Rejane Dias

Conheça a história da deputada federal Rejane Dias

24/10/2020 17:09h

Compartilhar no

Rejane Ribeiro Sousa Dias nasceu em São João do Piauí em 4 de setembro de 1972. Filha de Miguel de Sousa Filho e Ivone Amorim Ribeiro e Sousa, possui graduação em Administração e Direito. Atualmente exerce seu segundo mandato como deputada federal, cargo para o qual foi reeleita em 2018. A parlamentar também é casada com o atual governador do Piauí, Wellington Dias, com quem tem têm quatro filhos: Iasmin Dias, Jairo Dias, Daniely Dias e Vinícius Dias. 

Rejane Dias (Foto: Cleia Viana/Agência Câmara)

Rejane Dias iniciou sua vida política em cargo eletivo em 2010, quando foi eleita deputada estadual pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Antes disso, ocupou diversos cargos na administração estadual. Entre os anos de 2003 e 2008, no primeiro mandato de W. Dias à frente do Palácio de Karnak, foi coordenadora de Integração da Pessoa com Deficiência. De 2005 a 2006 foi secretária estadual de Assistência Social e Cidadania e de Inclusão da Pessoa com Deficiência entre os anos de 2008 e 2010.

Como secretária de Assistência Social, Rejane atuou em projetos importantes, como o Projeto Caminhão Digital, que proporcionou a cerca de 150 mil piauienses, principalmente no interior do Estado, a oportunidade de fazerem cursos de informática, com recebimento de certificados. Além disso, como secretária de Inclusão da Pessoa com Deficiência, a política implantou a Rede Estadual de Reabilitação, com 37 clínicas especializadas e inaugurou o Centro Integrado de Educação Especial e o Centro Integrado de Reabilitação, que atingiu a marca de 1 milhão de atendimentos em 2018.

Diante disso, Rejane Dias candidatou-se à deputada estadual nas Eleições 2010, sendo a segunda candidata mais votada para uma cadeira na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), atrás apenas de Firmino Filho do PSDB, ex-prefeito de Teresina naquela oportunidade. Ao assumir, Rejane Dias tornou-se líder do PT no legislativo estadual, aprovando cerca de 50 projetos, entre os quais foi autora da Lei do Estatuto Estadual da Pessoa com Deficiência.

Rejane Dias (Foto: Arquivo/ODIA)

Em 2014 disputou uma vaga na Câmara Federal e foi a candidata mais votada. Licenciou-se em 2015 para assumir a Secretaria de Estado da Educação, onde ficou até o ano de 2018. Durante este período, criou alguns projetos importantes, como o preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o passe livre para os estudantes das escolas públicas estaduais realizarem as provas, colocando o fazendo o Piauí ser recordista nacional de participação no Enem por quatro anos consecutivos.

Também fez frente ao Projeto Jovem de Futuro[7] e Poupança Jovem[8], que objetivaram diminuir o índice de evasão escolar e garantir a permanência dos alunos nas escolas do Estado. Além disso, Rejane Dias impulsionou a reestruturação dos Estúdios do Canal Educação/TV Cultura, para angariar o funcionamento da oferta de Educação à Distância, via mediação tecnológica, aumentando a quantidade de beneficiários de 12 mil para mais de 40 mil alunos.[9] Em 2019, Rejane propôs um projeto de Lei que insere psicólogos e assistentes sociais nas escolas, que foi aprovado pela Câmara dos Deputados e posteriormente vetado pelo presidente Jair Bolsonaro. A deputada aposta na derrubada do veto de forma unânime.

Entre outros projetos apresentados por Rejane Dias estão: a criação do Dia Nacional de prevenção ao suicídio; a proposta de recrutar os recursos provenientes da corrupção para programas de prevenção ao suicídio nos órgão de segurança pública; a obrigatoriedade de palestras de prevenção ao suicídio em escolas do Estado. A política também também se destaca como personalidade de representação feminina na Câmara, propondo projetos como o afastamento remunerado de até seis meses para servidoras públicas em caso de violência familiar, além de multa para o agressor; e a colocação de um aplicativo informatizado de fiscalização, em tempo real, de mulheres que se encontram sobre ameaça ou em situação de flagrante violência.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Da Redação

Deixe seu comentário