• cachoeir piaui
  • Campanha salao
  • APCEF
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Renault afirma que Ghosn é diretor mesmo após renunciar à presidência

Detido, Ghosn aguarda um julgamento que ainda poderá demorar seis meses para começar.

12/02/2019 10:43h - Atualizado em 12/02/2019 10:48h

O executivo Carlos Ghosn, preso no Japão desde 19 de novembro, ainda se mantém como diretor da Renault, conforme informou a própria empresa francesa nesta terça-feira (12), três semanas após ele ter renunciado à presidência-executiva e do conselho do grupo automotivo.

A montadora afirmou ainda que Ghosn mantém sua posição, não especificada pelo grupo, na Renault do Brasil e na Alliance Rostec, joint venture formada entre a russa Rostec, a japonesa Nissan e a Renault.

No comunicado, a empresa francesa também lembra que os conselheiros elegeram Thierry Bolloré como novo presidente-executivo e Jean-Dominique Senard para a presidência do conselho de administração. Detido, Ghosn aguarda um julgamento que ainda poderá demorar seis meses para começar.

Ele é alvo de três acusações, por abuso de confiança e outras infrações financeiras, como por supostamente transferir temporariamente perdas pessoais com investimentos para a Nissan e por ocultar parte sua renda durante três anos. O executivo nega todas as acusações.

Fonte: Folhapress

Deixe seu comentário