• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Notícias Esporte

24 de agosto de 2019

Santos deve ter volta de Victor Ferraz contra Fortaleza

Santos deve ter volta de Victor Ferraz contra Fortaleza

O Santos enfrenta o Fortaleza neste domingo (25), às 16h, na Vila Belmiro

O Santos enfrenta o Fortaleza neste domingo (25), às 16h, na Vila Belmiro, em partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, e o técnico Jorge Sampaoli tem poucas dúvidas para escalar o time titular. Apesar de ser adepto do rodízio, o argentino tem diminuído a proporção de mudanças.

O lateral-direito Victor Ferraz, poupado da partida contra o Cruzeiro por causa de uma forte gripe, treinou normalmente durante a semana e deve voltar ao time. Sem Gustavo Henrique, expulso em Minas Gerais, o Santos deve voltar a escalar uma linha de quatro na defesa.

Outra mudança que pode aparecer na equipe titular é o meia Evandro. O jogador assimilou rápido a filosofia de Jorge Sampaoli, que classificou como fácil, e chegou a iniciar o jogo contra a raposa no último domingo, mas saiu logo no início, após a expulsão de Gustavo Henrique, para que o Peixe pudesse recompor a defesa.
Tradicionalmente o técnico Jorge Sampaoli só revela a escalação para os próprios jogadores horas antes da partida, o que deve se repetir neste fim de semana.

Santos

Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Jorge (Felipe Jonatan); Diego Pituca, Carlos Sánchez e Felipe Jonatan (Evandro); Derlis González, Soteldo e Eduardo Sasha. T.: Jorge Sampaoli

Fortaleza
Felipe Alves; Gabriel Dias, Quintero, Jackson e Carlinhos; Felipe, Juninho e Vázquez; Edinho, Romarinho e Wellington Paulista. T.: Zé Ricardo

Estádio: Vila Belmiro, em Santos
Horário: 16h deste domingo
Juiz: Rodrigo D'alonso Ferreira (SC)

Neymar só joga pelo PSG se resolver situação com clube, diz técnico

Neymar só joga pelo PSG se resolver situação com clube, diz técnico

Thomas Tuchel despistou se o atacante estaria entre os relacionados para o jogo de domingo

A situação de Neymar permanece indefinida no PSG, conforme explicou o técnico Thomas Tuchel em entrevista coletiva na manhã deste sábado (24). O treinador alemão despistou ao ser questionado se o atacante estaria entre os relacionados para o jogo contra o Toulouse, neste domingo (25), pela terceira rodada do Campeonato Francês.

Após o astro voltar a treinar normalmente com seus companheiros na última semana, Tuchel indicou que conta com o brasileiro para o jogo desde que ele resolva sua situação junto à diretoria do clube francês. No momento, três clubes brigam pela contratação de Neymar: Real Madrid, Barcelona e Juventus.

"Todos os jogadores que treinaram estão disponíveis. Mas tudo depende. A primeira coisa que posso dizer é que ele está em forma. Fez uma boa semana, com intensidade. Fez os treinos todos com bom estado de espírito. Mas, por outro lado, a situação entre ele e o clube segue a mesma. A posição do clube é a mesma. Se as coisas mudarem e ficarem mais claras amanhã, ele pode jogar. Caso contrário, não vai (jogar)."

Ao ser questionado pelos jornalistas se a possível presença do atacante significaria que ele permaneceria no clube, Tuchel adotou tom evasivo. Na sequência, o técnico também evitou responder se o atacante estava interessado em voltar a jogar pelo clube francês.

Segundo apurou a reportagem do UOL Esporte, Neymar não tem interesse de atuar pelo PSG e continua empenhado em deixar o clube. Na última partida no Parque dos Príncipes, ele sequer foi ao estádio. A janela de transferências está aberta até o dia 02 de setembro, data limite para que uma negociação seja concretizada.

"Só posso dizer que vocês devem falar com o Leonardo (diretor esportivo do clube) sobre isso. Ele está em forma e é possível jogar, sim, se a situação estiver clara com o clube", explicou.

O meio-campista Verratti, que falou antes do técnico, analisou a situação do colega brasileiro.

"Sou próximo a ele, mas isso é particular. Não falo para o Neymar nada, e ele que tem que falar (sobre futuro), não eu. Quero que ele fique aqui com a gente, pois tem muita qualidade. Não teve chance nos dois anos aqui, passou muito tempo fora em jogos decisivos. Ele é como Cristiano Ronaldo e Messi, faz jogos decisivos. Mas em 10 dias todo mundo vai saber se ele fica ou não. Não é amanhã que tudo vai terminar", concluiu o volante.

O PSG enfrenta o Toulouse fora de casa, no domingo (25), às 16h (de Brasília), pela terceira rodada do Campeonato Francês. O clube da capital ocupa a oitava colocação no torneio nacional com três pontos. O líder é o Lyon, que tem 100% de aproveitamento até aqui.

Fla e São Paulo 'secam' Santos em busca da liderança do Brasileirão

Fla e São Paulo 'secam' Santos em busca da liderança do Brasileirão

16ª rodada do campeonato começa neste sábado

O Brasileirão ganha mais um capítulo neste fim de semana, com a 16ª rodada. No sábado (23), às onze da manhã, o quinto colocado Atlético Mineiro enfrenta o Bahia, na décima posição, no Independência.

Sem saber o que é vencer há cinco jogos, o 13º colocado Grêmio tenta espantar a má fase diante do Athletico Paranaense, rival na semi da Copa do Brasil. O Furacão ocupa o oitavo lugar.

No domingo, o líder Santos entra em campo para pegar o Fortaleza, 14º colocado. Jogando em casa, o Peixe joga para se manter na ponta da tabela.

Quem vai ficar de olho no jogo do líder é o São Paulo. O Tricolor, que está na quarta posição com os mesmos 30 pontos de Fla e Palmeiras, vai até o Rio de Janeiro enfrentar o Vasco, 15º na tabela.

Vice-líder do Brasileirão, o Mengão vai até o Castelão jogar contra o Ceará, que ocupa a 11ª posição. O técnico Jorge Jesus indicou que deve poupar alguns jogadores, visando o jogo de volta das quartas de final da Libertadores.

Despencando na tabela, o Goiás quer quebrar a sequência sem vitórias, mas vai ter que vencer o Internacional. O Colorado deve jogar com o time reserva por conta da Libertadores. O Esmeraldino é o 12º na classificação, enquanto os gaúchos estão em sétimo.

Única equipe que ainda não sabe o que é vencer neste Brasileirão, o lanterna Avaí joga diante de seu torcedor contra o embalado Corinthians. O Timão está em sexto lugar e quer encostar de vez no pelotão de cima.

Fechando a série de jogos, duelo pela parte de baixo da tabela. O CSA, penúltimo colocado, joga contra o Cruzeiro, 16º, que está três pontos à frente da equipe alagoana.

23 de agosto de 2019

Kleina descarta assumir o Guarani e torcida protesta

Kleina descarta assumir o Guarani e torcida protesta

Gilson Kleina recusou a proposta feita pela diretoria do clube

O plano A do Guarani para substituir Roberto Fonseca foi por água abaixo. Atendendo pedido dos familiares, Gilson Kleina recusou a proposta feita pela diretoria, que segue em busca de um novo treinador para sequência da Série B do Campeonato Brasileiro.

O estafe de Kleina estava disposto a aceitar a proposta de R$ 180 mil por mês para toda a comissão técnica até dezembro, além de uma premiação alta em caso de permanência na Série B. Mas o treinador acabou recuando depois de uma conversa com seus familiares.

Gilson Kleina tem forte ligação com a rival Ponte Preta, onde é o quarto treinador que mais dirigiu o clube na história, com 161 partidas. Sem o Plano A, a diretoria vai ao mercado atrás de um novo nome.

Na lanterna da Série B, com apenas 13 pontos, o Guarani volta a campo no domingo, contra o América-MG, no Independência, pela 18ª rodada. O time será comandado de forma interina pelo auxiliar-técnico Thiago Carpini.

Na noite desta quinta-feira, cerca de 100 torcedores protestaram em frente ao condomínio que reside o presidente Palmeron Mendes Filho, localizado próximo a Rodovia Anhanguera, em Campinas.

Os torcedores levaram faixas com os dizeres "Diretoria Incompetente" e "Palmeron Pinóquio", além de fogos de artifícios. A manifestação durou cerca de duas horas e só terminou com a chegada das viaturas da Polícia Militar.

Apontado como o principal responsável pela crise no Guarani, Palmeron Mendes Filho deve se afastar do cargo de presidente para se defender do pedido de impeachment, que foi protocolado na semana passada por conselheiros e sócios do clube.

Paulistas dominam Brasileiro e miram Libertadores juntos

Paulistas dominam Brasileiro e miram Libertadores juntos

Se todos mantiverem o pique até o final, pela primeira vez, eles ingressarão juntos à Taça Libertadores da América, em 2020.

Como aconteceu em raríssimas oportunidades no Campeonato Brasileiro de pontos corridos, os quatro grandes clubes de São Paulo têm se destacado na reta inicial da competição e dominam o G-6, após 15 rodadas, e brigam pelo título.

Se todos mantiverem o pique até o final, pela primeira vez, eles ingressarão juntos à Taça Libertadores da América, em 2020.

Em duas oportunidades, o campeonato sul-americano contou com quatro paulistas, mas nunca com Corinthians, São Paulo , Palmeiras  e Santos . Em 2005 e em 2006, respectivamente, Santo André e Paulista venceram a Copa do Brasil e se classificaram, mas Corinthians (2005) e Santos (2006) ficaram fora.

Foi justamente no Brasileirão de 2004 a melhor participação dos clubes do estado nos pontos corridos. O Santos faturou a taça, seguido na tabela por Athletico-PR, São Paulo, Palmeiras e Corinthians  . Na época, porém, só os quatro primeiros avançaram à Libertadores do ano seguinte. Atualmente são seis vagas.


Foto:Reprodução

Em 2017, o campeão Corinthians, o Palmeiras e o Santos ocuparam as primeiras posições, mas o São Paulo ficou só com o 13º lugar.

Em 2013, por outro lado, nenhum clube paulista conseguiu a classificação, o que dificilmente acontecerá nesta temporada.

Líder isolado na edição deste ano, o Santos soma 32 pontos e empolga o torcedor com o estilo do técnico Jorge Sampaoli, mas vem de duas derrotas seguidas e busca a recuperação, neste domingo, contra o Fortaleza, para não perder a ponta.

Dois pontos atrás, na vice-liderança, está o Palmeiras, que dominou o campeonato até a parada para a Copa América. De lá para cá, porém, o time alviverde perdeu o fôlego e acumula uma derrota e cinco empates na retomada do certame nacional.

Com a vitória sobre o Athletico-PR, o São Paulo chegou a cinco triunfos seguidos e disparou como a melhor equipe do Brasileirão pós-Copa América. Assim, assumiu o quarto posto, com os mesmos 30 pontos de Palmeiras e Flamengo.

O Corinthians também cresceu após a pausa para o torneio de seleções e segue invicto. O clube alvinegro passou do décimo para o quinto lugar no Nacional. Mais que isso, reduziu a diferença em relação ao líder para apenas cinco pontos.

O sucesso em campo tem se refletido nas arquibancadas. Corinthians, São Paulo e Palmeiras têm média de público acima de 30 mil e só são superados pelo Flamengo, o terceiro na tabela.

Os paulistas faturaram 10 das 16 edições do Nacional de pontos corridos.

Corinthians fica no zero com o Flu em ida da Sul-Americana

Corinthians fica no zero com o Flu em ida da Sul-Americana

Jogando no estádio de Itaquera na noite desta quinta-feira (22), a equipe não conseguiu nada além de um empate por 0 a 0.

Corinthians  fracassou na tentativa de abrir vantagem sobre o Fluminense  nas quartas de final da Copa Sul-Americana . Jogando no estádio de Itaquera na noite desta quinta-feira (22), a equipe não conseguiu nada além de um empate por 0 a 0.


Foto:Reprodução/Instagram

Não estava do outro lado o ofensivo time de Fernando Diniz, demitido do clube tricolor na última segunda (19). O comandante interino Marcão armou os visitantes de forma a fechar os espaços e foi premiado com o que buscava na zona leste de São Paulo.

A vaga nas semifinais será decidida na próxima quinta-feira (29), no Maracanã, no Rio. Quem vencer enfrentará o equatoriano Independiente del Valle para avançar à decisão. Novo 0 a 0 levará a disputa aos pênaltis. Empate com gols favorecerá o Corinthians.

Sem Diniz no banco de reservas, o Fluminense não repetiu a habitual estratégia de marcar a saída de bola do adversário. Preferiu se fechar com jogadores de força física, deixando Paulo Henrique Ganso e Nenê livres para organizar os lances de ataque e as oportunidades de contragolpe.


Foto:Reprodução/Instagram

O resultado foi um primeiro tampo truncado, sem chances mais claras de gol. O Corinthians tinha dificuldade para invadir a área tricolor, apesar da participação razoável de Mateus Vital, e oferecia algum espaço aos visitantes, que chegaram a assustar em chute de longe de Nenê.

Os donos da casa só conseguiram levar vantagem sobre a marcação nos minutos que antecederam o intervalo, encaixando algumas boas jogadas tramadas por Vital, Pedrinho e Fagner. Não foi o suficiente para tirar o zero do marcador.

O cenário se manteve na volta para a etapa final, com o Corinthians mais agressivo em busca do gol. Como ele não veio nos primeiros 20 minutos, o treinador alvinegro, Fábio Carille, acionou Jadson e Boselli. O Fluminense se armou para o contra-ataque com Wellington Nem.

Quando Pedrinho se machucou, a opção de Carille foi por mais um homem de área, Gustavo. Quase deu certo. Nos acréscimos, ele conseguiu cabeceio preciso, mas Muriel espalmou a bola e ainda contou com o travessão para segurar o placar zerado até o apito final.

CORINTHIANS

Cássio; Fagner, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Gabriel, Junior Urso e Mateus Vital (Jadson); Clayson, Pedrinho (Gustagol) e Vagner Love (Boselli). T.: Fábio Carille

FLUMINENSE

Muriel; Igor Julião, Nino, Frazan e Caio Henrique; Allan, Daniel (Caio) e Ganso (João Pedro); Marcos Paulo (Wellington Nem), Nenê e Yony González. T. (interino): Marcão

Estádio: Itaquerão, em São Paulo

Público e renda: 37.550 presentes e R$ 1.699.012,00

Juiz: Andres Rojas (COL)

Auxiliares: John Alexander Leon (COL) e Wilmar Navarro (COL)

Árbitro do VAR:German Delfino (ARG)

Cartões amarelos: Fagner, Gabriel, Mateus Vital e Vagner Love (COR); Caio Henrique e Nenê (FLU)

22 de agosto de 2019

Piauiense é campeão Mundial e garante vaga em Tóquio 2020

Piauiense é campeão Mundial e garante vaga em Tóquio 2020

A medalha dourada veio na prova VL2 Masculino 200m no Mundial de canoagem em Szeged Maty na Hungria

O piauiense Luís Carlos Cardoso, atleta da seleção brasileira de paracanoagem, conquistou a 6º medalha de ouro em campeonatos mundiais na tarde desta quinta-feira (22). O canoísta brasileiro também conquistou o bronze na KL1 200m (caique). Com os resultados, o atleta garantiu vaga nos Jogos Paralímpicos Tóquio 2020. 

A medalha dourada veio na prova VL2 Masculino 200m no Mundial de canoagem em Szeged Maty na Hungria. O atleta piauiense dominou a prova do início ao fim concluindo o trajeto em 51s68. Para o segundo e terceiro colocado foram pouco mais de um segundo de diferença. O português Norberto Mourão ficou com a medalha de prata e do polonês Jakub Torarz, o bronze.

Luís Carlos é campeão Mundial e vai disputar jogos olímpicos. Foto: O Dia Arquivo

Em uma postagem em seu perfil oficial no Instagram, o atleta comemorou a conquista de mais um campeonato. 

“Estou imensamente feliz por conquistar a minha sexta medalha de ouro em mundiais e garantir vaga para o nosso país na categoria Vl2. Amanhã tem bandeira brasileira hasteada no local mais alto do pódio e hino nacional tocando em terras húngara. É o nosso Brasil!!! Glorias a Deus!!” concluiu. 

Antes de embarcar para Hungria, Luís Carlos disputou o Pan-Americano e Sul-Americano de paracanoagem, em São Paulo, e subiu ao pódio sete vezes, com direito a 100% de aproveitamento, foram sete medalhas de ouro conquistadas. A sequência de bons resultados foi o gás motivador do piauiense na competição mundial. Na última quarta-feira, o atleta sequer precisou disputar as semifinais pois foi o primeiro colocado geral na fase eliminatória do VL2. O paratleta também foi vice-campeão em Montemor-o-velho em 2018.


PI terá a primeira mulher skatista na OI STU QS de Skate de Street

PI terá a primeira mulher skatista na OI STU QS de Skate de Street

O evento reúne as principais feras do skate nacional e será realizado pela primeira vez em terras nordestinas.

O Piauí vai contar com dois representantes na segunda etapa do Oi STU Qualifying Series de Skate de Street, que vai acontecer entre os dias 23 a 24 de agosto, em Lauro de Freitas, na Bahia. O evento reúne as principais feras do skate nacional e será realizado pela primeira vez em terras nordestinas. 

Pela primeira vez na história do campeonato, uma piauiense poderá levar o nome do Piauí a um outro patamar no esporte. Isabela Marques, de apenas 20 anos, se mostra confiante em relação ao que pode apresentar dentro da competição. 

“Estou confiante pelo fato de ter treinado bastante. Essa é a minha primeira vez participando do campeonato Oi STU QS, e sempre foi uma vontade que eu tive. A importância de participar é saber que eu estou ali, sendo reconhecida por aquilo que eu sempre fiz. Acho importante também porque são poucas meninas que treinam skate no Piauí e, pelo menos uma delas conseguiu chegar tão longe”, concluiu. 

Isa Marques é a primeira piauiense na  OI STU QS de Skate de Street. Foto: Reprodução Instagram.

Isa Marques trabalha numa loja de calçados e recebeu uma folga da empresa para que pudesse participar da competição. Com esse apoio, a piauiense se sentiu motivada para garimpar patrocínio e conseguiu descolar passagens aéreas para viajar. Uma empresa de fora do mercado de esporte custeou a viagem da atleta.

O Piauí também será representado pelo atleta profissional, Thyago Costa, que sempre participa de competições importantes que envolvem o calendário nacional do skate. Na etapa do Oi STU QS 2018, ele finalizou o ano em 23º lugar no ranking nacional onde disputou a colocação com mais de 250 skatista de todas as regiões do país. 

Thyago Costa é 23º no ranking nacional da modalidade. Foto: Reprodução/Instagram

“A minha expectativa é a melhor possível. Essa segunda etapa é especial porque está sendo realizada pela primeira vez no Nordeste. O meu objetivo é representar o Piauí, representar o Nordeste, fazendo um bom desempenho na medida do possível”, declarou.

Nesta sexta-feira (23) a competição inicia com treinos livres para os dois naipes. Já no sábado (23) acontecem as disputas eliminatórias das semifinais masculinas e femininas. No domingo (25) é dia das finais. A programação do evento inclui shows de bandas locais, oficinas de grafite, exposição de arte e apresentações culturais.

Para definir os melhores skatistas do ano são realizadas três etapas do Oi STU QS. A primeira delas foi realizada no Parque das Mangabeiras, em Belo Horizonte. A última está prevista para acontecer em São Paulo no mês de setembro.  O evento tem chancela da Federação de Skate da Bahia (FESEB), da Confederação Brasileira de Skate (CBSk) e da World Skate. Além de definir o ranking brasileiro, O STU QS é base para formação da equipe olímpica de skate.

Clube-empresa, Figueirense vive caos financeiro que levou a WO

Clube-empresa, Figueirense vive caos financeiro que levou a WO

Os atletas da equipe catarinense se negaram a atuar, e o duelo terminou em WO.

O jogo entre Figueirense e Cuiabá, na última terça-feira (20), pela Série B, foi primeira partida na história das duas principais divisões do Brasileiro que não aconteceu porque um clube não pagou salário a seus jogadores. Os atletas da equipe catarinense se negaram a atuar, e o duelo terminou em WO.


"Não foi fácil tomar a decisão. A situação é muito difícil. As pessoas julgam, apontam dedo, incitam violência em redes sociais", disse o volante Zé Antonio, representante dos jogadores. No desembarque da partida, eles receberam o apoio de torcedores no aeroporto. Em nota, a diretoria disse que a decisão de não jogar "é exclusiva dos jogadores".


Os atletas do clube catarinense iniciaram uma greve por atrasos de salários, direitos de imagem e não recolhimento de tributos por parte do Figueirense, que é uma sociedade anônima desde 2018 -atualmente controlado pelo grupo Elephant. O clube de Florianópolis é uma raridade no futebol brasileiro. 

Há um movimento na Câmara de Deputados para a aprovação de um projeto de lei que incentive a transformação de clubes em empresa. Um dos defensores da medida é o presidente da casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que defendeu a ideia em visitas à CBF e ao São Paulo neste mês.

Figueirense e o Botafogo de Ribeirão Preto são os únicos nas duas principais divisões do Nacional que viraram empresa. A equipe do interior de São Paulo está na quarta colocação da Série B e não vive a instabilidade financeira do clube catarinense.

O estopim para o protesto na equipe de Florianópolis foi a ausência de quitação de dois meses de direito de imagem e um salário registrado em carteira. Mas há outras queixas.

"Não começou de uma hora para a outra. São reiterados atrasos. O clube deixa passar três meses e paga um salário. Depois espera quatro meses e paga dois. Chega a hora em que o atleta fica com a faca no pescoço", afirma o advogado Filipe Rino, representante legal do grupo.

Pessoas próximas aos jogadores disseram à reportagem que alguns deles venderam carros para pagar contas acumuladas. Há casos de atrasos de pensão alimentícia, e garotos das categorias de base estão ameaçados de despejo por não receberem a ajuda de custo. Nesta quarta (21), a categoria sub-20 também entrou em greve.

O Ministério Público do Trabalho de Santa Catarina afirma investigar o Figueirense por casos de atrasos desde 2015. A causa hoje tem valor de R$ 200 mil.

Ao desembarcar em Florianópolis nesta quarta, o elenco era esperado por cerca de 50 integrantes da torcida organizada do time, que aplaudiu os atletas.

"Apoiamos a medida tomada por eles, que estão querendo o bem para o futuro do clube, assim como nós. A Elephant [que administra o Figueirense] é uma farsa. Já demos varias votos de confiança para eles, e nada aconteceu, os compromissos não foram quitados e cumpridos", disse Bruno Machado, diretor da torcida Gaviões Alvinegros.

O Figueirense, que estava na Série A até 2016, acumula problemas com atrasos. Após uma empresa de ônibus contratada pelo clube deixar de prestar serviços por falta de pagamento, funcionários tiveram de chamar carros de aplicativos para levar os atletas aos treinos.

"Após o jogo contra o CSA, que perdemos em casa [em setembro de 2018], a diretoria armou para dois torcedores me ameaçarem e xingarem, para me forçar a pedir para ir embora e eles não terem que pagar minha multa [rescisória]", disse Milton Cruz, um dos treinadores que aguardam receber salários atrasados do Figueirense.

O atual gestão do clube disse desconhecer o fato citado pelo ex-técnico.

O presidente do Conselho Deliberativo do Figueirense, Francisco de Assis, afirma ter havido "orientação externa" na decisão dos jogadores em não entrar em campo.

De acordo com o cartola, além dos pagamentos, os atletas queriam que o presidente da gestora do clube, Cláudio Honigman, fosse destituído.

"Há uma coincidência aí. Esse advogado que está orientando os jogadores nesse processo todo [Filipe Rino] mantém 12 ações trabalhistas contra o Figueirense. Parece que está havendo um oportunismo para tentar resolver outras questões", disse dirigente.

Segundo Assis, em julho um termo de compromisso foi assinado entre a Elephant e o Conselho de Administração do Figueirense, com um cronograma dos pagamentos. "Até o próximo dia 28, a empresa se comprometeu a pagar os salários. Se isso não acontecer, haverá um rompimento automático do acordo com a empresa. Isso é contratual", afirmou.

"Qualquer atitude que tomamos tem que ser uma atitude concreta. Não podemos tomar uma decisão [romper contrato com o grupo] que depois pode ser revertida na Justiça", disse.

No ano passado, a holding Elephant assumiu dívidas de R$ 85 milhões do clube e comprou por duas décadas os 95% da sociedade anônima, com promessa de investimentos. Pelos próximos 19 anos, recolherá os lucros da sociedade, da qual o clube Figueirense tem 5%. Além disso, detém todos os ativos e passivos relativos ao futebol da agremiação.

Procurado, o dono da Elephant, Claudio Vernalha, não respondeu aos contatos da reportagem para se pronunciar sobre o caso.

Antes da partida entre Cuiabá e Figueirense, apenas três jogos do Campeonato Brasileiro não aconteceram por WO. Um deles, entre Coritiba e Santos, em 1989, pela primeira divisão, não teve relação com atrasos de pagamentos.

Em 2014, pela Série D, os jogadores do Grêmio Barueri se recusaram a jogar contra o Operário do Mato Grosso. Reclamavam de quatro meses de salários atrasados. Três anos depois, o Mogi Mirim deu WO em jogo diante do Ypiranga, pela Série C, também em protestos contra falta de pagamentos.

Altos vence Fluminense e se aproxima de classificação

Altos vence Fluminense e se aproxima de classificação

Os gols foram marcados por Cleiton, Isaac e Guilherme. Com o resultado, o Altos chegou aos sete pontos somados.

A equipe do Altos anotou mais três pontos no Campeonato Piauiense Sub17. Na tarde de ontem (21) no estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina o time conquistou uma vitória maiúscula em cima do Fluminense por 3 a 0. Os gols foram marcados por Cleiton, Isaac e Guilherme. Com o resultado, o Altos chegou aos sete pontos somados e se aproxima da classificação até as semifinais. O Flu agora precisa correr atrás do prejuízo e terá como próximo adversário o River.

“Infelizmente, foi um jogo em que tudo deu errado. Tentei, tentei conversar com os meninos principalmente no intervalo, porém eles conseguiram três contra ataques rápidos, aproveitando erros e resolveram o jogo”, disse Jonielson técnico do Flu.


Foto: O Dia

O primeiro gol do Altos surgiu aos 42 minutos da etapa inicial. O atacante aproveitou o chute quase perfeito do companheiro Oto e no oportunismo abriu o placar. Inicio de segundo tempo, o 2 a 0 saiu aos 15 minutos de pênalti, com calma Isaac bateu sem chances para o goleiro. Aos 39 minutos, Guilherme Cauã fechou a conta para o Altos, aproveitando contra-ataque.

“Hoje eu posso dizer que meu time jogou o que sabe jogar. Uma vitória maiúscula, com expressividade e que deu para perceber a evolução do grupo. Seguimos respeitando os adversários, mas vamos chegar para o último jogo buscando somar mais três pontos”, comentou João Vitor.

No próximo sábado (24) o Altos volta a campo para enfrentar o Biro Esportes. O Fluminense entra em campo para enfrentar o River. Apenas dois times de cada grupo se classificaram para as semifinais. O Piauiense vale vaga Copa Brasil Sub17 2020.

Atacante do Oeirense, Leonardo Brandão fala em “adaptação

Atacante do Oeirense, Leonardo Brandão fala em “adaptação"

Leonardo Henrique Brandão chegou a Teresina e participou do primeiro treino com seus novos companheiros de time.

Firme nos trabalhos e na formação do elenco, a última terça-feira (20) foi de apresentação na equipe do Oeirense. O atacante Leonardo Henrique, mais conhecido como Brandão, de 23 anos, chegou a primeira capital do estado e participou de treinos com seus novos companheiros. O jogador conhecido por vestir camisa de clubes da região Sul do país falou sobre adaptação rápida aos companheiros e desafio de vestir camisa do clube do Nordeste. A estreia do Oeirense na Série B do Piauiense acontece no dia 7 de setembro quando recebe o Comercial-PI, ás 16h, no estádio Gerson Campos.

“Um desafio novo para mim, totalmente desconhecido, um clube novo, mas vou me dedicar bastante para conhecer meus novos companheiros e assim conseguir ajudar o Oeirense e assim ficar forte todo mundo junto”, disse Brandão.


Leonardo Brandão ao centro - Foto: Reprodução/Instagram

Leonardo Henrique, ou melhor, Brandão como prefere ser chamada, tem 23 anos e vive também um desafio pessoal na carreira, pois está é sua primeira passagem por um clube do Nordeste. Todos os clubes que jogou na carreira até então são da região Sul. No começo desse ano estava no Passo Fundo. Em 2018, vestiu a camisa do Caxias, mas o clube que defendeu por mais tempo e se destacou foi o Aimoré, que chegou ainda como atleta de base e chegou ao profissional.

“É um desafio, né? Completamente diferente para mim, começando pelo clima, pois aqui é muito quente e seco, lá (no Sul) as temperaturas, o clima é mais frio, mas úmido, porém são desafios que a gente precisa superar”, acrescentou o centroavante.

Brandão se junta no setor ofensivo a nomes como Caio Cezar, natural de Oeiras, mas que pela primeira vez irá vestir a camisa de um clube do Piauí. Além deles, nomes como os goleiros Mondragon e Vinicius, atacante Rhuann, os volantes Juliano e João Paulo, o lateral Tote, todos fazem parte do elenco e são nomes bastante conhecidos do futebol do estado.

A estreia do Oeirense acontece no dia 7 de setembro quando recebe o Comercial-PI, às 16h, no estádio Gerson Campos.

Libertadores: com dois de Bruno, FLA abre vantagem sobre Inter

Libertadores: com dois de Bruno, FLA abre vantagem sobre Inter

No jogo de volta, marcado para a próxima quarta (28), no Beira-Rio, em Porto Alegre, a equipe poderá até perder por um gol de diferença que ainda assim avançará para um duelo com Palmeiras ou Grêmio.

Durante 75 minutos, funcionou a estratégia do Internacional de segurar o empate com o Flamengo no Maracanã, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (21). Até que Bruno Henrique apareceu duas vezes para definir o triunfo por 2 a 0 do time rubro-negro, que deu passo muito importante na tentativa de avançar às semifinais da Copa Libertadores.

Fora dessa fase da competição desde 1984, a equipe da Gávea construiu boa vantagem na tentativa de retornar a ela após 35 anos. No jogo de volta, marcado para a próxima quarta (28), no Beira-Rio, em Porto Alegre, poderá até perder por um gol de diferença que ainda assim avançará para um duelo com Palmeiras ou Grêmio.

Na primeira partida, cheia de entreveros entre os atletas, valeu a disposição do Flamengo em buscar o resultado contra um Internacional fechado. A ótima entrada de Gerson no segundo tempo acabou sendo importante para que o time da casa fosse premiado com o triunfo.

Chamado por Tite à seleção brasileira na semana passada, Bruno Henrique brilhou sob os olhos do treinador, que estava no Maracanã acompanhando o confronto. O atacante de 28 anos comprovou sua excelente fase, foi à rede em duas ocasiões e ainda deixou Gabigol sem goleiro em uma terceira oportunidade. O camisa 9, no entanto, desperdiçou a chance de matar o confronto ainda no Rio.


Foto: Divulgação/Clube de Regatas Flamengo

Antes da festa rubro-negra, houve tensão. As duas equipes tentaram se impor na força, sem pudor de causar choques em disputas pelo alto e pelo chão. Teve trabalho o árbitro chileno Roberto Tobar, que preferiu controlar as ações na conversa e não mostrou cartões no primeiro tempo.

As discussões foram muito recorrentes até o intervalo: teve Gabigol x Sobis, Willian Arão x Guerrero, Rafinha x Rodrigo Lindoso, Bruno Henrique x Cuesta, Filipe Luís x Bruno. Até o técnico Jorge Jesus precisou ser repreendido por tomar parte em um dos bate-bocas do jogo, que não tinha fluência.

Quando a bola rolava, era o Flamengo que tinha controle da posse. O Internacional se fechava e chegava pouco à frente -só esteve na área no fim do primeiro tempo, com pedidos de pênalti de Guerrero. Os donos da casa tiveram a melhor chance da etapa, já nos acréscimos, em lance bem trabalhado por Filipe Luís e Éverton Ribeiro. Gabigol parou nos desvios de Moledo e Lomba.

Houve uma mudança para a metade derradeira, a entrada de Gerson na vaga do apagado rubro-negro Arrascaeta, mas não se alterou o clima da disputa. Logo aos dois minutos, um irritado Guerrero levou o primeiro cartão do jogo por entrada dura em Rafinha. Em seguida, foram ao chão Gabigol e Lindoso, causando novas interrupções.

O clima não se acalmou, mas o Flamengo conseguiu o que buscava com a bola rolando. Gerson entrou mostrando categoria e se entendeu bem com Everton Ribeiro. Ambos tiveram participação importante no primeiro gol, com passes precisos que acabaram deixando Bruno Henrique livre para marcar, aos 29 minutos.

Pouco depois, aos 32, mais uma troca de passes bem executada deixou Bruno Henrique no mano a mano com Cuesta, oportunidade que não foi desperdiçada. Ainda houve uma chance clara para cada lado, mas Gabigol falhou sem goleiro, Nico López errou na frente de Diego Alves, e a ótima vantagem rubro-negra foi mantida até o apito final no Maracanã.

21 de agosto de 2019

Lesionado, Daniel Sousa faz vaquinha online para pagar cirurgia

Lesionado, Daniel Sousa faz vaquinha online para pagar cirurgia

O jogador é uma promessa do futebol piauiense revelado nas categorias de base do Piauí.

Com uma lesão no joelho esquerdo que vai tirá-lo de combate por pelo menos seis meses, o meio-campo Daniel Sousa, de 17 anos, aguarda por dias melhores sem perder a esperança de voltar a ser um craque no futebol. O jogador é uma promessa do futebol piauiense revelado nas categorias de base do Piauí Esporte Clube.

Daniel sofreu uma ruptura nos ligamentos do joelho esquerdo durante uma partida pelo Sabiá Futebol Clube, na cidade de Caixas, no Maranhão. Agora, o sonho do garoto de voltar aos gramados vai depender de uma cirurgia que custa em torno de R$ 10 mil. O atleta também recorreu à fila de espera do Sistema Único de Saúde (SUS), mas a previsão, é que procedimento cirúrgico seja iniciado somente em 2021.

Sem dinheiro para bancar os gastos da operação, Daniel teve que apelar para uma vaquinha virtual na expectativa de obter a quantia necessária para dar início ao tratamento. Preste a vestir a camisa do River-PI para atuar na base tricolor, Daniel teve o contrato suspenso após o descobrimento da lesão.

Daniel Sousa ficará fora dos gramados por pelo menos seis meses. Foto: Jailson Soares.

“Minha mãe ganha um salário mínimo e o meu pai também, infelizmente a gente não pode tirar da comida para cirurgia. Fiz essa vaquinha na internet e espero com ajuda de vocês da mídia, meus amigos e meus familiares a gente consiga arrecadar esse dinheiro e eu volte a jogar futebol”, disse.

A vaquinha foi aberta pelo atleta no dia 14 deste mês e já arrecadou pouco mais de R$ 80. Mesmo com as adversidades, Daniel projeta o retorno o quanto antes aos gramados, já que pode perder oportunidades de seguir na carreira e ser revelado por um time grande.

“Quando eu senti a lesão eu pensei: perdi a Copinha e a Copa do Nordeste. Eu chorei bastante porque são portas que foram fechadas. Eu só quero voltar a jogar para ajudar a minha família, dar uma vida melhor para eles, que tanto estiveram comigo”, completou.

Daniel começou a sua história aos seis anos jogando futsal. O atleta já defendeu o São Paulo e já jogou em estados como Belo Horizonte e Santa Catarina. No ano passado, foi destaque no Campeonato Piauiense Sub-17 e subiu para o time profissional neste ano.

Vasco faz 121 anos com salários atrasados e protesto

Vasco faz 121 anos com salários atrasados e protesto

Apesar do trabalho de austeridade que a diretoria tem tentado executar, o clube enfrenta problemas com salários atrasados de jogadores e funcionários.

Vasco  completa 121 anos nesta quarta (21), mas não há muitos motivos para comemorar. Apesar do trabalho de austeridade que a diretoria tem tentado executar, o clube enfrenta problemas com salários atrasados de jogadores e funcionários e deverá ter um boicote de parte dos conselheiros de oposição nas solenidades de aniversário que acontecem ao longo desta quarta.

Até o fechamento desta reportagem, o Cruz-maltino tinha o seguinte déficit de atrasos: funcionários que ganham até R$ 1.500 (junho e julho atrasados); funcionários que ganham acima de R$ 1.500 (maio, junho e julho); jogadores: (CLT de junho e julho, direitos de imagem de abril, maio junho e julho).

Tal situação motivou uma greve no início deste mês dos professores do Colégio Vasco da Gama, instituição de ensino que atende em São Januário atletas do clube menores de idade.

Diante do quadro, um grupo de torcedores se mobilizou, organizou uma "vaquinha online" para pagar os atrasados dos profissionais e conseguiu arrecadar em três dias mais de R$ 90 mil. Posteriormente, os organizadores se reuniram com a diretoria e aceitaram um acordo de utilizar a verba na reforma do colégio, que já está projetada e orçada em R$ 300 mil. Os professores, portanto, seguem com seus vencimentos em atraso.

Foto:Reprodução/Instagram

Enquanto isso, o Vasco segue em busca de pagar ao menos uma folha até o fim desta semana. O clube ainda não conseguiu obter os R$ 20 milhões de empréstimos aprovado pelo Conselho Deliberativo, no dia 28 de junho, em função de penhoras, mas está otimista de que isto poderá acontecer em breve.

Grupos políticos de oposição que formam a base do possível candidato a eleição de 2020 Julio Brant provavelmente farão um "boicote" de seus conselheiros nas solenidades que estão previstas ao longo de toda esta quarta-feira nas sedes do clube.

Em nota oficial conjunta, eles condicionaram suas participações a cada um dos convidados custear do próprio bolso as despesas dos eventos. Argumentam que a comemoração institucional convocada pelo Conselho Deliberativo "perde o sentido dada as condições em que os funcionários do clube se encontram".

Apesar de todas as dificuldades enfrentadas, o discurso da diretoria é otimista no que tange as finanças do clube. Segundo o presidente do clube, Alexandre Campello, o Vasco tem conseguido implementar uma política de austeridade mesmo diante dos obstáculos.

A confiança do dirigente se baseia nos números apresentados pelo balanço financeiro de 2018, o primeiro de seu mandato, que acena com um superávit de R$ 65 milhões, o que teria significado um aumento de receita de 30% e uma diminuição do endividamento de cerca de R$ 93 milhões.

Na avaliação de Campello, caso o Vasco mantenha essa linha, já terá um poder de investimento maior a partir de 2020.

"Isso não se faz da noite para o dia. Não se pega um transatlântico e o simples fato de girar todo o timão para a esquerda faz com que ele reaja imediatamente. Isso leva um tempo. A gestão está num caminho certo, estamos caminhando a passos largos para resolver os problemas financeiros, mas isso leva um tempo. Mantendo essa trajetória de firmeza e austeridade em relação às despesas, acredito que em dois anos o clube já esteja saudável, com superávit e podendo investir no futebol ou patrimônio. Passará a ter um poder de investimento a partir de 2020", disse à Rádio Globo.

A diretoria vascaína coloca como maior desafio sanar as dívidas a curto prazo motivadas pelas penhoras. Para isso, o clube tem buscado acordos que aliviem o fluxo de caixa, o que ainda não conseguiu atingir com total êxito, como mostram os salários atrasados.

"O Vasco tem algo em torno de R$ 300 milhões a 350 milhões de dívidas fiscais que estão equacionadas a longo prazo, então esse não é o problema. O grande problema são os R$ 250 milhões de curto prazo, muitos deles com penhoras imediatas. Para se ter uma ideia: daquilo que a gente recebe dos direitos de TV, desde de janeiro até hoje, não recebemos um centavo, porque tudo aquilo que estava disponível a ser pago ao Vasco já estava comprometido com endividamento, quer seja com o banco, quer seja com a penhora. Essa é a grande dificuldade", declarou à Rádio Globo.

Um dos fatores que influenciaram bastante nas contas de 2018 do Vasco foi a venda do jovem atacante Paulinho para o Bayer Leverkusen (ALE) por R$ 76,7 milhões (deste montante, R$ 11,8 milhões foram repassados ao empresário Carlos Leite por conta de dívidas com o agente).

Este ano, porém, o clube ainda não conseguiu emplacar uma venda de grande magnitude, algo previsto em orçamento. As perspectivas para tal, aliás, são baixas, embora o atacante Talles Magno, de 17 anos, esteja despontando e já desperte o monitoramento de clubes europeus. Em outubro ele disputará o Mundial de sua categoria com a seleção brasileira, algo que poderá gerar ainda mais vitrine ao jovem.

Oswaldo de Oliveira é o mais novo técnico do Fluminense

Oswaldo de Oliveira é o mais novo técnico do Fluminense

Conhecido da torcida tricolor, Oswaldo dará início a sua terceira passagem no clube carioca.

Fluminense  anunciou na noite desta terça-feira (20) a contratação do técnico Oswaldo de Oliveira. Conhecido da torcida tricolor, Oswaldo dará início a sua terceira passagem no clube carioca.

Ele chega ao clube nesta quarta (21), viaja com o elenco para o duelo com o Corinthians, pela Copa Sul-Americana, na quinta (22), mas caberá ao auxiliar Marcão dirigir o time em Itaquera. Sua apresentação está marcada para a próxima segunda (26).

Desde maio, Oswaldo estava sem clube depois de ser demitido do Urawa Red Diamonds, do Japão. Seu último trabalho no Brasil foi no Atlético-MG, em que acabou demitido em fevereiro de 2018 após xingamentos contra um repórter.

A missão, dessa vez, é ajudar o Fluminense a deixar a zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O time é apenas o 18º colocado, com 12 pontos em 15 jogos (aproveitamento de 26%) e possui a segunda pior defesa da competição (25 gols sofridos).

Na primeira passagem dele pela equipe das Laranjeiras, entre 2000 e 2001, foi semifinalista do Campeonato Brasileiro. No entanto, em 2006, deixou o clube e culpou a Unimed, parceira do Fluminense na ocasião, por tentar influenciar na escalação.

Oswaldo vai substituir Fernando Diniz, demitido na segunda (19) após a derrota para o CSA. Diniz comandava o time das Laranjeiras desde o começo deste ano. Em 44 jogos, ele obteve 18 vitórias, 11 empates e 15 derrotas.

Com 68 anos, Oswaldo surgiu para o futebol como auxiliar-técnico de Vanderlei Luxemburgo no Corinthians em 1998. Um ano depois, com a ida de Luxemburgo para seleção brasileira, ele estreou como treinador e logo foi campeão paulista, brasileiro e mundial.

O técnico dirigiu os quatro grandes clubes de São Paulo (Palmeiras, São Paulo e Santos, além do Corinthians) e também do estado do Rio de Janeiro (Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco).

Palmeiras vence Grêmio fora e joga por empate

Palmeiras vence Grêmio fora e joga por empate

O segundo duelo entre as equipes será na próxima terça (27), às 21h30, no estádio do Pacaembu. Em caso de vitória gremista pelo placar mínimo, haverá disputa por pênaltis.

 O Palmeiras  venceu o Grêmio nesta terça(20), em Porto Alegre, por 1 a 0, e saiu em vantagem na disputa por vaga na semifinal Libertadores. A equipe paulista, agora, poderá jogar por um empate em casa.

O segundo duelo entre as equipes será na próxima terça (27), às 21h30, no estádio do Pacaembu. Em caso de vitória gremista pelo placar mínimo, haverá disputa por pênaltis.


Foto:Reprodução/Instagram

Com formações espelhadas, ambos no esquema 4-3-3, Palmeiras e Grêmio tiveram dificuldades para fazer a bola rolar com velocidade no começo do primeiro embate. O excesso de erros de passes deixava o jogo truncado.

Em casa, o time gaúcho tomava mais iniciativa, mas era os contra-ataques palmeirenses que originavam os lances mais agudos.

Até os 30 minutos, no entanto, os goleiros pouco foram acionados até o momento em que Gustavo Scarpa sofreu uma falta, da intermediária. Era uma boa chance de mandar a bola para a área.

Marcos Rocha se posicionou para a cobrança e preferiu rolar curta para o próprio Scarpa. O meia soltou um chute indefensável. A bola ainda tocou no travessão antes de ir ao fundo da rede: 1 a 0.

Foi o sexto gol do camisa 14 na competição, da qual ele agora divide a artilharia com Marco Ruben (Athletico-PR) e Adrián Martínez (Libertad). Ele também é o goleador da equipe de Felipão na temporada, após balançar as redes dez vezes.

Antes do intervalo, o Grêmio ainda reclamou de dois supostos pênaltis -quando Alisson e Diogo Barbosa tiveram um encontrão dentro da área, e em um lance em que a bola bateu na mão de Luan. O árbitro esperou análise do VAR, e nenhuma infração foi apontada.

Na etapa final, Renato Gaúcho tentou mudar a forma de sua equipe jogar e colocou Tardelli no lugar de André. O Grêmio passou a ter mais presença de área e ampliou sua posse de bola (65% a 35%). Porém ainda pecava nos arremates.

Apesar de passar menos tempo com a bola, o Palmeiras demonstrava estar mais seguro na partida, pronto para buscar o segundo gol na primeira oportunidade clara para contra-atacar. Aos 30 minutos, veio a primeira chance, quando Carlos Eduardo fez jogada pela direita, cruzou rasteiro, Dudu finalizou de primeira e acertou a trave de Paulo Victor.

Justamente quando a equipe alviverde ensaiava uma pressão, acabou perdendo um jogador. Felipe Melo cometeu dura falta em Luciano, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso aos 31 minutos.

Foi a segunda vez este ano que o volante deixou o Palmeiras com um a menos em campo. Na 14ª rodada do Brasileiro, ele também foi para chuveiro mais cedo ao levar cartão vermelho diante do Bahia.

Em desvantagem numérica, o time alviverde recuou completamente em Porto Alegre e, com todos os seus jogadores no campo de defesa, se concentrou em segurar a vitória pelo placar mínimo.

GRÊMIO

Paulo Victor; Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez (Juninho Capixaba); Matheus Henrique, Maicon, Alisson (Luciano), Jean Pyerre e Everton; André (Diego Tardelli). T.: Renato Portaluppi

PALMEIRAS

Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique, Dudu, Gustavo Scarpa (Raphael Veiga) e Willian (Thiago Santos); Luiz Adriano (Carlos Eduardo). T.: Luiz Felipe Scolari

Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Público e renda: 47.852 e R$ 2.686.970,00

Juiz: Patricio Loustau (ARG)

Assistentes: Juan Belatti e Diego Bonfa (ARG)

VAR: Mauro Vigliano (ARG)

Cartões amarelos: Kannemann (GRE); Felipe Melo e Thiago Santos (PAL)

Cartão vermelho: Felipe Melo (PAL)

Gol: Gustavo Scarpa (PAL), aos 30min do 1º tempo

20 de agosto de 2019

Eleição do Flamengo-PI acontece com chapa única nesta quarta

Eleição do Flamengo-PI acontece com chapa única nesta quarta

Futuro presidente rubro-negro Rubens Gomes garantiu trabalhar com técnico Paulo Moroni com intuito de reconstruir clube no Piauí.

Depois de muitas especulações de quem assumiria a presidência do Flamengo do Piauí, o futuro do clube piauiense para os próximos anos parece ter chegado aos seus capítulos finais. A eleição que vai definir a nova diretoria acontece nesta quarta-feira (21), na sede da Federação de Futebol do Piauí, no Centro de Teresina. Apenas a chapa “Unidos pelo Flamengo-PI”, liderada pelo empresário Rubens Gomes, vai concorrer a eleição para presidente do clube.

“Eu já entro ciente da parte da dificuldade que eu vou enfrentar, mas temos tempo para concertar tudo, já que temos que pensar no campeonato piauiense que só começa em janeiro” disse.

Rubens Gomes concorre presidência do Flamengo-PI neta quarta-feira (21). Foto: Jailson Soares.

Ainda de acordo com Rubens Gomes, o técnico Paulo Moroni será uma peça fundamental no processo de reconstrução do rubro-negro piauiense.

“Pretendemos fazer um time profissional forte, buscar por recursos para fazer desse clube campeão piauiense. O técnico Paulo Moroni estará nesta sexta-feira pela manhã comigo, para fazer um esboço do que será necessário para ser campeão. Eu penso nele como treinador”, declarou o empresário.

Rubens Gomes faz parte da diretoria do Flamengo-PI desde o ano de 2003, quando o clube era comandado pelo atual presidente da Federação de Futebol do Piauí, Robert Brown. O empresário de 51 anos assumiu uma das vagas no Conselho Fiscal, da até então diretoria presidida por Tiago Vasconcelos.

Nesta quarta-feira (21), apenas sócios regularizados ao time poderão participar do pleito. Como só há uma chapa, a votação acontece por caráter demonstrativo, por certificação que votos computados foram feitos dentro do processo legal.

Pia convoca seleção feminina com 15 atletas que estiveram na Copa

Pia convoca seleção feminina com 15 atletas que estiveram na Copa

Das 23 atletas que participaram do mundial, 15 estão na lista desta terça-feira

A técnica Pia Sundhage fez nesta terça-feira (20) sua primeira convocação à frente da seleção brasileira feminina de futebol, para a disputa de um torneio amistoso de seleções que ocorrerá no estádio do Pacaembu de 26 de agosto a 3 de setembro.

Das 23 atletas que participaram do mundial, 15 estão na lista desta terça

Ao menos por enquanto, a sueca optou por manter a base do time que jogou a Copa do Mundo na França, realizada em junho e julho deste ano. 

Há anos a seleção se apoia em atletas veteranas como Marta, 33, e Formiga, 41. Ao menos por enquanto, a renovação não ocorreu. A média de idade das convocadas nesta terça ficou em 28,1 anos, acima do que se viu no grupo que disputou o Mundial da França: 27,9.

Com pouco mais de uma semana para ajustar o time que enfrentará a Argentina no dia 29, às 21h30, Pia começa um ciclo que já em 2020 terá um grande desafio: os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Com o status de bicampeã do torneio (2008 e 2012), ela tenta levar o Brasil ao seu primeiro ouro na modalidade após dois vices (em 2004 e 2008).

Veja as convocadas

Arte: CBF

Goleiras: Bárbara (Avaí/Kindermann) e Aline Reis (Tenerife-ESP);

Laterais: Letícia Santos (Frankfurt-ALE), Fabiana (Internacional), Joyce (Tenerife-ESP) e Tamires (Corinthians);

Zagueiras: Kathellen (Bordeaux-FRA), Mônica (sem clube), Erika (Corinthians) e Bruna Benites (Internacional);

Meias: Thaisa (Real Madrid-ESP), Formiga (Paris Saint-Germain-FRA), Luana (KSPO-CDS) e Yaya (São Paulo);

Atacantes: Andressa Alves (Roma-ITA), Geyse (Benfica-POR), Marta (Orlando Pride-EUA), Milene (Corinthians), Debinha (North Carolina Courage-EUA), Chú (Changchun Dazhong-CHN), Bia Zaneratto (Incheon Hyundai-CDS), Ludmila (Atlético de Madrid-ESP) e Raquel (Sporting Lisboa-POR).

Grito homofóbico nos estádios pode custar três pontos para o clube

Grito homofóbico nos estádios pode custar três pontos para o clube

A determinação foi dada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva

O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) determinou nesta segunda (19) que atitudes homofóbicas em estádios, como o grito de "bicha" no tiro de meta, são passíveis de punição e podem custar três pontos na tabela. O texto enviado aos clubes tem nome de recomendação do STJD, mas o conteúdo tem tom de aviso. Os árbitros e assistentes também foram mencionados e incentivados a agirem em casos de preconceito.

"Que a partir desta data [19] os árbitros, auxiliares e delegados das partidas relatem na súmula e/ou documentos oficiais dos jogos a ocorrência de manifestações preconceituosas e de injúria em decorrência de opção sexual por torcedores ou partícipes das competições", consta em um trecho da recomendação do STJD.

O texto é assinado pelo Procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua, que explicou entender que casos de homofobia devem ser enquadrados no artigo 243-G do Código Disciplinar: "Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência".

A punição prevista para o caso de gritos homofóbicos de torcedores é de perda de três pontos. Reincidência tem pena dobrada. O procurador-geral acrescenta que além da súmula, ações podem ser abertas se outros meios ou agentes comprovarem preconceito praticado em estádios brasileiros.

"É o futebol se adequando aos novos tempos e a situações que não se admitem mais. As análises serão caso a caso, passarão por avaliação de julgadores, mas a tendência é que [homofobia] seja combatida da mesma maneira que o racismo".

STF E FIFA PRESSIONARAM JUSTIÇA DESPORTIVA

A recomendação que pune a homofobia é uma reação do STJD à pressão da Fifa e a uma decisão dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). Tantos que a recomendação cita quatro motivos para a adoção de punições à homofobia, três deles vinculados a estas duas instituições.

A primeira é o julgamento do STF realizado em 13 de junho que decidiu aplicar a legislação de crimes de racismo para punir a homofobia e a transfobia. A determinação pressionou o STJD, porque o futebol brasileiro convive historicamente com preconceito nos estádios. Uma das práticas mais repetidas, e que aumentou depois da Copa de 2014, é a torcida gritar "bicha" quando o goleiro do time visitante bate o tiro de meta.

Há também duas razões derivadas de documentos da Fifa. A entidade emitiu uma circular em 25 de julho deste ano para seus filiados combaterem práticas discriminatórias. Antes, já havia lançado um guia para prevenção de preconceito. Esta iniciativa já atingiu a CBF, multada cinco vezes -quatro nas Eliminatórias e outra na Copa América. A soma das punições é de R$ 350 mil.

Além de ter sinalizado com possíveis punições aos clubes por homofobia, a recomendação da Justiça Desportiva pede que as equipes façam campanhas educativas com os torcedores e atletas para evitar infrações. O texto pede a implantação destas providências "o mais breve possível".

“Batom na Chuteira” vai movimentar futebol feminino no Piauí

“Batom na Chuteira” vai movimentar futebol feminino no Piauí

A instituição oficializou um Campeonato Feminino Sub-17, que já tem nome, mês, e local para começar.

A Federação de Futebol do Piauí (FFP) arregaçou as mangas e deu um passo importante para o crescimento do futebol feminino do Estado. Após ter um projeto de competição aprovado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a instituição oficializou um Campeonato Feminino Sub-17, que já tem nome, mês e local para começar.

Chamado de “Batom na Chuteira”, o projeto de ênfase na base do futebol feminino está previsto para acontecer no dia 05 de outubro, no estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina. A competição promete movimentar equipes de todo o Piauí, como explica o Diretor de Departamento e Registros da FFP, Anderson Sousa.

“A CBF recebeu muito bem esse projeto no qual a gente dá destaque ao futebol feminino no segundo semestre deste ano. Então nós teríamos uma competição Sub-17 pra movimentar o Piauí, já para ser iniciada agora em outubro. Depois, teremos também o feminino livre, que é uma categoria de futebol aberto”, disse.

Diretor de Departamento e Registros da FFP, Anderson Sousa, fala sobre campeonato Sub-17. Foto: Jailson Soares 

Ainda de acordo com Anderson, a iniciativa garantiu a presença da CBF Social em Teresina no mês de outubro, que é um departamento exclusivo da Confederação Brasileira de Futebol que fomenta ações gratuitas de responsabilidade social por meio do esporte.

“A partir do dia 02 de outubro a CBF Social estará trazendo palestras para professores de futebol, aulas práticas e teóricas para dirigentes e amantes do futebol feminino. No dia 03 irá fazer uma seletiva com meninas de 16 aos 19 anos, tudo isso com o intuito de revelar grandes talentos”, explicou.

De acordo com dados da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel) cedidos a federação, somente em Teresina, há cerca de 90 times em atividade.

“Esse foi o motivo que nos levou a fazer esse projeto. Nós temos bons frutos no futebol feminino e temos muitos talentos a serem revelados”, concluiu o diretor.

Mesmo a dois meses da abertura da competição, os próximos passos devem se concentrar no arbitral, momento que será definido a tabela e o regulamento da competição entre os times participantes.

Com missão de renovar seleção feminina, Pia venceu com veteranas

Com missão de renovar seleção feminina, Pia venceu com veteranas

Cristiane, com 34, e Marta, com 33, também se colocaram à disposição para jogar a próxima edição da competição.

Aos 41 anos, a meio-campista Formiga já manifestou o desejo de disputar a Olimpíada de 2020, em Tóquio, quando já terá completado 42. Cristiane, com 34, e Marta, com 33, também se colocaram à disposição para jogar a próxima edição da competição.

A julgar pelo histórico da nova técnica da seleção brasileira, Pia Sundhage, as veteranas podem ficar tranquilas. Tanto na seleção  dos Estados Unidos como na da Suécia, a treinadora apoiou parte importante de seus trabalhos nas atletas mais experientes.

Nesta terça-feira (20), a treinadora fará a sua primeira convocação na seleção. A equipe disputará um amistoso contra a Argentina, dia 29 de agosto, no Pacaembu. 


Foto:Reprodução/Instagram

Para sua primeira Olimpíada com as americanas, em Pequim-2008, Sundhage levou uma equipe com média de idade de 25,6 anos. O índice não é alto, mas nove jogadoras daquele elenco (ou seja, metade do grupo) já haviam conquistado o ouro nos Jogos de Atenas, em 2004.

Na Olimpíada de 2012, em Londres, a seleção feminina dos EUA manteve a base da edição anterior e, mesmo envelhecida, faturou o ouro novamente. Dezoito campeãs na Inglaterra estavam no elenco que foi a Pequim, quatro anos antes. A média de idade da equipe em 2012 era de 28,1 anos.

Capitã e símbolo da geração mais vitoriosa dos Estados Unidos no futebol, Christie Rampone se tornou em Londres, aos 37 anos, a primeira americana a disputar quatro edições dos Jogos Olímpicos com a seleção.

Além dela, outras cinco atletas já tinham superado a barreira de 100 partidas pela equipe nacional.

"Pia preferia consistência à experimentação. Ela mostrou muita confiança nas jogadoras veteranas", diz à reportagem a jornalista Caitlin Murray, que escreve para o New York Times, o The Guardian e é autora do livro "The Inside Story Of The Women Who Changed Soccer", sobre a história da seleção americana.

À frente da seleção da Suécia, Pia Sundhage utilizou o mesmo padrão de convocações, trazendo para o elenco nomes importantes do futebol local para ajudá-la no início do trabalho.

A meio-campista Therese Sjögran, jogadora que mais vezes vestiu a camisa da seleção sueca com 214 partidas, não defendia a equipe nacional havia mais de um ano quando Pia a convocou para a Eurocopa de 2013. Segundo a técnica, queria da experiente meia sua "última gota de suor", e que também a ajudasse a administrar o vestiário.

Sjögran ainda jogaria mais duas temporadas com a seleção até anunciar a aposentadoria após a eliminação na Copa do Mundo de 2015.

"Ela [Pia] é muito motivadora. Pode te pedir para atravessar uma parede e você vai acreditar nela. Ela vai inspirar as mais jovens e fazer com que as mais velhas sintam ainda mais alegria e paixão pelo jogo", conta à reportagem Therese Sjögran, hoje diretora do FC Rosengard, ex-time de Marta na Suécia.

Sob o comando de Pia, a seleção sueca que conquistou a medalha de prata na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016, tinha média de idade de 27,6 anos. Das 18 convocadas, cinco tinham mais de 100 jogos no time nacional.

Com média de idade de 27,9 anos na última Copa do Mundo, a seleção brasileira era a segunda mais velha na França, atrás apenas dos Estados Unidos, com 28,7 anos.

Apresentada pela CBF com pouco menos de um ano para a Olimpíada de Tóquio, Pia Sundhage prometeu uma renovação na seleção, mas descartou mudanças radicais para o grupo não "perder a confiança".

Na coletiva de apresentação da treinadora, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, também enalteceu a importância que as jogadoras mais experientes que estiveram na Copa do Mundo poderão ter no início de trabalho da sueca à frente do Brasil.

"Teremos a conjunção da melhor treinadora com as melhores jogadoras. Falo da Formiga, Cristiane e outros grandes valores que a seleção tem", disse Caboclo, que antes citou Marta, em um sinal claro de que Pia terá carta branca para promover mudanças, mas com prudência e tempo.

CBF promete liberar imagens do VAR no 2º turno do Brasileiro

CBF promete liberar imagens do VAR no 2º turno do Brasileiro

Atualmente, os vídeos analisados pela arbitragem nos lances ocorridos durante as partidas não são mostrados pela televisão e nem no estádio.

Durante um balanço da utilização do árbitro em vídeo (VAR) nas primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro apresentado nesta segunda-feira (19), a CBF  prometeu liberar as imagens às quais o árbitro tem acesso a partir do segundo turno da competição.

"Os telespectadores terão acesso às imagens do VAR. Estamos estudando a possibilidade de mostrar também no estádio, pelo telão. O público terá total ciência do que o árbitro está checando no monitor. É um projeto novo", disse o presidente da comissão de arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba.

Atualmente, os vídeos analisados pela arbitragem nos lances ocorridos durante as partidas não são mostrados pela televisão e nem no estádio. A transmissão de TV espera a definição dos árbitros para poder repetir as imagens aos telespectadores.


Foto:Reprodução

Essa transmissão daquilo que o árbitro analisa começou a ocorrer nesta temporada Campeonato Inglês. Desta forma, enquanto ocorre a revisão do lance, a transmissão oficial já mostra as imagens em questão para quem está no estádio e também para quem assiste pela TV.

De acordo com os números mostrados pela CBF, dez erros capitais passaram despercebidos mesmo com o uso do vídeo nas 14 primeiras rodadas disputadas do campeonato, 78 a menos do que a confederação afirma ter ocorrido em 2018 na mesma etapa da competição.

"É uma melhora de 90%. Eu enxergo o copo meio cheio. O auxílio do VAR é indispensável hoje em dia. Os acertos da arbitragem brasileira crescem, a reclamação dos clubes diminuiu muito", afirmou Gaciba.

Ainda segundo a CBF,  o VAR foi utilizado em 851 lances, uma média de 6,12 consultas à tecnologia por partida. Foram 764 checagens em 139 jogos (média de 5,5 por partida), além de 87 revisões. As mudanças de decisões pelo uso do árbitro em vídeo, no total, chegaram a 69.

"A maioria das decisões tomadas em campo são aceitas pelo árbitro de vídeo. Foi necessária uma revisão em 10%", disse Gaciba.

Segregando pelos tipos de lance, houve 15 impedimentos corrigido para gol, oito gols validados após terem sido anulados por impedimento, 20 pênaltis marcados depois de revisão e sete penalidades desmarcadas após consulta ao VAR.

Também houve três gols anulados por uso da mão pelo atacante, cinco cartões vermelhos aplicados e dois retirados após a revisão, três erros de identificação corrigidos, dois adiantamentos do goleiro em pênalti e quatro faltas em lance de ataque.

A CBF também apontou que o VAR diminuiu o tempo médio de bola rolando em 40 segundos em comparação com a temporada passada.

O tempo de revisões, de acordo com a comissão de arbitragem, ficou com 1min54seg de média e precisa ser reduzido. Na Copa do Mundo de 2018, a média foi de 1min21seg por jogo.

A ferramenta do VAR custa cerca de R$ 50 mil por partida.

Pelo Palmeiras, Felipão revive rivalidade que ajudou a criar

Pelo Palmeiras, Felipão revive rivalidade que ajudou a criar

Há 24 anos, Luiz Felipe Scolari, 70, precisou convencer um jovem time do Grêmio de que era possível superar o badalado Palmeiras.

Há 24 anos, Luiz Felipe Scolari, 70, precisou convencer um jovem time do Grêmio  de que era possível superar o badalado Palmeiras , formado por jogadores como Cafu, Müller e Rivaldo, contratados a preços altos pela Parmalat. A empresa italiana participava da gestão da equipe alviverde à época.

Em dois jogos históricos pela Copa Libertadores de 1995, o treinador alcançou seu objetivo e eliminou o time paulista nas quartas de final. Hoje, é Felipão quem comanda o Palmeiras, dono de um dos elencos mais caros do país, estruturado com alto investimento feito pela Crefisa.

As duas equipes vão se encontrar novamente no mata-mata continental a partir desta terça-feira (20), às 21h30, pelo jogo de ida das quartas de final, em Porto Alegre. Quem esteve ao lado do técnico quando ele dirigiu o Grêmio lembra que o poder financeiro do Palmeiras era usado para motivar seus jogadores.


Foto:Reprodução

Assim como dirigentes gremistas da época, Felipão protestava contra o que classificou como "esquema Parmalat", uma teoria segundo a qual a empresa manipulava resultados a favor do rival. Esse expediente foi usado, inclusive, na véspera do primeiro confronto entre gaúchos e paulistas pela Libertadores de 1995. Tanto que foi criado um clima de guerra entre os jogadores.

"Já tinha de sair ganhando no olho no olho. Para nós, tudo isso era uma questão de honra", relembra o ex-goleiro Danrlei, 46, atualmente deputado federal. "Tinha um ambiente hostil", acrescenta Vagner Mancini, 52, ex-meia-atacante gremista e atual coordenador técnico do São Paulo.

Quando a bola rolou, bastou uma fagulha para que houvesse o incêndio. No primeiro tempo, houve três expulsões: Rivaldo e Válber, do Palmeiras, e Dinho, do Grêmio.

A confusão generalizada durou 14 minutos. O volante Dinho agrediu o meia Válber, e o palmeirense reagiu com um soco no nariz do rival. Fora de campo, Dinho correu atrás do meia e deu um chute na cabeça dele. Danrlei o agrediu pelas costas. Também houve briga de torcedores nas arquibancadas do estádio Olímpico.

Apesar de ter continuado em campo naquele jogo, o goleiro do Grêmio foi punido mais tarde e não atuou na partida de volta, em São Paulo.

O clima tenso que Felipão ajudou a criar beneficiou sua equipe. Um minuto após a bola voltar a rolar, o time gaúcho fez o primeiro dos cinco gols que marcaria na goleada por 5 a 0. Uma grande vantagem para a volta. "A gente veio para o jogo no Parque Antárctica com o intuito de não entrar em confusão", diz Mancini.

Já o Palmeiras precisava dar uma resposta à sua torcida depois do vexame no jogo de ida. Depois de levar novo susto, ao sair perdendo por 1 a 0, virou e goleou por 5 a 1, resultado que não foi suficiente.

Também não foi o bastante para por um ponto final nas brigas ocorridas no jogo de ida. Dez anos depois daquele duelo, Dinho e Válber se encontraram por acaso em uma boate, em Porto Alegre, e voltaram a trocar agressões.

"Mas dois anos depois, por meio de um amigo nosso, em uma praia do Recife, nós resolvemos parar com isso e ficou tudo tranquilo", contou Dinho ao UOL em 2013.

Quem evitou carregar as marcas daquela confusão foi Scolari. Ele deixou o Grêmio no final de 1996 e, após rápida passagem pelo Júbilo Iwata, do Japão, assumiu a equipe palmeirense, ainda bancada pela empresa italiana.

À frente do time alviverde, ele foi questionado várias vezes sobre o "esquema Parmalat" que acusava. Em uma entrevista à revista Istoé, em 1999, não negou suas declarações, mas as minimizou.

"Vejo que em muitas situações o Palmeiras é prejudicado, como o Grêmio era. Erros acontecem a favor e contra. Quem diz isso quer é se defender: 'Perdemos por isso.' Até eu me justificava assim."

O que não mudou no treinador foi a forma como ele busca mexer com os sentimentos dos jogadores para motivá-los. Em 2000, depois de uma derrota para o Corinthians por 4 a 3, na primeira semifinal da Libertadores, os atletas palmeirenses foram questionados pelo comandante por uma suposta falta de malandragem diante do rival.

Felipão chegou a pedir aos jogadores que demonstrassem raiva do adversário no jogo de volta. "Vocês têm que ter na cabeça isso tudo que eu estou falando para vocês. Raiva dessa p... de Corinthians."

Os métodos do treinador lhe acompanharam em uma série de títulos em sua carreira. Pelo Grêmio, ganhou sete troféus, incluindo Copa do Brasil (1994), Libertadores (1995) e Brasileiro (1996).

Campeão do mundo com a seleção brasileira em 2002, ele também levantou seis troféus pelo Palmeiras, sendo os principais a Libertadores (1999), o Campeonato Brasileiro (2018) e a Copa do Brasil (1998 e 2012). A sua terceira passagem pelo clube foi iniciada na temporada passada.

Na último sábado (17), Grêmio e Palmeiras empataram em 1 a 1 em Porto Alegre, pelo Brasileiro. Por causa do jogo pela Libertadores, ambos atuaram com equipes mistas.

GRÊMIO

Paulo Victor; Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon, Matheus Henrique, Alisson, Jean Pyerre e Everton; André. T.: Renato Portaluppi

PALMEIRAS

Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gomez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa; Dudu, Zé Rafael (Willian) e Luiz Adriano. T.: Luiz Felipe Scolari

Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre

Horário: 21h30 desta terça

Juiz: Patricio Lostau (ARG)

TV: Fox Sports

19 de agosto de 2019

Daniel Alves cita irresponsabilidade e evita promessas

Daniel Alves cita irresponsabilidade e evita promessas

Daniel Alves critica atletas no Brasil e cita irresponsabilidade

Em sua primeira impressão do futebol brasileiro após 17 anos jogando na Europa, Daniel Alves, 36, disse depois do jogo deste domingo (18), contra o Ceará, que os atletas aqui são mais irresponsáveis em campo e não guardam posição.

Com gol dele, que estreava pelo São Paulo, a equipe venceu por 1 a 0. "Eu vejo, entre aspas, um pouco de irresponsabilidade dos adversários no jogo. Às vezes tem muitos jogadores do mesmo lado, do outro nem tanto. Falta um pouco de posicionamento, mas é porque a equipe está tentando se impor em campo, somar pontos, vitórias e pensar nos objetivos", afirmou o camisa 10 do São Paulo.

O veterano, de 36 anos, que se consagrou no Barcelona, na Juventus e no PSG jogando, sobretudo, na lateral direita, completou que não vê problema em ser usado como armador, no meio, como foi escalado diante do Ceará.

"São posições que eu domino. Eu joguei muitos anos de meia e atacante, mas construí uma história sendo lateral. Independentemente do lugar que eu jogar, eu consigo entender e que posição do campo eu estou, em que zona do campo estou atuando, para dar o meu melhor."

Após estrear com gol, Daniel Alves sabe que cumpriu o papel que se esperava dele. Mas com o São paulo a 5 pontos do Santos, líder do Campeonato Brasileiro, ele evitou prometer título ou mais gols. Evitou prometer qualquer coisa, na verdade.

"Não sou político. Não posso prometer nada que não vou cumprir. Prometo só o que posso cumprir, que é minha entrega no dia a dia, minha batalha. Tenho uma estrela diferente, porque sair da roça e conseguir tudo o que eu consegui... Tem uma estrela diferente. É nítido. Vou polir essa estrela para que continue brilhando. O que posso dizer é que não vim para o São Paulo para encerrar a carreira. Vim para lutar e construir uma história aqui e, como em todos os lugares, uma história de vitórias, de conquistas. Esse é meu principal objetivo", finalizou. 

Piauí conquista 4 medalhas na Copa Norte-Nordeste de Ciclismo

Piauí conquista 4 medalhas na Copa Norte-Nordeste de Ciclismo

Delegação estadual conquistou 1 medalha de ouro, um de prata e duas de bronze.

O estado do Piauí confirmou a sua boa fase no ciclismo de estrada ao conquistar quatro medalhas na 42° Copa Norte-Nordeste de Ciclismo, realizada no final de semana, em Aracaju (SE).

A piauiense Karine Frota foi destaque da competição. A atleta foi pela terceira vez medalha de ouro no contrarrelógio, prova que foi concluída em mais de 8 horas de duração. Ela já havia conseguido o bicampeonato inédito no ano passado, na cidade em São Luís (MA), título que foi marcado pela sua recuperação após ter quebrado a clavícula duas vezes no período que antecedeu a competição.

Piauiense Karine Frota conquista medalha de ouro na 42ª edição da Copa Norte e Nordeste de Ciclismo de Estrada. Foto: Arquivo Pessoal

No final de semana, mais um feito foi quebrado pela ciclista. Além do ouro, Karine obteve o bronze na prova de Resistência. Mas a cor da medalha poderia ter sido outra senão fosse uma queda no final da disputa.

Seleção estadual na 42ª edição da Copa Norte e Nordeste de Ciclismo em Aracaju (SE)

Quem também levantou medalha de prata para o Piauí, na categoria contrarrelógio masculino, foi o atleta Ramon Freitas do Nascimento. O resultado do parnaibano acabou sendo o mesmo que foi conquistado em Palmas (TO), no ano passado.

Já a última medalha piauiense veio com João de Deus Soares Filho, na categoria Master D2. O atleta logrou a prata na prova de Resistência com um tempo de quase 50 minutos de prova.

Segundo o presidente da Federação de Ciclismo do Piauí, George Rodrigues, os resultados foram satisfatórios. “Apesar de ter sido uma prova exaustiva, o Piauí está de parabéns pelo ótimo desempenho na competição. Eu acho que foi muito bom, muito proveitosa a nossa seleção fez um trabalho muito bonito. Houve uma certa apreensão na saída do ônibus, mas graça a Deus deu tudo certo final”, disse.  

A 42ª edição da Copa Norte e Nordeste de Ciclismo de Estrada, é um evento oficial da Confederação Brasileira de Ciclismo – CBC. Apenas neste ano, mais de 350 ciclistas das duas regiões participaram do evento, que tem atletas de ponta a nível nacional. 

Vôlei: Piauienses embarcam para Campeonato de Seleções em Maceió

Vôlei: Piauienses embarcam para Campeonato de Seleções em Maceió

A estreia da seleção Piauiense acontece nesta terça-feira (20), contra os donos da casa, às 13h, no ginásio do Sesi na capital Alagoana

A seleção Piauiense de Vôlei embarcou na manhã desta segunda-feira (19), com destino a Maceió (AL), onde vai disputar o Campeonato Brasileiro de Seleções (CBS) Sub-19 masculino da segunda divisão. A delegação piauiense, comandada pelo técnico Antônio Cardoso, mais conhecido com Toin, é composta por 10 atletas. Essa é a segunda vez que o Piauí participa da competição.

A estreia da seleção Piauiense acontece nesta terça-feira (20), contra os donos da casa, às 13h, no ginásio do Sesi, na capital Alagoana. O jogo seguinte, contra a seleção de Amapá, está marcado para o dia 21, às 11h30, no mesmo local.

Delegação piauiense embarda no Aeroporto Petrônio Portella em Teresina. Foto: Arquivo Pessoal

O técnico Toin está otimista para a estreia, com possíveis resultados da equipe. “Estamos com uma equipe muito forte, o nosso time está melhor do que no ano passado. Treinamos muito bem a parte física, tática e emocional dos nossos atletas. Estamos confiantes que vamos conseguir bons resultados neste brasileiro”, disse.

De acordo com o regulamento, os times jogam entre si dentro de cada grupo na primeira fase. Os dois melhores avançam para as semifinais. A decisão do torneio acontece dia 24 de agosto.

A Copa de Seleções Estaduais Sub-19 reúne 8 equipes em duas chaves: A e B. No grupo estão as seleções do Pará, Piauí, Alagoas e Amapá.  Maranhão, Espírito Santo, Acre e Roraima jogam no grupo B. A competição é realizada anualmente pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e dá ao seu campeão o acesso a primeira divisão do voleibol nacional.

Com um a menos, Bahia empata com o Goiás em casa com gol de Guerra

Com um a menos, Bahia empata com o Goiás em casa com gol de Guerra

O time do técnico Roger Machado jogou com um jogador a menos desde o início do primeiro tempo, após expulsão do lateral-esquerdo Moisés.

Bahia  recebeu a visita do Goiás hoje (18) na Arena Fonte Nova, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, e precisou suar a camisa para conquistar empate por 1 a 1. O time do técnico Roger Machado jogou com um jogador a menos desde o início do primeiro tempo, após expulsão do lateral-esquerdo Moisés.

Com 10 jogadores em campo, o Bahia até incomodou o Goiás no primeiro tempo, mas viu o Esmeraldino abrir o placar com Sanches, de cabeça. No segundo tempo, pressionou o rival, que limitou-se a se defender, e conseguiu empate com gol de Guerra, seu primeiro com a camisa do Bahia.


Foto: Reprodução

Com o empate, o Bahia chegou aos 21 pontos e assumiu a décima colocação. Na próxima rodada, a equipe enfrenta o Atlético-MG, no sábado (24), no Independência. Já o Goiás, com 18 pontos, é o 12º colocado do Brasileirão, e enfrenta o Internacional, no domingo (25), no Serra Dourada.

Em sua terceira partida com a camisa do Bahia, Guerra, emprestado pelo Palmeiras, mudou o rumo do jogo, anotando gol de empate do time da casa. Além de inflamar a torcida, que passou a apoiar ainda mais o clube, Guerra também melhorou a produção ofensiva da equipe.

Um dos jogadores mais participativos do Bahia, o lateral-esquerdo Moisés foi expulso logo aos seis minutos do primeiro tempo, após falta dura e desnecessária em Jean Carlos, fazendo com que sua equipe ficasse com um jogador a menos e se complicasse em campo.

O Bahia entrou em campo com time ofensivo, com três jogadores no ataque e Lucca, atacante de origem, apoiando o meio de campo. O plano traçado pelo técnico Roger Machado, porém, teve um desvio após a expulsão de Moisés com apenas seis minutos de jogo. Com um a menos, o Bahia ainda teve maior posse de bola e finalizou mais que o Goiás no primeiro tempo, mas, quando estava melhor em campo, viu o rival abrir o placar e crescer na partida. No segundo tempo, após a entrada de Guerra, encurralou o Goiás e conseguiu empate com o meio-campista.

No segundo jogo de Ney Franco à frente do Goiás, o treinador viu a expulsão de Moisés ajudar seu time no primeiro tempo. Mesmo com um a mais, a equipe esmeraldina demorou para se organizar, e só conseguiu seu primeiro arremate perigoso ao gol de Douglas com o cabeceio certeiro de Fabio Sanches para abrir o placar. O bom momento do Goiás não durou até o segundo tempo, com a equipe se fechando e dando mais espaços para o Bahia. Pagou o preço de ter apostado em sua defesa e sofreu gol de Guerra.

Artilheiro do Bahia no ano, o centroavante Gilberto, que vive grande fase, sentiu dores no aquecimento e foi cortado do duelo. Com seu principal jogador fora e a expulsão repentina de Moisés no início do jogo, o Bahia passou a jogar com um a menos. Com duas linhas de quatro jogadores, os baianos tiveram mais posse de bola e finalizações no primeiro tempo, com Lucca e Artur exigindo trabalho do goleiro Tadeu. No primeiro arremate do Goiás no jogo, o time abriu o placar com Sanches. O Bahia só conseguiu voltar a equilibrar o jogo após Roger realizar mudança ousada, tirando o lateral Ezequiel e colocando o meia Guerra. A posse de bola voltou para os donos da casa, que aproveitaram e chegaram ao gol de empate em jogada bem trabalhada. No fim, as duas equipes, com espaço, apostaram em chutes de fora da área, mas tanto Artur, do Bahia, quanto Marlone, do Goiás, mandaram para fora.

FICHA TÉCNICA BAHIA 1 X 1 GOIÁS

Data e hora: 18/08/2019 (domingo), às 16h (de Brasília)

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

Competição: Campeonato Brasileiro, 15ª rodada

Árbitro: Raphael Claus (SP) Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Daniel Luis Marques (SP)

Árbitro de Vídeo: Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP)

Cartões amarelos: Ezequiel e Guerra (Bahia); Jean Carlos, Marcelo Hermes e Yago Felipe (Goiás)

Cartão vermelho: Moisés (Bahia)

Gols: Fabio Sanches, aos 33'/1ºT (Goiás); Guerra, aos 25'/2ºT

BAHIA

Douglas Friedrich; Ezequiel (Guerra), Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Flávio, Ronaldo e Lucca (Arthur Caike); Élber (Giovanni), Artur e Fernandão T.: Roger Machado

GOIÁS

Tadeu; Yago Rocha, Rafael Vaz e Fábio Sanches; Marcelo Hermes, Yago Felipe, Jean Carlos (Marlone) e Jefferson; Leandro Barcia (Renatinho), Rafael Moura e Michael (Giovanny) Técnico: Ney Franco

Everaldo vira espião do Corinthians na Sul-Americana

Everaldo vira espião do Corinthians na Sul-Americana

Titular no lugar do poupado Clayson, o atacante mostrou oportunismo e fechou o placar, dando tranquilidade ao time de campo.

Depois de passar perto no empate com o Internacional, Everaldo  marcou seu primeiro gol com a camisa do Corinthians  no último sábado (17), na vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro.

Titular no lugar do poupado Clayson, o atacante mostrou oportunismo e fechou o placar, dando tranquilidade ao time de campo.


Foto:Reprodução/Instagram

"Estava ansioso para marcar o primeiro gol, inclusive aqui na arena. Foi uma emoção muito grande, felicidade sem tamanho. Não tenho nem como explicar essa sensação", comentou. "Vejo uma evolução, o professor cobra para acertar finalizações, poder chegar bem, com bastante gente na área para concluir jogadas."

As boas atuações recentes podem deixar o técnico Fábio Carille em dúvida sobre utilizar Everaldo pela esquerda, no lugar de Clayson, que não marca um gol há cinco jogos. Além de ajudar o time na marcação, o que Clayson também faz, Everaldo é boa opção para jogadas de maior contato e menos correria.

Agora, porém, Everaldo se prepara para ajudar o time alvinegro fora do gramado, como um "espião".

Para a próxima partida, o treinador não terá o autor de um dos gols da vitória sobre o Botafogo à disposição. O jogador já disputou a Copa Sul-Americana pelo Fluminense, justamente o adversário do Corinthians na quinta-feira (22), em partida de ida das quartas de final.

Se não vai ajudar o Corinthians dentro de campo, Everaldo pode ser útil para identificar os pontos fortes e fracos de sua ex-equipe. Caso seja necessário, o atacante não vai se opor.

"Estou aqui para ajudar da melhor maneira possível. Tudo que eu puder fazer para honrar a camisa do Corinthians eu vou fazer. Se o professor [Fábio Carille] precisar de ajuda, pode contar comigo", disse o bem-humorado Everaldo.

Rogério Ceni vence na estreia e Cruzeiro derruba o Santos

Rogério Ceni vence na estreia e Cruzeiro derruba o Santos

A vitória por 2 a 0 sobre o Santos no Mineirão fez o time mineiro sair da zona da degola do Brasileiro.

Nos minutos finais, quando o Cruzeiro  apenas tocava bola no ataque, a torcida no Mineirão começou a gritar o nome do técnico que estreava neste domingo (18).

Nada que Rogério Ceni  já não tenha ouvido na carreira como goleiro e técnico. Mas seu impacto na equipe que estava entre os rebaixados do Campeonato Brasileiro foi imediato. A vitória por 2 a 0 sobre o Santos no Mineirão fez o time mineiro sair da zona da degola do Brasileiro, também graças ao 1 a 0 obtido pelo CSA sobre o Fluminense no Maracanã.


Foto:Reprodução/Instagram


O Santos ainda é o líder do campeonato, apesar de ter perdido duas partidas seguidas pela 1ª vez no torneio. Na semana passada, havia sido derrotado pelo São Paulo. Mas viu a vantagem na ponta da tabela cair para dois pontos. A equipe tem 32, contra 30 de Flamengo e Palmeiras.

Os gols do Cruzeiro foram marcados por Fred e Thiago Neves.

O primeiro teve influência direta de Rogério Ceni. Quando o Santos viu Gustavo Henrique ser expulso, aos 3 minutos de jogo, o técnico mandou o centroavante aquecer. No fim do primeiro tempo, o atacante que não marcava há 16 jogos abriu o placar.

Era um jejum maior que o do próprio Cruzeiro, que ficou 11 partidas sem vitória.

A influência de Ceni não se limitou à substituição. Não era segredo que ele mudaria o Cruzeiro. A ideia era passar do ritmo mais cadenciado usado por Mano Menezes para um estilo mais veloz. Ele chegou a dizer isso à beira do campo, segundos antes do início.

Mesmo assim, o técnico do Santos, Jorge Sampaoli, não estava preparado. Manteve a escalação de um setor de marcação lento, incapaz de acompanhar os atacantes rivais.

Foi na correria que Pedro Rocha ganhou de Gustavo Henrique e provocou a expulsão do defensor. Também com a colaboração do goleiro Everson, que ameaçou sair do gol, parou no meio do caminho e provocou o instante de indecisão do companheiro que foi fatal.

Com um a menos, o Santos não tinha poder ofensivo para reagir. Até porque Sampaoli, dono de um trabalho quase irretocável até agora na Vila Belmiro, meteu os pés pelas mãos.

Com a expectativa de jogar 87 minutos com um jogador a menos, não colocou mais outro zagueiro para repor a perda de Gustavo Henrique. Tirou Evandro e colocou o lateral Pará, que foi tão mal em campo que acabou substituído por Luiz Felipe. Apenas quando estava em desvantagem, Sampaoli introduziu mais um defensor na equipe.

Agitado à beira do campo, Rogério Ceni insistia para seu time ir para à frente. O Cruzeiro teve chances para marcar mais gols, mas as desperdiçou.

CRUZEIRO

Fábio; Orejuela, Dedé (Cacá), Fabrício Bruno e Egídio (Fred); Henrique, Dodô, Marquinhos Gabriel e Thiago Neves; David (Robinho) e Pedro Rocha. T.: Rogério Ceni

SANTOS

Éverson; Jorge, Lucas Veríssimo e Gustavo Henrique; Diego Pituca, Carlos Sanchez (Alison), Felipe Anderson e Evandro (Pará (Luiz Felipe)); Derlis Gonzáles, Soteldo e Sasha. T.: Jorge Sampaoli

Data: 18 de agosto de 2019, domingo

Horário: 16h (de Brasília)

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Competição: Campeonato Brasileiro, 15ª rodada

Árbitro: Anderson Daronco (RS) Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS)

VAR: Caio Max Augusto Vieira (RN)

Gols: Fred, aos 43 minutos do primeiro tempo; Thiago Neves, ao 1º minuto do segundo tempo

Cartões amarelos: Thiago Neves e Fred (Cruzeiro)

Cartão vermelho: Gustavo Henrique (Santos)

Daniel Alves cita irresponsabilidade e evita promessas

Daniel Alves cita irresponsabilidade e evita promessas

Com gol do Daniel, que estreava pelo São Paulo, a equipe venceu por 1 a 0.

Em sua primeira impressão do futebol brasileiro após 17 anos jogando na Europa, Daniel Alves , 36, disse depois do jogo deste domingo (18), contra o Ceará, que os atletas aqui são mais irresponsáveis em campo e não guardam posição.

Com gol dele, que estreava pelo São Paulo , a equipe venceu por 1 a 0.

"Eu vejo, entre aspas, um pouco de irresponsabilidade dos adversários no jogo. Às vezes tem muitos jogadores do mesmo lado, do outro nem tanto. Falta um pouco de posicionamento, mas é porque a equipe está tentando se impor em campo, somar pontos, vitórias e pensar nos objetivos", afirmou o camisa 10 do São Paulo.


Foto:Reprodução/Instagram

O veterano, de 36 anos, que se consagrou no Barcelona, na Juventus e no PSG jogando, sobretudo, na lateral direita, completou que não vê problema em ser usado como armador, no meio, como foi escalado diante do Ceará.

"São posições que eu domino. Eu joguei muitos anos de meia e atacante, mas construí uma história sendo lateral. Independentemente do lugar que eu jogar, eu consigo entender e que posição do campo eu estou, em que zona do campo estou atuando, para dar o meu melhor."

Após estrear com gol, Daniel Alves sabe que cumpriu o papel que se esperava dele. Mas com o São paulo a 5 pontos do Santos, líder do Campeonato Brasileiro, ele evitou prometer título ou mais gols. Evitou prometer qualquer coisa, na verdade.

"Não sou político. Não posso prometer nada que não vou cumprir. Prometo só o que posso cumprir, que é minha entrega no dia a dia, minha batalha. Tenho uma estrela diferente, porque sair da roça e conseguir tudo o que eu consegui... Tem uma estrela diferente. É nítido. Vou polir essa estrela para que continue brilhando. O que posso dizer é que não vim para o São Paulo para encerrar a carreira. Vim para lutar e construir uma história aqui e, como em todos os lugares, uma história de vitórias, de conquistas. Esse é meu principal objetivo", finalizou.   

17 de agosto de 2019

Neymar sabe que não é fácil convencer de que está aqui por nós

Neymar sabe que não é fácil convencer de que está aqui por nós

O comandante da agremiação da capital da França disse que o brasileiro tem a consciência de que é difícil convencer o clube de que ele está focado em voltar a jogar e entrar de "corpo e alma" no time.

Durante coletiva de imprensa realizada na manhã deste sábado (17) após o treino do Paris Saint-Germain, o técnico Thomas Tuchel não teve como escapar do assunto Neymar.  O comandante da agremiação da capital da França disse que o brasileiro tem a consciência de que é difícil convencer o clube de que ele está focado em voltar a jogar e entrar de "corpo e alma" no time.

"Não falei com ele, mas sei que ele é sensível. Estou convencido que ele sabe que não é fácil entrar e convencer a todos que ele está aqui por nós, mas esse é o desafio que temos e devemos superar juntos. Eu vou o proteger ele sempre e ao mesmo tempo vou encorajá-lo esperar ele no seu melhor nível possível", declarou Tuchel.

Neymar participou dos treinamentos com o restante do elenco durante os 15 minutos iniciais. Depois, quando os jogadores foram realizar o trabalho tático, o atacante brasileiro saiu de campo para se exercitar individualmente. Nos últimos dias, Neymar tem treinado separado do restante do elenco. A explicação oficial é que o atacante seguia um programa individual para concluir a recuperação da lesão no tornozelo direito sofrida em junho, motivo pelo qual foi cortado da Copa América.

O futuro do jogador é alvo de várias especulações, principalmente desde que PSG e Barcelona reconheceram abertamente as negociações para uma eventual volta de Neymar à Catalunha. Representantes do Barça se reuniram no começo da semana passada em Paris com o diretor esportivo da equipe parisiense, Leonardo, mas a situação está travada.

"Hoje não temos solução de ele sair do clube e nada mudou. Nossa relação é a mesma porque é algo dele com o clube. Se ele não encontrar solução, ele fica aqui com a gente. Ele tem contrato aqui de três anos. E nada mudou", acrescentou Tuchel.

O PSG entra em campo neste domingo, às 16 horas (de Brasília), para jogar contra o Rennes, pela segunda rodada do Campeonato Francês. Neymar não foi incluído na lista de relacionados para a partida.

Daniel Alves estreia com muitas funções no time do São Paulo

Daniel Alves estreia com muitas funções no time do São Paulo

Aos 36 anos, ele é o jogador com mais títulos oficiais na história do futebol (40). Tamanha visibilidade faz o lateral direito ser rodeado por expectativas e também responsabilidades.

Após reunir mais de 40 mil pessoas no Morumbi em sua apresentação e mobilizar a atenção de dirigentes e jornalistas nos treinos desta semana, Daniel Alves , enfim, vai ser a principal atração do São Paulo para o jogo deste domingo (18), às 16h no Morumbi, diante do Ceará.

Aos 36 anos, ele é o jogador com mais títulos oficiais na história do futebol (40). Tamanha visibilidade faz o lateral direito ser rodeado por expectativas e também responsabilidades.

Além de reforçar o time com a sua qualidade técnica, a diretoria do clube prevê ainda públicos mais expressivos para ajudar a turbinar o que resta da temporada do clube que não ganha um título dede 2012. O último foi a Copa Sul-Americana daquele ano, obtida diante do Tigre (ARG), no Morumbi.

Consagrado na lateral, Daniel Alves inicia a sua passagem no São Paulo no meio-campo. No entanto, essa situação não é novidade na sua carreira.

No Barcelona (ESP), por várias vezes ele foi utilizado tanto como volante como na cindição de lateral mais recuado, fazendo as vezes de um terceiro zagueiro.

Na Juventus (ITA), com um meio-campo pouco criativo, ganhou liberdade para apoiar o ataque e se tornou a válvula de escape da equipe de Turim, como um ala ofensivo pela direita. Foi assim que ajudou o time a chegar à final da Champions League de 2017, contra o Real Madrid (ESP).

Ele também foi testado no Paris Saint-Germain (FRA) como volante e agradou ao técnico alemão Thomas Tuchel nesta função.

Responsável por ter lançado Daniel Alves no Bahia em 2001, o ex-técnico Evaristo de Macedo acha que o veterano lateral tem muito a colaborar com o São Paulo no meio de campo nesta temporada.

"O bom condicionamento que ele tem, aliado à experiência, o torna mais útil jogando no meio. Além de participar mais do jogo, facilita também a comunicação. Na lateral você fica muito distante do resto da equipe", afirmou o ex-treinador de 86 anos.

Um dos problemas mais frequentes que a comissão técnica detectou no São Paulo desde que Cuca assumiu o comando no Campeonato Paulista foi a variação de intensidade que o time apresenta durante as partidas.

Espera-se que o capitão da seleção possa ditar o ritmo da marcação da equipe e determinar os momentos em que pode aumentar a pressão ou ajustar o posicionamento.

Nos treinos da última semana, Cuca fez seguidas atividades com bola para entrosar não só Daniel Alves, mas também o espanhol Juanfran com o restante do elenco. Trabalhando em campo reduzido, ele forçou a movimentação dos atletas.

Com liberdade, Daniel Alves mostrou estar bem fisicamente. Sem o meia Hernanes, que sofreu lesão na coxa e deve ficar fora da equipe por um mês, o ex-lateral de Sevilla, Barcelona, Juventus e PSG, terá a missão de comandar o setor de armação.

Quem jogou e treinou com o baiano de Juazeiro destaca a dedicação mostrada por ele nos treinamentos.

"O Dani treinava como jogava e agia da mesma forma toda a semana", lembra Javier Chevantón, 39, uruguaio que atuou com o lateral no Sevilla. "Mesmo com a intensidade que jogava, treinava no dia seguinte com aqueles que não tinham entrado em campo no dia anterior."

Na seleção brasileira, Alves experimentou o papel de meia. Auxiliar técnico da equipe de Dunga, Jorginho lembra de quando o jogador substituiu Elano na final da Copa América de 2007, disputada na Venezuela, diante da Argentina.

Ao contrário de Elano, que cadenciava mais o ritmo, Daniel Alves deu outra característica ao time com mais velocidade e chegada na frente. O resultado dessa mudança veio na vitória de 3 a 0 sobre o rival.

Ele fez o cruzamento do segundo gol e marcou o terceiro depois de acompanhar arrancada de Vagner Love e chutar cruzado para selar a goleada.

"Tanto ele como o [lateral direito] Maicon eram muito ofensivos. Pela sua qualidade, ele podia atuar tanto avançado, como na construção de jogadas. Dependendo do esquema que o Cuca utilizar, ele pode muito bem jogar como um segundo volante pela direita e ajudar a armar o time por ali", complementou Jorginho.

Totalmente entrosado com o grupo, a postura de Daniel Alves já tem causado boa impressão ao jovens do elenco são-paulino. Titular da lateral nas últimas partidas, Igor Vinícius falou sobre o que representa estar treinando ao lado de "um jogador consagrado".

"Importante porque ele é um jogador da minha posição e vai aumentar em muito o nosso patamar. Quero aprender muito nesse período em que ele vai ficar com a gente", disse o atleta de 22 anos.

Um dos líderes do elenco nesta temporada, o goleiro Tiago Volpi, 28, destacou a postura de Daniel Alves nos treinamentos e também nas conversas no CT.

"É um jogador muito solícito e que está sempre dando o exemplo para quem está começando. É muito bom estar com ele e observar o seu comportamento. É um aprendizado para nós", falou.

No treino desta quinta-feira (15) Cuca realizou um treinamento coletivo e aproveitou para fazer testes. Desta vez, ele também colocou Daniel Alves como lateral direito para observar o seu desempenho. Apesar da variação, a tendência é que o jogador faça realmente a sua estreia atuando no meio-campo.

Para Daniel Alves, que chegou ao clube enfatizando a sua identificação com o São Paulo por ser o seu time de infância, o importante é entrar para fazer o melhor para a equipe.

"O São Paulo contratou um torcedor. Sonhei muito com esse momento e esse momento chegou. Só espero poder retribuir muito toda essa confiança", afirmou ele.

E a missão de Daniel Alves em triunfar vestindo a camisa do seu clube do coração tem data, hora e local para ter início: domingo (18), às 16h, no estádio são-paulino.

SÃO PAULO

Tiago Volpi, Juanfran, Bruno Alves, Anderson Martins e Reinaldo, Luan, Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes; Antony e Raniel. T.: Cuca

CEARÁ

Diogo Silva; Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e João Lucas; Fabinho, Ricardinho, Thiago Galhardo e Lima; Leandro Carvalho, Felippe Cardoso. T.: Enderson Moreira

Local: Morumbi

Horário: 16h

Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)

Na TV: Globo (para São Paulo)

GRE e PAL iniciam trinca de duelos entre Brasileiro e Libertadores

GRE e PAL iniciam trinca de duelos entre Brasileiro e Libertadores

Primeiro jogo acontece nesse sábado, quando a equipe alviverde vai lutar para encostar novamente na liderança,

Palmeiras e Grêmio se enfrentam neste sábado (17), a partir das 21h, em Porto Alegre, no primeiro da série de três confrontos seguidos entre as duas equipes, com jogos pelo Campeonato Brasileiro e quartas de final da Taça Libertadores.

Nesta ocasião, o embate será pelo Nacional, no qual a equipe alviverde vai lutar para encostar novamente na liderança, enquanto os gaúchos tentam se distanciar da zona de rebaixamento. O time de Felipão iniciou a rodada com três pontos a menos do que o líder Santos (32 a 29).

A vantagem santista na tabela é reflexo do jejum de vitórias da equipe alviverde no campeonato. Nos últimos cinco jogos, foram quatro empates e uma derrota.


Foto: Divulgação/Sociedade Esportiva Palmeiras

No mesmo período, o Santos venceu quatro duelos e perdeu apenas um.

O Grêmio não vive uma boa fase no Brasileiro. Desde o início da competição, a luta gremista tem sido para se distanciar da zona de rebaixamento. Com 17 pontos, iniciou a rodada em 14º, com quatro pontos a mais do que o Cruzeiro, o primeiro time na parte vermelha da classificação.

Em contraste com a fase complicada no Nacional, Palmeiras e Grêmio estão nas quartas da Libertadores. Nas oitavas, o time de Felipão eliminou o Godoy Cruz (ARG), com 6 a 2 no placar agregado, e o time de Renato Gaúcho fez 5 a 0 no agregado contra o Libertad (PAR).

Após a partida deste sábado, a delegação palmeirense nem retorna a São Paulo, já que o primeiro embate pelo torneio continental acontece na terça-feira (20), às 21h30, também em Porto Alegre. O jogo de volta será no dia 27, no Pacaembu.

Fluminense tenta alívio diante do CSA, penúltimo do Brasileiro

Fluminense tenta alívio diante do CSA, penúltimo do Brasileiro

Na 16ª posição, o time tricolor tem 12 pontos, apenas um a mais do que o Cruzeiro, que encabeça a zona de descenso.

Sem conseguir emplacar uma sequência de resultados positivos e rondando a zona de rebaixamento, o Fluminense recebe neste domingo (18), às 16h, no Maracanã, o CSA, penúltimo colocado do Brasileiro.

Na 16ª posição, o time tricolor tem 12 pontos, apenas um a mais do que o Cruzeiro, que encabeça a zona de descenso.

O técnico Fernando Diniz tem sido cobrado a entregar vitórias e conduzir o Fluminense a uma reação no Brasileiro. Nesta sexta-feira (16), o presidente do clube, Mário Bittencourt, disse, em entrevista coletiva, que "todo profissional do Fluminense, de qualquer área, estará sempre sob avaliação constante", mas que "hoje ele [Fernando Diniz] tem a confiança".

"Resultados, matematicamente, não são bons. O treinador segue fazendo seu trabalho, o ambiente é bom, mas um clube como o Fluminense, gigantesco, tem sempre pressão", disse.


Foto: Reprodução/Instagram

Para o confronto com os alagoanos, Diniz não deve poder contar com Pedro, que está com uma lesão na coxa. A tendência é que ele seja substituído por João Pedro. Nenê, expulso na rodada passada, está suspenso e também não participa do jogo.

O clima de insatisfação também pesa sobre o adversário. Em 19º, com oito pontos, o CSA tem o pior ataque do Brasileiro. Nas 14 partidas disputadas, o time marcou apenas três gols -menos da metade do que o Avaí, que tem o segundo pior ataque, com sete gols.

Para complicar ainda mais, o time alagoano não terá Didira, um de seus principais jogadores ofensivos, que está suspenso por acúmulo de cartões amarelos.

Antes de embarcar para o Rio, neste sexta, o técnico Argel Fucks disse que preparou a equipe para fazer uma defesa de pressão contra o Fluminense.

"A gente conhece bem a equipe do Fernando Diniz. Já nos enfrentamos algumas vezes e ele tem essa característica de sair jogando. Então a gente vai pressionar lá em cima para tentar roubar essa bola e já agredir o adversário", disse o treinador. "Então a nossa equipe não pode ter medo de perder, ela tem que ter vontade de ganhar."

16 de agosto de 2019

Piauienses disputam Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia

Piauienses disputam Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia

Segundo a Federação Piauiense de Vôlei, todos os jogos vão acontecer em uma arena montada no estacionamento do Teresina Shopping e terá entrada gratuita.

Teresina foi a capital escolhida para o encerramento da 4º etapa Challenger do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia. Os jogos da competição nacional começam nesta sexta-feira (16), com as fases classificatórias e seguem até o domingo (18), com as finais. Segundo a Federação Piauiense de Vôlei, todos os jogos vão acontecer em uma arena montada no estacionamento do Teresina Shopping e terá entrada gratuita.

A competição que reúne duplas de todo o país, vai iniciar com o qualifyng, onde as equipes inscritas vão brigar por 4 vagas na fase final do campeonato. O Piauí, será representado por doze equipes, sendo estas 8 masculinas e 4 femininas.

Foto: Confederação Brasileira de Vôlei

 Nas duplas masculinas, estão inscritos no circuito: Brendo e Tales, Canhoto e José Filho, Márcio e Edson, Vinicius e Carlos Leite, Cesar e Colé, Anderson e Fuel, Parucker e Jonathaz e Chinês e Ambrósio. Já no feminino, são elas: Iza e Rany, Giselia e Maraísa, Lilian e Aline Nascimento e Hérica e Mônica.

Com um número grande de competidores, a expectativa é que os piauienses consigam bons resultados. Mas para além disso, segundo a presidente de Federação de Piauiense de Vôlei, Tatiana Vieira, a competição serve também como um espelho de referências para os atletas que estão iniciando na modalidade profissionalmente. 

“É importante que esses novos atletas que estão iniciando, se espelhem nos grandes atletas que estarão competindo por aqui, que são campeões olímpicos, Sul-Americanos e, que principalmente, se motivem a serem grandes profissionais. Então espero que seja um grande evento, um grande acontecimento, e que outras competições até maiores que essa venham para o Piauí”, disse.

Ainda de acordo com a presidente, o evento também é uma oportunidade de atrair mais patrocinadores para o esporte no Estado. “Nós temos essa dificuldade de conseguir apoiadores e, eles vendo esse evento, vendo a grandiosidade, vendo com ele está sendo bem feito, eles (patrocinadores) com certeza no próximo evento que tiver vão querer participar, vão querer colocar a marca deles ali”, concluiu.

A última vez que Teresina recebeu uma etapa do Challenger o Circuito Brasileiro foi em 2013. Neste ano, a competição percorreu três cidades brasileiras: Jaboatão dos Guararapes (PE), Cabo Frio (RJ) e Maringá (PA).

15 de agosto de 2019

FFP prorroga prazo para entrega de laudos dos estádios da Segundona

FFP prorroga prazo para entrega de laudos dos estádios da Segundona

Federação abre novo prazo para apresentação dos documentos dos estádios para evitar jogos sem torcida.

Para evitar jogos com portões fechados durante a Série B do Campeonato Piauiense, a Federação de Futebol do Piauí (FFP) prorrogou na tarde desta quinta-feira (15), a entrega dos laudos técnicos que comprovam a segurança dos estádios no Piauí. A nova data escolhida pela entidade vai até a próxima sexta-feira (23), para os clubes que mandarem os jogos em casa na primeira rodada, e os demais terão que entregar os documentos dez dias antes da estreia na competição.

 “A federação postergou o prazo até o dia 23, para os clubes que vão disputar a primeira rodada nos dias 06 e 07 de setembro, que é o caso do Oeiras e Picos que vão mandar os jogos em casa. Os demais vão ter que apresentar dez dias antes da estreia”, explicou Robert Brown, presidente da FFP.

Ainda de segundo o presidente da federação, as equipes que não apresentarem os documentos na data estipulada vão ter que mandar os jogos sem a presença da torcida.

“A última hipótese para essa competição acontecer é com portões fechados, sem a torcida nas arquibancadas e isso obviamente os clubes não querem. Se as equipes não apresentarem as documentações que são exigidas pelo Estatuto do Torcedor, será dado baixo numa resolução que obriga os jogos serem fechados, justamente pra não comprometer que vai assistir”, concluiu.

Presidente da FFP, Robert Brown, em visita ao estádio Helvídio Nunes, em Picos. Foto: Reprodução FFP

Na última terça-feira (13), uma comissão da FFP viajou para realizar vistorias nas praças esportivas do interior. A comitiva esteve no Helvídio Nunes, em Picos, e Gerson Campos, em Oeiras, onde foram feitas avaliações nas estruturas dos estádios.

A equipe do Oeirense, primeira a estrear na competição ainda está em busca do laudo do Corpo de Bombeiros, mas o presidente do clube, Fabiano Alex, garante que já foi dado entrada. “Pretendemos ir à federação na próxima semana, como também receber uma visita do o Corpo de Bombeira na quinta-feira da próxima, e com certeza esses laudos devem estar liberados”, relatou.

Com cinco clubes inscritos (Timon, Picos, Oeirense, Cori-Sabbá e Comercial) na Série B do Piauiense, a disputa terá início no dia 6 de setembro com jogo entre Picos e Timon, às 20h, na Cidade do Mel.

A primeira rodada será finalizada no dia seguinte com o confronto entre Picos e Comercial, que jogam às 16h, no Gerson Campos, em Oeiras. O único representante da cidade de Floriano, o Cori-Sabbá folga na rodada de abertura devido à desistência do Fluminense da Segundona. 

Jorge Jesus prepara Flamengo com Rodinei e Gabriel para clássico

Jorge Jesus prepara Flamengo com Rodinei e Gabriel para clássico

Gabriel ficará no comando do ataque do Flamengo no clássico contra o Vasco

Apresença de Gabriel no comando do ataque e de Rodinei na lateral direita deverão ser as novidades do Flamengo no clássico contra o Vasco, sábado, no Mané Garrincha, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ao menos foi o que indicou o técnico Jorge Jesus em atividade realizada no Ninho do Urubu.

O trabalho do Flamengo só teve os primeiros 15 minutos abertos à imprensa. Mas, na parte da atividade tática que os jornalistas observaram, Gabriel, recuperado de lesão, trabalhava na equipe principal, assim como Rodinei.

Autor de 22 gols em 33 jogos pelo Flamengo nesta temporada, Gabriel não entra em campo desde a decisiva atuação contra o Emelec, em 31 de julho, quando marcou duas vezes no confronto em que o time avançou, na disputa de pênaltis, em seu primeiro mata-mata na Copa Libertadores. Mas agora fará sua volta ao time. Já Rodinei foi o escolhido para ocupar a vaga do lateral-direito Rafinha, suspenso do clássico do fim de semana.

Dirimindo qualquer dúvida sobre a sua presença no confronto com o Vasco, o goleiro Diego Alves treinou no campo nesta quarta, após só ficar na academia na atividade de terça. Assim, o time deve entrar em campo no sábado com a seguinte formação: Diego Alves; Rodinei, Thuler, Pablo Marí e Filipe Luís; Cuéllar, Willian Arão, Gerson, Arrascaeta e Bruno Henrique; Gabriel.

Na preparação para o clássico, o Flamengo voltará a treinar às 10 horas desta quinta-feira, no Ninho do Urubu. Vindo de vitória sobre o Grêmio no fim de semana, o time é o terceiro colocado do Brasileirão com 27 pontos somados em 14 jogos.

Cueva custou ao Santos quase R$ 2 milhões por partida

Cueva custou ao Santos quase R$ 2 milhões por partida

O peruano custou aos cofres do clube quase R$ 2 milhões por vez que entrou em campo com a camisa alvinegra.

O meia Christian Cueva está entrando na lista das piores contratações do Santos nos últimos anos. Fora dos planos do técnico Jorge Sampaoli após apenas seis meses na Vila Belmiro, o peruano custou aos cofres do clube quase R$ 2 milhões por vez que entrou em campo com a camisa alvinegra.
Cueva foi contratado em fevereiro deste ano junto ao Krasnodar (RUS) por R$ 26 milhões e o pagamento foi dividido em três parcelas anuais e iguais, que começam a vencer em março do ano que vem. Para fechar a contratação, o Santos atravessou o Independiente (ARG).
O peruano recebe cerca de R$ 600 mil por mês, valor que representava o maior salário do elenco até a chegada do atacante Uribe. Portanto, nesses seis meses, o Santos já gastou R$ 3,6 milhões com o jogador.

Foto: Reprodução / Ivan Storti / Santos FC

O meia entrou em campo apenas 16 vezes na temporada, não marcou nenhum gol nem deu assistência. Somando o valor da transferência ao que já foi gasto com seus salários, Cueva custou ao Santos R$ 1.850 mi por jogo.
Cueva foi um pedido do técnico Jorge Sampaoli, mas perdeu espaço com o argentino no dia a dia do clube, principalmente quando pediu dispensa do duelo contra o Ceará para se apresentar à seleção do Peru que se preparava para a Copa América.
Entre o torneio de seleções e um problema pessoal grave, o nascimento precoce de sua filha no Peru, Cueva não atua pela clube há quase três meses. A última vez que entrou em campo com a camisa do Santos foi diante do Internacional, no empate por 0 a 0 na Vila Belmiro, quando Rodrygo ainda fazia parte do elenco santista.
Na ocasião da última partida de Cueva, o time comandado por Jorge Sampaoli ainda era o quinto colocado do Campeonato Brasileiro e estava cinco pontos atrás do então líder Palmeiras. Hoje o Santos ocupa o topo da tabela, com três de vantagem para o rival.

Botafogo vê bola parada como arma por resultados positivos

Botafogo vê bola parada como arma por resultados positivos

Com um treinador adepto da troca de passes e posse de bola, a equipe vem dando indícios de uma nova arma -a bola parada.

O período pós-Copa América já apontou que o técnico Eduardo Barroca vem moldando e fazendo adaptações ao estilo do Botafogo atuar. Com um treinador adepto da troca de passes e posse de bola, a equipe vem dando indícios de uma nova arma -a bola parada.

Nas duas últimas partidas, vitórias sobre Avaí e Athletico-PR, lances importantes a favor do time alvinegro nasceram desta forma. No primeiro, após cobrança de falta, Marcelo Benevenuto balançou a rede e fez o segundo do time de General Severiano.

Já contra o Athletico, depois de escanteio, Carli carimbou o travessão no primeiro tempo e, no segundo, Diego chegou a balançar a rede, mas a arbitragem, com auxílio do VAR, anulou alegando toque no braço de Carli.

Foto: Reprodução / Botafogo Instagram

Um ponto que pode fazer esse tipo de jogada ganhar um peso ainda maior é o fato de, no Campeonato Brasileiro, o Botafogo ser a segunda equipe que mais sofreu faltas, com 218 a favor, atrás apenas do Corinthians, que tem 226 (segundo o site Footstats)

O lateral-esquerdo Gilson, um dos responsáveis pelas cobranças, admitiu que Barroca tem olhado com carinho para este quesito, ressaltando que as jogadas de bola parada podem ser cruciais para a conquista do resultado positivo.

"Treinamos muito bola parada. Barroca tem pedido para eu bater esses escanteios mais fechados. Nesse último jogo, tivemos vantagem na bola parada, criamos dificuldades para o Athletico. Vamos continuar aperfeiçoando isso para resultar em gols. Em jogos difíceis a bola parada define", disse.

Os seis pontos conquistados nas últimas rodadas aconteceram após um período em que a equipe ficou seis partidas sem vencer (quatro pelo Campeonato Brasileiro e duas pela Sul-Americana), sendo, neste meio tempo, eliminada na competição continental.

Sem apoio da Caixa, clubes loteiam espaço na camisa e receitas caem

Sem apoio da Caixa, clubes loteiam espaço na camisa e receitas caem

O banco diz que a "estratégia atual de marketing é voltada para projetos regionais, com maior impacto social e de incentivo ao desenvolvimento de atletas de base".

Oito meses após a Caixa Econômica Federal não renovar o contrato de patrocínio com 12 dos 20 times da Série A do Brasileiro, 5 deles continuam sem apoio. A maioria fez novos acordos, mas por valores menores do que era pago pelo banco estatal, que deixou de expor sua marca no futebol, em decisão do governo Jair Bolsonaro (PSL).

O banco diz que a "estratégia atual de marketing é voltada para projetos regionais, com maior impacto social e de incentivo ao desenvolvimento de atletas de base".

Dos clubes conseguiram novos apoiadores, 5 são patrocinados por bancos privados. Outros 2, Bahia e CSA, fecharam acordo com empresas regionais. O clube alagoano conseguiu ainda patrocínio do governo do estado.

O CSA de Alagoas foi um dos times que fechou contrato com empresas regionais para o Brasileirão de 2019

Penúltimo colocado do Brasileiro, o time de Maceió, que estava na Série B em 2018,  é o único que diz ter aumentado sua receita. A camisa da equipe passou a expor cinco marcas. Entre elas, a do governo do estado, que ofereceu R$ 1,5 milhão pelo espaço no uniforme do clube. O presidente do CSA, Rafael Tenório, é suplente do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), pai do governador do estado.

"A receita saltou para R$ 4 milhões, a Caixa nos pagava R$ 1,5 milhão. O governo e os dois [patrocinadores] master [Carajás e Açaí Concept], juntos, me pagam R$ 3 milhões", afirmou Tenório à reportagem.

Lanterna do Brasileiro, o Avaí vive realidade distinta. Segundo o presidente do clube, Francisco José Battistotti, o espaço mais nobre foi oferecido, em vão, por metade do valor arrecadado em 2018.

"A Caixa pagou R$ 4 milhões no ano passado, eu baixei pela metade, cheguei a pedir R$ 1,8 milhão, mas não encontrei interessados", disse.

Na outra ponta da tabela, a agonia é a mesma. Líder com 32 pontos, o Santos fechou apenas acordos pontuais. Hoje, cede o espaço maias nobre da camisa, sem custos, para o Graacc, entidade que auxilia crianças e adolescentes com câncer. Procurada, a diretoria santista não quis comentar a ausência de um patrocínio principal.

O Bahia conseguiu, assim como CSA, um acordo com uma empresa local. O clube assinou com a Dular, revendedora de alimentos, e recebe R$ 9,5 milhões por ano, 65% do valor que era pago pela estatal. O contrato prevê ainda participação no lucro de alguns produtos.

"A diferença [em relação ao valor pago em 2018], vamos resolver com duas novas propriedades [espaços] na camisa", afirma Lênin Franco, gerente de negócios do Bahia.

A estratégia de lotear espaços no uniforme foi replicada por outros clubes, que chegam a expor cinco marcas.

"Aumentamos dois espaços menores na parte frontal, além do principal, e três nas costas", diz Lavor Neto, diretor de marketing do Ceará. "Tem muitos clubes explorando mais propriedades que a gente, mas isso não valoriza a marca e fica até confuso de identificá-la", admite.

Em julho, o clube cearense acertou com a FinanZero, que opera como correspondente bancário online e negocia empréstimos junto a instituições financeiras.

Athletico Paranaense, Cruzeiro e Fortaleza fecharam contrato com o banco Renner, que estampa a marca do seu produto digital Digi+, enquanto o Flamengo passou a exibir a marca da financeira BS2. Já o Atlético-MG retomou a parceira com o BMG.

"A Caixa pagava valores acima do mercado", admite Marcelo Paz, presidente do Fortaleza. "A nossa previsão era de arrecadar R$ 4 milhões. Vamos atingir R$ 3 milhões", diz.

Clube que tinha o maior contrato com a Caixa, o Flamengo não informa o valor do pago pelo novo patrocinador. "Estamos satisfeitos com os resultados", disse Maurício Cortela, diretor de marketing da equipe. Em 2018, o clube recebeu R$ 32,6 milhões pelo patrocínio do banco estatal.

Plínio Signorini Filho, CEO do Atlético-MG, acredita que, no longo prazo, poderá alcançar com o BMG um valor próximo ao que a estatal pagou ao clube em 2018 -R$ 13 milhões, incluindo premiações.

"O modelo atual é ganha-ganha. O clube e a empresa montaram um banco juntos, o BMG Galo, assim como foi feito no Corinthians", diz.

O banco é próximo ao clube mineiro. Ricardo Guimarães, principal acionista da instituição, presidiu o Atlético-MG de 2001 a 2006. No Brasileiro de 2011, o BMG estava na camisa de 11 times.

Nesses acordos, as instituições financeiras oferecem aos clubes participação nos lucros em alguns produtos. A ideia é usar a base de torcedores e de sócios para aumentar a carteira de clientes.

Ricardo Rotemberg, vice-presidente comercial e de marketing do Botafogo, diz que foi procurado por 12 bancos digitais, mas não aceitou o modelo proposto. O clube está sem patrocínio master.

José Colagrossi, diretor do Ibope Repucom, vê com cautela esse tipo de parceria.

"Os clubes entregam grande exposição aos bancos, o que gera um valor de mídia enorme, entretanto, sem garantia que as metas de receita serão atingidas", diz. "Num cenário pessimista, é possível que o clube tenha entregue mais de R$ 1 bilhão em mídia sem receita proporcional."

Piauienses se preparam para a Copa Nordeste Mirim de Handebol

Piauienses se preparam para a Copa Nordeste Mirim de Handebol

Agora será a vez dos atletas da categoria mirim, de 12 a 14 anos, entrarem em quadra

O calendário do handebol não para nesse segundo semestre. Agora será a vez dos atletas da categoria mirim, de 12 a 14 anos, entrarem em quadra para disputa da Copa Nordeste Mirim, que acontece entre os dias 17 e 18, em Maceió, Alagoas. Essa será a 2ª edição da competição, mas é a primeira vez que o Piauí tem representante. 

“É uma competição que acontece em um bom momento, pois os garotos estão se preparando para disputar os Jogos Escolares da juventude, etapa nacional então servirá como um bom teste. Esse grupo disputou o Open em São Luís e voltou campeão”, disse Giuliano Ramos. 


Giuliano Ramos destaca o perfil do seu grupo nessa temporada - Foto: Jailson Soares/O Dia

A competição será disputa por seleções e entre as mais fortes estão os donos da casa – Maceió e Pernambuco. A Seleção do Piauí vai basicamente com nomes do Estado o único atleta de fora é Victor, que vem da escola Pernambucana. “Estou ansioso e ao mesmo tempo pensando como seria enfrentar minha própria escola o Pernambuco. Mas estou treinando aqui com os meninos tem alguns meses e somos um grupo bem unido”, disse o garoto de 13 anos. 

A categoria 12 a 14 anos sofre constantes mudanças e o treinador Giuliano Ramos destaca o perfil do seu grupo nessa temporada. “Esse é o time mais alto e mais forte que treino, foge um pouco da característica do Nordeste em si, mas mantemos nosso estilo de jogo, com velocidade, contra ataques rápidos”, frisou o técnico da Seleção Piauí. A Copa Nordeste Mirim acontece entre os dias 17 de 18 de agosto, em Maceió, em Alagoas.

GHC busca fortalecer elenco para competições no handebol adulto

GHC busca fortalecer elenco para competições no handebol adulto

Os atletas tem pela frente a Liga Nacional, principal competição de handebol do país.

A equipe adulta de handebol do Piauí conseguiu recentemente um título importante: se sagrou bicampeã dos Jogos Universitários Brasileiros fase Nordeste e irá representar o Piauí na fase nacional da competição, que acontece no mês de outubro, em Salvador. Além disso, os atletas tem pela frente a Liga Nacional, principal competição de handebol do país. 

“Buscamos defender e quem sabe ser bicampeão nacional, pois somos os atuais campeões do Jubs Nacional. Agora é dar continuidade. Precisamos acrescentar mais atletas, pois na fase nacional são 14 e agora poderemos levar 16 e fora isso é fortalecer mais o grupo, forçar cada vez mais os treinos e busca avançar na Liga Nacional e o bicampeonato na fase nacional do Jogos”, conta Giuliano Ramos. 


Foto: Arquivo O Dia

As competições são bem distintas, assim como o objetivo da equipe piauiense. Na Liga Nacional, onde estão os principais times de handebol do Brasil, o objetivo dos piauienses é seguir surpreendendo como uma escola que sai do eixo Rio- São Paulo, mas que apresenta um handebol de qualidade. Em 2018, chegaram até as quartas de finais, e agora querem ir mais longe. 

Nos Jogos Universitários entram em quadra para defender o título de campeão nacional e a responsabilidade é em busca do lugar mais alto do pódio. “Com muito trabalho e suor conseguimos o primeiro degrau que era o titulo nordeste, agora é pensar na fase nacional com as melhores equipes. Manter o nível de treinos, pois temos duas grandes competições pela frente”, conta Romário Dias. 

O GHC irá disputar a Liga Nacional e os Jogos Universitários Brasileiros de Handebol como representante do Estado.

Tite tenta montar ataque sem Jesus e com dúvida por Neymar

Tite tenta montar ataque sem Jesus e com dúvida por Neymar

Gabriel Jesus está suspenso por dois meses após confusão causada na final da Copa América. Comissão técnica mostra preocupação com a pré-temporada de Neymar.

Tite tem mais dois dias para resolver um quebra-cabeça complicado e convocar o ataque da seleção brasileira para os amistosos de setembro nos Estados Unidos.

O técnico não poderá contar com dois -talvez três- jogadores que em situações normais seriam convocados e pode ter só dois atacantes remanescentes da Copa América para os duelos contra Colômbia e Peru -Roberto Firmino e Richarlison.

Gabriel Jesus, do Manchester City, está suspenso por dois meses por uma confusão causada justamente na final da Copa América, contra o Peru. Everton Cebolinha, outro destaque no título do Brasil em julho, não será chamado porque está com o Grêmio na semifinal da Copa do Brasil e Tite resolveu não atrapalhar os clubes envolvidos na disputa.

Outro nome possível seria Neymar, mas a comissão técnica mostra preocupação com a pré-temporada sem jogos e cheia de polêmicas do astro do Paris Saint-Germain. Seria o retorno do atacante à seleção após a lesão que o tirou da Copa América -na ocasião, foi substituído por Willian, do Chelsea, que não deve seguir como figura constante no ciclo da Copa do Mundo de 2022. Mas o impasse segue.


A comissão mostra preocupação com a pré-temporada sem jogos de Neymardo - Foto: Reprodução

Normalmente, Tite leva seis jogadores para o ataque -quatro pontas e dois centroavantes. Com Firmino e Richarlison, ele pode ocupar os dois postos de "camisa 9" e chamar quatro pontas ou usar Richarlison aberto e levar uma referência para ser reserva de Firmino.

Uma das vagas de ponta pode ficar com David Neres, o que aumentaria a quantidade de campeões da Copa América na convocação. O jogador do Ajax esteve um pouco aquém do esperado no torneio e poderia dar lugar a outras apostas em um primeiro momento, mas a quantidade de desfalques deve ajudá-lo a seguir na seleção.

Nos amistosos de março deste ano, contra Panamá e República Tcheca, Tite chegou a convocar Vinícius Júnior, mas o garoto se lesionou e não teve mais chances. Desde então, não retomou a melhor fase no Real Madrid e, por isso, se distanciou um pouco da concorrência na seleção.

Com a temporada europeia ainda começando, Tite passou a observar o futebol brasileiro com mais carinho e tem dois nomes em boa conta no Flamengo. Bruno Henrique agrada pela facilidade que tem para trocar de posição no ataque, enquanto Everton Ribeiro, já mais experiente, pode ser ponta pela direita ou até meia central.

A possibilidade de voltar a usar Richarlison como centroavante está na falta de opções que estejam em alta na função. Gabigol, outro flamenguista, vive boa fase, mas não conta com grande admiração da comissão técnica da seleção. Na Europa, ainda antes da Copa do Mundo de 2018, Willian José, da Real Sociedad, chegou a ser testado, mas nunca mais voltou.

14 de agosto de 2019

Diogo Silva troca o taekwondo pela música e vê atraso com Bolsonaro

Diogo Silva troca o taekwondo pela música e vê atraso com Bolsonaro

Diogo Silva completa em 2019 dez anos à frente do coletivo Senzala Hi-Tech.

Há 15 anos, em agosto de 2004, Diogo Silva perdeu a semifinal da Olimpíada de Atenas. Até então, nenhum atleta brasileiro havia chegado tão longe no taekwondo em Jogos Olímpicos. A derrota lhe deu a oportunidade para mandar um recado.

Ainda no tatame, vestiu uma luva preta e ergueu o punho, repetindo o histórico gesto de John Carlos e Tommie Smith no pódio dos Jogos da Cidade do México, em 1968. Na ocasião, a dupla dos EUA tomou o ato emprestado dos Panteras Negras, o grupo ativista do movimento negro no país.

O ano de 1968 foi de profunda transformação. No Brasil, a data ficou marcada pela implementação do AI-5 (Ato Institucional nº 5) pelo governo do marechal Costa e Silva, no decreto mais radical da ditadura militar desde o início do regime, quatro anos antes.

"Em 1968, muitos países estavam vivendo em regimes ditatoriais, e isso atinge o esporte diretamente. Havia muito racismo. Parece que a gente saiu de 1968 e entramos nele de novo. O nosso governo atual, o Bolsonaro, ele representa muito do que foi aquele  ano", afirma Diogo Silva, 37.

Eleito presidente em 2018, após vitória no segundo turno, Jair Bolsonaro (PSL) já deu declarações em que elogiou o regime militar no Brasil.

John Carlos, Tommie Smith e outros cinco atletas negros foram expulsos da Olimpíada pela própria delegação americana por utilizarem o evento como plataforma de protesto. Diogo foi absolvido pela organização dos Jogos de Atenas. Repetiria o ato novamente?

"Talvez, se eu fizesse esse gesto hoje, o impacto e a retaliação pelo governo que nós temos, poderia ser muito mais grave do que foi em 2004. Era uma outra época. Estávamos ganhando uma liberdade que jamais tivemos", diz.

O protesto do lutador na Grécia tinha como pauta a falta de estrutura para os atletas de taekwondo. Desde então, a modalidade cresceu, mas não conseguiu escapar da série de  escândalos de corrupção que assolaram confederações brasileiras depois da Olimpíada do Rio de Janeiro.

Em 2016, operação da Polícia Federal afastou o presidente da Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD), Carlos Fernandes, condenado no ano passado em primeira instância, por crime de estelionato e fraude em licitação.

Após intervenção judicial, a CBTKD ficou —e segue— impedida de receber recursos repassados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), cujos investimentos vão direto para a preparação de atletas que disputam os grandes eventos.

Nos Jogos Pan-Americanos de Lima, a equipe brasileira de taekwondo conquistou 7 medalhas (sendo 2 de ouro, 2 de prata e 3 de bronze) das 8 que disputou, no melhor desempenho do país no evento.

Antes, no Mundial de Manchester, em maio, o Brasil já havia ganho 5 medalhas (2 pratas e 3 bronzes), também no melhor resultado do país em Mundiais da modalidade.

Para Diogo, ouro no Pan-Americano de 2007, no Rio, o esporte poderia estar ainda melhor não fosse a administração da confederação. Mas ele tem uma esperança.

"[Natália] é uma pessoa extremamente competente, tem fundamento acadêmico para desenvolver o seu trabalho. Só que caiu ali no covil das cobras. A gente torce para que ela consiga manter sua conduta", diz Diogo sobre Natália Falavigna, bronze em Pequim-2008 -conquista inédita para o taekwondo brasileiro em Olimpíadas-, nomeada pelo COB coordenadora técnica da seleção brasileira.

Formado em Educação Física e com MBA em Gestão Esportiva, Diogo também se mantém envolvido com a modalidade. Atualmente, é representante dos atletas na CBTKD, onde tenta aprovar um projeto para o registro dos esportistas em carteira.

"Sem isso, eles não têm nenhum direito. Se as pessoas não vão conseguir se aposentar mais ou vão se aposentar aos 65, o atleta vai demorar ainda mais", afirma.

Apesar de continuar praticando taekwondo, ele não luta profissionalmente desde 2018. Hoje, seu principal canal de militância é outro.

Diogo Silva completa em 2019 dez anos à frente do coletivo Senzala Hi-Tech. Grupo formado por ele com o percussionista Junião, o beatmaker Minari e o rapper MC Sombra,  que mistura rap, hip-hop e ritmos brasileiros e africanos.

Inicialmente, o projeto era fazer músicas para atletas, mas acabou se tornando seu mais novo meio de protesto.

Na última sexta-feira (9), o Senzala lançou o disco "Represença", que comemora uma década de atuação do coletivo.

No escritório de sua casa, na zona sul de São Paulo, um disco do rapper Sabotage (1973-2003) que está sobre a vitrola denuncia uma de suas inspirações. Os Racionais MC's e Emilio Santiago, cantor admirado por sua mãe, que o criou sozinho, também formam parte de sua base musical.

Nascido em São Sebastião, litoral norte de São Paulo, Diogo Silva se mudou aos 11 anos para Campinas, onde sua mãe foi estudar Educação Física. Aos 16, e já almejando uma carreira no taekwondo, criou sua primeira banda. "Nada sério, só brincadeira", diz.

Nas muitas viagens que a carreira de atleta profissional lhe proporcionou, a música era uma forma de driblar a solidão das concentrações. Nos hotéis e ginásios espalhados pelo mundo, começou a escrever poesias e rimas, que mais tarde se transformariam em embriões das canções gravadas pelo Senzala Hi-Tech.

O compositor Diogo Silva mostra a mesma veia de protesto dos tempos em que usava quimono. O que pode ser visto no novo álbum, com faixas como "Bozolândia" e "Terra da Pilantragem". Na primeira delas, trecho da música diz que, no Brasil, "os messias andam com rifles". O recado, e ele não nega, é para Bolsonaro.

"O governo Bolsonaro nos dá um processo criativo imenso. Eu lembro que, na ditadura militar, o Caetano [Veloso] e o [Gilberto] Gil fizeram as músicas mais fabulosas deles. A 'Bozolândia', nós lançamos no dia da posse, foi para ele. Nós somos um espelho. Toda a brutalidade vai sempre voltar para ele, toda a covardia vai ser repassada", diz.

"A música é uma ferramenta muito poderosa, porque ela entra nas casas, está dentro do transporte público, dos escritórios. Hoje eu consigo levar [às pessoas] aquilo que só tinha a oportunidade quando ganhava uma medalha. Nossas músicas são atuais. É agora, para esta geração, para este tempo. A gente vem conseguindo uma transformação silenciosa. Mas impactante."

Corinthians: Pedrinho não discute renovação mesmo com sondagens

Corinthians: Pedrinho não discute renovação mesmo com sondagens

O Corinthians tem bom relacionamento com Pedrinho e seu empresário e, por isso, só monitora a situação do jogador.

Nesta terça (13), um jornalista perguntou ao meia Pedrinho se existia chance de ele deixar o Corinthians nesta janela de transferências, antes do fim do ano. Ele desconversou. Disse que gostaria de permanecer "o máximo de tempo".

De acordo com o que apurou o UOL Esporte, esse "máximo" pode não demorar muito -o meia, que é destaque da equipe em 2019, tem contrato curto e não negocia a renovação do vínculo neste momento justamente pela confiança do estafe em uma negociação próxima.

Pedrinho chegou ao Corinthians em 2013 e seu contrato atual é válido até 31 de dezembro de 2020. Para efeito de comparação, além de Manoel, que está emprestado pelo Cruzeiro até dezembro, nenhum outro jogador considerado titular tem menos tempo de contrato do que Pedrinho.

É no máximo igual, como nos casos de Gabriel e Vagner Love. Por se tratar de uma promessa da base constantemente sondada por clubes internacionais, o prazo para o término do contrato podia ser motivo de preocupação. Não é.

O Corinthians tem bom relacionamento com Pedrinho e seu empresário e, por isso, só monitora a situação do jogador. Internamente, os dirigentes alegam que confiam no estafe do atleta e não temem perdê-lo sem uma compensação financeira considerável.

"Eu já deixei claro para meu empresário que eles possam resolver isso entre clube e empresário. Quanto mais estiver aqui vou ajudar o Corinthians. Sempre desejei ficar aqui, sou muito feliz aqui", disse o meia.


Foto: Folhapress

"Espero que isso [renovação] possa acontecer e vou deixar nas mãos do meu empresário e da diretoria. Mas realmente sabemos como é o futebol, às vezes aparece proposta. Mas como já falei, deixo nas mãos do meu empresário para que ele tome conta disso. Independente de propostas, eu quero jogar meu futebol e crescer cada vez mais", discursa o jogador de 21 anos, ao UOL Esporte.

A multa rescisória está estipulada em 50 milhões de euros (R$ 222 milhões). Mas há quem diga no Parque São Jorge que o clube paulista aceita negociar o atleta por pouco mais da metade deste valor. O clube detém 70% de seus direitos econômicos.

A ideia principal das duas partes, que decidiram não tornar a decisão pública por conta da instabilidade do mercado, é vender Pedrinho em 2020, no começo ou meio do ano. Caso haja risco de isso não acontecer, haverá nova rodada de negociações.

Interessados não faltam. O estafe de Pedrinho e a diretoria do Corinthians recebem sondagens frequentes. O Borussia Dortmund, da Alemanha, é um dos clubes que tem o meia brasileiro bem avaliado internamente e está atento a possibilidades.

Também já houve pedidos de informação do Porto, de Portugal, e conversas com representantes em nome de Monaco, da França, e Atlético de Madri, da Espanha. O jogador, por enquanto, descarta mercados alternativos, como China e Arábia Saudita. Quer Europa.

Destaque da base em 2017, Pedrinho foi promovido ao elenco profissional após o título da Copa São Paulo de Juniores. Foi tricampeão paulista (2017, 2018 e 2019) e campeão brasileiro (2017). Soma atualmente dez gols em 116 partidas. Em 2019, sua primeira temporada como titular depois de espantar o rótulo de eterna promessa, são cinco gols e quatro assistências em 39 participações.

FFP inicia visitas aos estádios que irão receber Série B do Piauiense

FFP inicia visitas aos estádios que irão receber Série B do Piauiense

As equipes que disputarão a competição correm contra o tempo.

A Federação de Futebol do Piauí (FFP) iniciou as vistorias nos estádios que irão receber a Série B do Campeonato Piauiense. Marcada para iniciar no próximo dia 6 de setembro as equipes que disputarão a competição correm contra o tempo para apresentar os laudos técnicos dos estádios onde vão mandar os seus jogos. 

A FFP estendeu o prazo de entrega dos laudos para até a próxima quinta-feira (15) e uma comissão da representando a Federação viajou nesta terça-feira (13) para realizar uma vistoria nas praças esportivas do interior. 

Na manhã de ontem (13), a comissão visitou o estádio Helvídio Nunes, em Picos, que será o palco da abertura da competição. À tarde a equipe se deslocou para a cidade de Oeiras, onde realizou vistoria no Estádio Gerson Campos. Nos dois locais foram vistoriados o gramado, os bancos de reservas, as saídas de emergências e os vestiários. 


A comissão visitou alguns dos estádios que receberão os jogos durante a competição - Foto: Ascom FFP

“São quatro laudos: laudo de segurança; de Vigilância Sanitária; do Corpo de Bombeiros, que esse é o mais complicado, e o laudo de en genharia. O que podemos constatar é que o único impedimento para a liberação dos estádios é a instalação de uma barra antipânico na saída emergência. Essas barras já foram compradas e deverão ser instaladas no final da semana. O Corpo de Bombeiros fará uma nova vistoria e até quinta-feira (22) esses laudos devem estar liberados” explicou Robert Brown, presidente da FFP. 

Hoje (14) a comissão está na cidade de Floriano, onde fará vistoria no Estádio Tibério Nunes. Os cinco clubes inscritos na Série B do Piauiense são Comercial, Cori-Sabbá, Oeirense, Picos e Timon. A disputa terá início no dia 6 de setembro com o jogo entre Picos e Timon, às 20h, no estádio Helvídio Nunes, em Picos. No dia seguinte, Oeirense e Comercial se enfrentam às 16h, no estádio Gerson Campos, em Oeiras. O Cori-Sabbá folga na rodada.

Oeirense estreia no dia 8 de setembro no Campeonato Piauiense

Oeirense estreia no dia 8 de setembro no Campeonato Piauiense

Os primeiros dias de atividades envolvem muita conversa e também avaliações físicas com os jogadores.

Aos poucos, os times que irão disputar a 2ª divisão do Campeonato Piauiense ganham cara. Na última semana foi a vez do Oeirense, comandado por Cicero Monteiro, se apresentar às atividades. O representante da cidade de Oeiras é uma das equipes que mais tem nomes conhecidos do futebol piauiense. A estreia será em casa, no dia 8 de setembro, contra o Comercial, de Campo Maior, no estádio Gerson Santos, em Oeiras. 

Os primeiros dias de atividades envolvem muita conversa e também avaliações físicas com os jogadores. Cícero Monteiro é um nome experiente, que comandou vários clubes do Estado: Parnahyba, Picos e Comercial. A responsabilidade frente ao Oeirense é grande, pois entre os cinco times que irão disputar a competição, o time foi um dos que mais investiu e essa é a primeira participação em competições es taduais. 

No elenco, o Oeirense tem nomes como o goleiro Mondragon, o atacante Rhuann, os volantes Kaio e João Paulo, o lateral Tote, o zagueiro Anderson Alagoano, todos com passagens pelo River em 2019. O experiente meia Paulinho Mossoró, o zagueiro Rodolfo também fazem parte do elenco. 

O meia-atacante Caio Cezar, de 23 anos, com passagens pelo Palmeiras e Cruzeiro. O jogador, que é natural de Oeiras, mas estará vestindo pela primeira vez a camisa de um clube do Piauí também se apresentou. 

A estreia do Oeirense será no dia 8 de setembro quando recebe o Comercial. Antes disso, a competição tem o pontapé inicial com o jogo entre Picos x Timon, às 20h, no estádio Helvídio Nunes, em Picos. O Cori-Sabbá folga na rodada de estreia.

Grêmio revê Athletico-PR, adversário era recente de títulos

Grêmio revê Athletico-PR, adversário era recente de títulos

Em 2016, quando foi pentacampeão na volta de Renato Gaúcho, o time tricolor venceu o clube rubro-negro nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Grêmio e Athletico-PR vão se enfrentar pela terceira vez nas últimas quatro edições de Copa do Brasil. Adversário nas semifinais neste ano, com jogo de ida nesta quarta-feira (14), o clube paranaense ficou marcado como adversário que abriu a era recente de títulos gremistas.

Em 2016, quando foi pentacampeão na volta de Renato Gaúcho, o time tricolor venceu o clube rubro-negro nas oitavas. No ano seguinte, bateu o mesmo rival nas quartas de final. Para o grupo de jogadores e comissão técnica do Grêmio, os avanços diante da equipe de Curitiba sempre significaram injeção de ânimo.

"A gente tira lições de quando ganhamos. E temos em mente ganhar novamente. Temos adversários qualificados, que querem ser campeões também. É relembrar as conquistas e ver o que tivemos de bom para fazermos grandes jogos e irmos em busca de títulos novamente", comentou Maicon, volante e capitão do Grêmio.


Foto: Divulgação/Grêmio FC

Há três anos, o Grêmio, ainda sob ordens de Roger Machado, venceu na ida, fora de casa, por 1 a 0. Em Porto Alegre, já com Renato Gaúcho à frente do comando técnico, a equipe gremista perdeu pelo mesmo placar mínimo, e a vaga foi decidida nos pênaltis -Marcelo Grohe brilhou, a classificação veio, e o time embalou.

"É o mata-mata que ficou marcado para mim, pela situação do jogo, pelo que aconteceu nos pênaltis e por dali em diante ter uma arrancada de conquistas", frisou Maicon.

Em 2017, o Grêmio encarou o Athletico de novo e goleou por 4 a 0 em Porto Alegre. Em Curitiba, ocorreu nova vitória, por 3 a 2, e classificação. Mais do que a vaga, o avanço deu confiança a um time que havia sido eliminado precocemente no Gauchão e que terminou o ano com o título da Libertadores e o vice do Mundial de Clubes.

Nesta quarta, às 21h30 (de Brasília), o Grêmio volta a campo contra o adversário paranaense também precisando de um bônus de autoestima. O rendimento da equipe titular tem melhorado, mas boa atuação e vantagem significativa podem aumentar o moral em meio à maratona de jogos.

A primeira partida ocorrerá em Porto Alegre, na Arena do Grêmio. A volta está marcada para o dia 4 de setembro, em Curitiba.

Goleiro Bruno tem propostas e pedirá à Justiça para voltar a jogar

Goleiro Bruno tem propostas e pedirá à Justiça para voltar a jogar

Ele foi condenado em 2013 pelo assassinato de Eliza Samudio e atualmente cumpre o regime semiaberto.

O goleiro Bruno Fernandes, 34, pode voltar ao futebol. Segundo o escritório de advocacia que representa o jogador -condenado em 2013 pelo assassinato de Eliza Samudio e atualmente no regime semiaberto-, o ex-goleiro do Flamengo recebeu propostas de alguns clubes. Entre eles está o Poços de Caldas FC.

"Antes de qualquer contrato ser formalizado, será feito um pedido formal ao juiz da execução penal, em obediência à lei", disse o escritório Mariana Migliorini Advogados e Associados, que confirmou ter ocorrido uma reunião entre o clube e o jogador nesta terça-feira (13).

"Falta a parte da Justiça e detalhes em termos de valor", disse Paulo César Silva, presidente do Poços de Caldas.

A informação sobre a proposta do Poços foi inicialmente divulgada pelo Jornal Mantiqueira, da cidade, e confirmada pela reportagem com os representantes legais do ex-atleta.

Em razão da agenda de viagens da advogada, a requisição à Justiça deve ser protocolada apenas na quarta-feira (14).


Bruno Fernandes cumpre regime semiaberto após ser condenado pelo assassinato de Eliza Samudio - Foto:  Lúcio Adolfo/Boa Esporte/Fotos Públicas

Segundo os representantes, ele também teve propostas de outras equipes. Eles não informaram por qual time o goleiro deseja atuar. Atualmente, o Poços de Caldas disputa a terceira divisão mineira, que só começa em 2020.

A reportagem não conseguiu contato com o clube até a publicação deste texto.

Nas suas redes sociais nesta terça, o Poços de Caldas fez mais de uma postagem com tom enigmático. "Nosso trabalho é um trabalho social dando oportunidade para todos. Em breve estaremos anunciando uma grande contratação", diz um texto no Facebook.

O goleiro cumpre pena de 20 anos e nove meses pelo assassinato da ex-namorada, Eliza Samudio, ocorrido em 2010. Inicialmente, ele fora condenado a 22 anos e 3 meses, mas teve a pena reduzida em 2017, pela prescrição do crime de ocultação de cadáver.

Em julho deste ano, Bruno foi autorizado voltar ao regime semiaberto, direito concedido a ele pela primeira vez em outubro de 2018, mas perdido após ele ser filmado, pela TV Alterosa (afiliada do SBT em Minas) tomando cerveja com mulheres em horário que deveria estar trabalhando.

Em fevereiro de 2017, o ex-goleiro conseguiu um habeas corpus e assinou com o Boa Esporte, de Varginha (MG), na região sul do estado, onde cumpre pena. Depois de dois meses, o Tribunal de Justiça decidiu que ele deveria voltar à prisão.

13 de agosto de 2019

Barcelona e PSG discutem troca entre Neymar e Coutinho

Barcelona e PSG discutem troca entre Neymar e Coutinho

O Barcelona já se reuniu com representantes do Coutinho em Paris para envolvê-lo diretamente na operação com o PSG.

Na manhã desta terça (13), dirigentes do Barcelona viajaram à França pela contratação de Neymar. Segundo apurou o UOL Esporte, os representantes da agremiação azul-grená se reunirão com o brasileiro Leonardo, diretor do Paris Saint-Germain, para conversar sobre a possibilidade de uma troca envolvendo o atacante e Philippe Coutinho.

O Barcelona já se reuniu com representantes do Coutinho em Paris para envolvê-lo diretamente na operação com o PSG. O time espanhol estava negociando a ida do brasileiro ao Bayern de Munique, mas as conversas não avançaram, já que a proposta feita pelos alemães não agradou à equipe azul-grená e nem ao jogador.

Por outro lado, Coutinho já se sente satisfeito com uma transferência ao PSG. O meio-campista já conversava com Thiago Silva há algum tempo sobre a possibilidade de atuar na agremiação da capital da França.

O modelo da possível troca ainda é discutido. O Barcelona pode pagar uma quantia em dinheiro para o PSG além de enviar Coutinho para a França. Além disso, outros jogadores do clube catalão, como Nelson Semedo e Ivan Rakitic, também podem ser envolvidos.

Com o acordo praticamente fechado entre Barcelona e PSG, fontes do Real Madrid consideram que o time já está quase desistindo da contratação de Neymar. De acordo com apuração do UOL Esporte, o clube merengue ficou desanimado ao saber do avanço do Barça e já se considera fora da operação.


Leia também

Caros e pouco desejados Coutinho, Neymar e Bale buscam novos clubes 

Caros e pouco desejados, Coutinho, Neymar e Bale buscam novos clubes

Caros e pouco desejados, Coutinho, Neymar e Bale buscam novos clubes

O período da janela de transferências, quando os clubes podem negociar jogadores, é a oportunidade de garantir a mudança

Os meses de junho e julho, que marcam a transição de uma temporada para a outra na Europa, são quase tão aguardados quanto os próprios campeonatos. Para os atletas, o período da janela de transferências, quando os clubes podem negociar jogadores, é a oportunidade de garantir a ida a um clube maior ou mudar de ares depois de anos com a mesma camisa.

É o exemplo do belga Eden Hazard, que deixou o Chelsea (ING) para o Real Madrid (ESP) por 100 milhões de euros (R$ 445 milhões), a principal negociação do futebol mundial até aqui em 2019.

Segundo levantamento do jornal inglês The Guardian, os clubes das cinco ligas europeias mais relevantes (Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França) movimentaram juntos valor superior a 4,7 bilhões de libras (cerca de R$ 22,6 bilhões) apenas nesta janela.

Mas o período em que o mercado está aquecido tem sido uma espécie de calvário para três jogadores que, no passado recente, registraram recordes de transferência com suas respectivas mudanças de clube: Neymar, 27, Gareth Bale, 30, e Philippe Coutinho, 27.

O camisa 10 da seleção brasileira, que em 2017 custou ao Paris Saint-Germain (FRA) 222 milhões de euros (R$ 822 milhões na época), na negociação mais cara da história do futebol, acumula frustrações e episódios negativos neste ano.

Lesionado, assistiu da arquibancada à eliminação do PSG nas oitavas de final da última edição da Champions League, principal objetivo dos parisienses e motivo pelo qual o atacante foi contratado. Na temporada 2017/2018, ele já havia ficado fora -machucado- da queda para o Real Madrid (ESP), também nas oitavas.

Nova lesão o tirou da disputa da Copa América, em meio a uma acusação de agressão e estupro -a Justiça arquivou o inquérito relativo ao caso.

No último fim de semana, na estreia do time no Francês, torcedores no Parc des Princes xingaram o atacante e pediram sua saída do clube. Além da decepção pelo aspecto esportivo, desagrada a postura do atleta, que tirou folgas para vir ao Brasil e, recentemente, declarou que sua melhor lembrança na carreira é, justamente, do jogo em que eliminou PSG enquanto defendia o Barcelona (ESP).

A imprensa europeia especula sobre uma possível volta ao clube catalão, que ficou mais complicada depois do investimento de 120 milhões de euros (R$ 505 milhões) que o Barcelona fez pelo francês Antoine Griezmann, contratado para formar o trio de ataque ao lado de Messi e Suárez.

Segundo os jornais espanhóis, a negociação com o Real Madrid parece ser mais provável, ainda que o clube tenha pagado caro por Hazard.

Técnico do PSG, o alemão Thomas Tuchel já admite perder seu principal jogador.

"Temos que encontrar soluções sem Neymar. Eu adoro o Neymar, quero continuar contando com ele, com Kylian e com todo mundo. Mas a realidade é que devemos encontrar soluções sem Ney", disse.

Enquanto define a possível chegada do brasileiro, o Real Madrid trabalha para se desfazer do galês Gareth Bale.

Contratado em 2013 por 100 milhões de euros (R$ 313 milhões na época), recorde da janela de verão daquele ano, o atacante conviveu com problemas físicos que limitaram seu desempenho na Espanha.

Apesar disso, sua passagem por Madri está longe de ser um fracasso, com atuação importantes nos quatro títulos de Champions League vencidas pelo Real entre 2014 e 2018.

O retorno do técnico Zinédine Zidane ao time, porém, deve forçar a saída do galês, que chegou a ficar fora da lista de relacionados para amistosos da pré-temporada nos EUA.

"Se é iminente [a saída do jogador], melhor para todos, para ele [Bale] também. Não tenho nada contra Bale, mas tomo decisões. Chega um momento que tem de mudar", disse o técnico francês, tricampeão europeu com Bale.

Uma das opções para o futuro do atacante seria o retorno à Premier League, onde atuou com sucesso no Tottenham. Mas a janela de transferências da Inglaterra se fechou no último dia 8.

O mercado inglês também negou a repatriação de um brasileiro que saiu há pouco do futebol do país e ainda não emplacou fora dele. Philippe Coutinho custou 120 milhões de euros (R$ 468 milhões à época) ao Barcelona, que tirou o meia-atacante do Liverpool na janela do inverno (janeiro) de 2018 com a esperança de que, na Catalunha, ele pudesse repetir o destaque obtido no futebol inglês.

Ao lado de Bale e Neymar, Coutinho foi quem menos rendeu esportivamente.

Fez 10 gols em 22 jogos e ajudou o time na conquista do Espanhol e da Copa do Rei. Porém, encontrou problemas para se adaptar às duas funções em que foi testado: como ponta pela esquerda, onde atuava Neymar quando defendia o clube, e como meio-campista, no papel de criação antes desempenhado por Iniesta.

As janelas de transferência na Alemanha, na França e na Espanha acabam no dia 2 de setembro. Na Itália, o mercado fechará no próximo dia 23.

Após melhor Pan, Brasil mira desafio maior em Tóquio

Após melhor Pan, Brasil mira desafio maior em Tóquio

A Olimpíada de Tóquio-2020, de 24 de julho a 9 de agosto de 2020, será o maior teste para o país que sediou a última edição do evento mostrar em que patamar está no cenário esportivo mundial.

Depois de fazer a melhor campanha da sua história em números totais de medalhas e ouros nos Jogos Pan-Americanos, o esporte brasileiro vira a chave para encarar uma realidade bem mais difícil daqui a menos de um ano.

A Olimpíada de Tóquio-2020, de 24 de julho a 9 de agosto de 2020, será o maior teste para o país que sediou a última edição do evento mostrar em que patamar está no cenário esportivo mundial. Até hoje, só a Grã-Bretanha melhorou seu desempenho logo após receber os Jogos Olímpicos.

As 171 medalhas no Pan de Lima (55 ouros) e a vice-liderança no quadro de medalhas (posto que não ocupava desde 1963) do evento, encerrado neste domingo (11), indicam uma evolução brasileira no contexto regional.

"Trabalhamos com muito pé no chão. Temos plena consciência do que são os Jogos Pan-Americanos em relação à Olimpíada. Alcançamos nossos objetivos e agora avaliaremos as dificuldades que vamos enfrentar para Tóquio", disse Jorge Bichara, diretor de esportes do Comitê Olímpico do Brasil (COB).


Foto:Reprodução

O principal objetivo do país no Peru era obter o maior número possível de vagas em Tóquio. Conquistou 29, em 9 das 14 modalidades onde elas estavam em jogo (handebol feminino, tênis, tênis de mesa, vela, tiro com arco e pentatlo moderno, além de hipismo adestramento, saltos e CCE). No total, já são 104 atletas brasileiros classificados para a competição.

Como almeja ter um bom desempenho geral no evento, mesmo na maioria dos esportes sem distribuição de vagas olímpicas pelo Pan, o Brasil levou a Lima o que tem de melhor –com poucas exceções, como no vôlei e no judô.

Alguns dos atletas do país entre os melhores do mundo tiveram pouca concorrência, como a nadadora Ana Marcela Cunha, o canoísta Isaquias Queiroz e as velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze, todos medalhistas de ouro em suas principais provas.

A participação de nomes consagrados como eles no Pan contribui para o desempenho da delegação brasileira num momento em que o esporte olímpico ganha visibilidade no país, mas não é o que eles fizeram no contexto regional que os torna mais cotados ao pódio no Japão.

Na natação, esporte em que o país conquistou 32 medalhas e bateu seu recorde, quase todos os nadadores brasileiros fizeram tempos piores do que apresentaram no Mundial da Coreia do Sul, prioridade do ano e disputado duas semanas antes do Pan-Americano.

"Tecnicamente falando, o nível do Pan-Americano deste ano foi um pouco mais fraco do que o de Toronto-2015, vimos isso na maioria das provas. Então não podemos pegar esse gancho para dizer que todos os nadadores serão campeões olímpicos, porque a realidade não é essa. Aqui é uma preparação", disse Etiene Medeiros, ganhadora de 5 medalhas, sendo 1 de ouro.

Isso não significa que os Jogos de Lima não tenham sido marcados por resultados importantes para o Brasil. No taekwondo, o país confirmou que tem uma geração forte ao faturar 7 de 8 medalhas possíveis. No Mundial, em maio, subiu ao pódio cinco vezes.

No atletismo, algumas marcas alcançadas por brasileiros foram relevantes mundialmente. Com seu resultado no arremesso do peso (22,07 m), Darlan Romani seria prata na Rio-2016. Alison dos Santos, o Piu, correu os 400 m com barreiras em 48s45, tempo que lhe daria a segunda posição no último Mundial.

Bichara também destacou como performances relevantes, entre outras, a dobradinha dos ginastas Francisco Barretto Júnior e Arthur Nory na barra fixa, os ouros por equipes e individual de Marlon Zanotelli nos saltos do hipismo e o primeiro lugar de Ygor Coelho no badminton após uma série de lesões.

Ainda não há uma meta definida pelo COB para os Jogos de 2020. Será preciso analisar retornos de lesões, como o da ginasta Rebeca Andrade, e resultados nos próximos meses, que terão uma sequência de campeonatos mundiais, entre eles os de canoagem, judô, basquete masculino, ginástica e atletismo, além do evento-teste da vela no Japão.

Por ora, o comitê fala em conquistar medalhas em mais de dez esportes, repetindo o que fez em 2016. "Se partirmos para uma competição imaginando que a gente possa ser pior do que na anterior, melhor não ir. Vamos pensando que pode ser melhor. Tóquio já começou", disse Bichara.

12 de agosto de 2019

Resultado no Pan é alívio, mas não solução para esporte do Brasil

Resultado no Pan é alívio, mas não solução para esporte do Brasil

O bom desempenho não esconde uma série de problemas de gestão no esporte nacional.

Desde 2016, após a Olimpíada do Rio, o esporte brasileiro se acostumou a ouvir más notícias: estatais deixaram de patrocinar confederações, dirigentes foram presos em investigações de corrupção e fontes de financiamento importantes, como o Bolsa Atleta e a Lei Piva, ameaçaram secar.

Veja aqui todas as medalhas do Brasil  Em meio a esse cenário, a informação de que o Brasil acabou de conquistar o maior número de medalhas em uma edição de Jogos Pan-Americanos e voltou a ocupar a vice-liderança do evento depois de 56 anos soa como alívio. Mas não vai muito além disso.

O bom desempenho não esconde uma série de problemas de gestão no esporte nacional. Durante o Pan, a CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) deu novos passos rumo a uma situação de pré-falência. Essa é a definição adotada pelo conselho de ética do Comitê Olímpico do Brasil (COB) em um processo que envolve a entidade.

Mesmo assim, os nadadores do país saíram do evento em Lima com 32 medalhas, um recorde em Jogos Pan-Americanos. Mas o que explica a convivência entre a penúria administrativa e os bons resultados?

Com a redução drástica do investimento público e privado no esporte, o COB tornou-se uma espécie de interventor em confederações que não conseguem caminhar com as próprias pernas. É ele quem distribui as verbas das loterias federais oriundas da Lei Piva, hoje o principal motor do esporte olímpico brasileiro. Este ano, a previsão de arrecadação do comitê com essa fonte chega a R$ 250 milhões.

Quando as entidades não podem receber a parte que lhes cabe desse bolo por conta de dívidas, o COB assume de forma direta os pagamentos para que os atletas não deixem de participar de campeonatos. Também coloca dinheiro na contratação de treinadores e períodos de treinamentos no exterior, por exemplo.

Isso faz com que os atletas de elite não fiquem desassistidos e continuem em evolução após um ciclo de bolsos cheios antes da Olimpíada do Rio. Por outro lado, não resolve as incertezas sobre o desenvolvimento de novos talentos e o futuro do esporte no país.

Tampouco são capazes de mudar esse cenário os investimentos do governo federal com o Bolsa Atleta e o programa de alto rendimento das Forças Armadas. Mais de 70% dos medalhistas em Lima recebem a bolsa, uma importante ajuda, mas que por si só não é um programa de formação.

Assim como ocorreu no Pan, na Olimpíada de Tóquio-2020 é possível que a performance do país não seja afetada por esse cenário e até melhore na comparação com a Rio-2016. Se isso acontecer, o Brasil será a segunda nação a elevar o desempenho logo após sediar os Jogos, a exemplo do que fizeram os britânicos na última edição.

As boas perspectivas para o Japão se justificam também pela inclusão no programa olímpico de modalidades em que o país tem boas chances de medalha, como skate, surfe e caratê.

Já sobre os Jogos de Paris-2024 e Los Angeles-2028 paira uma carregada nuvem de incertezas. Sem dinheiro não há como formar novos atletas de qualidade, e por enquanto nada indica que ele voltará a pingar na conta do esporte brasileiro.

Mayra Aguiar conquista ouro no judô do Brasil no Pan-Americano

Mayra Aguiar conquista ouro no judô do Brasil no Pan-Americano

A brasileira conquistou a medalha após vencer Kaliema Antomarchi. O Brasil fechou o judô com dez medalhas.

Na final da categoria até 78 kg, Mayra Aguiar conquistou a medalha de ouro após vencer a cubana Kaliema Antomarchi com um ippon. O Brasil fechou o judô no Pan de Lima, no Peru, com dez medalhas no judô.

Após a luta terminar empatada por 0 a 0, a disputa precisou de mais de dois minutos de golden score para acabar com um gole preciso da brasileira.

Mayra já conquistou duas medalhas de bronze em Olimpíada, a primeira em Londres-2012 e a segunda na Rio-2016. Ela também já foi campeã mundial (2014), mas nunca havia vencido o Pan -tinha duas pratas e um bronze.

Esse foi o oitavo encontro entre as duas judocas, o oitavo com vitória da brasileira.


Esse foi o oitavo encontro entre as duas judocas, todos com vitória da brasileira - Foto: Folhapress

O Brasil também conquistou o bronze no judô feminino na categoria mais de 78 kg com um ippon de Beatriz Souza, que venceu a nicaraguense Marenco Izayana.

Aos 21 anos, ela já tem duas medalhas em Mundiais sub-21 e conquista seu primeiro pódio em Jogos Pan-Americanos.

No masculino, David Moura ganhou a medalha de bronze na categoria mais de 100 kg. O atleta foi o último brasileiro a lutar no Pan de Lima.

Ele aplicou um ippon sobre Ajax Tadehara, dos Estados Unidos, para vencer a disputa pelo terceiro lugar.

É a décima medalha do judô brasileiro neste Pan. Foram cinco de ouro, uma de prata e com essa, quatro de bronze.

Seleção feminina de vôlei perde da Argentina e deixa o Pan

Seleção feminina de vôlei perde da Argentina e deixa o Pan

A última vez em que o Brasil não subiu ao pódio do vôlei feminino no Pan foi na edição de Mar del Plata-1995. Nas semifinais, o time já tinha sofrido uma derrota surpreendente: 3 a 2 para a Colômbia.

A seleção brasileira feminina de vôlei deixa os Jogos Pan-Americanos sem medalha. A equipe do técnico José Roberto Guimarães, que foi para Lima sem suas principais jogadoras, foi derrotada por 3 sets a 0 (26/24, 25/20 e 25/21) pela Argentina - foi a segunda vitória das 'hermanas' pelo mesmo placar no torneio. A primeira foi na fase de grupos.

A última vez em que o Brasil não subiu ao pódio do vôlei feminino no Pan foi na edição de Mar del Plata-1995. Nas semifinais, o time já tinha sofrido uma derrota surpreendente: 3 a 2 para a Colômbia, que nunca tinha conquistado uma medalha no vôlei feminino em Jogos Pan-Americanos.

Não era o desfecho que o técnico tricampeão olímpico esperava. Aos 65 anos, Zé Roberto vive a contagem regressiva para o adeus às quadras. Ele já anunciou que esse é seu último Pan à frente da seleção. Foi presença forte à beira da quadra, com reações intensas. E mostrou que a rotina de viagens está cobrando um preço que, agora, se torna mais alto do que ele está disposto a pagar.


Foto: Reprodução/Instagram

O técnico lamentou não contar com uma seleção em suas melhores condições para o Pan, com os desfalques que seu time teve vindo do pré-olímpico, enquanto equipes como a Argentina foram completas para Lima.

"É um grupo novo, que precisa rodar, precisa passar por esses momentos. Foi assim desde o início, no começo na primeira vitória fomos bem porque neutralizamos o passe de Porto Rico. Depois, pegamos equipes que disputaram o pré-olímpico completas e vieram direto para cá em melhores condições", afirmou Zé Roberto ao Sportv.

"Nós não pudemos fazer isso, precisávamos dar um tempo para nossas jogadoras. Até porque, essa lista eu tive que passar dois meses atrás, não dá para ter bola de cristal, como tinha que preservar jogadoras por ter chegado na final da Liga das Nações, sabia que elas iriam chegar num processo de cansaço e estresse grande, não dava para colocar no Pan", completou.

Ele também criticou o calendário do vôlei este ano, com as competições em sequência um ano antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

"Precisa ser revisto o calendário, nossas jogadoras ficam mais sobrecarregadas. Até tenho que agradecer ao COB, é sempre um prazer estar aqui. Temos que preservar nossas jogadoras, se colocar em todas, elas vão ter um desgaste maluco. Estamos há um ano da Olimpíada e temos que pensar nisso", finalizou Zé Roberto.

11 de agosto de 2019

Brasileira é ouro em Lima e ganha sua quarta medalha pan-americana

Brasileira é ouro em Lima e ganha sua quarta medalha pan-americana

Aos 34 anos, a paulista de Presidente Prudente agora acumula quatro medalhas pan-americanas em sua carreira.

Uma das referências do caratê brasileiro, Valéria Kumizaki venceu suas duas lutas deste sábado (10) e se tornou bicampeão do Pan de Lima na categoria até 55kg. Ela venceu na final a canadense Kathryn Campbell por quatro yukos a um. 

Aos 34 anos, a paulista de Presidente Prudente agora acumula quatro medalhas pan-americanas em sua carreira. Ela subiu ao pódio do evento em suas últimas quatro edições, começando com uma prata no Rio de Janeiro-2007. Depois, levou um bronze em Guadalajara-2011.

Valéria é, inclusive, citada como ídolo de Jessica de Paula, sua companheira de seleção, como ídolo no esporte. Ao lado de Ronaldinho Gaúcho, diga-se.

Esse foi o primeiro ouro da equipe brasileira de Caratê na capital peruana, depois de três bronzes. No domingo, mais cinco categorias terão medalhas distribuídas.

No quadro histórico da modalidade, o Brasil foi o país com melhor desempenho até esta edição, somando nove ouros, dez pratas e dez bronzes.

Altobeli é ouro e salva atletismo; favoritos decepcionaram

Altobeli é ouro e salva atletismo; favoritos decepcionaram

O Brasil ainda faturou outras duas medalhas, também com atletas menos badalados; Augusto Dutra foi prata no salto com vara e Eduardo dos Santos, o Du Trem Bala, ganhou o bronze nos 110m com barreiras

Depois de quatro dias praticamente perfeitos no estádio de Videna, o Brasil teve um sábado de decepções no atletismo dos Jogos Pan-Americanos, salvo por um herói improvável. Pouco badalado ainda que tenha sido finalista olímpico no Rio, Altobeli Santos ganhou os 3.000m com obstáculos e faturou sua segunda medalha em Lima - a primeira havia sido a prata nos 5.000m.

O ouro compensou as frustrações. O público peruano não teve muita chance de aplaudir alguns dos principais nomes da equipe brasileira. Três dos principais nomes da modalidade no país saíram sem medalhas: o campeão olímpico do salto com vara Thiago Braz, o vice-campeão mundial indoor do salto triplo Almir Jr, e o recordista sul-americano dos 110m com barreiras Gabriel Constantino.

O Brasil ainda faturou outras duas medalhas, também com atletas menos badalados; Augusto Dutra foi prata no salto com vara e Eduardo dos Santos, o Du Trem Bala, ganhou o bronze nos 110m com barreiras. Outro que era candidato a azarão, Alexsandro Melo, o Bolt, saiu machucado da final do salto triplo, com o tornozelo esquerdo torcido.

Mas essa não foi nem a única nem a mais dolorida lesão brasileira no dia. Na prova que abriu a etapa, Gabriel Constantino liderava a final dos 110m com barreiras, para confirmar seu favoritismo, e tropeçou na antepenúltima barreira. Retirado da pista em uma cadeira de rodas e sem a sapatilha do pé esquerdo. Ele e Alexsandro foram levados à clínica da Vila Pan-Americana para passarem por exames, mas inicialmente não parece ser nada grave.

Criticado por colegas da delegação por conta do cabelo descolorido, Altobeli conseguiu uma medalha para combinar com o novo visual: dourada. Depois de faturar a prata nos 5.000m, ele disse que tinha como objetivo vencer os 3.000m com obstáculos, sua principal prova. E cumpriu a meta.

Fazendo uma prova claramente conservadora, em que ditou um ritmo lento, Altobeli disparou nos últimos 600 metros e não foi alcançado por ninguém. Terminou com o tempo de 8min30s73, um segundo e meio à frente do colombiano Carlos Sanmartin. O estádio vibrou com o bronze do peruano Mario Argandoña.

"Eu estava engasgado já com o ouro. Eu ganhei a prata, como vocês sabem, e essa prova é a minha principal prova. Na hora ali eu pensei: 'Eu vou pegar a ponta, vou começar a correr na frente e tentar fazer um ritmo mais forte para que os adversários não conseguissem (acompanhar)'. Foi o que eu fiz, deu certo", comentou o fundista, que já havia reclamado das poucas oportunidades abertas a ele para correr provas fortes no exterior. Agora, com um ouro e uma prata pan-americanas no currículo, deve ficar mais fácil.


Augusto é prata

Revelado em Marília (SP), de onde também sairia Thiago Braz, Augusto Dutra chegou a ser o recordista sul-americano até que seu conterrâneo começasse a voar. Ofuscado, fez três temporadas muito ruins em 2016, 2017 e 2018. Este ano, treinando com um novo treinador, Henrique Camargo, voltou a saltar bem. E, em Lima, conseguiu o resultado mais importante de sua carreira.

Passou o sarrafo a 5,71m e, com a prata garantida, preferiu não tentar 5,76m. Tendo 5,75m como melhor da temporada, arriscou para tentar ganhar o ouro e foi direto para 5,81m. Errou as três tentativas e ficou com a prata, derrotado apenas pelo norte-americano Christopher Nilsen, que é o quarto do ranking mundial.

Quinto nessa lista, depois de fazer em Mônaco a primeira boa exibição desde o ouro olímpico, Thiago Braz voltou a saltar muito mal. Passou 5,51m, mas foi eliminado quando tentou 5,61m, terminando na quarta colocação. Como comparação, ele ganhou o ouro olímpico saltando 6,03m.

Almir chora

Protagonista do atletismo brasileiro desde que saiu do ostracismo para ser vice-campeão mundial indoor no ano passado, Almir Jr fez uma competição ruim no Pan. Voltando de lesão, errou as passadas e apresentou resultados bem abaixo do que está acostumado. Mesmo assim terminou em quarto, com 16,70m, a 13 centímetros do cubano Andy Hernández, que ganhou o bronze. Na saída da prova, chorando, pediu desculpas pelo resultado.

A prova teve bom nível, com vitória do norte-americano Omar Craddock, que saltou 17,42m. Ele é o terceiro do ranking mundial. A prata foi para o cubano Jordan Fortún, campeão mundial sub18 em 2017 e sub20 em 2018. Em Lima, ele saltou 17,38m. O brasileiro Alexsandro Melo, que tem 17,31m na temporada, se machucou no terceiro salto e não continuou na prova. Terminou em oitavo.

10 de agosto de 2019

Brasil faz história nos Jogos Pan-Americanos de Lima

Brasil faz história nos Jogos Pan-Americanos de Lima

O melhor resultado foi em 1963, em São Paulo, quando ficou em segundo no quadro de medalhas.

Os jogos Pan-Americanos de Lima terminam amanhã (11) e a equipe brasileira tem feito história. Até agora são 142 medalhas conquistadas, sendo 46 de ouro, 37 de prata e 59 de bronze, mas o Brasil está na disputa em várias modalidades.

O país caminha para seu melhor desempenho na história dos jogos. O melhor resultado foi em 1963, em São Paulo, quando ficou em segundo no quadro de medalhas. Na ocasião, porém, foram 52 medalhas no total. Atualmente o número de países participantes, modalidades e atletas é muito maior.

O melhor resultado foi em 1963, em São Paulo, quando ficou em segundo no quadro de medalhas (Foto: Alexandre Loureiro/COB/Divulgação)

As competições de hoje poderão trazer mais medalhas e chances de ouro, para consolidar o Brasil em segundo lugar no quadro geral. O país está na final do golfe masculino e feminino; no remo, e nas categorias de quatro remos e oito remos masculino. O Brasil também briga por medalha em finais na vela, no ciclismo de estrada e na patinação de velocidade.

Estarão em disputa ainda o bronze no polo aquático feminino, contra Cuba, e na natação 1.500 metros estilo livre masculino e 1.500 metros masculino e feminino. No basquete feminino, a seleção brasileira disputa a medalha de ouro contra os Estados Unidos.

No tênis de mesa feminino, o Brasil pode garantir uma medalha se vencer os Estados Unidos em uma das semifinais. Ontem (9) à noite, Jéssica Yamada e Caroline Kumahara venceram as chilenas por 3 sets a 0. Na mesma situação está o time feminino de vôlei. A vitória por 3 x 0 sobre os Estados Unidos garantiu a seleção na semifinal, hoje, contra a Colômbia.

09 de agosto de 2019

Neymar voltará a ser feliz quando desfrutar de seu jogo, diz pai

Neymar voltará a ser feliz quando desfrutar de seu jogo, diz pai

Segundo a publicação, a resposta foi dada em um contexto de pergunta sobre as duas equipes especuladas como possíveis destinos de Neymar: Real Madrid ou Barcelona.

O pai de Neymar disse, em declarações publicadas pelo jornal espanhol AS, que o filho "voltará a ser feliz quando desfrutar novamente de seu jogo".

Segundo a publicação, a resposta foi dada em um contexto de pergunta sobre as duas equipes especuladas como possíveis destinos de Neymar: Real Madrid ou Barcelona.

Porém, a reportagem diz que as palavras foram uma reiteração de uma resposta anterior, o que indica que a declaração está mais relacionada a um desejo de Neymar voltar logo aos gramados do que a um contexto de mudança de clube. O atacante do PSG não disputa uma partida desde junho por causa de uma lesão.

Vale ressaltar que a palavra "disfrutar" (desfrutar, em português) é bastante utilizada em espanhol e tem uma conotação próxima a "aproveitar" e "se divertir", expressões mais utilizadas em português.

Sobre o tempo afastado dos gramados, o pai de Neymar disse que o filho "não joga futebol há algum tempo devido à lesão que o mantém fora de campo desde junho, mas adquiriu grande força para superar os problemas".

Ainda segundo o AS, o pai de Neymar usou palavras semelhantes para dizer sobre o momento que o filho passa fora dos gramados. Ele foi acusado de estupro pela modelo Najila Trindade, mas o inquérito foi arquivado. "A vida e o futebol o ensinaram a ser uma pessoa muito forte em momentos complicados".

Neymar não jogou na pré-temporada do PSG, mas já está treinando com o elenco depois que se recuperou da lesão que o tirou da Copa América.

O PSG estreia no Campeonato Francês neste domingo (11), contra o Nimes. O técnico Thomas Tuchel ainda não divulgou os relacionados e existe a expectativa sobre a presença de Neymar, que já avisou ao clube que espera ser negociado nesta janela de transferências.

Líder do Brasileiro, Santos teve prejuízo de R$ 18 mi no 1º trimestre

Líder do Brasileiro, Santos teve prejuízo de R$ 18 mi no 1º trimestre

Segundo os integrantes da comissão fiscal do time, a dívida do Santos no curto prazo é de R$ 393.444.656,50.

Líder do Campeonato Brasileiro, o Santos gastou R$ 18 milhões a mais do que arrecadou no primeiro trimestre deste ano. A conclusão da comissão fiscal do conselho deliberativo foi protocolada no clube no último dia 1º e reclama, entre outras coisas, do dinheiro gasto com o departamento de futebol profissional.

Os conselheiros também questionam gastos da diretoria como a contratação de um escritório de criminalistas para atuar de forma "preventiva".

O relatório de 13 páginas aponta que o clube terminou março no vermelho em R$ 18.203.348,00 quando o orçamento previa lucro de R$ 13.408.840,59. Segundo os integrantes da comissão, a dívida do Santos no curto prazo é de R$ 393.444.656,50.

A pior notícia para o presidente José Carlos Peres é que o nível de endividamento foi de 10,21% da receita prevista para 2019. Se considerados apenas os primeiros três meses do ano, chegou a 52,70%. O limite permitido pelo estatuto do clube é de 10%. Em último caso, isso poderia levar a mais um pedido de impeachment do presidente.

Em setembro do ano passado, Peres conseguiu evitar sua saída do cargo em uma assembleia geral de sócios. 

O pensamento de parte dos conselheiros da oposição é que não há clima político para retirar o dirigente por causa da campanha da equipe no Campeonato Brasileiro. O Santos é líder da competição com quatro pontos de vantagem sobre o Palmeiras, segundo colocado. Isso é atribuído, em boa parte, ao desempenho da comissão técnica liderada pelo argentino Jorge Sampaoli.

Pelas planilhas da comissão, a folha de pagamentos do departamento de futebol, com impostos e direitos de imagem incluídos, foi de R$ 36.548.249 no período, representando quase a metade de toda a receita do clube. Para os cinco conselheiros que integram a comissão fiscal, a diretoria está torpedeando o futuro do Santos.

"O desejo de termos um time campeão não é exclusividade deste ou daquele, todos nós, sem exceção, temos esse desejo e torcemos para alcançar esse objetivo, não é privilégio de alguns. A busca por uma equipe 'competitiva' ou a ida ao mercado para atender 'pedidos da comissão técnica' está atingindo níveis que, salvo melhor juízo de nossa parte, fogem do limite seguro da racionalidade, correndo, de forma irrefreável, em direção a total irresponsabilidade", afirma o relatório.

Na semana passada, Sampaoli chegou a reclamar que não teve pedidos de reforços atendidos pela diretoria.

Entre os contratos celebrados, a comissão questiona a contratação da Malavasi Sociedade de Advogados, prestar serviços jurídicos na esfera criminal, "de consultoria preventiva, extrajudicial, administrativa na defesa do contratante [Santos] e de seus prepostos e funcionários", diz o texto.

A comissão não informa o valor do contrato, que obriga a pagamentos mensais pelo clube.

O Santos também fez acordo para locações de veículos para atender funcionários do clube, o presidente e dois jogadores. 

O costarriquenho Bryan Ruiz, apesar de ter salário de cerca de R$ 500 mil mensais, recebeu do clube Jeep Compass no valor de R$ 5.666,98 por mês. O valor de mercado do veículo é de R$ 115 mil. Outro foi entregue ao atacante paraguaio Derlis Gonzalez. 

A comissão questionou a necessidade de deixar um Jeep à disposição do presidente José Carlos Peres quando o clube já tem um contrato de comodato para um veículo BMW para o cartola. Sampaoli também recebeu o mesmo veículo.

A Folha de S.Paulo entrou em contato com a assessoria do presidente José Carlos Peres e questionou a opinião dele sobre o relatório. Até o momento, não obteve resposta.

4ª edição do Timon Bikers irá reunir atletas de diversos estados

4ª edição do Timon Bikers irá reunir atletas de diversos estados

No Piauí, a prova é valida pela 8ª etapa e acontece no dia 1ª de setembro, em mais de 80km de percurso.

Falta menos de um mês para 4ª edição do Timon Bikers. Prova tradicional no calendário do ciclismo, que reúne atletas de vários estados e vale pontos importantes para os atletas que brigam por titulo estadual no Piauí e Maranhão. No Piauí, a prova é valida pela 8ª etapa e no Maranhão corresponde a 6ª etapa. A disputa acontece no dia 1ª de setembro, em mais de 80km de percurso. 

Entre os nomes fortes que confirmaram presença na prova está o mineiro Daniel Carneiro Zoia, atleta Audax/ Corinthians e que recentemente se sagrou bicampeão da Picos Pro Race uma das maiores provas de ciclismo do Nordeste. Além dele, o piauiense Francisco Égio é nome forte para brigar pelo titulo na prova que acontece no estado vizinho. 


Foto: PIVA

Nos últimos anos, só aumenta o número de competidores, inclusive de outros estados; o Desafio chega à quarta edição consecutiva. Os diretores do evento estão bastante motivdos para fazerem um grande espetáculo, com uma prova de alto nível. E tem que ser, pois a prova ganhou sinal verde, mais uma vez, da Confederação Brasileira de Ciclismo - CBC e está classificada na classe XCM1, que rende maior pontuação. 

"Assim atletas que pretendem ser campeões brasileiros por ranking, geralmente os de ponta, procuram participar mais das provas com maior pontuação e o evento somente cresce dessa maneira", afirma o diretor do TBA, Cleiton Silva. 

A 4ª edição do Timon Bikers acontece no dia 1ª de setembro, na cidade de Timon (MA). A prova deve reunir mais de 100 ciclistas. A largada da prova será às 7 horas da manhã após vistorias. Serão distribuídos R$ 16 mil em prêmios, além de troféus para os campeões.

Jogos Escolares reúnem quase 2 mil alunos com 14 modalidades

Jogos Escolares reúnem quase 2 mil alunos com 14 modalidades

Fase nacional da competição acontece em novembro na cidade de Blumenau, em Santa Catarina.

As disputas da fase Estadual dos Jogos Escolares da Juventude teve inicio oficialmente nesta quinta-feira (8). São quase dois mil alunos atletas brigando por vaga na fase nacional da competição, que acontece no mês de novembro, em Blumenau, Santa Catarina. A competição acontece até o próximo domingo (10). 14 modalidades estão em disputa, dez coletivas e quatro individuais. 

“Essa competição é uma porta de entrada para que a gente siga quem sabe um dia conseguir ter outra Sarah Menezes, ou atletas como do badminton que são referencias ou mesmo handebol com o professor Giuliano, por ser um evento dessa grandeza trabalhos com quase dois mil alunos atletas inscritos, é o Piauí inteiro”, afirmou Fernando Kirinos, diretor de Esporte Escolar. 


A competição inicia na quinta e segue até o próximo domingo com dez modalidades coletivas - Foto: Jailson Soares/O Dia

O Piauí tem vaga garantida no handebol masculino por índice técnico e uma das modalidades mais fortes do estado entre as modalidades de quadra. No individual, o atletismo, badminton e judô são donos de resultados expressivos e esperanças de pódios. 

Entre as escolas que estrearam ontem (8) na competição está o time Ceti Desembargador Pedro Sá, de Oeiras. A escola participa pela primeira vez da competição escolar, com representante na categoria de 15 a 17 anos. “Estamos muito empolgados, pois todo mundo quer ter a oportunidade de viajar representando o Piauí, né?”, disse Matheus. 

O ginásio Verdão foi e seguirá sendo palco para os jogos de futsal, assim como a quadra do Ifpi. O ginásio da SEMEL recebe as partidas de voleibol e basquete. As modalidades individuais têm outros locais como sede. As disputas dos Jogos Escolares seguem até domingo (10). A competição nacional assim como ano passado vai unir as etapas de 12 a 14 anos e 15 a 17 anos.

Dani Alves treina mas se distancia de clássico; Juanfran está fora

Dani Alves treina mas se distancia de clássico; Juanfran está fora

A dupla de reforços participou da primeira etapa de aquecimento com os companheiros, mas em seguida partiram a exercícios físicos e técnicos em campo separado ao coletivo.

Reforços anunciados nesta semana, Daniel Alves e Juanfran fizeram exercícios à parte no treinamento do São Paulo na tarde desta quinta (8). A dois dias do clássico contra o Santos, a dupla aqueceu com o restante do elenco mas ficaram fora do trabalho tático comandado por Cuca no CT da Barra Funda.

O treino foi fechado à imprensa. Segundo divulgado pelo clube, a dupla de reforços participou da primeira etapa de aquecimento com os companheiros, mas em seguida partiram a exercícios físicos e técnicos em campo separado ao coletivo.

O cenário diminui as possibilidades de Daniel Alves conseguir jogar os minutos que pediu a Cuca em sua apresentação oficial. Juanfran já está descartado, de modo que torna-se muito provável que a estreia da dupla fique para a semana que vem. Nenhum dos dois ainda está registrado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, uma exigência básica para que entrem em campo.


Foto: Reprodução/Instagram

Outras dúvidas são Liziero e Antony, dupla que tenta se recuperar de lesão a tempo do clássico (o volante vem de entorse no tornozelo, e o atacante teve inflamação no joelho). Ambos fizeram exercícios tanto na academia quanto no gramado na tarde desta quinta, mas ainda não têm presença garantida no jogo.

De olho no clássico, o São Paulo teve trabalho tático, jogadas de bola parada e treino de finalização. O duelo contra o Santos acontece às 17 horas (de Brasília) deste sábado (10) e vale pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

APRESENTAÇÃO DE JUANFRAN

O São Paulo divulgou nesta quinta que a apresentação oficial do lateral espanhol acontece às 15 horas (de Brasília) de amanhã, no estádio do Morumbi. Ao contrário do evento organizado para Daniel Alves na última terça-feira (6), desta vez não haverá presença de torcedores.

Cruzeiro estuda nomes, mas aprova Roger Machado e Ceni

Cruzeiro estuda nomes, mas aprova Roger Machado e Ceni

O time procura um substituto para a vaga deixada por Mano Menezes, que pediu demissão esta semana.

O Cruzeiro já trabalha a busca por substitutos de Mano Menezes desde a derrota por 2 a 0 para o Atlético-MG, no último domingo (4), quando o técnico informou que pensava em deixar a Toca da Raposa II. Roger Machado e Rogério Ceni são os prediletos da diretoria. Abel Braga é um nome que também agrada.

Com o afastamento de Itair Machado do cargo de vice-presidente de futebol, Marcelo Djian é quem cuida do caso. Ele ainda não fez contatos com os treinadores, mas já definiu os prediletos após conversa com o dirigente, que está impedido de exercer a sua função por ordem judicial.

Atualmente no Bahia, o gaúcho Roger Machado é quem mais agrada à diretoria. O treinador tem perfil diferente de Mano Menezes, algo que é procurado pela cúpula. Fred, que entrou em atrito com o treinador antes de sua saída, já trabalhou ao lado do técnico no arquirrival Atlético-MG e gosta de sua metodologia, conforme apurado pelo UOL.


Foto: Reprodução/Instagram

Rogério Ceni, que também tem uma forma de jogar distinta da adotada por Mano, é o segundo na lista da cúpula. O problema é que ele também está empregado. O ex-goleiro do São Paulo comanda o Fortaleza desde novembro de 2017.

O Cruzeiro está ciente de que tirar ambos os treinadores de seus clubes será um empecilho no mercado da bola. A dupla é contra a rescisão contratual e já recusou clubes de grande expressão nesta temporada por conta da ideia de continuidade do trabalho.

O que pode fazer a diretoria ir atrás de outros nomes é uma ideia defendida por Itair Machado. Embora esteja afastado do cargo, ele mantém poder sobre o clube e gostaria de escutar os jogadores antes de definir o futuro treinador. O técnico que mais agrada ao plantel é Abel Braga, que pediu para deixar o Flamengo antes da paralisação do calendário brasileiro para a disputa da Copa América.

O experiente técnico trabalhou ao lado de nomes como Thiago Neves e Fred e tem respaldo para se mudar para a Toca da Raposa II. O problema é que ele não costuma aceitar trabalhos no decorrer da temporada.