• Natal
  • Policlinica
  • Motociclista
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Com lojas fechando e sem clientes, vendas caem até 40% no Centro

Os comerciantes lamentam os prejuízos e analisam o cenário econômico, sobretudo na região, com pessimismo.

03/08/2019 08:55h - Atualizado em 05/08/2019 12:12h

Quem circula pelo Centro de Teresina já deve ter reparado que muitas lojas fecharam. Com isso, o fluxo de pessoas que circulam pela região também diminuiu, assim como as vendas em outros estabelecimentos. 

Segundo Karine de Sousa Nascimento, que tem uma loja próximo à Praça João Luís Ferreira, as vendas chegaram a cair até 40% desde que o Centro passou a perder força de mercado. Ela, que também reside na região central da cidade, enfatiza que esse esvaziamento tem resultados bastante negativos, tanto para os comerciantes como para a população.

“O Centro era bom quando tinha todo mundo misturado, lojistas e camelôs. Depois que houve essa separação e os levaram para o Shopping da Cidade, muitas pessoas evitam vir para locais como perto da Praça João Luís, pois querem resolver suas coisas o mais próximo do Shopping, que hoje concentra um pouco de tudo, e isso faz com que elas não fiquem circulando”, comenta.

Com lojas fechando e clientes escassos, vendas caem até 40% no Centro. (Foto: Assis Fernandes/ODIA)

Ainda de acordo com ela, a partir do meio dia, as ruas do Centro passam a ficar praticamente desertas, colocando consumidores e comerciantes em risco, vez que aumentam os assaltos na região. Karine também relata que o policiamento está deficitário, o que favorece as práticas criminosas. 

O estabelecimento onde Karine trabalha está entre duas lojas que fecharam há três e oito meses, respectivamente. Ela atribui a não ocupação dos espaços por novos empreendimentos devido ao alto valor do aluguel, entre R$ 5 mil e R$ 8 mil. Com valores elevados e sem lucro, os comerciantes estão buscando alternativas para se manter e migrando para outras áreas da cidade. 

“Os comerciantes estão indo para os bairros, alugando pontos em regiões mais populosas, já que o Centro está cada dia mais vazio. A consequência disso é que, daqui alguns anos, não existirá mais Centro comercial. Os comerciantes estão sendo obrigados a sair porque não estão vendendo e se não vende, não tem como pagar o aluguel do ponto e os funcionários”, fala.

A estudante Cássia Ildiane revela que costuma ir pouco ao Centro de Teresina e admite que, quando precisa resolver algo, busca outras opções, como os shoppings, que, além de oferecem quase todos os serviços, ainda são mais seguros e climatizados. 

“Eu venho muito pouco ao Centro e como tenho percebido que está cada vez mais vazio, até evito circular por algumas ruas mais desertas. Minha mãe até reclama para eu não trazer bolsa porque pode ser perigoso, já que não vemos policiamento. Eu já presenciei um assalto em frente a um banco no Centro, em um local cheio de gente, então não tem como não ficar receosa de vir ao Centro e correr o risco de ser uma vítima”, confessa.


Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário