Retrospectiva 2020: Cursos virtuais conquistam novos adeptos

Para aproveitar as horas ociosas, muitos optaram por investir em capacitações para adquirir novos conhecimentos ou aprofundá-los.

30/12/2020 09:11h

Compartilhar no

O necessário isolamento social, com a consequente mudança do ambiente de trabalho, levou as pessoas a ficarem mais tempo em casa. E para aproveitar as horas ociosas, muitos optaram por investir em capacitações para adquirir novos conhecimentos ou aprofundá-los. Foi então que a oferta de cursos virtuais disparou no país. 


Leia mais: Retrospectiva 2020: Um ano atípico, inesperado, inimaginável 


Impossibilitada de exercer sua profissão nos meses mais rigorosos da pandemia do novo coronavírus, a cabeleireira Mary Carvalho se dedicou a aperfeiçoar suas técnicas. “Durante a pandemia, fiz dois cursos online em mechas loiras e iluminadas. Eu já vinha me programando para fazer esses cursos presencialmente este ano, mas veio a pandemia e os planos tiveram que ser adiados, temporariamente”, lembra.

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Mary conta que, quando soube da oferta do mesmo curso de forma online e por um preço bem mais atrativo que o do presencial, decidiu pagar para ver. “Para a minha surpresa, veio o mesmo curso com uma vantagem de valor bem grande, o custo foi bem menor que se eu tivesse me deslocado para outra cidade, tendo que arcar com estadia, transporte, alimentação. Me entusiasmei mais para fazer esse curso online também porque, como já conheço a área e as técnicas em loiros, avaliei que não teria tanta dificuldade em absorver o conteúdo; vi a oportunidade perfeita. Nunca tinha feito um curso tão completo nessa modalidade online, só presencial mesmo”, confessa a profissional. 

A cabeleireira destaca que, ao colocar em prática as técnicas que aprendeu no curso, conseguiu mensurar as vantagens do seu investimento. “Ganhei mais tempo. Antes, eu conseguia atender uma cliente para mechas loiras, hoje faço duas ou mais dependendo da técnica aplicada. Ganhei praticidade e lucratividade, pois se eu atendo mais clientes, o rendimento financeiro também aumenta. Hoje o que estou aplicando no meu salão em um procedimento como esse é duas vezes o valor que eu paguei pelo curso”, revela Mary Carvalho acrescentando que, assim que tiver oportunidade de ganhar mais conhecimento em sua área de atuação, irá aproveitar, seja presencial ou virtualmente.

“Antes da pandemia, eu nem imaginava disponibilizar cursos virtuais”, confessa professor

A educação foi um dos primeiros segmentos afetados pela pandemia do novo coronavírus. Pelo caráter natural da estrutura de uma sala de aula, com ambientes fechados, muitos alunos e pouca renovação do ar, essas instituições suspenderam as atividades presenciais antes mesmo do fechamento do comércio e se reformularam para manter a prestação do serviço de forma online.

O professor Marcelo Rêgo, por exemplo, conta que a escola da qual é sócio proprietário, e atua com treinamentos práticos e intensivos em audiovisual, design e marketing digital, teve que interromper suas atividades em março deste ano. “Antes da pandemia, eu nem imaginava disponibilizar cursos virtuais”, confessa.

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Porém, devido às circunstâncias do momento, ele abriu as primeiras turmas online a partir de maio. “A primeira coisa que fizemos foram testes em várias plataformas que disponibilizavam salas para videoconferência. Após a escolha da plataforma, convidamos amigos e alguns parentes para poder começar a praticar, para ver como que se daria a relação de sala de aula virtual, simulando, fazendo conferência entre os professores, para ir chegando numa didática, numa maneira que fosse mais confortável para o aluno. Nossas aulas são ao vivo e o que é bom é que elas ficam gravadas e o aluno pode rever depois, vantagem que não existe numa aula presencial”, explica.

Rêgo revela que, nos primeiros meses da pandemia, a adesão dos alunos à nova modalidade foi satisfatória, mas, após a reabertura das atividades econômicas presencialmente, a procura começou a diminuir. “Durante a pandemia, a adesão até que foi bacana, muitos alunos interessados, a gente fechou várias turmas. Financeiramente ajudou, mas houve perdas se comparar com os cursos presenciais. E de setembro para cá, com a flexibilização, as pessoas já não estão mais tão trancadas em casa, e a gente percebeu isso também nos cursos, que diminuiu a procura”, afirma.

Apesar da redução da procura, Rêgo pretende manter a oferta de turmas online e conciliá-las com os treinamentos presenciais em 2021. “A gente vai continuar com os cursos online e queremos expandir para o Brasil. Pretendemos também voltar com o presencial, mas independente disso, vamos ter outras turmas online”, adianta o professor, acrescentando que, com a nova modalidade, conseguiu alcançar alunos de Fortaleza, de Manaus, Pernambuco, do interior do Piauí, como de São Raimundo nonato, Picos, Floriano e Parnaíba. 

(Virgiane Passos) 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Virgiane Passos

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas