• show Legião Urbana
  • casa gourmet 2018
  • TV O DIA - fullbanner w3b
  • TV O Dia - fullbanner

Notícias Esporte

18 de dezembro de 2018

Comitê organizador define calendário da Conmebol Copa América Brasil 2019

Partida de abertura no Estádio Morumbi está marcada para 21h30. Final no Estádio do Maracanã acontecerá às 17h

A CONMEBOL e o Comitê Organizador Local da CONMEBOL Copa América Brasil 2019 definiram nesta terça-feira, dia 18, o calendário de jogos, com a distribuição das 26 partidas pelos seis estádios da competição, que será disputada entre 14 de junho e 07 de julho.

Arena Fonte Nova (Salvador), Arena do Grêmio (Porto Alegre), Estádio Mineirão (Belo Horizonte) e Estádio do Maracanã (Rio de Janeiro) receberão cinco jogos, cada. Já o Estádio Morumbi e a Arena Corinthians, ambos em São Paulo, terão três partidas, cada um.

A partida de abertura, marcada para o Estádio Morumbi, dia 14 de junho, será às 21h30. A grande final, dia 07 de julho, no Estádio Maracanã, será às 17h.

A 46ª edição do torneio mais antigo de Seleções do mundo e que retorna ao Brasil depois de 30 anos, será disputada em cinco cidades-sede (Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo) e por 12 Seleções participantes. Em campo, nove títulos da Copa do Mundo da FIFA reunidos e algumas das maiores estrelas do futebol mundial. 

Além dos dez países sul-americanos membros da CONMEBOL (Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela), Japão e Catar participarão como convidados.

O caminho do Brasil

Por ser o cabeça-de-chave A1, o caminho do Brasil na fase de grupos já está definido. Depois de disputar a partida de abertura, em São Paulo, a Seleção Brasileira volta a campo no dia 18, em Salvador, na Arena Fonte Nova, e finaliza a fase de grupos no dia 22, na Arena Corinthians.

Caso se classifique em primeiro lugar do grupo A, o Brasil disputará as quartas de final no dia 27, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Na sequência, saindo vencedor do confronto, a Seleção Brasileira jogará a semifinal no dia 02 de julho, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte. Na hipótese de uma classificação para a final no Estádio do Maracanã, o Brasil atuaria em todos os seis estádios da CONMEBOL Copa Brasil América Brasil 2019.

Sorteio de Grupos

O Ranking FIFA do próximo dia 20 servirá de base para a definição das demais cabeças-de-chave. Ele também será determinante para a divisão das equipes nos potes do Sorteio de Grupos, marcado para o dia 24 de janeiro, no Complexo Cultural Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. Os cabeças-de-chave ficarão no pote 1.

Essa decisão, tomada na última reunião do Conselho da CONMEBOL, realizada no dia 23 de novembro, em Buenos Aires, valerá também para as futuras edições do torneio, ou seja, o ranking FIFA passa a ser o critério de definição dos cabeças-de-chave e determinante para composição dos potes do Sorteio de Grupos.


Relação de Jogos / Estádios

Belo Horizonte

Estádio Mineirão - 05 partidas

Fase de Grupos – 16, 19, 22 e 24 de junho

Semifinal – 02 de julho

Porto Alegre

Arena do Grêmio - 05 partidas

Fase de Grupos – 15, 20 e 23 de junho

Quartas de final – 27 de junho

Semifinal – 03 de julho

Rio de Janeiro

Estádio do Maracanã - 05 partidas

Fase de Grupos – 16, 18 e 24 de junho

Quartas de final – 28 de junho

Final – 07 de julho

Salvador

Arena Fonte Nova – 05 partidas

Fase de Grupos – 15, 18, 21 e 23 de junho

Quartas de final – 29 de junho

São Paulo

Estádio Morumbi – 03 partidas

Fase de Grupos – 14 (abertura), 17 e 19 de junho

Arena Corinthians – 03 partidas

Fase de Grupos – 22 de junho

Quartas de final - 28 de junho

Decisão do 3º lugar - 06 de julho

Flamengo libera, e Atlético-MG espera exame e troca de documentos por Réver

O Atlético-MG ajusta os últimos detalhes para anunciar Réver como reforço para 2019.

O Flamengo liberou o jogador de 33 anos para retornar à Cidade do Galo. Os mineiros aguardam os exames médicos e a troca de documentos entre as partes para ratificar a contratação do defensor.

Por precaução, o Atlético não quer anunciar Réver antes da assinatura do contrato, mas está tudo encaminhado para a volta a Belo Horizonte. O atleta assinará vínculo de três temporadas e receberá cerca de R$ 450 mil mensais. O valor é superior ao que tinha no Ninho do Urubu.

O Rubro-Negro já liberou o atleta para ir a Belo Horizonte e informou ao agente Fábio Mello que não igualará a proposta feita pelos mineiros. Hoje, o atleta recebe R$ 400 mil por mês no Rio de Janeiro. Em seu contrato, que se encerraria em dezembro de 2019, há uma cláusula que permite o clube igualar uma eventual oferta. No entanto, a decisão é deixá-lo voltar ao Atlético.

A negociação pela volta de Réver é assunto tratado diretamente pelo presidente Sérgio Sette Câmara. O cartola é quem mantém conversas com o estafe do atleta e tenta um acordo.

Réver também recebeu autorização do Internacional, detentor de parte de seus direitos econômicos, para se acertar com o Atlético.

O zagueiro volta à Cidade do Galo depois de cinco anos. Em Belo Horizonte, ele foi campeão da Libertadores 2013, da Recopa Sul-Americana 2014 e da Copa do Brasil 2014. O jogador é ídolo da torcida local.


Matheus comemora resultado no sub-20

Matheus comemora resultado no sub-20

Artilheiro da Copa do Nordeste sub-20, atacante comemora e confirma sondagens: “Meu nome vem sendo falado”

A Copa do Nordeste terminou e o Fortaleza se sagrou campeão da edição de 2018, mas o destaque da competição foi o atacante do River-PI. Matheus Taumaturgo, de 19 anos, terminou a competição com oito gols em 7 jogos.

Nascido em São Luiz, capital maranhense, o jovem atacante cresceu em Santa Quitéria, no Maranhão, e começou a jogar futebol com 10 anos em uma escolinha da própria cidade. Até chegar ao River-PI, Matheus passou por Votuporanguense-SP e os dois maiores clubes do Maranhão, Moto Club e Sampaio Correa.

Vivendo o melhor momento da carreira no River do Piauí, o atleta comentou que nem sempre foi fácil vencer os obstáculos, mas o apoio da mãe do camisa 9, foi fundamental.

- Passei por muitos momentos difíceis, onde ficava sabendo dos problemas que minha mãe tinha e onde eu não podia ajudar. Cheguei ao ponto de querer largar o futebol. Foi quando minha mãe me deu força para continuar lutando.

Para 2019, Matheus segue almejando se tornar atleta de futebol profissional, espera bom desempenho na Copinha e revela sondagens. Artilheiro do nordestão sub-20, confessa também estar feliz com o momento.

-Me sinto feliz por estar realizando um sonho, a artilharia é fruto de todo um trabalho que venho fazendo. Para 2019, venho olhando com bons olhos que meu nome vem sendo falado, jogo a copinha pelo River e por enquanto houve sondagens, nada de concreto.

O próximo compromisso de Matheus com a equipe do River-PI é em Janeiro, na Copa São Paulo, a primeira partida é contra o Flamengo/RJ

Ruan Santos conquista vaga no elenco profissional do River

Ruan Santos conquista vaga no elenco profissional do River

Ruan e outros cinco atletas conquistaram vaga na equipe principal do Galo


Após um bom desempenho na Copa do Nordeste sub- 20, chegando com a equipe do River-PI até a semifinal, o lateral-direito Ruan Santos, juntamente com mais cinco companheiros de equipe, foram incorporados ao elenco profissional e estarão à disposição da comissão técnica do time principal depois da Copa São Paulo de futebol Junior de 2019.

Dentre os atletas que subiram para o elenco principal, Ruan é o mais novo, com apenas 17 anos. Na Copa do Nordeste sub 20, o lateral participou de todas as sete partidas em que o River disputou, estando em seis delas como titular absoluto da posição.

Nascido no Município de Dom Pedro – MA, no dia 03/08 de 2001, o dono da camisa dois começou a jogar futsal com 10 anos. Foi assim até os 13. Mas foi aos 14 anos, que a busca por dias melhores no mundo da bola começou. Saiu da sua cidade natal e foi para Goiânia. Por lá, teve uma experiência negativa que marcou o atleta: - Nos meus 14 anos, viajei para Goiânia. Passei dois dias dormindo dentro de um vestiário que não tinha tranca. Eu passei em uma peneira, mas a casa dos atletas estava cheia. O vestiário ficava em frente a uma praça cheia de usuário de drogas. 

Como todo garoto, Ruan também tem sonhos e, o principal deles, é vestir a camisa da seleção Brasileira: “Meu maior sonho é o mesmo da maioria dos jogadores. Vestir a camisa amarelinha da Seleção Brasileira e dar uma vida melhor para a minha família.”

Na Copa São Paulo de futebol júnior, o River encara no dia 3 de janeiro a equipe do Flamengo/RJ e ainda tem pela frente, confrontos com Jaguariúna/SP e Trindade AC/ GO.

Política do surfe deve impôr barreiras para campeão Medina ir à Olimpíada

Com o bicampeonato mundial de Gabriel Medina, conquistado nesta segunda-feira (17), o surfe vive seu auge no Brasil.

Nada mais natural que marcas e instituições busquem ter seus nomes ligados ao ídolo, incluindo, claro, o COB e o COI. Para o movimento olímpico, não haveria melhor hora para o fortalecimento de um personagem das proporções de Medina: o surfe estará em Tóquio-2020. O casamento, porém, não é perfeito, porque há dois intermediários nesta história: a ISA (Associação Internacional de Surfe, na sigla em inglês) e a CBSurfe (Confederação Brasileira de Surfe).

Nos Jogos Olímpicos, cabe a cada federação internacional sentar com o COI e estabelecer, dentro da sua cultura esportiva, os seus critérios de classificação. O que inclui os "critérios de elegibilidade", que separam quem é admissível na Olimpíada e quem não. A maioria das federações coloca algumas poucas regras, especialmente de idade. Mas a ISA resolveu impor regras para fortalecer seu empoderamento na modalidade.

Exigiu que, para estar na Olimpíada, um surfista tenha "boa relação com a sua federação nacional e com a ISA, de acordo com o livro de regras da ISA", e cumpra os "requisitos mínimos" de participação nos Jogos Mundiais da ISA de 2019 e 2020. Esses "requisitos mínimos" deveriam ter sido publicados em maio passado, o que até agora não aconteceu por parte do COI.

Antes, em março, a ISA divulgou que "todos os surfistas selecionados por suas respectivas federações nacionais devem participar dos Jogos Mundiais de 2019 e 2020 para serem elegíveis para a classificação olímpica", ressaltando que os detalhes ainda estavam sob revisão.

Isso obriga Medina e os demais principais surfistas brasileiros a se relacionarem com entidades que tem pouca, ou nenhuma, proximidade com eles. A CBSurfe, com quem os brasileiros precisam ter boa relação, tem seu presidente afastado pela Justiça em meio a uma troca de acusações e de uma batalha judicial com seu vice. É a esta confederação que o surfista que se tornou exemplo de gestão de carreira esportiva no Brasil precisa ter sua imagem associada. Não à toa, CBSurfe e atletas nunca se deram.

A imposição de participação nos Jogos Mundiais da ISA também parece um remédio amargo. O evento do ano que vem, entre 7 e 15 de setembro, será disputado em uma praia japonesa. A data não poderia ter sido pior arranjada: depois de uma etapa no Taiti (de 21 de agosto a 1º de setembro) e até quatro dias antes da etapa da WSL no rancho de Kelly Slater, nos Estados Unidos. Quem for ao Japão terá muito pouco tempo para treinar para encarar as ondas artificiais, ainda pouco conhecidas. Tudo para participar de um evento que não tem nenhum atrativo e nem mesmo paga premiação.

Para os brasileiros esse cenário é ainda pior, porque os Jogos Mundiais de 2018 tumultuaram de vez a relação entre os profissionais e a CBSurfe. A confederação não aceitou que o COB organizasse a viagem, esperou regularizar sua situação junto ao comitê para poder receber o dinheiro e executar o serviço sozinha, e quando finalmente foi liberada, não conseguiu comprar as passagens aos atletas por dificuldades logísticas. No final das contas, havia dinheiro e interesse do COB, mas nenhum brasileiro foi à competição. Para os atletas, por responsabilidade da CBSurfe.

Medina vai ter que superar tudo isso se quiser disputar a Olimpíada, o que ele já disse que não é nenhum sonho de infância —para nenhum surfista é, já que eles cresceram sem essa expectativa, com outras metas. Enquanto isso, o COB flerta com o bicampeão mundial, que é um dos concorrentes a vencer o Prêmio Brasil Olímpico, que será entregue nesta terça-feira (18), no Rio.

Classificar-se para a Olimpíada, em tese, não deve ser problemas. Dez vagas nominais estarão em jogo durante o circuito mundial da WSL do ano que vem, com limite de três por país. Só serão contabilizados os resultados da temporada 2019, mas se o ranking de agora fosse o definitivo, as vagas ficariam com ele, Filipe Toledo e Ítalo Ferreira. A grande dúvida é se ele vai ver algum interesse nisso.


Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe

Medina conquistou o título de 2018 antes mesmo de vencer o Billabong Pipe Master, etapa havaiana do circuito mundial.

Quatro anos após se tornar o primeiro brasileiro campeão mundial de surfe profissional, o atleta paulista Gabriel Medina, 24, sagrou-se, hoje (17), bicampeão da World Surf League (WSL), a liga mundial. Medina conquistou o título de 2018 antes mesmo de vencer o Billabong Pipe Master, etapa havaiana do circuito mundial. Ainda durante a semifinal, o paulista, natural de São Sebastião, superou o sul-africano Jordy Smith por 16.27 contra 15.83 pontos. Com isso, ele conquistou não só uma vaga na final, como eliminou antecipadamente as chances do australiano Julian Wilson, segundo lugar no ranking, de ultrapassá-lo.

Na bateria seguinte, Wilson eliminou o onze vezes campeão mundial Kelly Slater por 14.20 contra 11.17 pontos, garantindo a segunda vaga da bateria final. O último confronto do dia, no entanto, foi vencido por Medina, por 18.34 contra 16.70 pontos.

A vitória no Pipe Master foi a terceira de Medina este ano. O agora bicampeão já tinha vencido o Tahiti Pro, disputado na perigosa onda de Teahupo'o, e o Surf Ranch Pro, na piscina de ondas artificiais que Kelly Slater e sócios construíram na Califórnia (EUA). 


Foto: Reprodução/Fernando Frazão

Natural da praia de Maresias, no litoral paulista, Medina venceu seu primeiro título mundial em 19 de dezembro de 2014, também no Havaí. Hoje (17), ao deixar a água após vencer Smith ainda durante a semifinal, Medina foi cercado pela torcida, amigos e parentes que acompanhavam a bateria da areia. O brasileiro disse que 2018 foi um ano intenso, durante o qual teve que trabalhar muito. “Estou muito feliz. Não tenho palavras”, disse Medina momentos antes de vencer Wilson e ficar também com a taça de campeão do Pipe Masters.

Outro brasileiro que sai consagrado do Havaí é o guarujaense Jessé Mendes, 25. Com a derrota de Jordy Smith, Mendes é o campeão da tradicional Tríplice Coroa Havaiana – trinca de campeonatos que ocorrem na temporada de ondas no Havaí durante o mês de dezembro. Em entrevista à WSL, Mendes declarou ser difícil de acreditar que conquistou o prestigiado título, disputando contra os melhores atletas do mundo.

No total, os surfistas brasileiros ganharam nove das 11 etapas deste ano, impondo a hegemonia verde-amarelo na categoria profissional masculino. Além das três vitórias de Medina, o potiguar Ítalo Ferreira, 24, venceu três etapas (Austrália, Portugal e Keramas, na Indonésia); o paulista de São Sebastião, Filipe Toledo, 23, ganhou duas (Brasil e África do Sul), e o catarinense Willian Cardoso, 32, a de Uluwatu, também na Indonésia. As únicas duas etapas não vencidas por brasileiros este ano foram conquistas por Julian Wilson, que, assim, termina o ano na segunda posição no ranking que tem Filipe Toledo na terceira posição e Ítalo Ferreira no quarto lugar. 

17 de dezembro de 2018

Secretário-geral da Copa-22 diz que torcedor deve respeitar costumes do Qatar

Secretário-geral da Copa-22 diz que torcedor deve respeitar costumes do Qatar

A orientação atinge principalmente as mulheres, nada de decotes profundos ou minissaias

Os torcedores que forem ao Qatar para assistir à Copa do Mundo em 2022 terão de respeitar os costumes locais na hora de se vestir -nada de decotes profundos ou minissaias.

"Nossa comunidade é um pouco conservadora, as pessoas precisam ser razoáveis, não vão poder andar nas ruas sem roupas", afirmou o secretário-geral do comitê organizador da Copa do Qatar, Hassan Al Thawadi, em entrevista a jornalistas.

No Qatar, as mulheres não precisam cobrir a cabeça com véu ou vestir blusas soltas e de mangas compridas, como ocorre em outros países islâmicos mais conservadores. Mas estrangeiros devem evitar regatas decotadas, minissaias e shorts muito curtos.

Al Thawadi havia afirmado no dia anterior que os turistas não poderão consumir bebidas alcoólicas em público -haverá lugares especiais para isso.

"Nas ruas não se pode beber, essa é a nossa lei, e em muitos outros países também é assim", afirmou. Bebidas alcoólicas são servidas apenas dentro de hotéis e alguns bares em Doha. "Ainda não sabemos se o consumo de álcool dentro dos estádios será permitido, estamos negociando com a Fifa", disse o secretário-geral neste domingo.

Al Thawadi também não garantiu que fabricantes de bebidas alcoólicas poderão patrocinar o evento - ele disse que não haveria necessidade disso, e que era possível recorrer a patrocínio de bebidas sem álcool, por exemplo.A Budweiser é patrocinadora oficial da Fifa desde a Copa do México, em 1986.

No entanto, al Thawadi acredita que as diferenças culturais não serão um obstáculo. "Pelo contrário, será uma oportunidade de experimentar a cultura árabe, que muitos não conhecem, e nossa hospitalidade. Ninguém vai deixar de se divertir aqui", diz. "Não há o que temer, recebemos pessoas de todos os lugares do mundo e já sediamos diversos eventos, ainda que não dessa magnitude."

A Fifa está pressionando para que a Copa no Qatar seja a primeira a abrigar 48, em vez de 32 equipes. Alguns jogos seriam realizados em países vizinhos hostis ao Qatar, mas a Fifa acredita que isso serviria para promover a paz na região.

O qatariano afirmou que a ampliação do número de equipes deve ser decidida até, no máximo, o fim de 2019. Nesse caso, ele disse que ainda não é possível dizer se os oito estádios previstos no país serão suficientes.

O Qatar está construindo sete estádios do zero e adaptando um que já existe. Todos terão um moderno sistema de ar-condicionado para estádio ao ar livre, para permitir que o campeonato aconteça no calor do deserto. Além disso, a Copa será realizada em novembro e dezembro, inverno no país, em vez de junho e julho, como é a tradição do campeonato.

O Qatar sofre embargo econômico da Arábia Saudita, Emirados Árabes, Bahrain e Egito desde junho de 2016. Os países acusam o Qatar de patrocinar o terrorismo e fazem uma lista de exigências duras, entre elas o fechamento da rede de Tv Al Jazeera, cuja cobertura da primavera árabe enfureceu muitos ditadores da região. As tensões entre Arábia Saudita e Qatar vinham crescendo há tempos por causa da postura independente da política externa do Qatar e sua insistência em atuar como mediador e se relacionar com diversos atores da região, inclusive o Irã, arqui-inimigo dos sauditas.

Com o embargo, o Qatar não pode mais fazer transações comerciais com esses países, nem usar seu espaço aéreo. Os qatarianos estão proibidos de entrar nessas nações, que, por sua vez, proíbem seus cidadãos de irem ao Qatar.

"É uma pena, porque o Mundial não é apenas do Qatar, é do mundo árabe, que é apaixonado por futebol; o Oriente Médio vai sediar sua primeira copa e muitas pessoas não vão poder tirar proveito dessa oportunidade, seja para trabalhar no Qatar ou para assistir aos jogos", disse.

Mas, segundo al Thawani, o bloqueio econômico não atrasou, nem encareceu as obras necessárias para a Copa. "Nas primeiras semanas, foi difícil para mudarmos a cadeia de fornecedores, mas, com o tempo, encontramos materiais com mais qualidade e mais baratos, foi até uma vantagem."

Não se veem sinais de bloqueio econômico neste pequeno país de 300 mil habitantes, cuja renda per capita é uma das mais altas do mundo -US$ 63,500 mil (no Brasil, está em US$ 9.821). O país é o maior exportador de gás do mundo.

A comunidade internacional condena o bloqueio econômico imposto pelos sauditas, e, no país, o isolamento gerou uma onda de patriotismo. Um retrato do emir Tamim bin Hamad Al Thani Tamim, feito por um artista local após a declaração do bloqueio, estampa painéis gigantes em vários hotéis e prédios de Doha, além de adesivos e camisetas usados por muitos qatarianos.

Mas o país é alvo de críticas por causa das condições precárias de trabalho a que são submetidos os trabalhadores migrantes do país, muitos empregados na construção dos estádios. O Qatar tem 1,9 milhão de trabalhadores migrantes, a maioria de Índia, Nepal, Bangladesh, Paquistão e Filipinas, que são tratados como cidadãos de segunda classe. Em uma sexta-feira, feriado semanal em países islâmicos e dia tradicional de passeio, a reportagem testemunhou seguranças impedindo diversos trabalhadores migrantes de passear no Souq Waqif, centro comercial cheio de turistas e qatarianos.

Folhapress

Daiene e Etiene quebram tabu com medalhas em distâncias olímpicas

A natação brasileira feminina nunca havia subido ao pódio em provas de distâncias olímpicas

Primeiro com Daiene Dias, nos 100 m borboleta, e depois com Etiene Medeiros, nos 50 m livre, o tabu está quebrado. As duas, que são colegas de quarto na competição, faturaram medalhas de bronze.

Felipe Lima, nos 50 m peito, também ficou em terceiro. O revezamento 4 x 100 m medley masculino, que tinha esperança de medalha, terminou em quarto.

Aos 29 anos, Daiene é a mais experiente das nadadoras brasileiras de alto rendimento. Na final, apostou em uma estratégia de passar forte os primeiros 50 metros, em primeiro, até perdeu velocidade, mas só ficou atrás das duas norte-americanas. O bronze veio com 56s31, a apenas 0s09 da prata, com novo recorde sul-americano.

Daiene é uma atleta da mesma geração de Cesar Cielo, Thiago Pereira, Felipe Lima e Kaio Márcio, que ganhou protagonismo a partir do Pan Rio-2007, quando se tornou recordista sul-americana dos 100 m borboleta aos 18 anos.

No ano seguinte perdeu o recorde e o protagonismo da prova para Daynara de Paula, com quem passou a se revezar como campeã brasileira. Na última década, nas vezes em que chegou à seleção, o fez como coadjuvante. Nos últimos dois Mundiais de piscina curta, havia sido oitava colocada.

Agora aos 30 anos, vive a melhor fase da carreira, treinando no Espírito Santo (estado natal) e representando o Flamengo. Em agosto, foi prata no Mundial Militar na Rússia, voltou correndo para o Brasil, direto para a piscina, e fez um grande tempo no Troféu José Finkel. No Mundial, fez três vezes a melhor marca da vida: nas eliminatórias, na semifinal e na final.

Volta por cima

Etiene Medeiros está acostumada com pódios em Mundiais e já havia quebrado diversos tabus na natação brasileira feminina: obteve a primeira medalha em Mundiais, primeiro ouro, primeira medalha em Mundiais de piscina longa, primeiro ouro em Mundiais de piscina longa, primeiro recorde mundial, mas sempre nos 50 m costas, distância que não é olímpica.

Em Hangzou, ela errou na semifinal dos 50 m costas, escorregando do bloco de largada, e ficou fora da final de forma surpreendente para quem é bicampeã mundial. Mas a pernambucana conseguiu se recuperar mentalmente em uma noite, para no sábado começar sua trajetória nos 50 m livre, passando à semifinal e, depois, à final.

Neste domingo, assim como havia acontecido na semi, Etiene só foi mais lenta que as duas holandesas, que eram favoritas. Ranomi Kromowidjojo venceu com 23s19, novo recorde do campeonato, seguida de Femke Heemskerk, com 23s67.

Etiene bateu em 23s76, que não só é novo recorde sul-americano, mas também de todas as Américas.

Peito brilha de novo

As medalhas nas provas de velocidade no nado peito já são tradição para o Brasil. O próprio Felipe Lima já tinha dois bronzes, nos 50 m no Mundial de curta de 2016, e nos 100 m no Mundial de 2013. Neste domingo, ganhou mais um, desta vez na distância mais curta. Por 0s03 não veio uma prata, uma vez que Felipe completou a prova em 25s80, melhor marca da vida, contra 25s77 de Ilya Shymanovich, da Ucrânia.

O ouro, mais um, foi para o peito de Cameron Van der Burgh, da África do Sul. E foi também o último, uma vez que essa foi a última prova da carreira dele, que tem duas medalhas olímpicas e, em Mundiais de piscina longa, ganhou dez medalhas em 11 possíveis nas provas individuais.

O Brasil também teve João Luiz Gomes Jr. na final, mas ele foi apenas o sexto, com 26s02. 4 x 100m medley não chega lá

Para terminar o dia, e o Mundial, o revezamento 4 x 100 m medley do Brasil sonhava com medalha. Mas não chegou a ameaçar os três primeiros colocados na reta final. Muito por conta da falta de sincronia entre os nadadores, o que ficou evidenciado pelo alto tempo de reação (entre quem está na piscina completar a prova e o próximo largar). Na Rússia, segunda colocada, os tempos de reação somaram 0s30. No Japão, terceiro, 0s36. No Brasil, 0s93.

Guilherme Guido abriu a prova forte, mas não aguentou o ritmo e entregou em quarto para Felipe Lima. Mesmo cansado, este foi o quarto mais rápido do nado peito e bateu em terceiro.

Nicholas Santos nadou bem, terceiro melhor do borboleta, mas o Brasil foi ultrapassado pelos Estados Unidos, que tinham Caeleb Dressel.

Ainda que não tenha se classificado para nadar os 100 m livre no Mundial (Cesar Cielo e Marcelo Chierighini foram os dois primeiros da seletiva), quem nadou o revezamento no estilo crawl foi Breno Correia, melhor brasileiro no Mundial. Mas o atleta de 20 anos não conseguiu repetir o feito do 4 x 100 m livre e do 4 x 200 m, quando foi decisivo para o resultado. Caiu na água com o Brasil a 0s26 do Japão, mas encerrou a 0s93 de distância, em quarto.


Carta com ofensas a Galiotte dá força a plano palmeirense de manter Crefisa

O fato novo brecou as conversas, mas a carta divulgada no último domingo (16) por Rubnei Quícoli, representante da Blackstar no Brasil.

O Palmeiras já tinha as negociações bem adiantadas para uma renovação por três anos com a patrocinadora Crefisa quando apareceu a proposta da Blackstar, uma empresa com sede em Hong Kong que apresentou uma carta de intenções ao clube um dia antes da eleição presidencial prometendo pagar R$ 1 bilhão à vista por um acordo de dez anos. O fato novo brecou as conversas, mas a carta divulgada no último domingo (16) por Rubnei Quícoli, representante da Blackstar no Brasil, dá forças para o clube alviverde manter o plano inicial de seguir com a atual parceria com a companhia de Leila Pereira.

A carta de Quícoli, que contém ofensas duras a Galiotte, chamando o presidente de "patético" e "despreparado", teve péssima repercussão. Mesmo palmeirenses que não aprovam totalmente a relação com a Crefisa repudiaram o tom agressivo da manifestação do empresário, que se irritou após o Palmeiras exigir dele explicações maiores sobre o organograma e as origens da Blackstar antes de avançar na negociação.

Quícoli ainda não respondeu as perguntas feitas pelo Palmeiras por e-mail e resolveu partir para a ofensiva contra Galiotte. No clube, a avaliação interna da diretoria sempre foi de que a proposta do empresário - que chegou até o clube pelo ex-presidente Paulo Nobre e o ex-vice Genaro Marino, ambos opositores da atual gestão - tinha como objetivo desestabilizar o ambiente e minar a influência de Leila.

Mesmo assim, a postura do Palmeiras foi manter as negociações com a Crefisa em suspenso enquanto buscava obter mais informações sobre a Blackstar. A intenção foi de analisar a oferta de forma técnica para tentar evitar possíveis acusações de favorecimento político à empresa de Leila Pereira, principal aliada de Galiotte e grande cabo eleitoral de sua reeleição. Apoiado pela maioria dos sócios e conselheiros, ele venceu Genaro no pleito de novembro e conquistou o direito de seguir no comando do Palmeiras até 2021.


Presidente e vice-presidente do Palmeiras. Foto: Divulgação

Agora, a tendência de renovar com a Crefisa se fortalece ainda mais. Atualmente, o clube recebe pelo menos R$ 78 milhões anuais pelo patrocínio, além de bonificações por metas de desempenho nos campeonatos. As negociações, que já estavam encaminhadas antes de a Blackstar aparecer, devem ser retomadas em breve para que os últimos detalhes sejam acertados.

A relação de Galiotte com a Crefisa foi a principal dor de cabeça política para o presidente alviverde neste ano. O Conselho de Orientação e Fiscalização (COF), órgão interno de maioria oposicionista, rejeitou sucessivamente os balancetes financeiros mensais do clube por causa dos aditivos assinados em janeiro que fizeram com que o Palmeiras contraísse uma dívida de pelo menos R$ 120 milhões com a patrocinadora. A solução de Galiotte foi convocar uma votação extraordinária para que o Conselho Deliberativo aprovasse os aditivos.

A oposição também acusou a situação de manobrar para que Leila Pereira pudesse assumir a presidência já em 2021, quando terá os cinco anos necessários como conselheira, ao apoiar o aumento da duração do mandato presidencial de dois para três anos. A mudança foi aprovada pelos conselheiros e sócios e já está valendo para o segundo mandato de Galiotte, que começou oficialmente no último sábado (15). Leila, por sua vez, nega que a alteração a tenha beneficiado e não confirma a intenção de se candidatar à presidência daqui a três anos.

Oitavas da Liga dos Campeões terão confronto entre PSG e Manchester United

O jogo marcará o retorno de Cristiano Ronaldo à capital espanhola. Ele deixou o Real Madrid nesta temporada para defender a Juventus.

Na busca pelo seu primeiro título da Liga dos Campeões, o Paris Saint-Germain enfrentará o Manchester United, tricampeão da competição, nas oitavas de final do torneio. A definição dos jogos ocorreu nesta segunda-feira (17), em Nyon, na Suíça.

Após alternar altos e baixos e até correr risco de eliminação na primeira fase, o time de Neymar terminou na liderança do Grupo C com 11 pontos. Foi a menor pontuação entre os oito times que avançaram na primeira posição. Já o Manchester United, que tem como comandante o português José Mourinho, ficou na segunda colocação do Grupo H na fase de classificação, com dez pontos.

Outro confronto de destaque das oitavas de final é o duelo entre Juventus e Atlético de Madri. A equipe italiana terminou na ponta do Grupo H, com 12 pontos. Já o adversário somou 13 no Grupo A.

O jogo marcará o retorno de Cristiano Ronaldo à capital espanhola. Ele deixou o Real Madrid nesta temporada para defender a Juventus. Outro duelo de destaque é o jogo entre Lyon e Barcelona.

As partidas de ida das oitavas de final serão 12, 13, 19 ou 20 de fevereiro de 2019; e as de volta, nos dias 05, 06, 12 ou 13 de março. A partir dessa fase, a competição terá o uso do árbitro assistente de vídeo (VAR).

As oitavas da Liga dos Campeões 

Schalke 04 x Manchester City

Atlético de Madri x Juventus

Manchester United x Paris Saint Germain

Tottenham x Dortmund

Lyon x Barcelona

Roma x Porto

Ajax x Real Madrid

Liverpool x Bayern de Munique

16 de dezembro de 2018

Gabigol prevê reunião em janeiro e pode ficar no Brasil por seleção

Uma das principais razões que fariam Gabigol permanecer no Brasil é a possibilidade de convocação para a Copa América de 2019.

Artilheiro do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil em sua segunda passagem pelo Santos, o atacante Gabigol, 22, tem destino incerto para 2019. Vinculado até 2021 com a Inter de Milão, o jogador não descarta a possibilidade de seguir no futebol brasileiro por empréstimo no ano que vem, mas sabe que isso depende de uma liberação do clube italiano. Por isso está marcada uma reunião para o mês de janeiro, em Milão, quando o jogador saberá as chances de ser aproveitado na Europa.

"Minha intenção é ir para um lugar onde eu possa ser feliz e dar sequência. Tenho contrato com a Inter de Milão e em janeiro volto. Aí vamos sentar e ver o que vai acontecer. Mas existe, sim, possibilidade de jogar no Brasil. Tem grandes clubes que citam meu nome e fico muito feliz por isso, não descarto nenhuma possibilidade", disse Gabigol, ao "Esporte Espetacular" deste domingo.

Uma das principais razões que fariam Gabigol permanecer no Brasil é a possibilidade de convocação para a Copa América de 2019. Ele acha que está mais próximo de ser chamado por Tite para a seleção brasileira enquanto joga no país: "Está, sim, relacionado com Copa América. Aí que entra (jogar em) o Brasil. As coisas não foram definidas, mas no Brasil tem muitas chances de ser convocado se eu continuar fazendo o que tenho feito."

Revelado nas categorias de base e entre os principais ídolos recentes do Santos, Gabigol se despediu do clube com bons números e até divulgou um vídeo falando sobre o amadurecimento de sua segunda passagem e a consideração pelo clube. Dias depois, abriu as portas para rivais do Peixe e revelou planos de um dia disputar o Campeonato Inglês e também o de jogar pelo Flamengo. O futuro está indefinido.

15 de dezembro de 2018

Time de Zico vence e agora enfrenta o Real no Mundial; River joga contra Al Ain

O jogo no tempo normal terminou empatado em 2 a 2 e só foi decidido na prorrogação.

As semifinais do Mundial de Clubes, disputado nos Emirados Árabes Unidos, foram definidas neste sábado (15). O Real Madrid enfrentará o Kashima Antlers, do Japão, enquanto o River Plate, da Argentina, vai pegar o Al Ain, dos Emirados Árabes. O confronto entre asiáticos e europeus, a ser realizado na próxima quarta-feira (19), às 14h30, é uma possibilidade de revanche do time japonês, derrotado por 4 a 2 pelo espanhol na final da edição de 2016 do torneio.

Na ocasião, O Kashima Antlers deu um sufoco na equipe de Cristiano Ronaldo e companhia. O jogo no tempo normal terminou empatado em 2 a 2 e só foi decidido na prorrogação. A partida ainda teve polêmica na arbitragem com a não expulsão do zagueiro e capitão madrileno Sergio Ramos, em lance em que o jogador deveria ter levado o segundo cartão amarelo.

Na partida deste sábado contra o Chivas, o clube do Japão saiu atrás no placar. O gol mexicano foi marcado no primeiro tempo pelo atacante Zaldívar. A virada japonesa veio no segundo tempo. Aos 3 minutos, o volante Nagaki empatou a partida após cruzamento de Doi, que recebeu belo passe do brasileiro Serginho, grande destaque da equipe e que, de pênalti, colocou seu time na frente, aos 23 min.

O Kashima, dos também brasileiros Léo Silva e Leandro -e do diretor Zico- ainda fez o terceiro, aos 38 min, com Abe. Pulido descontou para o Chivas, após rebote de pênalti desperdiçado por ele, aos 48 min.

Também neste sábado, o Al Ain, dos Emirados Árabes Unidos, derrotou o tunisiano Espérance por 3 a 0 e se classificou para encarar o River Plate, na terça-feira (18), na outra semifinal do torneio, às 14h30.

Na primeira fase do Mundial, o Al Ain já havia superado o Team Wellington, da Nova Zelândia, por 4 a 3 na decisão de pênaltis, após empate por 3 a 3 no jogo.

Pilotos desafiam fama de esporte de rico com histórias de vida humildes

"Eu vim de um apartamento cedido pelo governo, dormia no colchão do meu pai, e cheguei lá", diz o pentacampeão Lewis Hamilton.

"Quando eu posto fotos no meu jatinho particular, não é para esnobar. Eu quero mostrar às pessoas que elas podem fazer o que bem quiserem com suas vidas. Afinal, eu vim de um apartamento cedido pelo governo, dormia no colchão do meu pai, e cheguei lá", diz o pentacampeão Lewis Hamilton, que hoje, de acordo com a revista Forbes, fatura US$ 51 milhões ao ano.

Ainda que o automobilismo seja visto como um "esporte de rico", uma vez que o orçamento necessário para correr especialmente os campeonatos europeu e mundial de kart até a F-1, passando pelas categorias de base em carros de fórmula, vai crescendo exponencialmente e não é raro ver pilotos ficando pelo caminho por falta de dinheiro.

Porém, também é verdade que demonstrar talento e ter bons resultados mesmo não correndo pelas melhores equipes de kart é algo que costuma ser premiado no automobilismo. E é isso que a história de quatro pilotos que estão hoje na F-1 -dois deles, campeões do mundo- mostra.

RAIKKONEN

Kimi Raikkonen e seu irmão mais velho Rami sempre gostaram de velocidade e brincavam nos arredores da casa de 33 metros quadrados construída por seu avô em Espoo, na Finlândia. Seu pai trabalhava nivelando solos, dirigindo um caminhão de rolo compressor, e a mãe era funcionária do governo. Os meninos brincavam com karts de segunda-mão para ver quem empurrava as lixeiras até mais longe.

Para competir, Kimi, que mostrava ser o mais talentoso dos dois, precisava de um kart melhor. Mas o pai já estava fazendo bicos como taxista e segurança de casa noturna para guardar dinheiro e fazer uma reforma necessária na casa: integrar o banheiro, que ficava do lado de fora, à construção principal. Ter banheiros fora das casas era comum antigamente na Finlândia, mas nos anos 1980 esses tempos já tinham passado e era hora de modernizar a moradia. Porém, isso acabou ficando para depois: o pai de Kimi trocou o banheiro por um kart.

"Para nós, era normal ter o banheiro fora. Se bem que aquilo realmente te acordava nas manhãs de inverno", diz Raikkonen. Em Espoo, a média no inverno fica entre -2º de máxima e -8ºC de mínima.

Mas, para aparecer na cena internacional, Raikkonen tinha que disputar campeonatos de kart fora da Finlândia. Ao contrário de nomes como Max Verstappen, que sempre correu por equipes fortes no kart e competia internacionalmente desde criança, Kimi só correu pela primeira vez fora da Finlândia aos 15, e teve que agarrar a oportunidade que apareceu para sair do país: aos 19 anos, foi morar na Caravan de seu chefe de equipe de kart holandês.

"Foi divertido. Naquela época, só queríamos correr -ainda que o Peter me pedisse para eu trabalhar de mecânico às vezes", relembra o campeão de 2007. Ele foi segundo no Europeu e logo teve a chance de ir para a F-Renault Britânica, onde teve uma ascensão meteórica -ganhando 13 das 23 corridas que disputou em carros de fórmula na base- para estrear na F-1 em 2001, apenas dois anos após a aventura holandesa.

OCON

Como é normal entre os pilotos, a paixão de Esteban Ocon pelo automobilismo veio de seu pai. A família girava em torno dos carros, no interior da França: a garagem em que o pai consertava carros era no andar de baixo da casa de Esteban, e era sua mãe que contava do lado burocrático do negócio, enquanto o menino brincava com um kart feito pelo pai na rua em que morava. Mais velho, começou a disputar campeonatos locais e costumava ficar horas com seu então amigo Pierre Gasly treinando em uma pista perto da casa dos dois, usando pneus que as crianças mais ricas tinham jogado fora.

Até que, vendo o talento do filho, os pais de Ocon tomaram uma decisão drástica. "Eles deram tudo o que puderam. Não faltou nada. Eles venderam a casa para financiar minha carreira. Fomos morar numa Caravan. Não gosto de falar muito dessa época porque foi muito difícil."

A "casa" em que a família Ocon passou a viver tinha 650m de comprimento e era habitada por Esteban, seus pais e seu cachorro. E as peças do kart, claro. Assim, eles rodaram a Europa atrás de competições de kart por três anos. "Acho que fizemos 95.000km naqueles três anos. Meus pais colocaram sua vida de lado por minha causa, mesmo com todo mundo ao redor deles falando que era loucura e dizendo que eu nunca chegaria lá."

Com os resultados nas competições, aos 14 anos Ocon passou a ser apoiado pela Renault, que financiou sua carreira nas categorias de base. O investimento do programa, contudo, foi retirado logo depois que Ocon fora campeão na F-3 derrotando Max Verstappen, mas Toto Wolff e a Mercedes o resgataram e ele pôde seguir com a carreira até a F-1.

HAMILTON

O primeiro negro a se tornar piloto titular de uma equipe de Fórmula 1 e hoje um dos maiores da história da categoria não teve uma infância fácil. Após a separação dos pais, Lewis Hamilton foi morar com o pai, um filho de imigrantes caribenhos, em um council flat, apartamento cedido pelo governo britânico para famílias que comprovam baixa renda, em Stevenage, uma cidade industrial a 1h30 ao norte de Londres.

Lá, dividia a casa com a segunda mulher do pai Anthony e seu irmão, que tem paralisia cerebral. Sem camas, eles dormiam no chão -Lewis no colchão junto do casal. O menino mostrava talento com esportes, e um gosto especial por carrinhos de controle remoto, quando seu pai lhe deu um kart usado como presente pelo aniversário de oito anos.

A partir daí, Lewis e Anthony passaram a percorrer a Inglaterra atrás de competições, com o kart na parte de trás do carro. "Meu pai ia atrás do cara mais rápido e olhava onde ele freava. Daí indicava para eu frear alguns metros depois. E só assim eu conseguia compensar o equipamento pior."

Foi mostrando talento mesmo não tendo motores ou nem sequer pneus novos que Hamilton passou a ganhar destaque e pequenos patrocinadores no kart, que aliviaram a situação de seu pai, que chegou a ter três empregos para sustentar a carreira do filho. Mesmo assim, os resultados na maioria das vezes do único menino negro das competições incomodavam. "Os pais dos outros meninos chegavam para mim e falavam 'não sei por que vocês se esforçam tanto, é óbvio que vocês nunca chegarão lá'."

Na escola, a situação de Lewis não era melhor. "Levava suspensão toda hora, odiava a escola. Eu sou disléxico, então já tinha dificuldade. Sempre perdia a aula na sexta para ir competir e, quando voltava na segunda, era suspenso o dia todo por ter faltado. Se não fosse a ajuda da McLaren depois, não teria terminado a escola."

O time inglês pagou um supletivo para Hamilton, que começou a ser apoiado por eles aos 13 anos, ainda no kart. Foi devido a esse apoio que ele conseguiu seguir na carreira. "Mesmo quando já tínhamos o contrato, meu pai vivia ligando para os chefes da McLaren perguntando se estávamos fazendo tudo direito, se eles queriam mais coisas. Éramos a única família negra no esporte e sabíamos que não podíamos falhar."

KUBICA

Outro que começou a brincar de pilotar cedo, ainda aos 4 anos, em Cracóvia, na Polônia, quando ganhou do pai um carrinho de off-road de apenas 4cv, foi Robert Kubica. Ele corria em "circuitos" feitos de garrafas plásticas perto da casa da família. Mais tarde, seu pai comprou um kart, mas ele só começou a competir em campeonatos regionais aos 10 anos.

Logo que entrou nos campeonatos poloneses, ele passou a ganhar constantemente, e então surgiu a chance de competir na Itália, mas ele não tinha dinheiro para se manter por lá. A solução foi usar a garagem de sua equipe como casa, inclusive tendo a ajuda dos mecânicos para se alimentar.

Foi nessa época, contudo, que Kubica desenvolveu um lado que até hoje o diferencia: o conhecimento técnico, uma vez que aproveitou a oportunidade para aprender tudo o que podia sobre mecânica, por entender que isso seria um diferencial importante.

Com os ótimos resultados no kart -o próprio Hamilton, que competiu com o polonês em campeonatos europeus e mundiais, reconhece que ele era o mais rápido da época-, Kubica ganhou o apoio da Renault e depois da BMW, e só assim conseguiu chegar à F-1 e se tornar o primeiro polonês da história da categoria.

14 de dezembro de 2018

Brasil conquista o ouro com recorde mundial no 4 x 200 m livre

A medalha de prata foi conquistada pela Rússia, que completou a distância com 6min46s84. Já o bronze ficou com a China, que cravou 6min47s53.

O Brasil conquistou nesta sexta-feira (14) a medalha de ouro no revezamento 4 x 200 m livre no Mundial de piscina curta em Hangzhou, na China. O quarteto brasileiro formado por Luiz Altamir, Fernando Scheffer, Leonardo Santos e Breno Correia fechou a prova com o tempo de 6min46s81 e estabeleceu o novo recorde mundial -a marca antiga era de 6min49s04.

A medalha de prata foi conquistada pela Rússia, que completou a distância com 6min46s84. Já o bronze ficou com a China, que cravou 6min47s53.

Leonardo Santos, Breno Correia, Fernando Scheffer e Luiz Altamir Melo (da esquerda para a direita) conquistaram o ouro na China. Foto: Satiro Sodré/ SSPress/CBDA

Luiz Altamir foi o primeiro a cair na água. Ele liderou uma parte da prova, mas foi ultrapassado no momento da troca para Fernando Scheffer, que terminou sua participação na liderança. Leonardo Santos, terceiro nadador do revezamento, manteve a equipe na briga pela medalha. Já Breno Correia conseguiu superar os adversários e terminou a prova em primeiro lugar.

"Brasil vai olhar com mais carinho. Batemos o recorde mundial, já estávamos almejando há tempos. Estamos muito felizes", disse Breno em entrevista ao SporTV 2.

O ouro no revezamento 4 x 200 m livre é a segunda medalha do Brasil na competição. Na última terça-feira (11), o país tinha conquistado o bronze no 4 x 100 m livre.

CIELO

Mais cedo, Cesar Cielo ficou na sétima colocação na final dos 50 m livre. Ele completou a distância com o tempo de 21s20.

A medalha de ouro ficou com o russo Vladimir Morozov, que cravou 20s33. A prata foi conquistada pelo norte-americano Caeleb Dressel, que fez 20s51. O terceiro colocado foi o sul-africano Bradley Tandy, com o tempo de 21s07.

Medalha de ouro na prova nos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008, Cielo, 31, evitou falar em aposentadoria. Após a sétima colocação, disse que seu foco agora é o revezamento 4 x 50 medley masculino, que será realizado neste sábado (15).

Ele vê a equipe brasileira com chances de conquistar a medalha de ouro. Tanto é que descartou disputar a prova dos 100 m.

"Eu ainda não vou anunciar nada em relação ao futuro da natação. Vou focar no revezamento e tentar ajudar o grupo a conquistar a medalha de ouro", disse Cielo em entrevista ao SporTV 2.

Além da conquista em Pequim, Cielo foi ouro na piscina curta em 2010 (Dubai) e é tricampeão mundial: 2009 em Roma (ITA), 2011 em Xangai (CHI) e 2013 em Barcelona (ESP).

Se somados os primeiros lugares nos Jogos Pan-Americanos do Rio 2007 e de Guadalajara 2011, a prova já lhe rendeu sete ouros na carreira -são mais dois bronzes e uma prata.

Na última terça, Cielo já havia se tornado o maior medalhista brasileiro na história dos Mundiais em piscina curta com a conquista do bronze do revezamento 4x100, seu 11º na competição, ultrapassando Gustavo Borges.

Sarah Menezes vence seletiva olímpica e se mantém na Seleção de Judô

Dentro do novo critério da CBJ, apenas o primeiro colocado do ranking em cada categoria se classifica de forma direta.

A judoca Sarah Menezes disputou a Seletiva Olímpica para se manter na seleção brasileira ontem (13) a competição aconteceu no Centro Pan-Americano, em Lauro de Freitas, na Bahia. Na final da categoria ligeiro (-48kg) a piauiense enfrentou Nathalia Brígida, e derrotou a atleta sem dificuldades, aos 43s de luta por Ippon. Com o resultado, Sarah se mantém como titular na seleção.

Antes da final, Sarah Menezes fez duas lutas. Na primeira rodada a piauiense venceu Ana Paula Nobre, de Santa Catarina. Na sequência, Sarah lutou e com a atleta Gabriela Chibana, do Esporte Clube Pinheiros.


Com o resultado, Sarah se mantém como titular da Seleção de Judô. Foto: Jailson Soares/ODIA

O ano de Sarah Menezes foi complicado. Em 2017, ela decidiu subir de categoria e passou o ano na meio-leve (-52kg), insatisfeita com seus resultados optou por retornar as disputas na categoria que a sagrou campeã olímpica em Londres – 12, mas retornou precisando brigar por titularidade na seleção contra a própria Nathalia Brígida e encontrou novas atletas no certame nacional e internacional. Antes poupada da seletiva por sua condição de campeã olímpica, ou sua posição no ranking mundial, a judoca não contou com resultados suficientes para ser dispensada do torneio esse ano.

Dentro do novo critério da CBJ (Confederação Brasileira de Judô) apenas o primeiro colocado do ranking em cada categoria se classifica de forma direta. Sarah encerrou o ano com 1.224 pontos e 3ª lugar no ranking nacional e apenas 34ª do mundo - consequência também da cirurgia que a judoca fez no cotovelo no começo do ano a deixou fora de algumas competições somado aos resultados poucos expressivos nos torneios que participou.

Em 2019, Sarah entra no último ano do ciclo olímpico até Tóquio 2020, nas olímpiadas que devem ser a última na carreira da judoca piauiense.

13 de dezembro de 2018

Na mira do Fla, Felipe Melo deixa negociação a cargo de empresários

“Não participei de reunião nenhuma e nem vou participar. Para deixar claro, estou na praia, curtindo férias e qualquer assunto de trabalho é tratado com as pessoas que me representam", disse o jogador.

Contratar o volante Felipe Melo está entre os principais objetivos de Rodolfo Landim, novo presidente do Flamengo. De férias após o título brasileiro, o experiente meio-campista do Palmeiras usou seu perfil no Twitter para esclarecer que as negociações estão a cargo de seu estafe.

“Não participei de reunião nenhuma e nem vou participar. Para deixar claro, estou na praia, curtindo férias e qualquer assunto de trabalho é tratado com as pessoas que me representam. A única coisa que tenho procurado é o sol! E já encontrei!”, escreveu Felipe Melo.

O volante tem contrato com o Palmeiras até o fim de 2019, mas o Flamengo sonha com a possibilidade de contratá-lo sem custos. Como os dois clubes vêm concorrendo por títulos no futebol brasileiro, a negociação nos moldes imaginados pelo clube rubro-negro é improvável.


Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

O Flamengo deve apresentar suas atenções de maneira oficial aos representantes de Felipe Melo até o fim da semana, talvez nesta quinta-feira. Revelado na Gávea, o volante tem carinho pelo clube em que participou dos títulos do Campeonato Carioca e da Copa dos Campeões de 2001.

Contratado no começo de 2017, Felipe Melo viveu uma primeira temporada turbulenta pelo Palmeiras, marcada por um desentendimento com o técnico Cuca, mas em 2018 fez um ano consistente sob o comando de Luiz Felipe Scolari. Em 90 jogos pelo clube alviverde, o volante de 35 anos anotou cinco gols.

Para a cabeça de área, o Palmeiras conta com o combativo Thiago Santos, admirado por Felipão e seis anos mais jovem do que Felipe Melo. Para a próxima temporada, o clube alviverde já encaminhou ainda a contratação de Matheus Fernandes, que se destacou pelo Botafogo.

Corinthians desmente Cruzeiro e nega proposta de R$ 10 mi por Sassá

Corinthians desmente Cruzeiro e nega proposta de R$ 10 mi por Sassá

Apesar da negativa por Sassá, o Corinthians segue de olho no futebol mineiro. A equipe paulista fez uma proposta de 3 milhões de euros (cerca de R$ 13 milhões) pelo atacante Luan.

Na noite da última quarta-feira, o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, revelou que o Corinthians teria feito uma proposta de R$ 10 milhões e o atacante Clayson em troca do centroavante Sassá. No entanto, o Timão, na manhã desta quinta-feira, emitiu uma nota desmentindo o mandatário cruzeirense e ainda o desafiou a mostrar provas da veracidade da oferta.

“Ele tem problemas extracampo, mas no clube é muito querido. Nunca atrasou a um treino, tem qualidade no grupo e em campo. O Corinthians ofereceu R$ 10 milhões mais o Clayson por ele, e eu neguei imediatamente”, havia dito Machado, em entrevista à Rádio Itatiaia.

“O Corinthians vem a público desmentir as informações inverídicas prestadas pelo Sr. Itair Machado à imprensa, no sentido de que o Corinthians teria oferecido o atleta Clayson e mais R$ 10 milhões pela transferência do atleta Sassá”, rebateu o Corinthians em nota emitida.


Sassá (Foto: Reprodução/Instagram)

“O Corinthians jamais fez tal proposta e desafia o Sr. Itair a mostrar qualquer documento ou mesmo mensagem de texto que reflita o que mentirosamente declarou”, completou a equipe paulista.

Apesar da negativa por Sassá, o Corinthians segue de olho no futebol mineiro. A equipe paulista fez uma proposta de 3 milhões de euros (cerca de R$ 13 milhões) pelo atacante Luan, sonho antigo de Fábio Carille, mas o Atlético-MG rejeitou prontamente e pediu o acréscimo de jogadores na transação.

O dirigente cruzeirense também revelou uma investida do Corinthians pelo meio-campista Thiago Neves. Esta negociação, porém, não foi desmentida pelo Timão.

Santos anuncia “sim” de Sampaoli e fala em reunião para assinar

Santos anuncia “sim” de Sampaoli e fala em reunião para assinar

O ex-técnico da Seleção Argentina já havia sinalizado entusiasmo em treinar um time brasileiro.

O Santos anunciou nesta quinta-feira um princípio de acerto com Jorge Sampaoli, técnico ex-seleção argentina. O Peixe confirma o “sim” do profissional à proposta de dois anos de contrato e a vinda ao Brasil no sábado para definir detalhes e assinar o acordo até o fim da gestão do presidente José Carlos Peres, na substituição de Cuca.

“Santos FC e Jorge Sampaoli têm um aceite assinado na proposta para que o argentino seja o treinador da equipe em 2019. Os últimos detalhes e a assinatura do contrato devem ser finalizados em encontros presenciais neste final de semana”, disse o Santos em nota oficial.


Sampaoli (Foto: Fox Sports)

Sampaoli deve trazer três membros para sua comissão técnica: dois auxiliares e um preparador físico. O valor, no total, é de cerca de R$ 1 milhão por mês. O argentino ainda discutirá algumas coisas, como o departamento de análise de desempenho enxuto, composto por apenas três pessoas.

O argentino foi seduzido pelo projeto do Santos e pelo desejo de treinar no Brasil. Antes, ele já tinha se entusiasmado com o Flamengo. O comandante sabe dos jovens jogadores com potencial e da cobrança do torcedor por um futebol vistoso, característica do seu trabalho.

Com a preferência por Sampaoli, o Alvinegro ”ignorou” Ariel Holan, do Independiente-ARG. Insatisfeitos, os agentes encerraram as conversas diante da falta de comunicação com o presidente. Um dos empresários chegou a ligar na secretaria do Business Center, em São Paulo, para tentar contato com Peres na última quarta-feira. A negociação estava avançada e a diferença entre o oferecido e o pedido era de menos de R$ 100 mil.

Abel tem missão de lidar com trauma no Fla

Abel tem missão de lidar com trauma no Fla

Abel Braga será o técnico do Flamengo em 2019

Anunciado pelo novo presidente Rodolfo Landim, o treinador volta ao Rubro-negro após 15 anos de uma passagem traumática por conta da derrota para o Santo André na final da Copa do Brasil. Ele terá de lidar com isso e reconquistar parte da torcida. Mas a principal missão encomendada pelo mandatário consiste em transformar dinheiro em título.

A diretoria aposta que o perfil de Abel será importante para um elenco com bons valores, mas que não conseguiu conquistas expressivas na gestão Eduardo Bandeira de Mello. Experiente, Abel é um exímio gestor de grupo, o que em muitas ocasiões faz diferença no mundo da bola.

A sintonia entre técnico e elenco é fundamental, além de uma forma de jogar que esteja de acordo com as características do jogador. Mais do que isso. Abel faz da cobrança um mantra do seu dia a dia, e isso agrada em cheio aos cartolas que tanto propagaram o discurso durante a campanha eleitoral.

É urgente, no entendimento de Landim e dos seus pares, que o Flamengo transforme um elenco milionário -custo superior a R$ 10 milhões por mês- em vencedor. Conquistar ao menos um título de expressão no primeiro ano da gestão traria um impacto interno e externo no que envolve o rubro-negro. Tal cenário foi abordado nas negociações entre as partes. Abel comprou a briga. Rodolfo Landim gostou.

"O Abel já mostrou que é vencedor, cobrador e tem vontade de ganhar. Ele tem tudo o que o Flamengo precisa no momento. Estamos muito felizes por tê-lo conosco. Pedi títulos, quero ganhar. O Abel também quer e dará o máximo para isso", afirmou o presidente eleito.

Se a diretoria está convicta da escolha, parte da torcida ainda tem resistência em relação ao treinador. Tudo por conta do dia 30 de junho de 2004. Na ocasião, o Flamengo foi derrotado pelo modesto Santo André por 2 a 0, no Maracanã, em um dos grandes vexames de sua centenária história. 

O vice-campeonato da Copa do Brasil arranhou a imagem do técnico com um bom número de torcedores. A resistência dura até os dias de hoje, mesmo com quase 15 anos passados e com Abel conquistando títulos importantes no período, como a Copa Libertadores e o Mundial Interclubes.

Nem sequer a conquista da Taça Guanabara e do Campeonato Carioca em 2004 amenizaram o panorama. A passagem teve 44 jogos, com 19 vitórias, 12 empates e 13 derrotas. Abel Braga sabe que terá de lidar com o trauma do passado e a pressão da torcida. Assim como tem a ciência de que só vitórias e títulos resolverão a questão. Neste caso, duas de uma vez: um alívio para o que passou e a exigência da diretoria por conquistas.


12 de dezembro de 2018

Circuito Piauiense chega a última etapa

Circuito Piauiense chega a última etapa

Após cinco etapas, o Circuito Piauiense de tênis chega a sua reta final.

A competição tem mais 100 tenistas brigando pelo título distribuídos em cinco categorias. A sexta e última etapa teve início nessa segunda-feira (10) e vai conhecer seus campeões no sábado (15). Nomes como Savio Amorim e Mário Albuquerque estão a frente na briga pelo título na primeira classe.

Ontem (10), entre os nomes que entraram em quadra estão Juvêncio Junior e Domingos Savio, na disputa da primeira classe. Os atletas destacam o bom nível do torneio e o fato da pontuação nessa reta final estar dobrada, dando esperanças para os nomes que estão atrás na pontuação. “A competição em si muito bem distribuída e organizada, além de ter excelentes nomes na briga, essa primeira partida por exemplo peguei um paredão, horas e horas de jogo”, brinca Juvêncio.

Foto: Elias Fontinele/ODIA

O Piauiense esse ano teve seis etapas simples e quatro etapas para as duplas. O objetivo é distribuir melhor a competição ao longo do ano e para 2019 o presidente da Federação Piauiense de Tênis, Fábio Miranda, já planeja movimentar mais a modalidade do estado.

“Além de manter essa quantidade de etapas ao longo do ano precisamos começar a movimentar a categoria infanto-juvenil, queremos ter garotos em quadra, assim como o Bruno Ibiapina que é um nome que vem despontando. Precisamos ter crianças e adolescentes em quadra”, explicou Fábio.

Bruno Ibiapina, 12 anos, disputou competições fora do estado esse ano e voltou com o titulo de campeão. No Piauiense, o garoto briga por titulo em duas categorias, a sua, 4ª classe e também na 3ª classe com nomes mais experientes. O Circuito Piauiense de Tênis encerra no sábado (15) com jogos acontecendo na Nova Radical, na Raul Lopes. 


River Sub-20 se reorganiza visando Copa São Paulo de Futebol

River Sub-20 se reorganiza visando Copa São Paulo de Futebol

A estreia será contra o Flamengo-RJ

Após a eliminação na Copa São Paulo de Futebol Junior a equipe do River retornou as atividades, mas o planejamento tem alterações. Faltando quase três semanas para a estreia na competição que acontece no dia 3 de janeiro contra o Flamengo, do Rio de Janeiro, atual campeão da competição. No Grupo do River estão Flamengo, Trindade e Jaguariúna.

“Essa semana eles seguem somente em treinos físicos. Estou refazendo as avaliações físicas com os atletas até como forma de precaução. A partir da próxima segunda-feira entrego o grupo para o professor Maradona que reinicia os trabalhos técnicos e táticos”, disse Lenno.

A Copa São Paulo de Futebol Junior é a principal competição de base do país e responsável por revelar grandes nomes do futebol nacional. Para os garotos do Galo, além de honrar a camisa Tricolor a competição pode servir como trampolim pessoal.

“Sabemos do peso de uma Copinha no currículo e que dependendo do que fazermos as portas se abrem. Para mim então é ainda mais importante, pois vai ser a primeira vez que vou participar”, conta o volante Kaio.

O River vem de um bom ritmo de jogos, pois até a última semana estava disputando a Copa Nordeste Sub-20. Apesar da eliminação, os atletas acreditam que o grupo está entrosado e chega confiante para a competição nacional. “Nosso grupo é muito unido e nós temos essa vantagem do entrosamento. Acredito que estamos em condições de garantir esse feito para o River e para o estado do Piauí que é passar de fase”, afirma João Pedro atacante.

A 50ª edição da Copa São Paulo conta com 128 clubes, divididos em 32 chaves. Os dois primeiros de cada chave avançam à fase de mata-mata. O River está no Grupo 15, ao lado de Jaguariúna-SP e Trindade-GO e o Flamengo atual campeão da competição. 

River Sub-20 se reorganiza visando Copa São Paulo de Futebol

A Copa São Paulo de Futebol Junior é a principal competição de base do país e responsável por revelar nomes do futebol nacional.

Após a eliminação na Copa São Paulo de Futebol Junior a equipe do River retornou as atividades, mas o planejamento tem alterações. Faltando quase três semanas para a estreia na competição que acontece no dia 3 de janeiro contra o Flamengo, do Rio de Janeiro, atual campeão da competição. No Grupo do River estão Flamengo, Trindade e Jaguariúna.

“Essa semana eles seguem somente em treinos físicos. Estou refazendo as avaliações físicas com os atletas até como forma de precaução. A partir da próxima segunda-feira entrego o grupo para o professor Maradona que reinicia os trabalhos técnicos e táticos”, disse Lenno.

A Copa São Paulo de Futebol Junior é a principal competição de base do país e responsável por revelar grandes nomes do futebol nacional. Para os garotos do Galo, além de honrar a camisa Tricolor a competição pode servir como trampolim pessoal.

Foto: Elias Fontinele/O DIA

“Sabemos do peso de uma Copinha no currículo e que dependendo do que fazermos as portas se abrem. Para mim então é ainda mais importante, pois vai ser a primeira vez que vou participar”, conta o volante Kaio.

O River vem de um bom ritmo de jogos, pois até a última semana estava disputando a Copa Nordeste Sub-20. Apesar da eliminação, os atletas acreditam que o grupo está entrosado e chega confiante para a competição nacional. “Nosso grupo é muito unido e nós temos essa vantagem do entrosamento. Acredito que estamos em condições de garantir esse feito para o River e para o estado do Piauí que é passar de fase”, afirma João Pedro atacante.

A 50ª edição da Copa São Paulo conta com 128 clubes, divididos em 32 chaves. Os dois primeiros de cada chave avançam à fase de mata-mata. O River está no Grupo 15, ao lado de Jaguariúna-SP e Trindade-GO e o Flamengo atual campeão da competição. 

11 de dezembro de 2018

Flamengo quer Felipe Melo, mas Palmeiras diz que negócio é inviável

O Palmeiras trata o negócio como absolutamente inviável, especialmente pelos flamenguistas sonharem com a liberação do volante sem custos.

O Flamengo quer contar com Felipe Melo para 2019. O time carioca vê no volante uma chance de mostrar a mudança de postura proposta pelo grupo do presidente eleito, Rodolfo Landim.

O Palmeiras, no entanto, trata o negócio como absolutamente inviável, especialmente pelos flamenguistas sonharem com a liberação do volante sem custos.

Noticiado pelo Globoesporte.com e confirmado pela reportagem, o interesse rubro-negro deve ter novos capítulos nos próximos dias. O Flamengo pretende utilizar a identificação do jogador como um dos fatores de convencimento para que ele atue no Rio de Janeiro na próxima temporada.

O Palmeiras, por sua vez, não facilitará o negócio. Alguns membros da diretoria, inclusive, se irritaram com a notícia e disseram que não foram nem consultados por ninguém do Flamengo. Internamente no time alviverde, a ideia é tratada como "alucinação".

O atual campeão brasileiro, aliás, tem a política de evitar reforçar rivais diretos na briga pelos principais títulos do ano. Até mesmo negócios com Atlético-MG e Internacional, que têm bem menos rivalidade com o Palmeiras nos últimos anos, foram brecados para não reforçar possíveis adversários da Libertadores.

Felipe Melo assinou com o Palmeiras sem custos de transação, mas com pagamento de luvas milionárias. Foram R$ 2,5 milhões só em comissões para empresários, além de R$ 8,4 milhões que serão pagos em parcelas para o próprio atleta até dezembro de 2019, quando o contrato acaba.

Piauí acerta com técnico Lucas Andrade e atacante Lucas Bacelar para 2019

A história de Lucas Andrade com o River iniciou em 2014, quando integrou a comissão de Evair.

O Piauí Esporte Clube opta pela discrição quando o assunto é a formação do elenco que vai disputar o Campeonato Piauiense 2019, mas aos poucos a lista de nomes vão surgindo. Na segunda-feira (10), o time confirmou o nome do atacante Lucas Bacelar, 23 anos, filho do maior ídolo do estado – o atacante Sima. Além dele, o nome do técnico Lucas Andrade é o preterido para assumir o comando do Enxuga-Rato.

Lucas Andrade não estava trabalhando como técnico nos últimos meses, mas foi Supervisor de Futebol do CRAC, de Goiás, a equipe foi campeã da Segunda Divisão. O Diretor de Futebol do Piauí, Marco Antônio cita que o time está muito próximo de fechar com o treinador. “Ele tem um trabalho em campo excepcional, tem uma dinâmica muito boa de grupo e com os jogadores, além de trabalhar bem com a base que é o foco do Piauí”, disse.

Somado a isso, tem o fato de que Lucas Andrade já trabalhou com Marco Antônio. O técnico assumiu o River em 2017 como substituto de Celso Teixeira e na época Marco Antônio era Gerente de Futebol do Galo. Mas a história de Lucas Andrade com o River iniciou em 2014, quando integrou a comissão de Evair e chegou a assumir o comando do elenco após a saída precoce do técnico.


Foto: Elias Fontinele/O Dia

O fato de Marco Antônio está a frente das negociações no Enxuga-Rato vem abrindo portas. O nome de Lucas Bacelar foi confirmado pela diretoria. O atacante estava na Moto Club (MA), time campeão Maranhense 2018. Bacelar, teve o River como base e chegou a ter maior espaço no elenco Tricolor em 2015, ano do acesso até a Série C, porém a saída de Lucas se deu de forma traumática devido a cobrança na justiça por salários atrasados.

Apesar de todo o mistério em torno dos nomes o Diretor de Futebol afirma que a intenção é montar um elenco mais experiente. “Temos que fazer uma equipe que possa fazer frente aos adversários”, declarou Marco Antônio.

Todos os atletas e comissão técnica que assumirem o Piauí terão pela frente a dura missão de tirar a equipe do jejum de títulos que chega aos 34 anos. Outro nome confirmado no elenco do Enxuga-Rato é do lateral Jorginho. Em 2018, o Piauí chegou até as semifinais do Estadual quando foi eliminado pelo River.

10 de dezembro de 2018

Imprensa do Equador põe atacante Caicedo como alvo do São Paulo

Um indício da saída do jogador do Barcelona de Guaiaquil é uma postagem em tom de despedida do clube que Caicedo fez.

O São Paulo tem interesse na contratação do atacante Marcos Caicedo, do Barcelona de Guaiaquil, informa o site Ecuagol, do Equador. O jogador, inclusive, passou a seguir o clube paulista nas redes sociais, aumentando as especulações em torno de uma possível negociação.

Outro indício de sua saída do Barcelona foi uma mensagem publicada no Instagram, na semana passada. Em tom de despedida, Caicedo fez agradecimentos e citou os bons e maus momentos no clube.

No último domingo, em entrevista durante evento da Fundação Gol de Letra, no Morumbi, o diretor-executivo do São Paulo, Raí, não atribuiu o ato de o atleta passar a seguir o clube nas redes sociais a uma eventual negociação. Pessoas próximas à diretoria tricolor, por sua vez, negam que o Tricolor já tenha iniciado conversas.

“Não vejo todo mundo que segue o São Paulo. Não vamos falar de nomes. Se não é ele, pode ser outro e tudo mais. Sinceramente, não tem nada em comum sobre ele começar a seguir e alguma negociação”, disse o dirigente.

Aos 27 anos, Marcos Caicedo tem contrato com o Barcelona até o fim de 2020. Nesta temporada, o atacante marcou apenas quatro gols em 44 jogos. Caso seja contratado, ele teria a companhia dos compatriotas Arboleda e Joao Rojas no elenco tricolor.

Para 2019, após contratar os laterais Igor Vinícius e Léo Pelé, o São Paulo ainda busca se reforçar com um volante, um meia e dois atacantes.

Duatlon estimula amadores na prática de corrida e pedal

Duatlon estimula amadores na prática de corrida e pedal

Ao todo, 70 atletas participaram nesse domingo (9) do Duatlon Piauí.

A prova com rodagem de 5km de corrida, seguidos de 20km de pedal, mais 2,5km de corrida mobilizou atletas, amantes da corrida e do pedal, das mais diversas idades.

O evento foi realizado no Rodoanel e contou com a categoria Speed e Montain Bike. Foram premiados os três primeiros lugares gerais, feminino e masculino, e também os primeiros lugares em categorias divididas por idade.

A administradora de empresa Rosineide Silva Rodrigues, de 44 anos, foi a primeira na categoria da sua idade, na modalidade Montain Bike. “Para mim, a corrida significa vida, pois trouxe mais saúde física, mental, além de muitos amigos. Não me imaginava correndo e hoje não me vejo sem a corrida. Já o pedal, estou iniciando e descobrindo novos desafios, e o melhor de tudo, ambos se complementam nas provas de duatlon”, ressalta.

A organização foi da cronometragem Zero86, que é coordenada pelo educador físico e fisioterapeuta Daniel França. Triatleta e Ultraman, Daniel França explica que a corrida de rua tem se popularizado e ganhado cada vez mais adeptos, por isso, os eventos precisam ser incentivados na cidade. “A intenção é não deixar o esporte pra lá, um esporte tão lindo desse”, afirma. 

Daniel França anunciou para o ano que vem o Campeonato Piauiense de Duatlon. “Será feito em 4 etapas em distâncias progressivas, começando nessa distância agora e terminando numa distância de 10km de corrida, 60km de pedal e mais 10km de corrida, que será a última etapa”, afirma.   

River vence o Boca e conquista seu quarto título da Libertadores

A equipe venceu o Boca Juniors por 3 a 1, no estádio Santiago Bernabéu, em Madri

O River Plate conquistou o seu quarto título da Libertadores. Ontem (9), a equipe venceu o Boca Juniors por 3 a 1, no estádio Santiago Bernabéu, em Madri, no segundo jogo da decisão da competição.

Na primeira partida, realizada no dia 11 de novembro, em La Bombonera, terminou empatada por 2 a 2.

Com a conquista, o River Plate obteve seu quarto troféu do torneio e igualou o Estudiantes. O maior vencedor é o Independiente, com sete. O Boca Juniors soma seis. O terceiro maior ganhador é o Peñarol, que foi campeão em cinco oportunidades.

O Boca Juniors saiu na frente com um gol do atacante Benedetto, aos 44 minutos da etapa inicial. O River empatou com Pratto, aos 22 minutos do segundo tempo. Na prorrogação, Quintero acertou um lindo chute de fora da área e marcou o gol do título do River. Nos acréscimos, Pity Martínez marcou o terceiro para fechar o marcador.

O confronto teve dois tempos distintos. Na primeira metade, o Boca Juniors criou três boas oportunidades e aproveitou uma chance com Benedetto para abrir o placar.

Na segunda parte, o River conseguiu dominar o jogo e mereceu a igualdade.

Na prorrogação, o River Plate ficou com um jogador a mais logo no primeiro minuto após a expulsão de Barrios. Assim, dominou o confronto e chegou ao gol com Quintero e, no final da partida, com Pity Martínez.

O segundo duelo da final foi realizado neste domingo no estádio Santiago Bernabéu após ser adiado em razão da agressão de torcedores do River Plate ao ônibus do Boca Juniors na chegada ao estádio Monumental de Nuñez no dia 24 de novembro.

O confronto chegou a ser marcado para o dia 25, mas Boca alegou não haver a segurança necessária no Monumental para jogar depois que o ônibus que levava os jogadores.

Com isso, o confronto foi remarcado para este domingo no Santiago Bernabéu.

A Espanha foi selecionada para sediar a final após sugestão do presidente da Fifa, Gianni Infantino, de que seria melhor realizar o jogo na Europa do que no Qatar, país que fez a proposta mais vantajosa para receber a final.


Tite quer atletas do Brasil

Tite quer atletas do Brasil "comportados" nas férias

O grupo precisa estar bem direcionado"

Apenas uma convocação da seleção brasileira separa os jogadores da Copa América de 2019. Serão dois amistosos em março, provavelmente na Europa, que ajudarão a comissão técnica de Tite a definir a lista final do torneio que será disputado no Brasil. Por isso, há uma recomendação para os possíveis convocados que jogam no futebol do país se cuidarem nas férias. Haverá pouco tempo para entrar no ritmo da próxima temporada e conquistar uma chance.

"Na Europa, os atletas estarão num momento muito bom. No Brasil, estarão voltando de férias. A nossa atenção é muito grande com esses que em março vão ter poucos jogos ainda pelos seus clubes. Nossa observação vai ter que ser de acompanhamento de treinamento, como voltaram de férias, peso, percentual de gordura. Todos esses detalhes são importantes para dar uma consistência boa, para que o Tite possa convocar com segurança", explicou o coordenador de seleções Edu Gaspar, durante evento festivo de Ronaldinho Gaúcho no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

Segundo Edu, o próprio Tite já mantém conversas com atletas e clubes para tentar conscientizá-los do pouco tempo até os amistosos de março e da importância deles para a formatação da lista de convocados para a Copa América.

"O Tite já vem constantemente passando uma mensagem da importância de os atletas voltarem bem. Os atletas, por melhor campeonato que tenham feito neste ano, se não chegarem bem em março, talvez as chances possam diminuir. É importante eles terem essa consciência, porque a pesará muito estar fazendo bons jogos até março, para que possam estar sendo convocados", alertou o dirigente da seleção.

Nas últimas convocações de Tite, os jogadores do futebol brasileiro que receberam oportunidades foram o zagueiro Dedé, do Cruzeiro, o atacante Everton, do Grêmio, e Fagner, do Corinthians, por exemplo.

"Passamos a primeira etapa, que era mais de observação. Agora começa a segunda, que afunila justamente para a Copa América. Essa convocação de março estará muito próximo do que será a lista final. Então precisa servir como preparação. Serão apenas quatro amistosos até a Copa América. O grupo precisa estar bem direcionado", finalizou Edu.


Alberto Valentim segue como técnico do Vasco em 2019

Alberto Valentim segue como técnico do Vasco em 2019

No Campeonato Brasileiro deste ano, Valentim livrou o Vasco do rebaixamento para a Série B

O presidente do Vasco, Alexandre Campello, anunciou a permanência do técnico Alberto Valentim para a temporada de 2019. Além do treinador, o diretor executivo de futebol, Alexandre Faria, também está garantido no cargo.

Foto: Folhapress

No Campeonato Brasileiro deste ano, Valentim livrou o Vasco do rebaixamento para a Série B. O feito, entretanto, não livrou o time de uma campanha ruim em seu comando. No total, foram oito derrotas, sete empates e quatro vitórias.

O Vasco queria contratar o técnico Abel Braga, que deve acertar com o Flamengo.

Apesar das permanências do técnico e diretor executivo, a comissão técnica vai ter mudanças. O ex-goleiro Acácio assume o carde de auxiliar técnico.


Com o interesse do Corinthians, Vasco corre para renovar o contrato de Castán

O interesse do Corinthians pelo zagueiro Leandro Castán, 32, faz o Vasco correr para convencer o jogador a permanecer na equipe carioca. O clube deve propor um novo contrato até 2020.

Mesmo com contrato até o fim de 2019, o Corinthians busca contratar Castán para a próxima temporada pelo clube paulista. O Vasco já foi informado da preferência do zagueiro em voltar a jogar pelo time do Itaquerão.

Castán chegou ao Vasco no início de agosto, após jogar pelo Cagliari, da Itália. Neste tempo, disputou 15 jogos pelo time carioca, cresceu durante o campeonato e foi capitão da equipe. Com salário em dia, o zagueiro não pode deixar o clube por meio de uma ação judicial devido há valores a receber em direitos de imagem.

Em sua passagem pelo Corinthians, Castán conquistou o Campeonato Brasileiro de 2011 e a Libertadores de 2012.


09 de dezembro de 2018

Corrida de rua reúne centenas de atletas contra a Pólio

Corredores participaram da prova nas categorias de 5 quilômetros, 10 quilômetros, caminhada e kids

Mesmo com uma manhã de domingo chuvosa a Correndo Contra Pólio, corrida de rua organizada pelo Rotary Teresina Cajuína, reuniu centenas de corredores que participaram da prova nas categorias de 5 quilômetros, 10 quilômetros, caminhada e kids. Na verdade, o clima ameno acabou sendo um atrativo a mais para o evento que reuniu clubes de corrida e famílias inteiras, teve até pet concorrendo e dando um show de disposição.

“O Moro que deu o gás e ditou o ritmo da corrida. É a primeira vez que ele participa de uma prova oficial com inscrição e tudo e garantiu a medalha dos 5 quilômetros. Ele já treina e é acostumado, já é um atleta.“, explica o advogado Welber Duarte que correu junto com seu cachorro beagle, cada um com sua inscrição própria.

Fotos: Moisés Sabba

Outro destaque foi vencedor geral dos 5 quilômetros, Raimundo Gomes, que já pratica o esporte há 8 anos: “ Fiz o tempo de 15 minutos e 58 segundos. Estou muito satisfeito, treino todos os dias para aguentar o ritmo da prova. A organização está de parabéns, gostei muito de participar e meu grande sonho é correr também a São Silvestre”.

Já o vencedor dos 10 quilômetros , Raimundo Nonato da Silva, elogiou a estrutura montada : “ A corrida foi bem organizada, teve bastante água, não fomos atrapalhados pelo trânsito, tinha cuidados médicos a quem precisasse.”. E o atleta conta sobre sua preparação para garantir o melhor tempo: “Eu corro 80 quilômetros semanalmente, são dois treinos por dia. Meu objetivo é sempre melhorar meu tempo, hoje completei o percurso em 32 minutos.”, ressaltou ele. Os dois campeões gerais ganharam um bicicleta Houston e 3 meses de academia, além de troféu e medalha.

De fato, a segunda edição da Correndo contra Pólio foi um sucesso e marca definitivamente o calendário esportivo da capital. Os recursos são destinados para campanha End Pólio Now do Rotary Internacional, como explica José Carlos Formiga, presidente do Rotary Teresina Cajuína, “ Sucesso absoluto, todas as inscrições disponibilizadas foram preenchidas e ainda tínhamos mais interessados querendo participar. É bom frisar, estamos bem perto de acabar de vez com a doença que já está 99% erradicada, faltam apenas três países no mundo onde precisamos intensificar campanhas e produzir vacinas, um esforço mundial. Para cada dólar arrecadado, a fundação Bill Gates dobra o recurso e então o destino desses valores é salvar o mundo da paralisia infantil que erradicada no Brasil desde 1980, mas precisamos permanecer vigilantes.”, destacou.

O presidente rotariano explica que a organização sem fins lucrativos também é voluntária em outros projetos: “ O Rotary realiza trabalhos por comunidades carentes no Piauí e a verba arrecadada também vai suprir esses nossos projetos. Estamos muito felizes com a adesão dos teresinense pela nossa causa, obrigado a todos que compareceram e que colaboraram.”, finaliza Carlos Formiga.

Justiça ordena devolução de CT Meninos da Vila ao município de Santos

Justiça ordena devolução de CT Meninos da Vila ao município de Santos

O terreno foi doado ao clube em 1990. O Peixe informou que irá recorrer da decisão.

Na última sexta-feira, a Justiça de São Paulo acatou ao pedido do Ministério Público e solicitou que o CT Meninos da Vila seja devolvido ao município pelo Santos. O terreno, que hoje é a sede dos treinos das categorias de base e do time feminino do Alvinegro praiano, foi doado ao clube no ano de 1990, mas deve voltar a ficar em posse da cidade de Santos.

O Peixe, porém, irá recorrer à decisão, tomada pelo juiz Fábio Sznifer, da da 1ª Vara da Fazenda Pública de Santos. De acordo com o magistrado, a doação do terreno ao clube da baixada santista foi ilegal, já que não atende ao interesse público, e tampouco tem caráter social.


CT é a sede das categorias de base e do time feminino do Santos (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/SFC)

“A doação não fixou que o conjunto poliesportivo seja destinado à população de baixa renda, nem realizou qualquer encargo que atendesse o interesse público. Tão somente o aumento do espaço físico do clube requerido não pode ser considerado como interesse público, ainda que haja ações pontuais neste local que favoreçam tal interesse”, escreveu, na sentença.

O acordo entre o município e o Santos, em 1990, previa a construção de um conjunto poliesportivo em um ano, assim como a ampliação das instalações sociais e esportivas. Entretanto, as obras do CT foram iniciadas somente em 2005, algo que, para o MP, seria motivo para que o clube pagasse indenizações ao município. Como aponta o juiz Fábio Sznifer ainda, não há impedimento para que o Peixe utilize a posse do terreno com outros vieses, como, por exemplo, a venda do mesmo par arrecadar fundos.

Madri aumenta segurança para a final da Libertadores neste domingo

Madri aumenta segurança para a final da Libertadores neste domingo

River e Boca se enfrentam às 17h30 no Santiago Bernabéu.

Após a violência ocorrida antes da patida final da Libertadotres, em Buenos Aires, River Plate e Boca Juniors se enfrentam hoje (9), às 17h30 (de Brasília), no estádio Santiago Bernabéu, em Madri. É a primeira vez que a Taça Libertadores terá jogo disputado em território europeu. A medida foi adotada pela Comenbol, por questão de segurança, depois que o ônibus com os atletas do Boca foi apedrejado por torcedores do River há 15 dias.

Temendo episódios de violência, o governo espanhol disponibilizou cerca de 4 mil policiais entre agentes públicos e privados. Em Madri, na véspera do jogo deste domingo, torcedores do Boca e River escolheram locais distintos para se reunir a fim de assistir à partida de logo mais.

A diretoria do River tentou evitar a transferência do jogo para a capital esánhola, alegando que se a decisão fosse no Monumental, na capital argentina, as arquibancadas estariam ocupadas apenas por seus torcedores, como ocorreu no primeiro jogo da final na Bombonera. Segundo eles, com a mudança para Madri, as duas torcidas vão dividirão as arquibancadas do Bernabéu. Para os diretores, a presença da torcida do Boca é uma vantagem concedida ao clube adversário.


Boca Juniors e River Plate disputam a Taça Libertadores (Foto: Divulgação)

Já os drietores do Boca chegaram a sinalizar que a sua equipe não disputaria a final em Madri. Eles reivindicavam que o arquirrival fosse desclassificado como punição pela violência contra seus jogadores. O técnico Guillermo Barros Schelotto, por exemplo, fez discurso duro contra o episódio que gerou a decisão do torneio para um país europeu.

A expectativa é que o Boca entre em campo com a formação anterior, com Sebastián Villa e Ramón Ábila no setor ofensivo.

Prováveis escalações:

River Plate: Armani; Montiel, Martínez Cuarta, Maidana, Pinola e Casco; Palacios, Ponzio, Pérez e Pity Martínez; Pratto. Técnico: Marcelo Gallardo.

Boca Juniors: Andrada; Jara, Izquierdoz, Magallán e Olaza; Nández, Barrios e Pérez; Villa, Pavón e Ábila. Técnico: Guillermo Barros Schelotto.

Árbitro da partida : Andrés Cunha (Uruguai), auxiliado pelos compatriotas Nicolás Tarán e Mauricio Espinosa.

Messi faz dois gols de falta e comanda goleada do Barcelona contra o Espanyol

Messi faz dois gols de falta e comanda goleada do Barcelona contra o Espanyol

Vitória teve ainda gols de Dembelé e Suárez e fez o time catalão respirar na ponta. Equipe subiu para 31 pontos em relação ao Sevilla.

Na atualidade é difícil encontrar algum cobrador de faltas superior a Lionel Messi. O craque argentino tornou a bola parada algo especial em seu jogo e a utilizou de maneira decisiva neste sábado (8). Com dois gols de falta do camisa 10, o Barcelona goleou o Espanyol pelo placar de 4 a 0, fora de casa, e abriu vantagem na liderança do Campeonato Espanhol.
A vitória no dérbi da Catalunha com gols de Messi (dois), Dembelé e Suárez fez o Barça respirar na ponta. O time comandado por Ernesto Valverde subiu para 31 pontos e abriu três em relação ao Sevilla, que tropeçou na rodada deste sábado ao ficar apenas no empate por 1 a 1 com o Valencia, também fora de casa.
Além de perder o contato com o líder Barcelona, o Sevilla cedeu a vice-liderança para o Atlético de Madri. Também neste sábado, a equipe comandada pelo argentino Diego Simeone venceu o Alavés, quarto colocado e surpresa da Liga até então, pelo placar de 3 a 0, no Wanda Metropolitano, e chegou aos 28 pontos, superando o time andaluz nos critérios de desempate.


Foto: Reprodução/Instagram

Mesmo ameaçado pelo triunfo do time da capital mais cedo, o Barcelona precisou apenas do primeiro tempo para sacramentar mais três pontos no clássico regional. Antes do intervalo, Messi, Dembelé (com um golaço) e Suárez abriram 3 a 0.
Na etapa final, o gênio argentino cobrou outra falta com perfeição e transformou o resultado em uma goleada convincente. O Espanyol, por outro lado, pouco ameaçou, mas terminou o confronto com um gol anulado pelo árbitro de vídeo (VAR).
Antes de pensar novamente no Espanhol, o Barcelona se concentra para a despedida da fase de grupos da Liga dos Campeões. Já classificado e com a liderança do grupo, o gigante catalão recebe o Tottenham na terça-feira (11), às 18h (de Brasília), no Camp Nou. O Espanyol só volta a campo no domingo (16), às 13h, contra o Betis, novamente no RCDE Stadium.

Artilheiro da Copa do Nordeste sub-20, atacante comemora e confirma sondagens

Artilheiro da Copa do Nordeste sub-20, atacante comemora e confirma sondagens

Matheus Taumaturgo tem apenas 19 anos e terminou a competição com oito gols em sete jogos.

A Copa do Nordeste terminou hoje e o Fortaleza se sagrou campeão da edição de 2018, mas o destaque da competição foi o atacante do River-PI. Matheus Taumaturgo, de 19 anos, terminou a competição com oito gols em 7 jogos.

Nascido em São Luiz, capital maranhense, o jovem atacante cresceu em Santa Quitéria, no Maranhão, e começou a jogar futebol com 10 anos em uma escolhinha da própria cidade. Até chegar ao River-PI, Matheus passou por Votuporanguense-SP e os dois maiores clubes do Maranhão, Moto Club e Sampaio Correa.

Vivendo o melhor momento da carreira no River do Piauí, o atleta comentou que nem sempre foi  fácil vencer os obstáculos, mas o  apoio da mãe do camisa 9, foi fundamental.

- Passei por muitos momentos difíceis, onde ficava sabendo dos problemas que minha mãe tinha e onde eu não podia ajudar. Cheguei ao ponto de querer largar o futebol. Foi quando minha mãe me deu força para continuar lutando.


Matheus Taumaturgo (Foto: Divulgação)

Para 2019, Matheus segue almejando se tornar atleta de futebol profissional, espera bom desempenho na Copinha e revela sondagens. Artilheiro da do nordestão sub-20, confessa também estar feliz com o momento.

-Me sinto feliz por estar realizando um sonho, a artilharia é fruto de todo um trabalho que venho fazendo.  Para 2019, venho olhando com bons olhos que meu nome vem sendo f

alado, jogo a copinha pelo River e por enquanto houve sondagens, nada de concreto.

O próximo compromisso de Matheus com a equipe do River-PI é em Janeiro, na Copa São Paulo, a primeira partida é contra o Flamengo/RJ

08 de dezembro de 2018

Elenco do Altos destaca ‘sacrifício’ em início de temporada

O Jacaré estreia na Copa Nordeste dia 16 de janeiro contra o Moto Club do Maranhão

 
Jogadores do Altos treinam no estádio Deusdeth de Melo, em Campo Maior (Foto: Elias Fontinele/O Dia)

O time do Altos está treinando no estádio Deusdeth de Melo, em Campo Maior, por conta de reformas que estão sendo realizadas no gramado e entorno do Felipão. O elenco comandado por Leandro Campos está realizando atividades em dois períodos. A estreia será no dia 16 de janeiro, contra o Moto Club -MA, em São Luís.

De Altos para Campo Maior são 37km, porém, o time está fazendo esse deslocamento duas vezes por dia. O zagueiro Leone, confessa que o desgaste é maior, mas necessário até como forma de preservar o gramado do estádio Felipão. “Realmente fica mais complicado para a gente, pois o nosso tempo de descanso diminui, mas são esforços necessários para conseguirmos fazer uma boa pré-temporada”, conta.

Leandro Campos está na primeira semana de trabalhos, mas já inseriu as atividades com bola e aos poucos começa a conhecer melhor seus comandados. “É um grupo muito, com atletas experientes e aos poucos eu estou vendo melhor as características de cada um deles, conhecendo melhor principalmente aqueles que não trabalharam comigo antes. Temos amistosos em vista para logo e quero ter todas as dúvidas sanadas”, frisa o técnico.

O Altos deve fazer amistosos com times do Ceará, pois no estado vizinho o Campeonato Estadual inicia no dia 6 de janeiro. Entre os adversários procurados pela diretoria do Jacaré

07 de dezembro de 2018

Corinthians confirma a volta de Fábio Carille ao clube

Corinthians confirma a volta de Fábio Carille ao clube

O clube vai pagar a multa rescisória do técnico, que terá um contrato de dois anos, até dezembro de 2020.

Fábio Carille, 45, está de volta ao Corinthians. Sete meses após deixar o clube rumo ao Al Wehda, da Arábia Saudita, o técnico foi repatriado pelo time paulista para substituir Jair Ventura, 39, demitido na segunda-feira (3), um dia após o término do Campeonato Brasileiro.
À reportagem, o diretor de futebol da equipe alvinegra, Duílio Monteiro Alves, confirmou o acerto com o treinador. O clube vai pagar a multa rescisória do técnico, que terá um contrato de dois anos, até dezembro de 2020.
"Existe uma multa contratual, a gente não fala em valores, mas o Corinthians vai cumprir o contrato dele fazendo o pagamento dessa multa", acrescentou Duílio.
Na tarde desta sexta (7), o clube oficializou a informação do retorno do técnico em postagem nas suas redes sociais.
Para tirar Carille do Al Wehda, o Corinthians vai desembolsar cerca de 750 mil dólares (R$ 2,9 milhões), valor previsto como multa no contrato do treinador com o título árabe.
Ainda de acordo com Duílio, o técnico já tem participado do planejamento do Corinthians para 2019.
"Falta alguns detalhes [para divulgarmos o anúncio], mas a partir do momento em que chegamos a um acordo com ele [Carille], a gente passou a conversar com sobre o planejamento. Lógico que ele tem a função dele lá como treinador, a gente tem muito cuidado com isso para que ele saia e deixe a porta aberta, como ele deixou aqui no Corinthians", afirmou o diretor.


Foto: Marcos Ribolli

Em sua volta ao Parque São Jorge, Fábio Carille terá a missão de resgatar os bons resultados que o time conseguiu sob o seu comando.
Com Jair Ventura à frente da equipe, o time alvinegro ficou apenas na 13ª colocação do último Campeonato Brasileiro e brigou até a penúltima rodada para evitar o risco de um novo rebaixamento.
Foi um cenário bem diferente daquele deixado por Carille. Efetivado como técnico do Corinthians em dezembro de 2016, o ex-auxiliar iniciou sua jornada no ano seguinte e comandou a equipe em 104 jogos, com 55 vitórias, 30 empates e 19 derrotas, um aproveitamento de 62,5%, rendimento que o levou as conquistas do bicampeonato paulista (2017 e 2018) e do Brasileiro de 2017.
Ex-auxiliar de Tite, em quem sempre espelhou o seu trabalho, Carille resgatou o estilo de futebol com o qual torcida corintiana mais se identifica: armou um forte sistema defensivo e um ataque cirúrgico.
O maior reflexo dessa filosofia de jogo ocorreu no primeiro turno do Nacional de 2017, quando o Corinthians passou 19 jogos invicto, com 14 vitórias e cinco empates, desempenho fundamental para a confirmação do título no fim da temporada.
Quando o técnico se transferiu para o Al Wehda, já em maio deste ano, a diretoria corintiana tentou repetiu a fórmula que deu certo com ele e efetivou o então auxiliar Osmar Loss (43). Em 25 jogos, ele teve aproveitamento de 46,6%, com dez vitórias, cinco empates e dez derrotas, duas delas nas oitavas de final da Libertadores, diante do Colo Colo, que resultaram na eliminação do Corinthians.
Foi justamente a queda diante dos chilenos que provocou a demissão de Osmar Loss em setembro, quando o time paulista foi buscar Jair Ventura.
Nesta segunda passagem, o treinador carregará uma pressão diferente daquela que teve quando assumiu o time alvinegro pela primeira vez. Além de não ser mais uma aposta, defenderá a marca de ter o terceiro melhor aproveitamento entre os técnicos corintianos nesta década, com 62,5%, abaixo apenas de Tite (69,8%, entre 2015 e 2016) e Mano Menezes (64,5%, entre 2008 e 2010).
Isso, porém, não será nada fácil com o atual elenco alvinegro. Desde a conquista do Brasileiro de 2017, o time passou por um desmanche. Seis titulares daquela campanha vitoriosa deixaram o clube: Pablo, Balbuena, Arana, Rodriguinho, Maycon e Jô. As peças de reposição não deram conta do recado, tanto que a equipe alvinegra lutou para não ser rebaixada este ano.
Justamente por causa disso a torcida não está satisfeita apenas com o retorno de Carille. Os corintianos esperam por reforços, algo que será difícil para o clube buscar em grande quantidade, uma vez que a dívida atual do Corinthians superou os R$ 500 milhões neste semestre. Este valor não contabiliza o financiamento do Itaquerão, com dívida na casa de R$ 1,2 bilhão.

Abel rejeita ida ao Santos e indica preferência pelo Flamengo

Abel rejeita ida ao Santos e indica preferência pelo Flamengo

A partir da negativa de Abel, o clube alvinegro irá buscar um outro profissional.

O Santos colocou Abel Braga como opção prioritária para suceder o técnico Cuca, mas o treinador indicou que seu futuro não passa pela Baixada Santista. A resposta do treinador indicou ainda possível acerto com o Flamengo.

Em contato feito na quarta-feira (5), limite imposto pelos santistas para uma retorno definitivo, o treinador agradeceu pelo interesse, mas afirmou que pretende retomar os trabalhos em um clube que vai disputar a próxima edição da Copa Libertadores. O Santos não disputará a competição.

A partir da negativa de Abel, o clube alvinegro irá buscar um outro profissional.

A resposta aos santistas soa como um aceite antecipado ao Flamengo, que deseja Abel e estará na Libertadores de 2019. No entanto, os rubro-negros ainda têm de passar por um processo eleitoral no próximo sábado (8).

Foto: Lucas Tavares/Folhapress

Ainda que não admitam abertamente, Renato Portaluppi era o sonho de consumo de Ricardo Lomba e Rodolfo Landim, principais postulantes à presidência flamenguista. Com a renovação do treinador com o Grêmio, Abel, que já estava na alça de mira de ambos, ganhou os holofotes.

O Santos não mediu esforços para ter Abel no comando, visto que ofereceu um salário acima dos padrões do clube para o comandante e seus homens de confiança.

O treinador está inativo desde que deixou o comando do Fluminense e vê com muito bons olhos o projeto de retornar ao Fla, clube pelo qual levantou o Carioca de 2004 e ficou com o vice da Copa do Brasil.

Com poderio financeiro e estrutura de primeira, Abel está seguro que pode recolocar o time rubro-negro no caminho das conquistas.


Falcão dá adeus às quadras de futsal

Falcão dá adeus às quadras de futsal

O jogador diz que brigará para futsal se tornar olímpico

As lambretas, canetas e a irreverência dentro de quadra de Alessandro Rosa Vieira, 41, o Falcão, teve seu último capítulo ontem (6).

Eleito quatro vezes o melhor jogador do mundo de futsal (2004, 2006, 2011 e 2012), o ala se aposentou no duelo de seu time, o Sorocaba, contra o Corinthians, ontem à noite, no Ginásio Wlamir Marques, no Parque São Jorge, no segundo jogo da final da Liga Paulista.

Após se aposentar, Falcão deseja continuar no esporte. Uma de suas metas é fazer com que o futsal entre no programa olímpico. Ele pretende reunir capitães de seleções com a Fifa, que controla a modalidade, e com o Comitê Olímpico Internacional.

O jogador, que se aposentou da seleção brasileira em outubro, critica a CBFS (Confederação Brasileira de Futsal).

"Hoje temos uma gestão inexperiente, que ainda comete erros e não é organizada. Porém, não rouba como a anterior", afirma à Folha de São Paulo.

Falcão refere-se à gestão de Aécio de Borba Vasconcelos, que ficou 35 anos no poder e renunciou ao cargo em 2014, após ter as contas reprovadas e sob acusações de corrupção e nepotismo.

Atualmente, a CBFS é comandada por Marcos Madeira. A confederação disse que "respeita a opinião de Falcão como qualquer um pode ter".

"Mas trabalhamos focando na transparência, na gestão correta e profissional, tudo isso para recuperar a credibilidade da entidade no mercado", disse a entidade em nota.

Nas redes sociais, o jogador mostrou sua gratidão ao esporte.


Felipão passa por ajustes e equipe do Altos treina em Campo Maior

Felipão passa por ajustes e equipe do Altos treina em Campo Maior

Altos estreia na Copa do Nordeste dia 16 de janeiro

O Altos encontra as primeiras dificuldades no reinício de atividades visando 2019. Com o Estádio Felipão passando por reformas no gramado e entorno o time mudou o palco de treinos essa semana e tem usado o Estádio Deusdeth de Melo, em Campo Maior, como casa. O Jacaré se prepara para estreia na Copa do Nordeste contra o Moto Club (MA) no dia 16 de janeiro, em São Luís. 

O Altos está treinado em dois períodos, e dividindo as atividades entre físicos, técnico e trabalho tático. Apesar do deslocamento diário, o técnico Leandro Campos afirma que isso não muda a logística. "O gramado aqui (Campo Maior) está em boas condições e nós precisamos poupar nosso campo para disputar o Estadual. Como são apenas 37km, não é uma grande distância, eu penso que não atrapalha”, diz Leandro Campos.

O técnico Leandro Campos realizou treino de toque de bola rápido em campo reduzido, já dividiu o time e aos poucos conhece melhor seus comandados e pensar na formação que deve entrar em campo para os amistosos no final desse mês. "Nós temos como prioridades naturais o condicionamento físico e técnico. A partir da segunda semana entramos na parte tática, pois os trabalhos têm sido melhor no sentido até mesmo de conhecer melhor os jogadores em cima de suas características”, explica o técnico.

Entre os atletas a impressão dos primeiros dias também é positiva. "Pré-temporada os trabalhos puxados, mas são trabalhos bons, com bola e testes para ganhar na parte física e depois disso entramos na parte tática porque sabemos que o primeiro teste já deve acontecer no dia 23 em jogo amistoso”, cita Leone.

O preparador físico do elenco, Vanvan, cita que o trabalho físico é realizado junto com os trabalhos técnicos e táticos. Todos os exames e testes com os atletas foram encerrados e as maiores preocupações, no caso, os atletas que retornavam de lesão - Carlos Magno, Éder Guerreiro, Ítalo e Manoel foram inseridos de forma direta ao elenco sem dificuldades. 

O Altos estreia na Copa do Nordeste dia 16 de janeiro quando enceta o Moto Club, em São Luís. No Piauiense, a estreia é dia 20 de janeiro contra o 4 de Julho, no estádio Felipão. 

06 de dezembro de 2018

Conmebol rejeita apelação do Boca Juniors por final da Libertadores

Conmebol rejeita apelação do Boca Juniors por final da Libertadores

O time havia dito que, se sua apelação não prosperasse, buscaria a resolução do Tribunal Arbitral do Esporte (CAS).

A Conmebol rejeitou, nesta quinta-feira (6), a apelação do Boca Juniors para que o River Plate seja excluído da final da Libertadores e o título, consequentemente, fique com a equipe xeneize. No fim de novembro, o clube apelou da decisão do Tribunal Disciplinar da entidade, que desprezou o pedido de exclusão do rival.
Na época, o Boca emitiu um comunicado dizendo que, se sua apelação não prosperasse, buscaria a resolução do Tribunal Arbitral do Esporte (CAS).
A Conmebol anunciou a decisão em nota divulgada em seu site. "A Câmara de Apelações da Conmebol resolve rejeitar a apelação apresentada pelo Boca Juniors em 30 de novembro de 2018 contra a decisão emitida pelo Tribunal Disciplinar da Conmebol em 29 de novembro de 2018 no processo O-212-18. E, consequentemente, confirmar em todos os seus termos a decisão do Tribunal Disciplinar da Conmebol, de 29 de novembro de 2018 no processo O-212-18", diz o comunicado.


Foto: Divulgação

Boca e River vão se enfrentar no próximo domingo (9) no estádio Santiago Bernabéu, em Madri, pelo segundo jogo da final da Libertadores.
O duelo aconteceria em 24 de novembro, mas o ônibus do clube xeneize foi atacado na chegada ao estádio Monumental de Núñez, o que adiou a partida. Posteriormente, a Conmebol confirmou o jogo na Espanha.
A entidade ainda irá divulgar o resultado do recurso do River, que protestou contra a mudança de sede. Por conta da confusão antes da segunda partida da final, a equipe foi multada em 400 mil dólares e punida com dois jogos como mandante com portões fechados em 2019.

River enfrenta Fortaleza pela semifinal da Copa do Nordeste Sub-20

River enfrenta Fortaleza pela semifinal da Copa do Nordeste Sub-20

Os finalistas serão conhecidos em jogo único e a final acontece no sábado (8).

Esta quinta-feira (6) será decisiva para o River. O time entra em campo pela semifinal da Copa do Nordeste Sub-20 para enfrentar o Fortaleza. A partida acontece às 17h, no estádio Lourival Baptista, em Aracaju, Sergipe. O outro jogo da semifinal será entre Bahia e Santa Cruz (PE), logo em seguida no mesmo local. Os finalistas serão conhecidos em jogo único e a final acontece no sábado (8).

A equipe do River conseguiu a classificação de forma heroica. O time venceu o Moto Club por 10 a 0 e contou com a derrota do Ceará diante o Sampaio (3 a 1) para se classificar. Após isso, o técnico acredita que o time chega motivado. “Depois dessa classificação super difícil como foi a nossa é preciso valorizar isso. Nós sabemos que será uma partida muito complicada diante o Fortaleza, mas eu sei dos jogadores que tenho no elenco e que eles tem potencial para conseguir chegar até a final ou pelo menos fazer um jogo parelho”, frisa Maradona.

O Galo Carijó tem na competição seis jogos: três vitórias, dois empates e uma derrota. Chegar até a final da Copa do Nordeste Sub-20 seria um feito inédito para o time piauiense e também para o estado do Piauí. Ano passado, o River chegou até a semifinal, mas a competição era disputada em outro formado.

Para essa semifinal, além de empolgados pela forma como veio a classificação o time também tem na competição uma das melhores defesas e o ataque tem Matheus, com sete gols marcados. O adversário, Fortaleza, está 100% na competição e em seis jogos foram seis vitorias e um total de 18 pontos.

O jogo entre River x Fortaleza acontece hoje (6), às 17h, no estádio Lourival Baptista, em Aracaju, Sergipe. 

05 de dezembro de 2018

Após hiato de seis anos, seleção brasileira jogará no Maracanã em 2019

A data inda será confirmada. Jogo será um amistoso.

O Maracanã voltará a receber a seleção brasileira. A equipe comandada por Tite fará um amistoso no estádio mais tradicional do futebol nacional em junho, dias antes da abertura da Copa América. A data ainda será confirmada.
Um outro amistoso na fase de preparação para a disputa do torneio deverá acontecer no Beira-Rio, em Porto Alegre, no mesmo mês.
A Copa América será disputada em junho no Brasil em cinco cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte e Salvador.
Depois da derrota na Copa da Rússia, Tite precisa do título no torneio para permanecer no cargo.
O amistoso em junho será a primeira vez que a seleção jogará no estádio desde a final da Copa das Confederações, em 2013. Na ocasião, o Brasil venceu a Espanha, por 3 a 0, e conquistou o seu último título.
A seleção não jogou no Rio na Copa de 2014. Pela tabela organizada pela Fifa, a equipe de Neymar só entraria em campo no Maracanã na final do torneio, o que não aconteceu.


Maracanã (Foto: Divulgação)

Na semifinal, o Brasil sofreu a maior derrota da sua história ao ser goleado pela Alemanha, por 7 a 1, em Belo Horizonte.
O amistoso de junho será o primeiro de Tite no Rio desde que assumiu o comando da seleção, em 2016. O treinador havia pedido para jogar no mais famoso estádio do Brasil antes da Copa do Mundo da Rússia, mas a CBF não conseguiu fechar um acordo com os administradores da arena.
Nas eliminatórias da Copa da Rússia, o Maracanã ficou fora da campanha da seleção pela primeira vez na história da competição.
Em outubro do ano passado, Marco Polo Del Nero, então presidente da CBF, disse que o estádio estava "meio abandonado" ao justificar sua decisão de tirar o último jogo do torneio do estádio carioca.
Palco da final da Copa do Mundo e da abertura dos Jogos Olímpicos, o Maracanã foi reformado por cerca de R$ 1,2 bilhão pela Odebrecht e pela Andrade Gutierrez.
A obra entrou na Lava Jato. Nesta terça (4), a segunda instância da Justiça Federal do Rio condenou a 45 anos e nove meses de prisão o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (MDB) por cobrar propina de construtoras em obras como a do Maracanã.
Em março, a seleção fará os dois últimos amistosos antes de Tite divulgar a lista final para a disputa da Copa América.
Os jogos acontecerão na Europa. Alemanha e Dinamarca são os prováveis adversários.
Depois da derrota na Rússia, a seleção está invicta. Sem encantar, o time venceu seis partidas e não sofreu nenhum gol.

Campeã sul-americana, seleção feminina de handebol inicia reconstrução

O time jogou bem um torneio amistoso na Espanha e foi campeã com sobras. Equipe se classificou ao Mundial do ano que vem, no Japão

Com aposentadoria prevista para o fim da temporada, em meados do ano que vem, Alexandra não foi convocada para defender a seleção brasileira de handebol no Sul-Americano da categoria. A opção do técnico Jorge Dueñas foi clara: renovar a equipe.
Por enquanto, a fórmula está dando certo. O time jogou bem um torneio amistoso na Espanha e foi campeã com sobras do Campeonato Sul-Americano, encerrado na segunda-feira (3). Assim, se classificou ao Mundial do ano que vem, no Japão.
O handebol, que tem seu principal centro na Europa, reveza seu calendário. Nos anos ímpares, o mês de dezembro é reservado ao Mundial. Nos pares, ao Campeonato Europeu. Por isso a janela começou para o Brasil com um torneio preparatório na Espanha, onde venceu a Alemanha (20 a 19), empatou com a Espanha e perdeu da Polônia (32 a 26).
Se as europeias usaram a competição amistosa como aquecimento para o Campeonato Europeu (que no handebol é praticamente um mini-Mundial), o Brasil viajou para Maceió (AL) para disputar o "Campeonato Sul e Centro-Americano", ainda que apenas times do Cone Sul tenham se inscrito. A cidade sede do torneio é a casa do novo presidente da CBHb (Confederação Brasileira de Handebol), Ricardo Souza, o Ricardinho.


Seleção feminina de Handebol (Foto: ESPN)

Como esperado, o Brasil sobrou. Fez 28 a 9 no Uruguai e 39 a 9 no Chile. Diante do Paraguai, outro placar elástico: 40 a 19. No jogo final do pentagonal, enfim um duelo um pouco mais equilibrado contra a Argentina, vencida por 24 a 19. O confronto, porém, foi decidido ainda no primeiro tempo, quando o Brasil abriu 7 a 1.
Mais importante do que o resultado, já esperado, foi a seleção conseguir apresentar volume de jogo parecido com dos seus tempos áureos, agora com uma nova geração em quadra. Seguem no elenco poucas das campeãs mundiais de 2013, como a goleira Babi e as alas Duda e Deonise. Mas a maior parte do time foi renovado.
Coadjuvante na ponta no ciclo olímpico passado, Mariana Costa agora é protagonista e foi a artilheira da competição. Dara e Dani Piedade, pivôs que serviram à seleção por mais de uma década, agora dão lugar a Elaine Gomes e Tamires Araújo.
Mariana, Elaine, as alas Bruna de Paula e Patrícia Silva e a ponta Larissa Araújo, são de uma geração que em 2012 superou diversas potências europeias na primeira fase do Mundial Júnior, com expectativa de brigar por medalhas, mas acabou caindo nas oitavas de final. Agora, chegou a vez delas na seleção.

River Plate embarca com apoio da torcida para disputar final em Madri

Assim como o arquirrival, o time "millonario" recebeu uma pequena festa na saída para o aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires.

Horas depois do Boca Juniors, o River Plate embarcou para Madri, na Espanha, local no qual vai disputar domingo (9), a partir das 17h30 (de Brasília), a final da Copa Libertadores da América.
Assim como o arquirrival, o time "millonario" recebeu uma pequena festa na saída para o aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires, nesta quarta-feira (5); no caso, em proporção muito menor a dos "xeneizes", que viajaram na noite de terça (4).
Sob clima bem tranquilo, contraditório ao encontrado nos bastidores, com a diretoria do clube se manifestando contra a partida na capital espanhola, os jogadores e o técnico Marcelo Gallardo posaram para fotos no aeroporto e embarcaram sem qualquer tumulto.
O River Plate vai jogar a final da Libertadores na Espanha ao perder o "fator casa" por culpa dos próprios torcedores. Um ataque ao ônibus do Boca Juniors no último dia 24 adiou a partida e gerou uma decisão drástica da Conmebol.


Foto:Divulgação

Sem qualquer garantia de segurança das autoridades argentinas, a entidade entrou em acordo com Madri para levar o duelo para o Santiago Bernabéu, estádio do Real Madrid.
Tanto o River, que reclama da perda da "igualdade" na final, quanto o Boca, que buscou o título nos tribunais pela violência contra a sua delegação, protestaram.
Em campo, as equipes ficaram no empate por 2 a 2, em partida disputada com público total do Boca em La Bombonera. Na Espanha, as torcidas terão uma parte dos ingressos e dividirão o estádio, por exemplo, com sócios do Real.

Árabes cobram multa e pedem tempo para liberar Carille ao Corinthians

Árabes cobram multa e pedem tempo para liberar Carille ao Corinthians

Se fechar o acerto com o Corinthians, o técnico deve chegar ao Brasil no domingo (15).

O Corinthians terá de esperar um pouco mais do que previa para contar com retorno de Fábio Carille, 45, ao clube. Isso porque o Al Wehda, equipe dirigida pelo brasileiro na Arábia Saudita, pediu ao técnico para que ele comande o time, pelo menos, nos próximos dois jogos. 

O xeque responsável pelo clube saudita fez essa solicitação para que Al Wehda tenha mais tempo para procurar um substituto para o treinador. Os dirigentes corintianos, por sua vez, aguardam a liberação do técnico para fazer o pagamento da multa rescisória, estimada em 750 mil dólares (R$ 2,9 milhões).

O próximo compromisso do atual time de Carille é nesta sexta-feira (7), contra o Al Taawon. O seguinte, que deverá ser o último do treinador na Arábia Saudita, será na quinta-feira (13), diante do Ettifaq.

Foto: Divulgação

Se fechar o acerto com o Corinthians, o técnico deve chegar ao Brasil no domingo (15). Antes disso, os dirigentes esperam que o técnico participe do planejamento do clube para 2019 à distância. Com ele virão o auxiliar Leandro Silva, o observador técnico Mauro da Silva, o preparador físico Walmir Cruz e o coordenador do Cifut (centro de Inteligência) Denis Luup.

Pelo Corinthians, o treinador foi bicampeão paulista (2017 e 2018) e campeão brasileiro (2017). Comandou a equipe em 104 jogos, com 55 vitórias, 30 empates e 19 derrotas até deixar o Parque São Jorge, em maio.

Enquanto Carille esteve fora do país, o time alvinegro teve dois técnicos. Primeiro, o ex-auxiliar Osmar Loss, 43, foi promovido e dirigiu a equipe em 25 partidas, com dez vitórias, cinco empate se dez derrotas. Em setembro, ele acabou substituído por Jair Ventura, 39, demitido na segunda-feira (3) após trabalhar em 19 jogos pelo clube: quatro vitórias, seis empates e nove derrotas.

Segundo maior artilheiro do Grêmio, Tarciso morre aos 67 anos

Segundo maior artilheiro do Grêmio, Tarciso morre aos 67 anos

No currículo do Flecha Negra estão os títulos do Brasileiro de 1981, Libertadores de 1983 e Mundial de Clubes do mesmo ano., entre tantas outras conquistas.

Morreu, na madrugada desta quarta-feira (5), o ex-jogador de futebol e político José Tarciso de Sousa, mais conhecido como Tarciso Flecha Negra. Ex-atacante, ele é o segundo maior artilheiro da história do Grêmio e estava no terceiro mandato de vereador em Porto Alegre. Tarciso era natural de São Geraldo, interior de Minas Gerais e tinha 67 anos.

O falecimento foi confirmado pelo gabinete do ex-atacante na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. A causa da morte ainda não foi informada.

Foto: Reprodução

Autor de 222 gols em 721 partidas pelo Grêmio, Tarciso chegou a Porto Alegre egresso do América-RJ e ficou no clube entre os anos de 1973 e 1986. Depois jogou por Goiás, Cerro Porteño, Coritiba, Goiânia e encerrou a carreira no São José-POA, em 1990.

Na história do Grêmio, apenas Alcindo marcou mais gols que Tarciso. Foram 231 gols do atacante que atuou de 1964 a 1972 no clube e voltou em 1977.

No currículo do Flecha Negra estão os títulos do Brasileiro de 1981, Libertadores de 1983 e Mundial de Clubes do mesmo ano. Também participou da conquista de cinco edições do Campeonato Gaúcho. José Tarciso de Sousa é o jogador que mais atuou pelo clube gaúcho.

A vida pública de Tarciso se iniciou em 2008 e teve reeleição em 2012 e 2016. Passou pelo PDT e atualmente estava no PSD. Nas redes sociais, Grêmio e Inter manifestaram seu pesar pelo ocorrido e homenagearam o ex-jogador.

Alonso ainda avalia retorno à F-1 após despedida em Abu Dhabi

Alonso ainda avalia retorno à F-1 após despedida em Abu Dhabi

Um dos empresários de Alonso, Flavio Briatore, afirmou que tal retorno não seria pela McLaren.

A despedida oficial de Fernando Alonso da Fórmula 1 aconteceu na última corrida desta temporada, em Abu Dhabi. Na ocasião, o bicampeão foi cercado de homenagens: ganhou macacão especial e pintura diferente no carro da McLaren, uma festa organizada pelos donos da categoria no paddock, e a "escolta" de Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, que o acompanharam em sua última volta e fizeram "zerinhos" com ele na linha de chegada.

Mas há quem duvide que esta tenha sido realmente a última corrida de Alonso na F-1. A começar pelo próprio Vettel. Perguntado sobre como será alinhar na Austrália em março sem seu ex-rival no grid, o alemão riu e disse: "Ah, ele vai voltar. O que ele responde quando é perguntado se vai voltar? 'Quem sabe'. Então por enquanto é um tchau mas não tenho certeza de que ele não vai voltar." De fato, no carro de Alonso de Abu Dhabi, estava escrito "hasta luego" ("até logo", em espanhol), também deixando em aberto um retorno.

Até o próprio piloto admitiu que pode mudar de ideia à reportagem. "Veremos. No momento, é o que tenho na minha cabeça. Mas também não sei como vou me sentir ano que vem, quando estiver descansado e vendo a F-1 pela TV depois de tantos anos. Talvez eu não me aguente no sofá e tente voltar no ano seguinte. Mas essa não é minha ideia no momento. Quero agradecer à F1 por tudo o que me deu e virar a página."

Foto: Reprodução/Instagram

Um dos empresários de Alonso, Flavio Briatore, foi além e afirmou que tal retorno não seria pela McLaren, equipe que o espanhol defendeu nas últimas quatro temporadas e com a qual amargou um período longe de pódios e vitórias. "Se a Mercedes ou a Ferrari baterem na porta de Fernando, ele sem dúvidas voltará a pilotar. Ele agora vai descansar, vai ver o que acontece. Acredito que, depois de tantos anos, Fernando precisava de um pouco de descanso. Ele teve três anos muito frustrantes em que se comportou de maneira impecável. O rendimento da McLaren foi ridículo e, ainda assim, ele lutou por posições pelas quais não deveria lutar. Um ano sabático? Muitos pilotos na história fizeram isso antes, (Alain) Prost, (Ayrton) Senna. Não teria tanta certeza de que Fernando não voltará à categoria."

Um chamado de Ferrari ou Mercedes, entretanto, seria uma grande surpresa no mundo da F-1. No time alemão, Hamilton tem contrato até o final de 2020 e a linha sucessória de Valtteri Bottas já está montada com a chegada de Esteban Ocon como reserva. Já no time italiano, Sebastian Vettel também tem acordo fechado até o fim de 2020 e a equipe acaba de contratar sua aposta para o futuro, Charles Leclerc.

Após o final dos contratos de Vettel e Hamilton, Alonso teria 39 anos. Mas mesmo assim Briatore não fecha as portas. "Só há duas equipes: Mercedes ou Ferrari, não há outras soluções, a não ser para acabar em quarto, quinto e sexto. Acredito que, com o talento que tem, se tiver o carro certo ainda é o piloto mais forte, junto de Lewis. Algum dia as equipes vão perceber que, para ganhar o mundial de construtores são necessários dois pilotos fortes. Veremos o que acontece em alguns meses ou um ano."

Por enquanto, Alonso tem confirmadas participações nas 24h de Le Mans e de Daytona em 2019, além das 1000 Milhas de Sebring e as 500 Milhas de Indianápolis. À reportagem, ele revelou que o plano é correr "não mais que oito ou nove provas" no ano que vem.

Galiotte vê Felipão feliz no Palmeiras e reforça que técnico tem contrato

Galiotte vê Felipão feliz no Palmeiras e reforça que técnico tem contrato

A posição que tenho é que ele está muito bem conosco, temos uma estrutura de ponta, temos um grupo qualificado", comenta o presidente do clube.

O presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, indicou nesta terça-feira (4), durante a premiação do Troféu Mesa Redonda, da TV Gazeta, que confia na permanência do técnico Luiz Felipe Scolari para a temporada 2019. O treinador campeão brasileiro confirmou recentemente ter oferta para dirigir a seleção colombiana e prometeu "pensar".

"Não foi falado absolutamente nada. Obviamente ele é um técnico de ponta, está entre os melhores do mundo. É absolutamente natural que existam especulações, porque ele é realmente um excelente treinador. A posição que tenho é que ele está muito bem conosco, temos uma estrutura de ponta, temos um grupo qualificado. O que tenho a dizer a vocês hoje é isso", disse Galiotte. "Não vou trabalhar com especulações. O Felipão tem contrato conosco", reforçou o presidente palmeirense.

Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação.

Na segunda (3), durante o prêmio Bola de Prata, Felipão disse à ESPN Brasil, organizadora do evento, que ponderaria sobre a proposta colombiana. O contrato do treinador com o Palmeiras vai até o fim de 2020, com multa rescisória no valor de um salário (R$ 500 mil).

"Tenho o convite sim, mas é um assunto que agora, quando termina o campeonato, a gente vai pensar com muita clareza, porque nos últimos 20, 25 anos, eu devo ter passado 80% do tempo fora do Brasil. Então, tem também alguns aspectos familiares. E tem também outra família que eu tenho que pensar, que é a família Palmeiras. A forma como eles me tratam, como eles me receberam, a forma como existe essa identificação entre os palmeirenses e a minha pessoa, eu tenho que pensar", disse Scolari.

O Palmeiras foi o time mais premiado do Troféu Mesa Redonda, com cinco representantes. Entraram na seleção do Campeonato Brasileiro os volantes Felipe Melo e Bruno Henrique, o meia Lucas Lima e o atacante Dudu. Além disso, Felipão foi escolhido o melhor treinador. Completaram a escalação o goleiro Vanderlei (Santos), os laterais Rodinei (Flamengo) e Reinaldo (São Paulo), os zagueiros Dedé (Cruzeiro) e Geromel (Grêmio), o meia Lucas Paquetá (Flamengo) e o atacante Gabigol (Santos).

04 de dezembro de 2018

Palmeiras domina seleção da Bola de Prata

Palmeiras domina seleção da Bola de Prata

Luiz Felipe Scolari levantou o troféu-prancheta de melhor treinador

O Palmeiras dominou a seleção do prêmio Bola de Prata ESPN em São Paulo. O campeão brasileiro de 2018 cedeu quatro atletas para a seleção da premiação e ainda viu Luiz Felipe Scolari levantar o troféu-prancheta de melhor treinador. O time ideal da temporada ainda teve Weverton (goleiro), Mayke (lateral-direito), Bruno Henrique (volante) e Dudu (meia).

O vice-campeão Flamengo teve dois nomes na equipe ideal da premiação: o lateral-esquerdo Renê e o meia Lucas Paquetá. Pedro Geromel (Grêmio), Victor Cuesta (Internacional), Rodrigo Dourado (Internacional), Everton (Grêmio) e Gabigol (Santos) completaram o time.

O primeiro representante palmeirense a subir ao palco foi Luiz Felipe Scolari, que recebeu o troféu de Rubens Minelli e fez um agradecimento ao ex-treinador. Felipão, em entrevista concedida depois de receber a premiação, admitiu ter em mãos uma proposta da Colômbia.

"Este senhor aqui é o responsável por muitas situações maravilhosas que vivemos no futebol brasileiro, mas principalmente na minha vida foi importante. Se trabalhei em sete países foi porque ele me deu a primeira oportunidade para sair do Brasil", disse Felipão.

Weverton recebeu o prêmio das mãos do ex-meia Zenon e agradeceu ao técnico Luiz Felipe Scolari no palco. O goleiro campeão olímpico com o Brasil em 2016 ganhou a concorrência de Fernando Prass e Jailson durante a temporada e acabou laureado no fim da Série A.

A zaga da seleção do Bola de Prata tem um recordista. O gremista Pedro Geromel se sagrou tetracampeão da premiação -o primeiro a entrar para a equipe por quatro anos seguidos- e foi acompanhado do colorado Victor Cuesta, que se destacou pelo Internacional na campanha responsável por recolocar o clube gaúcho na Copa Libertadores de 2019. Mayke e Renê subiram ao palco logo em seguida.

Melhores volantes da competição, Bruno Henrique e Rodrigo Dourado receberam o tradicional troféu das mãos de Zé Roberto. Três meias entraram na seleção e foram homenageados por Djalminha: Dudu, Lucas Paquetá e Everton. Gabigol, o artilheiro da competição com 18 gols, também entrou na equipe ideal da premiação.

Com contratos no fim, handebol e natação podem ficar sem patrocinador estatal

Os contratos de ambas com os Correios vencem em janeiro e é grande a possibilidade de não serem renovados

Duas das mais importantes confederações do país, a de desportos aquáticos (CBDA) e a de handebol (CBHb), podem ficar sem patrocinador no ano que vem. Os contratos de ambas com os Correios vencem em janeiro e é grande a possibilidade de não serem renovados. Na semana passada, o TCU (Tribunal de Contas da União) publicou acórdão entendendo que as renovações de patrocínios de estatais por mais de cinco anos são "irregulares".

A parceria entre Correios e CBDA é uma das mais antigas do esporte brasileiro: vem desde 1991. Sua renovação foi colocada em xeque pelo TCU, que determinou à Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República), responsável por regulamentar esse tipo de contrato, que oriente as estatais "que é irregular a prorrogação de contratos de patrocínio" por mais de 60 meses, como determina a chamada Lei de Licitações.

Essa lei, de 1993, diz que os contratos de serviços regidos pela mesma (o que o TCU diz ser o caso dos contratos de patrocínio) podem ser prorrogados até um limite de 60 meses, apenas. O tribunal ainda determinou à Secom que deixe de validar contratos nessas condições.

Para chegar ao acórdão, o TCU auditou diversos contratos entre estatais e entidades esportivas, incluindo um entre CBDA e Correios. Por conta desse acordo, os Correios foram apontados na auditoria como exemplo de estatal que está "com sua imagem exposta com viés negativo na mídia por má gestão de recursos públicos", em uma referência à confederação.

O acórdão determina que diversas estatais sejam informadas das decisões, incluindo os Correios, que nesta segunda-feira (3) informaram à reportagem que não haviam ainda tido ciência do acórdão. "Tão logo isso ocorra, serão realizadas as análises necessárias", disse a estatal. A CBDA não quis comentar o caso –sequer respondeu se tem um plano B.


PREJUÍZO

Handebol e desportos aquáticos devem ser os primeiros afetados pelo acórdão, porque têm seus contratos vencendo agora, depois de dois anos de validade. A CBDA recebe em dezembro a última das 24 parcelas de R$ 475 mil (R$ 5,7 milhões ao ano), enquanto a CBHb, que fica com R$ 1,6 milhão ao ano, diz que já iniciou as negociações para renovar o contrato que, segundo ela, vence em janeiro.

Há dois anos, já com suas imagens arranhadas, tanto a CBDA quanto a CBHb chegaram a ser informadas de que não teriam os contratos renovados. Após muita negociação, toparam uma redução de quase 80% para não ficarem sem patrocinador.

Desde então a situação piorou. A CBDA viu seu antigo presidente, Coaracy Nunes, ser preso. Só não perdeu o contrato com os Correios graças a uma ação espontânea dos atletas. Já a CBHb tem seu presidente, Manoel Oliveira, afastado por alegada razão médica desde que seu afastamento foi determinado pela Justiça Federal do Distrito Federal.

Nesse meio tempo, a CBHb perdeu seu patrocinador máster, o Banco do Brasil, que não renovou contrato. Também perdeu o fornecedor de material esportivo, a Hummel, que ainda sequer havia assinado contrato –ainda que já fornecesse material.

Uma vez que o primeiro contrato com os Correios foi assinado em novembro de 2012, uma renovação pode ser barrada pela Secom, a partir do que determinou o TCU. Isso significaria, para a CBHb, perder seu único respiro financeiro.

Como as prestações de contas de um convênio com o Ministério do Esporte para realizar o Mundial de 2011 foram rejeitadas, a confederação está inscrita em um cadastro de inadimplentes do governo federal. E, também por decisão do TCU, não pode receber recursos da Lei Agnelo/Piva.

Já a CBDA, que elegeu Miguel Cagnoni como presidente no ano passado, tem no patrocínio com os Correios a sua principal fonte de recursos. A entidade sofre com a falta de credibilidade. Em 2015, arrecadou R$ 38 milhões em patrocínios.

Desde então, perdeu o apoio do Bradesco e da Sadia, restando apenas os Correios e a Estácio, que ajuda com bolsas de estudos. Além disso, até 2020, tem garantido um contrato com a Globosat, para exibição de eventos da Federação Internacional, que rende cerca de R$ 9 milhões ao ano.


SQUASH

Além das restrições impostas pelo TCU, os Correios devem encontrar resistência interna para renovar os contratos de patrocínio. Recentemente, a Adcap (Associação dos Profissionais dos Correios) cobrou a presidência da estatal, que há cinco anos acumula prejuízos.

Isso porque, em março, os Correios assinaram contrato de patrocínio de R$ 700 mil com a CBS (Confederação Brasileira de Squash), modalidade que sequer é olímpica e que não tem grande tradição no país. À época, os Correios eram presididos pelo deputado federal Guilherme Campos Junior (PSD-SP), correligionário do também deputado federal Fábio Faria (PSD-RN), que disputa o circuito profissional da modalidade.

O contrato gerou repercussão entre sindicalistas dos Correios, que passaram a questionar os patrocínios em momento de crise financeira. Entre os contratos questionados está também o firmado com a CBRu (Confederação Brasileira de Rugby), também em 2016, de R$ 1,9 milhão ao ano.


Altos se apresenta às atividades e vai realizar 04 amistosos até estreia

O Jacaré apostou em uma formação mesclada entre nomes da casa e de passagens por clubes do estado ou equipes do NE.

A equipe do Altos iniciou os trabalhos visando a temporada 2019. O time comandado por Leandro Campos, se apresentou oficialmente na biblioteca da cidade de Altos e depois os atletas já foram para o estádio Felipão e tiveram o primeiro contato com o gramado. O Jacaré deve fazer dois amistosos ainda este de dezembro e mais dois em janeiro. No dia 16 de janeiro de 2019, o Altos faz sua estreia pela Copa do Nordeste, quando enfrenta o Moto Club, do Maranhão. 

“Essa primeira semana de trabalho será de avaliação. Vamos ver como os atletas chegaram e começar a traçar nossa forma de trabalho. Temos no planejamento dois amistosos para esse mês ainda, talvez com equipes do Ceará, e em janeiro mais dois”, explica o técnico Leandro Campos. 

Foto: Jailson Soares/O DIA

Entre os atletas novos a adaptação a nova e companheiros é o primeiro passo. A estreia será no Nordestão, competição que é nova por exemplo para o meia-atacante Ancelmo Junior. “Venho com a intenção e conhecer e me dar bem na competição. Sei da grandeza do Altos e das responsabilidades em vestir essa camisa”, conta o meia. A diretoria do Altos pretendia participar também de quadrangular no estado de Tocantins, mas a possibilidade foi descartada. O Altos se apresentou com 25 atletas, apenas o lateral-esquerdo Ramon Baiano ainda chegou, mas se junta aos companheiros no decorrer da semana. O presidente Warton Lacerda confirmou que mais dois nomes ainda serão anunciados – um zagueiro e um volante. 

O Jacaré apostou em uma formação mesclada entre nomes da casa e nomes com passagens por clubes do estado ou então em equipes do Nordeste. Junior Paraíba esteve no River e falou da oportunidade de estar no atual campeão piauiense, o atleta chegou a citar um versículo bíblico para expressar sua vontade de ter sucesso no novo clube. “Em tudo que tu for fazer coloca Deus em primeiro lugar. Ele guiará seus passos e você andara pelo caminho do sucesso”, leu o meio campo. 

Entre as novidades na apresentação alguns nomes conhecidos do estado como Neto (goleiro), ex-4 de Julho, Barata (lateral), ex-4 de Julho e o atacante Ítalo (atacante) que já é da casa.





Enquete

Um jovem morreu ao sofrer descarga elétrica colocando celular para carregar. Quais cuidados você toma em relação a isso?

ver resultado