• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

MPF investiga suposto uso de avião clonado pelo governador do Piauí

A representação foi impetrada pelos advogados da coligação “A Vitória com a Força do Povo”.

30/09/2014 06:43h

O Ministério Público Federal irá investigar denúncia contra o governador Zé Filho (PMDB), por suposto uso de avião clonado na campanha eleitoral. A representação foi impetrada pelos advogados da coligação “A Vitória com a Força do Povo”, encabeçada pelo senador Wellington Dias (PT). A Receita Federal também foi acionada para investigar as denúncias.

De acordo com a denúncia, o candidato do PMDB teria declarado à Justiça Eleitoral utilizar na campanha eleitoral um avião modelo Seneca - EMB-810C, prefixo PT-EZB. Mas de acordo com a oposição, a aeronave tida como sendo de propriedade de Zé Filho pode ser clonada.

Segundo dados da Agência Nacional da Aviação Civil – Anac, a aeronave de prefixo PT-EZB, encontra-se com Certificado de Aeronavegabilidade – AC - cancelado. O avião, que era registrado em nome da Olinda Táxi Aéreo, não existiria mais. A investigação tenta apurar se o registro desse avião é o mesmo de uma aeronave que explodiu após um acidente, por volta das 3 horas da madrugada do dia 29 de setembro de 2002, a 500 metros do aeroporto da cidade de Arcoverde, no interior do Pernambuco.

O advogado Daniel Oliveira afirmou que as denúncias são graves e além de crime eleitoral representam também crime tributário. “Nossa intenção é que o Ministério Público Federal e a Receita Federal possa investigar essa denúncia que é grave. Seria o governador do Estado utilizando o avião irregular, clonado. Queremos que este fato possa ser esclarecido e se for comprovado pedimos a punição dos envolvidos”, declarou.

A defesa do governador Zé Filho (PMDB), representada pelo advogado Carlos Yuri, afirmou que ainda não foi notificado sobre o assunto. “A defesa só irá apresentar algum tipo de esclarecimento sobre o caso depois de ser notificado pela Justiça e ter acesso a esta notificação”, declarou.


Foto: Elias Fontenele/O Dia

Por: Lídia Brito - Jornal O Dia

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas