Abastecimento de água será monitorado em tempo real para evitar desperdício

Aegea assumiu hoje os serviços de abastecimento de água na Capital piauiense, com um investimento de R$ 1,7 bilhão.

07/07/2017 14:40h - Atualizado em 07/07/2017 16:10h

Compartilhar no

O abastecimento de água em Teresina agora será monitorado em tempo real para evitar desperdício e cobranças indevidas nas contas dos consumidores, é o que afirma o presidente da Águas Teresina, Ítalo Joffily. A empresa assumiu hoje o serviço de águas e esgotos da Capital piauiense. A tecnologia empregada vai permitir reduzir o desperdício de água tratada até pela metade e o monitoramento vai se iniciar desde a saída da estação de tratamento até a a chegada nas torneiras dos usuários.

Dentre as primeiras ações a serem implantadas pela Aegea em Teresina, está o plano emergencial elaborado para o B-R-O-Bró, que deve contemplar os bairros que mais sofrem com a falta d'água. Está incluso no plano a construção de adutoras, perfuração de poços, interligação de redes e setorização no sistema de distribuição de água. "Fomos demandados para criar um plano emergencial e estaremos atuando também no médio e longo prazo", diz Joffily. O investimento nos primeiros cinco anos é da ordem dos R$ 650 milhões.

A emissão da ordem de serviço da Aegea encerra o período de transição de 180 dias, iniciado com a assinatura do contrato, em 22 de março. A Águas de Teresina repassou R$ 88 milhões à Agespisa, referentes à primeira parte da outorga. Conforme estabelecido no contrato de subconcessão, os outros R$ 72 milhões serão pagos em 12 meses.


Prioridade será a o plano emergencial do B-R-O-Bró (Foto: Arquivo O Dia)

Servidores

Um mapeamento dos profissionais da Agespisa está sendo realizado para que o encaminhamento para um novo órgão, ou mesmo para um novo setor dentro da Agespisa e cidades do entorno da capital, seja feito respeitando o perfil profissional e formação de cada um.

A empresa Águas de Teresina absorverá os empregados terceirizados e comissionados da área operacional, de forma que não haverá demissões durante a transição dos serviços de saneamento. A Águas de Teresina contratou 620 terceirizados que atuam na operação. Além disso, a empresa está convidando comissionados e servidores da Agespisa para integrar a equipe que atuará em Teresina.

“A Emgerpi tem ajudado desde o início do processo. Agora estamos avaliando o perfil de cada trabalhador para poder realoca-los para outros órgãos do estado. O importante é que todos continuarão trabalhando e terão todos os seus direitos garantidos”, disse o diretor da Emgerpi, Ricardo Pontes.

Atualmente Teresina possui 97% de cobertura de água e apenas 24% de cobertura de esgoto, ou seja, cerca de 262 mil imóveis recebem água potável e apenas 44 mil famílias têm acesso a esgotamento sanitário. O investimento necessário para alcançar universalização dos serviços de água e esgoto até 2031, data prevista no Plano de Saneamento Básico de Teresina, é de cerca de R$ 1,7 bilhões apenas para Teresina, chegando a R$ 3,9 bilhões para todo o Piauí.

Além do atendimento presencial, em sete lojas físicas, a Águas de Teresina estará presente nas redes sociais com página no Facebook e perfil no Instagram, para que os clientes possam acompanhar os investimentos e ações de responsabilidade socioambiental. No site institucional (www.aguasdeteresina.com.br) será possível ter acesso aos serviços da empresa, pela internet, através da Agência Virtual. O atendimento do Call Center funcionará 24 horas e a ligação via telefone fixo será gratuita. Contato: 0800 223 2000.

Compartilhar no
Fonte: Da Redação

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário