Solicitação de carteira estudantil está disponível no site da UESPI

Esta é uma antiga reivindicação dos estudantes da Estadual, já que desde 2002, a direção do DCE, até então, única responsável pelo processo de emissão, jamais prestou contas do lucro tirado com as carteirinhas.

11/05/2010 16:51h

Compartilhar no
A solicitação da carteira estudantil da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) já está disponível. O documento será emitido pela própria instituição, assim como em 2009. A diferença é que este ano o aluno preencherá o formulário através do site da UESPI.

Para ter acesso ao sistema, o estudante deve estar com a matrícula curricular efetivada, estar cadastrado no aluno on-line, preencher todos os dados no sistema acadêmico através do endereço http://alunoweb.uespi.br, anexar uma foto digitalizada (máquina digital, scanner, celular, etc) no padrão utilizado em documentos oficiais (apenas rosto) e imprimir o boleto de pagamento no valor de R$ 6,00. Vale ressaltar que a taxa poderá ser paga em qualquer correspondente financeiro (bancos, loterias, pag-contas, supermercados, etc).

Em um primeiro momento, apenas os alunos dos campi de Teresina (Torquato Neto e Clóvis Moura), de Água Branca, Altos e Campo Maior poderão solicitar a identidade estudantil. Os alunos que estudam em Teresina têm o benefício da meia passagem no transporte coletivo da cidade assegurado pelo SETUT/STRANS. Para os alunos que estudam nas outras cidades, vale a meia passagem nos transportes intermunicipais. Posteriormente, todos os alunos da UESPI poderão solicitar a identidade estudantil, já que a mesma garante outros benefícios como meia entrada em cinemas e eventos culturais.

Não existe época definida para solicitação da carteira de estudante, no entanto, para as carteiras emitidas no primeiro semestre de 2010, o prazo máximo de pagamento da taxa é o dia 31 de maio, já que este é o prazo final de validade das carteiras emitidas no ano de 2009. Para mais informações, enviar e-mail para [email protected]

A luta dos estudantes

Até o ano passado, para tirar a carteirinha através do Diretório Central do Estudantes (DCE), o estudante da UESPI precisava pagar R$ 17,00, enquanto na UFPI era R$ 9 e no CEFET R$ 7. O preço de custo para confecção da identidade estudantil é aproximadamente R$ 3. O lucro obtido, deveria ser revertido em benefício dos estudantes da instituição. Promover palestras, congressos, debates, caloradas, assim como, fazer o repasse para os Centros e Diretórios Acadêmicos, entidades representativas dos discentes de cada curso.

Apesar ser uma forma de financiamento do movimento estudantil em muitas universidades, os discentes da UESPI deliberaram em assembléia extraordinária, ano passado e neste ano também, que o processo de emissão das carteirinhas deveria ser feito através da instituição de ensino.

Esta é uma antiga reivindicação dos estudantes da Estadual, já que desde 2002, a direção do DCE, até então, única responsável pelo processo de emissão, jamais prestou contas do lucro tirado com as carteirinhas.

De acordo com o Coletivo MEU (Movimento dos Estudantes da UESPI), a diretoria do DCE apresenta uma série de irregularidades que se perpetuam há mais de dez anos. Para compor a gestão da entidade, precisa ser, obrigatoriamente aluno da Estadual. Porém, o atual vice-presidente do DCE, de acordo com os registros da universidade, nunca estudou na instituição.

Já o atual presidente do diretório é estudante da UESPI há uma década. A última eleição da entidade ocorreu de forma indireta, em um II Congresso dos Estudantes, o qual a maioria dos discentes desconhece.

O Coletivo MEU conseguiu ter acesso há ata da última eleição da entidade, em 2007, e constatou que ela aconteceu em um colégio particular do Bairro Dirceu, em Teresina. Sendo que na localidade existe um campus da universidade, o Clóvis Moura.

Na ata, foram encontradas, além de assinaturas falsificadas, nomes de pessoas que nunca foram estudantes da UESPI. O presidente da comissão eleitoral, até então, também nunca havia estudado na instituição.

Os documentos comprovam a ilegalidade da diretoria do DCE. O coletivo diz que o diretório não toca lutas dentro da universidade, nem mobiliza os alunos. Na verdade, a direção da entidade é extremamente ausente, distante dos estudantes, funciona em um prédio alugado no centro de Teresina e só aparece no período de matrículas para panfletar sobre o processo de emissão das carteirinhas.


Compartilhar no
Fonte: Leonardo Maia
Edição: Portal O Dia
Por: Portal O Dia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário

Tags: