18 trabalhadores são resgatados em condições de trabalho escravo no Norte do Piauí

Dos empregados resgatados, oito foram encontrados em Jatobá e dez em Castelo do Piauí, um dos grupos incluía um adolescente de 16 anos

01/09/2021 09:02h - Atualizado em 01/09/2021 09:08h

Compartilhar no

O Grupo Especial de Fiscalização Móvel (GEFM), coordenado pela Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) resgatou 18 trabalhadores em condições análogas à escravidão. A ação foi realizada em Castelo do Piauí e Jatobá, onde os trabalhadores faziam a extração de palhas da carnaúba. 

Dos empregados resgatados, oito foram encontrados em Jatobá e dez em Castelo do Piauí, um dos grupos incluía um adolescente de 16 anos. Os primeiros trabalhadores resgatados, não tinham acesso a nenhum tipo de alojamento e pernoitavam no meio do mato, embaixo de árvores. Já o segundo grupo, estavam alojados em uma pequena casa, que não possuía nenhum tipo de conforto.


Veja também: Em 4 anos, 284 piauienses são resgatadas em condições análogas à escravidão 

(Foto: Divulgação)

Segundo a fiscalização, todos os trabalhadores estavam sem registro na carteira de trabalho e não receberam equipamentos de proteção individual. Além disso, não possuíam cama, armários para guardar seus pertences, nem tampouco havia instalações sanitárias, acesso a água potável ou um local adequado para para preparo das refeições. 

A empresa foi notificada a  quitar as verbas rescisórias dos empregados resgatados. As verbas rescisórias somaram aproximadamente R$64 mil. De acordo com a GEFM, todos os empregados resgatados terão direito a três parcelas de seguro-desemprego e foram encaminhados ao órgão municipal de assistência social. 


Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário