• Enem
  • Premium Outlet
  • Salve Maria
  • Jovens escritores 2019
  • Banner paraíba
  • AZ no rádio
  • cachoeir piaui
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Hernanes dá camisa do SPFC da final para menino portador de doença rara

Fanático pelo Tricolor, menino é portador de epidermólise bolhosa. Cassiano tem bolhas que surgem por todo o corpo e estouram quando tocadas, tornando-se feridas.

21/04/2019 10:06h

Hernanes mostrou ser craque também fora das quatro linhas. Atento aos fãs, o jogador surpreendeu um garoto de 10 anos nesta semana. O Profeta fez questão aproveitar o raro tempo livre durante a preparação para a decisão do Campeonato Paulista para ir até um hospital na capital paulista presentear um torcedor. O meia deu a camisa do São Paulo utilizada no primeiro duelo do mata-mata da final contra o Corinthians para Cassiano de Almeida Soares Oliveira.

Fanático pelo Tricolor, o menino é portador de uma doença genética rara, a epidermólise bolhosa. Cassiano tem bolhas que surgem por todo o corpo e estouram quando tocadas, tornando-se feridas. Morador de Cruzeiro, no interior do estado, o garoto está internado em um hospital pois teve uma crise que se tornou uma infecção.

O jogador Hernanes e a criança presenteada

Amigos da família se uniram para gravar um vídeo com mensagem de incentivo. Por intermédio de conhecidos, o jogador do São Paulo soube do caso e preferiu surpreender. Visitou o menino e deu a camisa autografada, que será enquadrada pela família.

"O Hernanes disse que não mandaria o vídeo, pois queria conhecê-lo pessoalmente e iria gravar o vídeo junto com o Cassiano. Ele é muito carinhoso e atencioso. Uma bênção de Deus em nossas vidas", contou Priscila, a mãe do menino que recebeu vídeos com mensagens de apoio de Nenê e Bruno Alves.

Durante a visita, o Profeta também ficou sensibilizado com a história do garoto, que vai acompanhar a decisão do campeonato, amanhã, em uma televisão no hospital. "Cassiano tem 10 anos, e desde que nasceu ele não sabe o que é não ter dor. Oito médicos decretaram que ele não viveria por muito tempo, mas hoje ele tem 10 anos, está vivo, feliz e é são-paulino", disse o jogador.

Fonte: Folhapress

Deixe seu comentário