Atirador usou barricada para impedir saída de jornalistas nos EUA

O atirador processou o jornal em 2012, depois que o veículo noticiou um processo por assédio contra ele.

29/06/2018 14:02h

Compartilhar no

O atirador Jarrod Warren Ramos, 38, denunciado pelo ataque a tiros que deixou cinco mortos no jornal americano The Capital Gazette nesta quinta (28), fez uma barricada na porta dos fundos da redação, para impedir a saída das vítimas.

Pelo menos um dos mortos foi atingido quando tentava sair pela porta, sem sucesso. 

"Foi uma estratégia tática, uma série brutal de ataques a vítimas inocentes", afirmou o procurador do estado Wes Adams, nesta sexta-feira (29).

Ramos se apresentou ao juiz pela primeira vez nesta manhã. Branco e sem barba, estava com os cabelos compridos soltos e vestia uma camiseta azul marinho, uniforme da prisão. Não falou nada. 

Ramos não confirmou qual foi o motivo do ataque ao jornal, que recebeu ameaças (de autoria ainda desconhecida) pelas redes sociais nesta semana. Mas o atirador processou o jornal em 2012, depois que o veículo noticiou um processo por assédio contra ele. 

Segundo policiais, Ramos tinha uma espécie de "vingança" contra o jornal. 

O juiz Thomas Pryal determinou que ele continuasse preso, sem fiança, por representar "um perigo à comunidade e a outras pessoas".

Ramos foi denunciado por cinco homicídios qualificados. Em Maryland, a pena para o crime é a prisão perpétua. 

O atirador vive na cidade de Laurel, a 30 km de Annapolis. É formado em ciência da computação e vive sozinho no mesmo endereço há 17 anos. Ramos não tem antecedentes criminais nem histórico de problemas mentais ou de saúde. Ele é solteiro e não tem filhos. 

O atirador usou uma espingarda para cometer o crime. Ele foi detido por policiais na redação e foi identificado nas câmeras de segurança do prédio. 

Compartilhar no
Fonte: Folhapress

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas