Total de passageiros em voos entre Brasil e EUA cai pelo 2º ano seguido

Agência Nacional de Aviação Civil( Anac) registra redução apesar da alta na demanda por voos internacionais e do dólar mais barato. O comparativo foi feito entre 2015 e 2016.

24/06/2017 10:35h

Compartilhar no

As viagens para os EUA, principal destino de brasileiros no exterior, estão em queda pelo segundo ano consecutivo, mostram dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aos quais o G1 teve acesso.

O número de passageiros transportados entre os dois países, no acumulado de janeiro a abril de 2017, foi 14,6% menor que o registrado em igual período do ano passado. Entre 2016 e 2015, na mesma comparação, a queda já havia sido de 11,07%.

A redução se deu apesar da recuperação da demanda por voos internacionais entre as empresas aéreas brasileiras e da desvalorização do dólar, que faz com que as viagens para os EUA fiquem mais baratas.

Segundo a Anac, a alta na demanda por voos internacionais foi de 17,1% somente em abril de 2017 – sétimo mês seguido de crescimento nesse indicador.

Já o dólar, que no ano passado já havia acumulado desvalorização de 17,69%, começou janeiro de 2017 cotado a R$ 3,24 e terminou o mês de abril valendo R$ 3,17.

Além dos EUA, também houve queda no número de passageiros transportados entre o Brasil e países como Portugal, França e Reino Unido, na comparação entre 2015 e 2016. Já Argentina, Chile e Espanha, entre outros, registraram aumento no período

Com menos passageiros dispostos a viajar, a oferta de voos entre Brasil e EUA também vem caindo pelo segundo ano seguindo, mostram os dados da Anac.

 
Fonte: ANAC

Na semana do dia 31 de maio de 2015, empresas nacionais e estrangeiras ofereciam 284 voos semanais entre os dois países. Em 2016, na mesma época, eram 210 e, na semana de 31 de maio de 2017, eram 196 voos semanais. Nesses dois anos, a queda acumulada na oferta é de 31%.

A Delta não quis comentar o assunto. A Latam informou que reduziu a oferta de voos, tanto no mercado nacional quanto no internacional, para "enfrentar o contexto macroeconômico brasileiro desafiador, altamente complexo e volátil, com impactos profundos no setor aéreo, como a alta de custos e a retração de demanda."

"Nos primeiros três meses deste ano, a oferta de voos entre o Brasil e os EUA foi 26% menor que no mesmo período do ano passado", disse a Latam.

O presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav), Edmar Bull, diz que os números do setor indicam uma retomada, a partir de maio, do interesse dos brasileiros pelas viagens aos EUA.

"Os brasileiros estão voltando a viajar para os EUA", disse Bull. Segundo ele, os turistas ainda têm cautela, devido à instabilidade provocada pela nova crise política e o risco de nova disparada do dólar. Apesar disso, diz o presidente da Abav, os brasileiros estão mais dispostos a viajar.

Compartilhar no
Fonte: G1

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas