• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

“É uma formulação paradoxal”, diz professora sobre Redação do Enem

A escolha do tema ‘Democratização do acesso ao cinema no Brasil’ surpreendeu professores

03/11/2019 14:39h - Atualizado em 03/11/2019 15:54h

A escolha do tema ‘Democratização do acesso ao cinema no Brasil’ surpreendeu os professores que atuaram na preparação dos estudantes que participaram do primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio, neste domingo (03).

A professora Vanessa Soares, que possui vasta experiência na preparação para as provas, avalia que o tema escolhido na edição 2019 do Enem pode criar dificuldades para a argumentação, principalmente para os alunos que moram longe dos grandes centros e que não conhecem e não sabem o que é cinema.

“Ao mesmo tempo que esse tema fala de democratização do acesso ao cinema, ele acaba excluindo grupos que não têm acesso ao cinema, e que não sabem nem o que é cinema. Existem alunos  que nem sabem o que é cinema. É uma formulação paradoxal, porque a banca trouxe essa discussão sobre o acesso ao cinema, mas muitos candidatos podem zerar a prova por não saber nem o que é cinema”, avaliou.

Ainda de acordo com Vanessa Soares, outras temáticas que fazem parte das discussões realizadas em sala de aula poderiam ser mais adequadas para a prova de Redação do Enem. “Outros temas, como uso da tecnologia e conservação ambiental, talvez seriam mais simples e poderiam estar dentro do que o  aluno estudou durante o ano”, pontua.

Já a professora Patrícia Lima, que também atua na preparação de estudantes para o Exame Nacional do Ensino Médio, avalia que o tema, apesar de trabalhado em sala de aula, foi bastante específico.

“Eu achei um tema muito especifico, até porque o recorte temático aborda a questão da inclusão dos deficientes ao cinema. Não era um tema esperado. Nós trabalhamos em sala de aula a questão da democratização do acesso à cultura, mas o tema foi bem específico”, pontuou.

Apesar da especificidade do tema, Patrícia Lima destaca que os alunos que têm o hábito de praticar redação devem ter um bom desempenho. “Eu acredito que o aluno que sabe identificar muito bem a temática e que conhece bem a estrutura do texto dissertativo argumentativo, com certeza, produziu uma boa redação”, disse.

No Piauí, mais de 120 mil estudantes participam do Enem (Foto: Assis Fernandes/O Dia)

O Tema

Democratização do acesso ao cinema no Brasil é o tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Hoje (3), os participantes do exame fazem, além da redação, as provas de linguagens e ciências humanas. As provas começaram a ser aplicadas às 13h30 e vão até as 19h, no horário de Brasília.

O tema foi anunciado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, pelo Twitter. "Esse é o tema, estou aqui em Palmas, capital do estado de Tocantins, no colégio da Polícia Militar conferindo se o Enem está indo tudo bem. Tudo 100%, zero de atraso, zero de problemas, tudo caminhando para ser o melhor Enem de todos os tempos", disse em vídeo.

A prova de redação é a única subjetiva do exame e um bom desempenho pode ser decisivo para os candidatos. Cada redação é corrigida por duas pessoas. Elas dão notas de 0 a 200 para cada uma das cinco competências avaliadas no Enem. A nota final é a média aritmética das duas notas.

Caso haja uma diferença entre as notas de mais de 100 pontos na nota final ou de mais de 80 pontos em qualquer uma das competências, a redação passa por um terceiro avaliador.

Se a diferença entre as notas dadas se mantiver, a redação é avaliada por uma banca presencial composta por três professores, que define a nota final do participante.

As cinco competências avaliadas na redação do Enem são:

1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa.

2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.

3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Por: Natanael Souza

Deixe seu comentário