Mais Verde", que de janeiro a julho deste ano produziu 30 mil mudas para diminuir a temperatura de Teresina. Destas, 535 foram destinadas às comunidades, 2.600 para entidades sociais. A Semam plantou 585 mudas em praças públicas, 1.713 em áreas verdes, 716 em avenidas (João XXIII, Presidente Kennedy,) e 2.364 para transplantio.

Compartilhar no
Fonte: Jornal O Dia
Por: Katylenin Frana

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário