• Campanha Mobieduca
  • Teresina shopping
  • HEMOPI - Junho vermelho
  • ITNET
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att

Em crise financeira, Oi aprova pagamento de R$ 75 milhões à diretoria em 2018

A empresa diz ainda que o valor da remuneração recorrente, de R$ 35,4 milhões, que inclui benefícios e bonificações, é 29,4% menor que o aprovado para 2017

18/05/2018 09:26h

Em recuperação judicial, a Oi aprovou com seus acionistas um orçamento de R$ 74,6 milhões para remuneração de sua diretoria durante o ano de 2018. O valor é 73% maior do que o aprovado em 2017 e mais do que o dobro do de 2016, quando a empresa decidiu apelar à Justiça para tentar sobreviver ao elevado endividamento.

A proposta de remuneração, antecipada pelo jornal Valor Econômico, foi aprovada em assembleia em 30 de abril com voto contrário do BNDES, dono de uma fatia de 4,63% da Oi. O banco alegou que o valor proposto "é muito superior à remuneração média, por membro da administração, aplicada nos principais concorrentes da companhia". 

A Telefônica Vivo, por exemplo, aprovou orçamento de R$ 24,6 milhões para a remuneração dos administradores, incluindo membros do conselho de administração e fiscal.  No caso da Telefônica Brasil (Vivo), os diretores receberão, em média, R$ 1,8 milhão a título de salários em 2018. Na Oi, os salários anuais médios somam R$ 2,3 milhões, considerando uma média de 3,5 diretores durante o ano. 

A Oi diz que o valor global da remuneração proposto para seus diretores inclui pacote de remuneração extraordinária de R$ 39,2 milhões, relativo a indenizações por rescisão contratual de ex-executivos e de bônus por êxito no processo de recuperação judicial.

A empresa diz ainda que o valor da remuneração recorrente, de R$ 35,4 milhões, que inclui benefícios e bonificações, é 29,4% menor que o aprovado para 2017. Na proposta feita aos acionistas, a empresa frisa que não houve aumento salarial aos diretores.

Em nota, a companhia justifica o valor proposto como instrumento para "garantir o êxito da solução dos temas financeiros, como a redução do endividamento da companhia e também a geração de valor através de suas operações". "A remuneração global aprovada reflete o cenário de grande complexidade e agravamento dos riscos associados ao contexto do processo de recuperação judicial", diz empresa.

Solicitado pela companhia em junho de 2016, o processo de recuperação judicial da Oi é o maior da história do país, envolvendo uma dívida avaliada à época em R$ 65 bilhões.

Fonte: Folhapress

Deixe seu comentário