• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Emagrecimento saudável está ligado à saúde física e mental

De acordo com a nutricionista comportamental, Maria Luz, este sentimento vem da mentalidade de dieta, um ciclo doentio que pode desencadear transtornos alimentares.

18/01/2020 08:56h - Atualizado em 18/01/2020 09:58h

Com o início do ano, é comum as pessoas terem a sensação de culpa por exagerarem nas comidas e bebidas durante as festividades de fim de ano. De acordo com a nutricionista comportamental, Maria Luz, este sentimento vem da mentalidade de dieta, um ciclo doentio que pode desencadear transtornos alimentares como compulsão alimentar, bulimia ou anorexia. Por isso, a especialista defende que, antes de adotar novos hábitos, é preciso compreender como acontece a perca de peso tão desejada. 

Leia também:

Movimente-se: Ciclismo ajuda praticantes a adotarem hábitos saudáveis 

“Se puder escolher um hábito para mudar, opte sair do sedentarismo" 

Prática esportiva deve estar associada ao bem-estar e prazer 

Parques ambientais: qualidade de vida aliada ao lazer 

Crossfit: a modalidade esportiva que desafia vencer os limites “O processo de emagrecimento deve existir com o que chamamos de déficit calórico. Então, não existe um alimento que engorda, ou um alimento que lhe emagrece. O que existe é uma diminuição da quantidade total de calorias que, juntamente com exercício físico, vai fazer com que aconteça o emagrecimento. As pessoas pensam que emagrecer é perder peso, só que é um processo que você está diminuindo a quantidade de tecido adiposo (responsável por armazenar gordura)”, explica Maria Luz.

A nutricionista revela ainda que, no processo de perder peso, a pessoa pode estar perdendo água, músculo,quase nada de tecido adiposo; assim continua com percentual de gordura alto. Por isso, é mais interessante que não foque no peso e, sim, no contexto geral, porque o sobrepeso pode estar relacionado a fatores como: dietas, sedentarismo, hormônio, situação socioeconômico e psicológico.


Emagrecimento saudável está ligado à saúde física e mental. Arquivo Pessoal

“Para quem quer emagrecer, a alimentação tem que ser variada, assim como pra quem não tem este objetivo, porque eu vou estar nutrindo meu organismo de forma mais eficaz, além de estabelecer a quantidade de calorias junto com a prática de exercício físico. E tem que deixar de lado todas as neuras que envolvem o processo, evitar balança e comparações com outras pessoas, pois existem vários biótipos e somos todos diferentes”, ressalta Maria Luz.

A profissional lembra ainda que é importante abandonar alguns comportamentos, como o consumo de alimentos processados, ricos em açúcares, fast-foods. E aderir à alimentação saudável, que é a que você descasca, não a que você abre a embalagem. Com um planejamento é possível consumir arroz, carnes, verduras, frutas, legumes, sementes, oleaginosas e outros alimentos que dão prazer.

“Se a pessoa não tiver alguma restrição, pode estar consumindo sorvete, pizza, contudo, tem que ter uma cautela. A cada 15 dias, se você gosta de sair para jantar, não precisa parar de ter vida social, porém ter cautela ao consumir alguns alimentos. Não usar a ocasião para comer a mais, como se estivesse se despedindo da comida. Se conscientizar que o alimento sempre vai existir e vai poder comer de forma moderada. Quando a pessoa tem essa mentalidade, ela começa a identificar a fome e quando está saciado”, indica Maria Luz.

Alimentação para o pré-treino tem que ser feita uma hora antes

Após decidir qual exercício praticar, levando em conta que seja algo que traga prazer, além de já ter se consultado com o médico, estar com atestado em mãos, a próxima preocupação é o que comer antes do treino, o famoso pré-treino. A nutricionista comportamental Maria Luz afirma que é interessante que a pessoa consuma algo que vai dar energia, mesmo que esteja no processo de emagrecimento. 

“É importante lembrar de fazer o pré-treino uma hora antes do treino, para não ter desconforto gastrointestinal. A cafeína, por exemplo, principalmente para quem está em restrição calórica, dá um up para realizar o exercício. Mas no geral, pode estar comendo uma fonte de carboidrato, uma fruta, banana amassada com aveia, água de coco batida com fruta, uma vitamina”, comenta Maria Luz.

Outra fonte rica de nutrientes indicada pela profissional é a beterraba,um alimento que aumenta a vaso dilação das artérias e, durante o exercício físico, o sangue vai estar percorrendo essas artérias com facilidade, além de oxigenar melhor os tecidos. E quando a beterraba é consumida em suco com gengibre, melancia e limão, é possível ter mais energia por conta do gengibre e da melancia. Fora que é suco funcional, antioxidante, que ajuda a liberar radicais livres.

“Quando falo sobre emagrecimento, gosto de falar sobre curtir o momento, beba muita água, tenha sempre uma garrafa, não beba água somente quando estiver com sede. Tente conhecer seu corpo, se conecte, indico a meditação, pois é uma terapia interessante, nem que seja por meio de aplicativo, para promover o autocuidado”, orienta.


Alimentação para o pré-treino tem que ser feita uma hora antes. Ilustrativo

Já em relação as dietas que são aliadas às atividades físicas, a nutricionista explica que a melhor dieta é a que está adequada ao paciente, levando em consideração a questão econômica, o objetivo a ser alcançado e alguma restrição de saúde.

 “Além disso, tente identificar quando você está com fome fisiológica, pois às vezes você está com um problema e sente vontade de comer, então você se pergunta, estou com fome ou com vontade de comer? Porque a comida não vai resolver o problema de ansiedade. Antes de comer, senta, respira, se acalma, sente o cheiro da comida, para ter consciência plena. E quando estiver satisfeito, pare de comer, mesmo que tenha comida no prato”, conclui.

Por: Sandy Swamy- Jornal O Dia

Deixe seu comentário