Paintball ganha mais adeptos em Teresina

A procura pela modalidade tem crescido com o início das férias

28/12/2012 11:09h

Compartilhar no

Atividades cheias de adrenalina são a pedida para essas férias e adicionar a turma a essa receita parece ser a alternativa de diversão daqueles que não vão poder viajar. O paintball está voltando a ter uma boa aceitação, com pouco mais de dois meses que o esporte voltou para um lugar central na cidade de Teresina.

Dividindo espaço com a caminhada, o futebol, vôlei e o ciclismo, em um terreno de 1000m², com diversos obstáculos e até mesmo uma Kombi, este é o cenário para os quem se arrisca no esporte de estratégia e precisão. O campo fica na Avenida Raul Lopes e tem atividade em todos os horários do dia.

"Nós trabalhamos com reservas para deixar mais organizado, para garantir a reserva basta uma pessoa vir e pagar a taxa que garante a utilização do campo por uma hora", diz Manoela Aguiar coordenadora do local. Cada pessoa paga a taxa de R$35, mas para assegurar a reserva uma única pessoa pode efetuar o pagamento e os outros somente no horário da reserva.

Cada grupo pode ter no mínimo seis pessoas e o máximo de 14 pessoas, cada uma recebe um equipamento de segurança com máscara, uma proteção para o pescoço, colete e a camisa, além da arma com 100 balas de tintas. "É um esporte seguro, mas é preciso ser feito com todo cuidado. Para isso nós temos a certificação do exército que fez os testes na pista e resultou na legalização do local", explica Manoela.

Diversão é garantida para as turmas que praticam o esporte

A diversão é garantida. Isso é o que explica os praticantes ficarem até às duas horas da manhã se enfrentando no campo da Raul Lopes. Glauber Guilherme, estudante de Direito, resolveu levar os primos para jogar pela primeira vez e disse que todos gostaram. "Eu já vim outras vezes e como nas férias a gente faz poucas coisas é sempre uma boa pedida", afirma Glauber.

Alguns dos primos de Glauber eram menores de idade e para isso foi necessária a assinatura do termo de responsabilidade pelo pai dos garotos. Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, crianças menores de 12 anos não podem ter contato com armas ou similares de armas de fogo.

Mas, arrumar espaço na agenda para jogar está ficando uma missão cada vez mais difícil. As reservas têm que ser feitas com no mínimo dois dias de antecedência e os donos do local já estudam a possibilidade de aumentar a área para poder atender a demanda. Para aqueles que não querem se arriscar dentro do campo de batalha podem treinar alguns tiros em um alvo colocado do lado de fora do stand.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Emanuele Madeira - Jornal O DIA

Deixe seu comentário