• TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Preço de materiais escolares deve aumentar 10% em janeiro

Em Teresina, livrarias e papelarias já registram aumento da procura.

26/12/2018 07:10h

As crianças ainda estão de férias, mas os pais já se preparam para a compra dos materiais escolares para o novo ano letivo. Apesar de ser um gasto fixo para aqueles que têm filhos em idade escolar, a compra pesa no orçamento e nem todo mundo está preparado. A previsão da Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (Abfiae) é que o material escolar deve ficar 10% mais caro a partir de janeiro. Este aumento ocorre devido a reajustes no preço do papel. Por isso, a dica é aproveitar para fazer as compras ainda este ano.

Paloma Sampaio, que é supervisora de uma papelaria no Centro de Teresina, conta que as vendas já começaram a crescer neste mês de dezembro. O período anima o setor, que fica de olho na possibilidade de crescimento dos lucros. “A gente passa o ano todo se organizando para esse período. É o nosso período, né? Dezembro, janeiro e fevereiro. O forte é janeiro, porque, nesse período, as listas ainda não saíram em todas as escolas. Já tem pais vindo comprar, alguns fazem orçamento do livro, porque em janeiro os preços aumentam mais”, confirma.

Paloma estima que, em média, o custo com os materiais (livros e papelaria) é orçado em R$ 2 mil. “Se a gente tem todos os livros da lista, os pais levam tudo. Eles podem até procurar em outros lugares se a gente não tiver, mas costumam levar tudo. Mesmo quando a gente não tem o livro, eles fazem a inclusão, a gente faz o pedido e eles vêm buscar depois”, afirma. Como diferencial, a papelaria também oferece o serviço de encapamento dos livros de forma gratuita e os pais arcam apenas com a compra do material para a embalagem.

Quem for adquirir os itens da lista ainda em dezembro deve garantir preços melhores. Foto: Poliana oliveira/ODIA

Estratégias

A estudante Camilla Loureiro conta que, geralmente, faz a matrícula do filho em dezembro e já recebe a lista de material. Para facilitar a compra e não pesar no orçamento, ela reserva parte do 13º salário para a compra dos livros e materiais escolares. Para ela, as compras não são necessariamente um grande peso no orçamento, o que vai variar de acordo com a organização dos pais para esse período. Ela aconselha ainda que seja feito um planejamento ao longo do ano, pois é uma despesa que já se tem conhecimento bem antes, para que não gere desgaste e preocupação tão grandes.

“Geralmente, em dezembro, as papelarias fazem muitas promoções porque tem sobra de estoque de outras compras feitas durante o ano. Eu pesquiso bastante, mas, na maioria das vezes, acabo comprando em um só lugar, porque além das promoções, eu tenho 10% de desconto à vista, então sai mais em conta”, assinala.

A professora Zandha Gabriely já está fazendo o orçamento para a compra dos materiais. Ela diz que a lista tem muitos itens e, por isso, pretende comprar os materiais de forma parcelada. “São cerca de dez livros, sem contar os paradidáticos, que eu não vou comprar por enquanto. É um gasto que vale muito a pena. Investir na educação hoje em dia é o principal para os filhos da gente”, conclui.

Edição: Virgiane Passos
Por: Ananda Oliveira

Deixe seu comentário