Vídeo mostra menino suspeito de matar a família saindo de carro

Câmera registrou momento em que Marcelo Pesseghini chegou a escola

07/08/2013 09:11h - Atualizado em 07/08/2013 15:44h

Compartilhar no

Uma câmera de segurança flagrou o momento em que o menino Marcelo Pesseghini, de 13 anos, teria estacionado o carro da mãe próximo à escola onde estudava, na Zona Norte de São Paulo, na manhã de segunda-feira (5). As imagens foram divulgadas pela Polícia Civil no início da noite desta terça-feira (6).

Confira aqui o vídeo. 

Um amigo reconheceu Marcelo Pesseghini como o menino que, no vídeo, sai do carro e se dirige para a escola, segundo a polícia. O suspeito estava com a mesma mochila que, posteriormente, foi encontrada por policiais militares na residência da família assassinada. Na mochila, havia um revólver calibre 32, de propriedade da mãe de Marcelo, a cabo da PM Andréia Regina Bovo Pesseghini, e alguns pertences.

O menino é o principal suspeito de matar os pais policiais militares, a avó e a tia-avó na madrugada de segunda-feira. Ele teria ainda ido à escola no período da manhã e se matado após retornar para casa, na Vila Brasilândia, na Zona Norte da capital paulista.

Outro vídeo mostra Marcelo na escola após, supostamente, ter cometido os homicídios

Suspeito
A Polícia Militar acredita que o garoto Marcelo Pesseghini foi à escola pela manhã após já ter assassinado os parentes. O comandante da Polícia Militar, coronel Benedito Roberto Meira, afirmou em entrevista ao SPTV que câmeras de segurança mostram uma pessoa, que seria Marcelo, estacionando o veículo da policial à 1h15 de segunda próximo ao Colégio Stella Rodrigues, na Rua João Machado.

A pessoa sai após as 6h30, com uma mochila nas costas e entra na escola. Esse primeiro vídeo, no entanto, não permitia confirmar com exatidão que a pessoa é o garoto, o que teria ocorrido com a localização de um segundo vídeo.

Marcelo ao lado de seu pai

Para a Polícia Militar, as mortes dos parentes de Marcelo, em duas casas que ficam num mesmo terreno na Rua Dom Sebastião, na Vila Brasilândia, aconteceram entre a noite de domingo (4) e a madrugada de segunda-feira.

O coronel Benedito Meira afirmou que está descartada a possibilidade de vingança. “Nós descartamos possibilidade de retaliação por parte de facção. A casa não estava revirada, não há sinais de arrombamento", afirmou.

Menino canhoto

Segundo o coronel Benedito Meira, "o menino era canhoto, o disparo foi feito do lado esquerdo da cabeça dele e a arma estava debaixo do corpo do adolescente". No entanto, ele ressaltou que a polícia não descarta que outras linhas de investigação possam aparecer nos próximos dias. No boletim de ocorrência registrado pela Polícia Civil consta que o adolescente encontrado morto "empunhava a arma na mão esquerda, debaixo do corpo".

Nesta terça-feira, Fábio Luiz Pesheghini, irmão de Luís Marcelo, afirmou que o sobrinho não era canhoto. "Pelo que eu sei ele era destro. Eu tenho quase certeza que ele era destro”, disse. Segundo Fabio, o sobrinho era “tranquilo, uma criança normal, que não dava trabalho para os pais, mal saía de casa”. Ele disse desconhecer se o irmão e a cunhada recebiam ameaças.

 

Compartilhar no
Fonte: G1

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário