21 municípios do Piauí são incluídos no semiárido brasileiro

A decisão foi tomada na tarde desta quinta-feira (23), em Fortaleza, durante a reunião do Conselho Deliberativo da Sudene (Condel).

23/11/2017 17:28h

Compartilhar no

A quantidade de municípios do Piauí que fazem parte do semiárido brasileiro vai aumentar de 164 para 185. A decisão foi tomada na tarde desta quinta-feira (23), em Fortaleza, durante a reunião do Conselho Deliberativo da Sudene (Condel).

Foram incluídos os municípios Angical, Beneditinos, Bom Princípio, Buriti dos Lopes, Caraúbas, Caxingó, Corrente, Cristalândia, Demerval Lobão, Ilha Grande, Lagoa do Piauí, Luís Correia, Monsenhor Gil, Parnaíba, Riacho Frio, Santo Antônio dos Milagres, São Gonçalo do Gurgueia, São Gonçalo do Piauí, São Pedro do Piauí, Sebastião Barros e Teresina.

Ao todo, 49 municípios brasileiros passaram a integrar a região. Os critérios para a inclusão, analisados pelo Grupo de Trabalho do Semiárido, foram basicamente três: o risco da seca, o índice de aridez e a curva pluviométrica.

Segundo o superintendente da Sudente e presidente do Condel, Marcelo Neves, há deficiência em toda a região quanto às estações meteorológicas e pluviométricas, de forma que esses índices não podiam ser medidos com precisão. “Mas acreditamos que agora conseguimos equacionar o assunto, pelo menos até 2021, quando acontecerá uma nova delimitação do semiárido”, afirma Neves.

A vice-governadora Margarete Coelho (PP) representou o Piauí na reunião do Condel e explicou que a inclusão dos municípios torna o mapa do semiárido piauiense mais homogêneo. “Havia lugares que não integravam a região, mas ficavam espremidos entre municípios que faziam parte. Agora, todo o cerrado está incluído no semiárido”, afirma.

A vantagem de fazer parte do semiárido é que os municípios ganham novas possibilidades de financiamento e facilidades para aprovação de projetos relacionados à melhoria da convivência com a seca.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Nayara Felizardo (de Fortaleza)

Deixe seu comentário