• Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia

Imposto de Renda: antecipar restituição só vale a pena para dívidas caras

As taxas de contratação variam em cada instituição e também dependem do perfil do cliente

03/03/2020 11:09h

As linhas de antecipação da restituição do Imposto de Renda oferecidas pelos bancos podem não valer a pena para contribuintes que não tenham dívidas caras, afirmam especialistas.

Os bancos já começaram a ofertar as linhas de crédito voltadas para a declaração do IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física) desde segunda-feira (2).

O contribuinte precisa entregar a declaração ao fisco e informar a conta corrente do banco no qual prefere receber a restituição –e é apenas nessa instituição que será possível acessar o empréstimo.

Entre os grandes bancos –BB (Banco do Brasil), Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander– apenas a Caixa exige a ida do cliente até uma agência física. Nos demais, a solicitação do crédito pode ser feita por aplicativo e internet banking.

As taxas de contratação variam em cada instituição e também dependem do perfil do cliente e do nível de relacionamento com o banco.

Especificamente no BB, a taxa ainda varia conforme o canal de contratação utilizado. Para os clientes que contratarem pelo aplicativo ou internet banking, a taxa é a partir de 1,49% ao mês. 

Pagamento deve ser feito no dia em que se recebe

Já para os contribuintes que solicitarem a linha por meio de outros canais, os juros partem de 1,59% ao mês.

No Bradesco, as taxas começam em 1,79% ao mês, enquanto no Itaú, em 1,90% ao mês. No Santander, os juros para a linha são a partir de 1,69% ao mês. A Caixa não informou as taxas para a modalidade.

Já em relação ao prazo, os bancos sugerem que o pagamento seja feito no dia em que a restituição é paga pela Receita Federal. Caso a Receita não pague neste ano, os prazos variam: no BB, o pagamento do crédito pode ser feito até janeiro de 2021. No Bradesco e na Caixa, até o último dia útil de setembro. Já no Itaú e no Santander, a dívida pode ser quitada até 20 de dezembro.

Os valores mínimos e máximos também mudam de banco para banco. Todas as instituições permitem que seus correntistas antecipem 100% do valor a ser restituído –com exceção da Caixa, que limita a 75%.

No BB, o limite do valor para o empréstimo é de R$ 20 mil. Já no Bradesco, o crédito vai de R$ 200 a R$ 50 mil. Na Caixa, variam entre R$ 610,00 e R$ 30 mil e o Santander possui apenas um valor mínimo de contratação de R$ 100.

No Itaú, os clientes de Varejo e Uniclass podem contratar de R$ 200 a R$ 5.000, enquanto os clientes Personalité podem contratar até R$ 10 mil. 

Fonte: Folhapress

Deixe seu comentário